A Rússia e o Ocidente

Dezesseis Razões porque a Rússia não Deve Nunca Confiar no Ocidente

Stanislav Mishin

14.10.2008

1. O Ocidente saqueou a Rússia

Começando com a pressão sobre o regime de Yeltsin e com os oligarcas escolhidos a dedo e os burocratas como intermediários, tem sido estimado que o Ocidente tem rasgado tanto quanto 500 bilhões da Rússia, sob a forma de recursos, dinheiro, equipamento e tesouros de 1991 a 1999. Tudo de valor, fechado ou não por acordo, foi tomado. Inteiras cidades acordariam e descobririam que as várias fábricas manufatureiras que suportavam a economia delas estavam agora vazias de todo equipamento, que havia sido retirado amargamente de noite.

Por um mês inteiro, Vladivostok, o maior porto do Pacífico, uma cidade do tamanho de San Francisco, se encontrou sem eletricidade, na medida em que os burocratas chave tinha sido capazes de agarrar todo petróleo das anteriores companhias petrolíferas do governo, recentemente privatizadas sem qualquer regulamentação, e enviado isto para o exterior para o Japão e outros países. Isto de fato deixou as usinas elétricas locais e as refinarias vazias.

Os EUA, o Banco Mundial e o FMI amaram dar a Yeltsin e a sua turma “empréstimos” que frequentemente corriam em multi-bilhões e eram de fato custeados por seus próprios contribuintes que foram igualmente saqueados. Depois de tomarem sua parte dos empréstimos, os mais 90% que permaneceram foram refunilados para fora da Rússia e de volta para os EUA onde eles foram muito rapidamente lavados. O Banco de New York entrou neste esquema, movimentando mais de 6 bilhões em empréstimos do FMI e outros dinheiros da Rússia. Depois de uma profunda investigação congressional, os ladrões no Congresso dos EUA deram a eles uma bofetada por seu ‘erro’ de contabilidade.

A despeito de tudo isto, a Rússia tem se provado ressurgente e tem substituido o equipamento e indústrias roubadas, para se tornar no presente dia a 6a. maior economia, uma que oferece ultrapassar a França e a Bretanha neste ano ou no próximo.

2. O Ocidente apoiou Yeltsin quando ele massacrou o Parlamento

O Parlamento Russo, que em 1991 permaneceu contra a linha dura do golpe comunista contra Gorbachev, e com quem o próprio Yeltsin tinha se alinhado e sem cujo apoio ele nunca teria se tornado presidente, do que ousou permanecer em 1993 contra os projetos do Ocidente para os recursos russos. O parlamento se apressou a votar contra a terapia de choque de Yeltsin, a terapia que era destinada a colocar todos os recusos russos nas mãos de uns poucos dos homens mais corruptos no mundo e seus apoiadores ocidentais [tais como o vendedor de carros… que como um bilionário agora está no exílio na Bretanha. Um assassino que faz barulhos constantes de levantar um golpe na Rússia. Um homem que financiou a Jihad islâmica na Chechênia… nenhum outro do que o querido o Ocidente: Berezovsky).

Esta ato de inssurreição do Parlamento resultou na ordem do regime de Clinton para sua marionete Yeltsin “fazer algo sobre isto”. Yeltsin fez. Ele ordenou que os tanques cercassem o prédio e abrissem fogo, resultando em mais de 500 mortes. Na semana seguinte, A Vaca da Guerra Albright chegou para beija-lo e abraça-lo  e o declarar um Grande Democrata. Devemos supor que pelos padrões o O cidente ele seja, especialmente quando se vê como o Ocidente trata seus próprios dissidentes e as demonstrações desses. (Seattle, Los Angeles, Washington DC todos me vem a mente).

3. O Ocidente apoiou os Chechenos e outros elementos separatistas

Vários anos antes até mesmo da Guerra da Chechênia começar, o Ocidente, particularmente a CIA, começou o custeio em massa dos chechenos e outros grupos islâmicos pela Rússia, em um esforço para criar a instabilidade e posteriormente quebrar a Rússia.  Muito disto tem sido nascido do testemunho de antigos ministros turcos, como foi documentado em entrevistas diretas no programa russo “Plan Caucus”. Os chechenos contrabandeariam diamantes para ajudar a custear as operações deles, enquanto a OTAN e a CIA criavam campos de treinamento na Turquia, com plena participação turca. Os ministros até mesmo admitiram o encontro de Bin Laden com seus manipuladores da CIA em 1993, bem no início da primeira Guerra da Chechênia.

De fato os sauditas e outros regimes islâmicos também estavam envolvidos. Muitos filmes foram feitos de soldados russos e civis e usados como videos de treinamento e recrutamento pelos islâmicos ao redor do mundo. Isto foi até mesmo o caso do massacre na escola de Beslan e foi regular nas guerras dos Balcãs contra os sérvios cristãos, croatas e macedonios… todos com a permissão de Washington ou abençoada e forçada ignorância.

Com certeza os EUA/Bruxelas visavam não apenas a desestabilização do Cáucaso e um dos maiores trânsitos de petróleo russo, não era isto apenas seu objetivo comprar a boa vontade islâmica ao trair Cristo e os cristãos [uma corda muito forte em toda política moderna ocidental é o ódio à antiga cristandade]; a meta completa era o total desmembramento da Rússia e a drenagem de seus recursos e poder cerebral a um ponto que fosse inalcançável até mesmo para a marionete Yeltsin e suas traidoras elites no poder.

Então o dinheiro que foi lavado da Rússia pelos bancos ocidentais, exatamente quão frequentemente concluir para financiar os Jihadistas islâmicos e outros grupos rebeldes menores bem como estando em alguma conta bancária de oligarcas ou políticos ocidentais.

Como Madame Halfbright..er Albright uma vez disse sobre a Rússia: “A Sibéria tem recursos demais para apenas uma nação [Russia] manter”. Esta de fato foi a mesma mulher, a mesma Secretária de Estado, que foi citada dizendo: “porque ter um militar se você não pode usa-lo?” Para este fim, os EUA mais uma vez tentaram forjar uma República da Sibéria, até mesmo indo tão longe quanto a impressão de uma moeda diferente, que felizmente nunca viu a luz do dia e ainda está na Suíça. Um país gigantesco como este, com apenas 20 milhões de pessoas, teria sido forçado a buscar a proteção de DC [e absoluta e devastadora exploração] ou enfrentar a anexação chinesa. Novamente, graças a Cristo, este plano foi de vida curta e o nacionalismo russo mais uma vez ganhou o dia.

4. O Ocidente expandiu uma aliança para incluir todo o pacto de Varsóvia e partes da Antiga União Soviética.

O Ocidente deu a Gorbachev uma promessa: deixe a Alemanha Oriental e o Leste Europeu e nos permita reunificar os alemães e a OTAN não se moverá para o Ocidente. Isto durou por todos os dois anos e a marcha por um anacronismo que deve ter sido dissolvido pouco depois do Pacto de Varsóvia, tem sido a melhor parte em 15 anos. A OTAN agora tem lutado três guerras de agresssão: bombardeio dos sérvios na Bósnia, bombardeio da Iugoslávia e agora mirou o Afeganistão. A OTAN posteriormente tentou absorver a Ucrânia e a Georgia, depois que as revoluções dos EUA/Comunidade Européia instalaram marxistas apropriadamente de acordo e até mesmo abordaram o Azerbaijão, uma ditadura islâmica [realmente uma monarquia] para afiliação.

Certamente se o Ocidente apoiasse o golpe islâmico no UZBESQUISTÃO que aconteceu em 2003, a OTAN também teria os convidado.

Porque a Rússia deveria confiar em uma militância armada de ateus sem cristo e seus capangas islâmicos?
5. O Ocidente bombardeou o mais íntimo aliado da Rússia, a Sérvia.

Em claro apoio da Jihad islâmica na Bósnia e na província sérvia do Kosovo [e mais tarde sem bombas mas com dinheiro na Macedonia) o Ocidente tem atacado o mais íntimo aliado da Rússia enquanto fazia tudo que pudesse para expandir a presença de Jihadistas islâmicos nos Balcãs. Em pura linguagem hipócrita, ele chama as guerras que tem causado e os Estados Jihadistas que eles criaram: “trazer estabilidade a região”.

O comandante da OTAN, Wesley “conquistador” Clark até mesmo ameaçou afundar os navios neutros russos, chineses, indianos e ucranianos e cacarejou que se eles não gostassem disso, ele estaria em Moscou em trinta dias. Eu estou assumindo que ele quis dizer que depois de uma divertida caminhada de bicicleta lá, já que a OTAN pode perguntar a seus avôs quão bem eles estiveram no tempo passado… aqueles que tem avôs.

6. O Ocidente apoiou cada Jihad destinada aos cristãos ortodoxos.

O Ocidente tem se prostituido tão claramente ao Islã pelos passados 17 anos que até mesmo muito disto é menos do que livre e se manteve no escuro mas que as pessoas tem começado a perceber. Assim o padrão é estabelecido: se o Ocidente [particularmente a esfera anglo dos EUA e Reino Unido] vai a guerra com os muçulmanos sobre tudo [geralmente idealismo e recursos] para que eles possam então atacar e sacrificar algum grupo cristão menor. Vários exemplos tem sido: os armenios ortodoxos e os assírios ortodoxos e os gregos iotolanos ortodoxos na Turquia; os gregos cipriotas ortodoxos na Turquia; os gregos cipriotas ortodoxos em Chipre; os Bósnios e Sérvios e Macedônios; os coptas ortodoxos no Egito; os ortodoxos e metodistas no sul do Sudão; os iraquianos ortodoxos e católicos; os libaneses católicos; os palestinos ortodoxos e os cristãos católicos e vários outros grupos menores ao redor do mundo.

Afinal, alguns sacrifícios devem ser feitos pela Nova Ordem Anglo-Ocidental e que melhor quer ser livrar dos então incômodos cristãos?

7. O Ocidente derrubou os aliados da Rússia e criou regimes socialistas marionetes.

Não há baixeza na qual o Ocidente não tenha afundado, cultivando em uma “precipitada” revolução de cores. Os que tiveram sucesso foram na Ucrânia, Georgia, Sérvia [embora o primeiro ministro terminasse sangrando depois de uns poucos tiros], Quirguistão [onde o novo governo ainda era pró Russia mas os islâmicos foram capazes de ganhar muito poder no sul do pequeno país… e centenas morreram no combate] e a Moldovia [embora na Moldovia foi bem sucedido em tornar os comunistas marionetes e os aliados de DC/Bruxelas em troca de cancelar a revolução “espontanea” ).

As vitórias ocidentais na Ucrânia [ onde até mesmo Una-Unsa, o partido nazista local, foi patrocinado com o dinheiro dos contribuintes americanos] era para rasgar o país afastando-o da Rússia, contra a vontade da maioria de seu povo. Um outro sub-produto dos socialistas laranjas e trotkistas que o Ocidente trouxe e colocou no poder, foi um retorno total de mercados controlados, estabelecimento do preço de mercado pelo governo e uma economia completamente arruinada. No primeiro ano o crescimento caiu 13% [antes dos socialistas de DC/Bruxelas] a menos de 3%. De fato o roubo do gás natural subiu às alturas.

Na Georgia, o advogado americano treinado Saakashvili tinha feito seu caminho para se aproximar da media independente, matar oponentes políticos [para incluir seu própro primeiro ministro e o segundo] e espancar manifestantes, mas desde que ele apoia a expansão da OTAN e dá conforto aos Jihadistas islâmicos se dirigindo para a Rússia, ele está correto para o Ocidente.

Os fracassados estavam no Uzbequistão [onde o Ocidente contratou radicais islâmicos do Paquistão e do Afeganistão para derrubar o ditador secular Islam Karimov]. Felizmente para Karimov, ele tinha muito menos escrúpulos sobre usar a violência do que na Ucrânia e na Geórgia e que o Ocidente comprou a Revolução Jihad morta em sangue e aço do exército. De fato isto custa aos EUA um aliado nominal e ganha para Rússia um aliado absoluto e custa a OTAN uma base aérea.

A revolução de cor da Armenia também fracassou, mas ao custo da vida de centenas nos combates de rua. Belarus foi esperto o suficiente para cortar imediatamente sua revolução de cor.

A tentada revolução de cor na Rússia nunca começou, não importa quanto dinheiro os EUA e a União Européia colocassem  em uma Outra Rússia e seu principal partido o Partido Nacional dos Trabalhadores Bolchevistas , isto é, nazistas. Falando simplesmente, os russos tem longas memórias e ainda sentem a dor do saque ocidental na década de 1990. Não, obrigada.

8. O Ocidente apoiou ativamente os candidatos vendidos na Rússia com ajuda financeira dada ilegalmente e treinamento revolucionário.

Com os liberais na Rúsia um não iniciante, vendo como Yabloko ainda não pode vir com qualquer idéia nova que não tenha sido tentada na década de 1990 e ainda não denunciará os oligarcas que saquearam a Rússia e eram seus membros de partido e os oligarcas mais radicais no exílio [a maioria na Bretanha] o Ocidente descobriu um outro cavalo vendido onde apostar: uma Outra Rússia.

o Líder da Outra Rússia era Gary Kasparov, um antigo campeão de xadrez que é também um residente de New Jersey. Ele é famoso por dar entrevistas fora da Rússia, declarando quão estúpidos e desprezíveis são os russos. Seu apoio dentro do país dificilmente passe de 2%. Então houve seu parceiro e chefe da União Democrática Popular, o líder Mikhail Kasyanov (que foi apelidado “Misha 2%” por causa da comissão que ele recebeu cedendo bens do Estado russo para oligarcas e negócios ocidentais a preços de queima de estoque] e finalmente a maioria do partido [sim, há outros menores e tão corruptos vendidos além destes três palhaços, mas eles não valem a pena mencionar] Eduard Limonov (um criminoso, que queria ser um revolucionário, dito homossexual), líder do Partido Nacional dos Trabalhadores Bolchevistas , isto é, nazistas.

Sim o dinheiro dos contribuintes americanos e da União Européia foram para apoiar esta escória, em um esforço de mais um a vez vender a Rússia rio abaixo. Glória a Deus do povo ter sido mais sábio.

9. O Ocidente financiou o Partido Nacional dos Trabalhadores Bolchevistas , isto é, nazista na Rússia

Isto é certo, a Casa da Liberdade [um a fachada do governo americano] dá dinheiro para a Outra Rússia. Prim eiramente, esta ação é tão ilegal na Rússia quanto os chineses pagarem aos democratas sob Clinton ou os árabes ao Republicanos sob Bush I e II. Mas sendo hipócritas não é algo que faça Washington DC perder o sono.

Sobretudo, Kasparov, seu antigo candidato principal e residente em New Jersey e seu partido pessoal foram e são um partido minoritário na Outra Rússia. A maioria está no Partido Nacional dos Trabalhadores Bolchevistas , isto é, nazistas de  Limonov… e a única diferença é, vai a suástica e vem a fioce o martelo. Sim senhores, os amantes americanos da liberdade, seus dólares de contribuintes apoiam o Partido Nazista russo, exatamente com o eles apoiam o membro ovelha negra da Coalisão Laranja Ucraniana dos Trotkistas: Una-Unsa, o Partido Nazista Ucraniano. Tenho certeza que seus avôs que combateram Hitler estão tão orgulhosos de vocês por apoiarem tudo isto. Certo? Certo?

10. O Ocidente rompeu seus acordos militares tão logo eles se tornaram inconvenientes.

11. O Ocidente impediu a Rússia de bobardear o Talibã e deu ao Talibã dinheiro.. isto foi até que o Talibã ajudasse a atacar o Ocidente.

Quais foram as primeiras ações de George Bush? Para continuar o legado de Clinton de apoiar o Talibã contra a Rússia, a Aliança do Norte foi apoiada contra os russos,  iranianos, hindus e Kazaks. Os americanos queriam um oleoduto e para este fim eles precisavam de estabilidade  a despeito de que radicais ou fanáticos eles colocassem no trono. A despeito do fluxo de drogas [e incidentalm ente, desde que os EUA invadiram  o Afeganistão todos os records na produção do ópio tem sido quebrados … agora isto é progresso].

Bush usou a ONU e a OTAN para impedir que Putin bombardeasse o Talibã. Ele então acompanhou seu primeiro ato com uma doação de 48 mihões de dólares ao Talibã em maio de 2001. Quer dizer que isto não veio de seu próprio bolso?

12. O Ocidente aceitou a ajuda Russa na Organização Mundial de Comércio, na Asia Central e na costumeira gratidão ocidental, tentou expulsar a Rússia da área.

A Rússia foi a prim eira a chamar a América e oferecer ajuda. A Rússia também igualm ente tem sido a primeira e a única [a incluir a América] a colocar um monumento para as vítimas de 11 de setembro em solo americano. A Rússia abriu caminho pelo Afeganistão, permintindo as bases americanas e da OTAN na Ásia Central. Esta ajuda de fato foi tom ada e então usada para tentar expulsar a RÚSSIA da Ásia Central na intenção de cerca-la e dividi-la para neutraliza-la. Não há qualquer amor cristão aqui,som ente a direção de possuir e controlar tudo.

Glória a Cristo, que estas tentativas foram principalmente esragadas e resultaram em tiros pela culatra. Mas o dano a verdade foi finalmente fatal e as elites russas não tem mais qualquer ilusão sobre com o que eles estão lidando. Quando vier om próximo presidente, e a despeito de quem seja ele, e isto continua, haverá um prego final em algum tipo de fora de alcance e verdade.

13. O Ocidente está colocando silos interceptadores de mísseis que podem facilmente manter misseis nucleares balísticos de curto alcance diretamene na porta da Rússia.

Há alguém que possa imaginar que os generais russos começassem a ameaçar a colocar bombardeiros de volta em Cuba? Quando os EUA agora podem atin gir a Rússia [Moscou] em menos de cinco minutos e tem provado sem preocupação sobre matar civis cristãos ortodoxos, a despeito do fingimentos de não matar civis. Sejam os in dígeas nos EUA, os sulistas na Confederação, os filipinos na antiga colônia, os alemães e japoneses em suas cidades, os sérvios em suas cidades e similares, os civis tem sido alvos por mais de 200 anos.

Muito certamente, os generais russos estão preocupados.

14. O Ocidente tentou e fracassou em controlar os recursos chave do petróleo russo e em vingança tem movido uma guerra de propaganda incessante contra a Rússia por sete anos.

Uma palavra: Khodorkovsky e o inteiro caso sórdido com a Exxon comprando ilegalmente (ou tentado fazer isto] os principais campos de petróleo da Rússia.

15. O Ocidente dá asilo regular aos Jihadistas islâmicos procurados pela Rússia e os criminosos russos e oligarcas criminosos enquanto exge que a Rússia entregue seus cidadãos sob acusações [a extradição é ilegal sob a Constituição russa…não que as leis tenham importância para o Ocidente]

Entre várias pequenas pessoas desvantajosas da Jihad Islâmica, a Edição    Chechena,  que tem obtido e recebido santuário na UAE protegida pelo Ocidente ou Qatar ou Arábia Saudita [lar da JIHAD] há grandes pessoas que tem recebido isto diretamente nos EUA e Reino Unido.

Com certeza os três maiores são Ilyas Akhmadov, a peça porta-voz [agora morto] dos senhores de guerra da Jihad islâmica Maskhadov e Basayev, que obtiveram proteção nos EUA e agora é um contribuinte regular para o Comitê Pró-jihadista americano para paz na Chechênia (ACPC). O liderança da ACPC é como um quem é quem do poder Neocom. Isto está correto, “conosco ou com as multidões terroristas” se prostituem fora para os islâmicos constantemente, tão longo seus russos, sérvios, hindus e outros estão morrendo. Eles até mesmo  se prostituem para o que é mais precioso para eles: Israel, ao constantemente empurrar uma Mapa para a Estrada da Paz [isto é, Suicídio Nacional] ou outro.

O Reino Unido tem também dado santuário a jihadista islâmico checheno e contrabandista de materiais nucleares Ahmed Zakaev (sócio de negócios do agora morto encoberto islâmico Alexander Litvinenko) e o patrocinador da Jihad Chechena e antigo oligarca russo Boris Berezovsky.

16. O Ocidente despreza o patriotismo russo e a cristandade e trabalha duro para esmagar ambos.

Da constante imprensa negativa [parece a regra do polegar on de há três negativas para um positivo] que empurra para corromper os valores ocidentais, o massacre da guerra cultura nunca tem fim. Esteja isto bloqueando os canais russos pelo cabo ocidental para empurrar os sodomitas ocidentais para dirigirem paradas ofensivas tão possíveiws pelas ruas das cidades russas para um infindável apoio ocidental Dhimmi e torcendo pelo islã na Rússia, o assalto nunca descansa.

Qualquer movimento radical ou evento é explodido de toda proporção e ecoado sem fim em todos os noticiários, e os desenvolvimentos positivos [se forem relatados] são mostrados como eventos fortuitos da natureza ou os resultados dos russos fazendo algo de duas caras para obter isto.

A guerra do Ocidente contra a Rússia nunca fez uma pausa r não pode mais ser considerada um a guerra contra a União Soviética. Muitos dos principais proponentes tem aparecido e claramente se mostrado como russofóbicos que eles são… para o aplauso das elites ocidentais em geral.

Porque eles nos odeiam? Porque nos temem, porque eles temem que permaneçamos no caminho de seus sonnhos da utopia marxista trotkista. O reavivamento religioso e cultural russo não é apenas uma ameaça para as elites da Rússia mas um a ameaça ao controle deles da inteira Europa Oriental, especialmente os países ortodoxos. Deus priba que isto possa dar aos alemães ou franceses as idéias de que suas culturas não devam ser subvertidas pelo modo anglo-saxônico e a cultura corporativa neutra de não cultura. Deus proiba que estes mesmos alemães ou franceses possam ter a idéia do que eles tem é digno de lutar por.

E Deus proiba que a Rússia possa mais uma vez  tomar seu papel histórico como defesora da cristandade ortoxa na Europa e da cristandade em geral entre os muçulmanos. Os proprietários de muitas das almas da elite ocidental não deverão estar felizes. A luz da verdade envergnha o Diabo e as almas que ele possui.

Anúncios
Published in: on outubro 24, 2008 at 1:49 pm  Deixe um comentário  
Tags: ,

A Mente Não Tem Firewall

A Mente Não Tem Firewall

Mr. Timothy L. Thomas
Escritório de Estudos Militares Exteriores
Fort Leavenworth, KS.

Este artigo apareceu inicialmente na publicação da primavera de 1998 de “Parameters”

‘Está completamente claro que o Estado que for o primeiro a criar tais armas alcançará uma incomparável superioridade.’ -Major I. Chernishev, Exército russo.

O corpo humano, muito como um computador, contém uma miríade de processadores de dados.  Eles incluem, mas não se limitam, à atividade químico-elétrica do cérebro, coração, e sistema nervoso periférico, os sinais enviados da região do cortex cerebral para outras partes de nosso corpo, as pequeninas células capilares no ouvido interno que processam os sinais auditivos, e a retina e córnea oculares sensível à luz que processam a atividade visual.

Estamos em uma encruzilhada de uma era na qual estes processadores de dados do corpo humano podem ser manipulados ou debilitados. Exemplos de ataques não explicados sobre a capacidade de processamento de dados do corpo são bem documentados. Luzes estroboscópicas tem sido sabido causarem ataques epilépticos. Não tem muito tempo no Japão, as crianças assistindo desenhos animados na televisão foram submetidas a luzes pulsantes que causaram ataque em uma e fez com que outras ficassem doentes.

Defender as capacidades amigáveis e alvejar o processamento de dados do corpo do adversário parece ser uma área de fraqueza na abordagem dos EUA da teoria da guerra de informação, uma teoria pesadamente orientada para os sistemas de processamento de dados e destinada a atingir a dominância da informação no campo de batalha. Ou assim parece da informação na imprensa aberta e desclassificada. Esta desvantagem dos EUA pode ser muito séria, já que as capacidades de alterar os sistemas de processamento de dados no corpo já existem. Uma recente edição do “U.S. News and World Report” ressaltou várias destas “armas maravilhosas” [acústicas, microondas, lasers] e notou que os cientistas estão “procurando espectros eletromagnéticos e sônicos para comprimentos de ondas que possam afetar o comportamento humano.”

Um recente artigo militar russo ofereceu uma inclinação ligeiramente diferente para o problema, declarando que “a humanidade permanece a margem de uma guerra psicotrópica” com o corpo e a mente como foco. O artigo discutiu as tentativas russas e internacionais de controlar a condição psico-física do homem e seus processos de tomada de decisão pelo uso de geradores VHF, “cassetes sem barulho”, e outras tecnologias. Um arsenal inteiramente novo de armas, baseado em aparelhos destinados a introduzir mensagens sub-liminares ou alterar as capacidades de processamento de dados e psicológicas do corpo, podem ser usadas para incapacitar indivíduos. Estas armas se destinam a controlar ou alterar a psique, ou atacar os vários sistemas sensoriais e de procesamento de dados do organismo humano. Em ambos os casos, a meta é confundir ou destruir os sinais qe normalmente mantém o corpo em equilíbrio.  Este artigo examina as armas baseadas em energia, as armas psicotrônicas, e outros desenvolvimentos destinados a alterar a habilidade do corpo humano de processar os estímulos. Uma consequência desta avaliação é que o modo pelo qual usamos geralmente o termo ‘guerra de informação‘ se refere a  quando o soldado individual, não seu equipamento, se torna alvo de ataque.

A Teoria da Guerra de Informação e o Elemento de Processamento de Dados dos Humanos

Nos EUA a concepção comum da guerra de informação se concentra primariamente nas capacidades dos sistemas de hardware tais como computadores, satélites e equipamento militar que processa os dados em suas várias formas. Segundo a Diretiva S-3600.1 do Departamento de Defesa de 9 de dezembro de 1996, a guerra de informação é definida como “uma operação de informação conduzida durante tempo de crise ou conflito para obter ou promover objetivos específicos sobre um adversários os adversários especifícos”. Uma operação de informação é definida na mesma diretiva como “ações tomadas para afetarem a informação do adversário e seus sistemas de informação enquanto defendem sua própria informação e sistemas de informação”. Estes ‘sistemas de informação’ residem no próprio coração do esforço de modernização das forças armadas dos EUA e de outros países, e se manifestam como hardware, software, capacidades de comunicações e indívíduos altamente treinados.

Recentemente, o Exército dos EUA realizou uma batalha fingida que testou estes sistemas sob condições de combate. O Manual de Campo do Exército dos EUA 101-5-1, Termos Operacionais e Gráficos [divulgado em 30 de setembro de 1997] define a guerra de informação como “ações tomadas para obter superioridade de informação ao afetar a informação hostil, processos baseados na informação, e sistemas de informação enquanto defende a própria informação, os seus processos baseados na informação e os seus sistemas de informação”. Este mesmo manual define as operações de informação como uma ‘contínua operação militar dentro do ambiente da informação militar que habilita, aperfeiçoa, e protege as forças amigáveis para coletar, processar e atuar sobre a informação para obter uma vantagem através da completa variedade de operações militares. [As operações de informação incluem] a interação com o Ambiente Global de Informação… e explorar ou negar a informação e capacidades de decisão de um adversário”.

Esta abordagem dos ‘sistemas’ para estudar a guerra de informação enfatiza o uso de dados, referidos a uma informação, para penetrar as defesas físicas de um adversário que protegem os dados [a informação] para obter vantagem pessoal ou estratégica.Isto tem tendido a ignorar o papel do corpo humano como um processador de dados – ou informação –  na busca pela dominância, exceto naqueles casos onde o pensamento racional ou lógico do indivíduo pode ser atingido via desinformação ou engano. Como uma consequência, pouca atenção é dirigida para proteger a mente e o corpo com um “firewall” como temos feito com os nossos sistemas de hardware. Nem tem sido descrita qualquer técnica para assim o fazer. Ainda que o corpo seja capaz não apenas de ser enganado, manipulado, ou mal informado e também abatido ou destruído – exatamente como qualquer outro sistema de processamento de dados. Os ‘dados’ que o corpo recebe de fontes externas – tais como ondas eletromagnéticas, vortex, ou ondas de energia acústica – ou criadas por seu próprio estímulo elétrico ou químico pode ser manipulado ou mudado exatamento como os dados [a informação] em qualquer sistema de harware pode ser alterado. O único elemento da guerra de informação relacionada ao corpo considerado pelos EUA são as operações psicológicas (PSYOP). Na Publicação Conjunta 3-13. 1, por exemplo, PSYOP é listado como um dos elementos da guerra de comando e controle. A publicação nota que ‘o alvo máximo da guerra de informação é a informação dependente do processo, seja ele humano ou automatizado… A Guerra de Comando e Controle (C2W) é uma aplicação da guerra de informação em operações militares… C2W é o uso integrado de PSYOP, mentira militar, segurança das operações, guerra eletrônica e destruição física’.

Uma fonte define a informação como “um sinal não acidental usado como um input para um computador ou sistema de comunicações”.

O corpo humano é um complexo sistema de comunicação constantemente recebendo inputs de sinais acidentais e não acidentais, tanto experimentais quanto internos. Se o alvo máximo da guerra de informação é o processo dependente da informação, “seja humano ou automatizado”, então a definição na publicação conjunta implica que o processamento de dados humanos de sinais internos e externos pode claramente ser considerado um aspecto da guerra de informação. Pesquisadores estrangeiros tem notado a ligação entre humanos como processadores de dados e condutores da guerra de informação. Conquanto alguns estudem apenas a ligação com as PSYOP, outros vão além disso. Como um exemplo do anterior, um recente artigo russo descreveu a ofensiva guerra de informação como projetada para ‘usar os canais da Internet para o propósito de organizar PSYOP bem como para ‘inicial aviso político’ de ameaças aos interesses americanos.’

A avaliação do autor foi baseada no fato que toda a media de massa [ especialmente a programação de televisão – JAH] é usada para PSYOP …  [e] hoje isto deve incluir a Internet.’  O autor avaliou que o Pentágono queria o uso da Internet para “reforçar influências psicológicas” durante as operações especiais realizadas fora das fronteiras dos EUA para alistar simpatizantes, que realizariam muitas das tarefas previamente confiadas a unidades especiais das forças armadas dos EUA. Outros, contudo, olham além dos simples laços PSYOP para considerar outros aspectos da capacidade de processamento de dados do corpo. Uma das principais fontes abertas para os pesquisadores sobre o relacionamento da guerra de informação com a capacidade de processamento de dados do corpo humano é o russo Dr. Victor Solntsev do Instituto Técnico Baumann em Moscou. Solntsev é um pesquisador jovem e bem intencionado que luta para ressaltar ao mundo os perigos potenciais da interface operador computador. Apoiado por uma rede de institutos e academias, Solntsev tem produzido alguns conceitos interessantes.

Ele insiste que o homem deve ser visto como um sistema aberto ao invés de simplesmente como um organismo ou sistema fechado. Como um sistema aberto, o homem se comunica com o ambiente pelos fluxos de informação e media de comunicações. O ambiente físico de alguém, seja por meio e efeitos eletromagnéticos, gravitacionais, acústicos ou outros pode causar uma mudança na condição psico-fisiológica de um organismo, na opinião de Solntsev. Uma mudança desta tipo pode afetar diretamente o estado mental e a consciência de um operador de computador. Isto não seria uma guerra eletrônica ou uma guerra de informação no sentido tradicional, mas muito mais em um sentido não tradicional e um sentido não americano. Isto pode englobar, por exemplo, um computador modificado para se tornar uma arma ao usar o output de sua energia de frequência para emitir a acústica que debilite o operador. Isto pode também englobar, como indicado abaixo, armas futurísticas destinadas ao uso contra o sistema aberto do homem. Solntsev também examinou o “barulho da informação” que cria um denso escudo entre uma pessoa e a realidade externa. Este barulho pode se manifestar na forma de sinais, mensagens, imagens ou outros itens de informação.

O principal alvo deste barulho seria a consciência de uma pessoa ou grupo de pessoas. A modificação do comportamento pode ser um objetivo do barulho da informação; alguém pode ser atingido em uma capacidade mental individual em uma tal extensão que evite a reação aos estímulos. Solntsev conclui que todos os níveis da psique de uma pessoa [subconsciente, consciente e super-consciente] são alvos potenciais para a desestabilização. Segundo Solntsev, um vírus de computador capaz de afetar a psique de uma pessoa é o vírus russo 666. Ele se manifesta em cada 25a. estrutura [tomada] de uma apresentação visual, onde ele produz uma combinação de cores que alegadamente poem os operadores do computador em transe. A percepção subconsciente do novo padrão eventualmente resulta em arritmia do coração. Outros especialistas russos em computador, não apenas Solntsev, falam abertamente sobre este “efeito da 25a. estrutura” e sua habilidade de sutilmente gerenciar as percepções de um usuário. O propósito desta técnica é injetar um pensamento no subconsciente do espectador. Isto pode lembrar algumas das propagandas sub-liminares que originaram controvérsia nos EUA na década de 1950.

Opiniões dos EUA sobre as “Armas Maravilhosas”: Alterando a Habilidade do Corpo de Processar dados.

Que tecnologias tem sido examinadas pelos EUA que possuam o potencial para interromper as capacidades de processamento de dados do organismo humano? A publicação de 7 de julho de 1997 de “U.S. News and World Report” descreveu várias delas projetadas, entre outras coisas, para vibrar dentro de humanos, tornando-os perplexos ou nauseados, colocando-os para dormir, aquecendo-os, ou abatendo-os com uma onda de choque. As tecnologias incluem brilhantes lasers que podem forçar as pupilas a se fecharem; frequências acústicas ou sônicas que fazem com que as células capilares do ouvido interno vibrem e causem doença do movimento, vertigem e náusea, ou frequências que ressoam nos órgãos internos causando dor e espasmos; e ondas de choque com o potencial de abater humanos ou aviões e que podem ser misturadas com spray de pimenta ou químicos.

Com a modificação, estas aplicações tecnológicas pode ter muios usos. Armas acústicas, por exemplo, podem ser adaptadas para uso como rifles acústicos ou como campos acústicos que, uma vez estabelecidos, possam proteger instalações, ajudar no resgate de reféns, controlar motins urbanos, ou abrir caminho para comboios. Estas ondas, que podem penetrar construções, oferecem um conjunto de oportunidades para os militares e os policiais de cumprimento legal. As armas de microondas, ao estimularem o sistema nervoso periférico, podem aquecer o corpo, induzir ataques de tipo epiléptico, ou causar paradas cardíacas. A radiação de baixa frequência afeta a atividade elétrica do cérebro e pode causar sintomas do tipo de gripe e náusea. Outros projetos devem induzir ou evitar o sono, ou afetar o sinal da porção do cortex motor do cérebro, dominando os movimentos voluntários dos músculos. Este último é referido as armas de pulsos de onda e o governo russo tem reportadamente comprado mais de 100.000 cópias da versão ‘Black Widow’ delas.

Contudo, esta visão de ‘armas maravilhosas’ foi contestada por alguém que deve entender delas. O Brigadeiro General Larry Dodgen, Assistente Substituto do Secretário de Defesa para Política e Missões, escreveu uma carta ao editor sobre ‘inúmeras inacurácias’ no artigo do ‘U.S. News and World Report’ que ‘mal representam as opiniões do Departamento de Defesa.’

A queixa primária de Dodgen pareceu ter sido que a revista apresentou mal o uso destas tecnologias e seu valor para as forças armadas. Ele também enfatizou o intento dos EUA de trabalhar dentro do escopo de qualquer tratado internacional concernente a aplicação delas, bem como os planos de abandonar [ou ao menos reprojetar]  qualquer arma para a qual as contra-medidas sejam conhecidas. Contudo, somos deixados com um sentimento, que a pesquisa nesta área seja intensa. Uma preocupação não mencionada por Dodgen é que outros países ou atores que não sejam Estados não possam estar ligados pelas mesmas restrições. É difícil imaginar alguém com um maior desejo que os terroristas de ter em mãos estas tecnologias. O ‘psico-terrorismo‘ pode ser a próxima palavra chave.

Opiniões russas sobre “Guerra Psicotrópica”

O termo ‘psico-terrorismo’ foi criado pelo escritor russo N. Anisimov do Centro Anti-Psicotrônico de Moscou. Segundo Anisimov, as armas psicotrônicas são aquelas que atuam para “tomar parte da informação que é armazenada em um cérebro humano. Ela é enviada a um computador que retrabalha isto no nível necessário para aqueles que precisam controlar o homem, e a informação modificada é então reinserida no cérebro.” Estas armas são usadas contra a mente para induzir alucinações, doença, mutações nas células humanas, ‘zumbificação’ e até mesmo morte . Incluidos neste arsenal estão os geradores VHF, raios X, ultrassom e ondas de rádio. O major do Exército russo I. Chernishev, escrevendo no jornal militar “Orienteer” em fevereiro de 1997, avaliou que as armas psíquicas estavam em desenvolvimento por todo o globo. Específicos tipos de armas notadas por Chernishev (nem todas as quais tem protótipos] eram: um gerador psicotrônico, que produz uma poderosa emanação eletromagnética capaz de ser enviada pelas linhas telefônicas, TV, redes de rádio, canos de fornecimento e lâmpadas incandescentes. Um gerador autônomo, um aparelho que opera na banda de 10-150 Hertz, que na banda de 10-20 Hertz forma uma oscilação infrassônica que é destrutiva para todas as criaturas vivas. Um gerador de sistema nervoso, destinado a paralisar os sistemas nervosos centrais de insetos, que poderia ter alguma aplicabilidade em humanos. Emanações ultrassônicas que um instituto afirma ter desenvolvido. Aparelhos usando emanações ultrassônicas que são supostamente capazes de realizarem operações internas sem sangue e sem marcas na pele. Elas podem também, segundo Chernishev, serem usadas para matar.

Cassettes sem Barulho

Chernishev afirma que os japoneses tem desenvolvido a habilidade de colocar padrões de voz em frequência ultra baixa em músicas, padrões que são detectados pelo subconsciente. Os russos afirmam estarem usando similares “bombardeios” com uma programação de computador para tratar o alcoolismo e o tabagismo.

O efeito da 25a. estrutura, citada acima, uma técnica onde cada 25a tomada de um rolo de filme contém uma mensagem que é captada pelo subconsciente. Esta técnica, se ela funciona, pode possivelmente ser usada para curar o alcoolismo  e o tabagismo, mas ela tem aplicações mais amplas e sinistras se ele é usada em uma audiência de televisão ou em um operador de computador. Os psicotrópicos, definidos como preparações medicinais usadas para induzir transe, euforia ou depressão. Referidos como ‘minas de ação vagarosa’,  eles podem ser acrescentados às comidas de um político ou a um suprimento de água de uma cidade inteira. Os sintomas incluem dores de cabeça, barulhos, vozes ou comandos no cérebro, tonteira, dor nas cavidades abdominais, arritmia cardíaca, ou até mesmo a destruição do sistema cardio-vascular.

Há uma confirmação de pesquisadores americanos que este tipo de estudo está acontecendo. Dra. Janet Morris, co-autora de “The Warrior’s Edge”, reportadamente foi ao Instituto de Correlações Psíquicas de Moscou em 1991. Lá ela presenciou uma técnica pioneirada pelo Departamento russo de Correção Psíquica da Academia Médica de Moscou na qual os pesquisadores analisam eletronicamente a mente humana em ordem de influencia-la. Eles dão o input de mensagens sub-liminares de comando, usando palavras chave transmitidas em um ‘barulho branco’ ou música. Usando um infrassom, a transmissão de frequência muito baixa, a mensagem acústica de psico-correção é transmitida via condução óssea.

Em resumo, Chernishev notou que alguns aspectos militares significativos do armamento psíquico merece uma pesquisa mais estreita, incluindo os métodos não tradicionais para interromper a psique de um indivíduo.
A pesquisa da Percepção Extra Sensorial: determinar as propriedades e condições dos objetos sem até mesmo fazer contacto com eles e ‘ler os pensamentos das pessoas’.
Pela pesquisa de Clarividência: observar objetos que estão localizados além do mundo do visível – usado para propósitos de inteligência.
Telepatia: transmitir pensamentos a uma distância – usado para operações encobertas. Telecinese: ações envolvendo a manipulação de objetos físicos usando o poder do pensamento fazendo com que eles se movam ou se quebrem – usado contra sistemas de comando e controle,  ou para interromper o funcionamento de armas de destruição em massa.
A pesquisa da Psicocinese: interferir com os pensamentos dos indivíduos em nível estratégico ou tático.

Conquanto muitos cientistas americanos indubitavelmente questionem esta pesquisa, ela recebe um forte apoio em Moscou. O ponto a ressaltar é que indivíduos na Rússia [e em outros países também] acreditam que estes meios possam ser usados para atacar ou roubar da unidade de processamento de dados do corpo humano. A pesquisa de Solntsev, mencionada acima, difere ligeiramente daquela de Chernishev. Por exemplo, Solntsev está mais interessado nas capacidades de hardware, especialmente no estudo da fonte da energia de informação associada a interface operador-computador. Ele ressalta que se estas fontes de energia podem ser capturadas e integradas no computador moderno, o resultado será uma rede que vale muito mais do que ‘a soma de seus componentes’. Outros pesquisadores estão estudando geradores de alta frequência (aqueles destinados a deixar atônita a psique com ondas de alta frequência tais como eletromagnéticas, acústicas, e gravitacionais]; a manipulação ou reconstrução do pensamento de alguém pelas medidas planejadas tais como os processos de controle reflexivo; o uso de psicotrônica, parapsicologia, bioenergia, biocampos e energia psíquica; e ‘operações especiais não especificadas’ ou treinamento anti-percepção extra sensorial. Este último item é de particular interesse. Segundo uma transmissão da televisão russa, as forças estratégicas de foguetes tem começado treinamento ‘anti-percepção extra sensorial’ para assegurar que nenhuma fonte externa possa tomar o comando e controlar as funções da força. Isto é, eles estão tentando construir um firewall ao redor das cabeças dos operadores.

Conclusões

No fim de julho de 1997, os planejadores da Demonstração de 1997 de Inter-operabilidade Guerreira Conjunta se concentrou nas tecnologias que aperfeiçoam o planejamento colaborativo em tempo real em uma força tarefa multi-nacional do tipo usado na Bósnia e na Operação Tempestade no Deserto.

Esta rede de 1997, chamada de Rede de Ampla Área de Coalisão (CWAN), é a primeira rede militar que permite que as nações aliadas participem como parceiros plenos e iguais.

A demostração de fato foi uma feira de comércio para as companhias particulares demonstrarem seus produtos; os ministros de defesa foram decidir onde e como gastar mais sabiamente seu dinheiro, em muitos casos sem incorrer no custo de protótipos. Este é um bom exemplo de fazer negócios melhor e por menos. As tecnologias demonstradas incluiam:

Soldados usando laptops para arrastar linhas finas sobre mapas para chamarem ataques aéreos. Soldados carregando beepers e telefones celulares muito mais que armas. Generais rastreando movimentos de cada unidade, contando o número preciso de bombas disparadas ao redor do globo, e inspecionando em tempo real o dano inflingido a um inimigo, todos com gráficos multicoloridos.

Toda contabilidade deste exercício enfatizou a habilidade de sistemas processarem dados e fornecerem o feedback de informação via a energia investida em seus processadores. A habilidade de afetar ou defender a capacidade de processamento de dados dos operadores humanos destes sistemas nunca foi mencionada durante o exercício. Ela tem recebido apenas uma ligeira atenção durante incontáveis exercícios durante os últimos poucos anos. Tem chegado o tempo de perguntar porque parecemos estar ignorando os operadores de nossos sistemas. Claramente o operador da informação, exposto diante de um vasto conjunto de armas potencialmente imobilizantes, é o ponto fraco em qualquer bem militar de uma nação. Há poucos acordos internacionais protegendo o soldado individual, e estes confiam na boa vontade dos combatentes. Algumas nações, e os terroristas de todos os tipos, não se importam com tais acordos.

Este artigo tem usado o termo processamento de dados para demonstrar sua importância na avaliação do que se trata as chamadas guerras de informação e operações de informação. O processamento de dados é a ação que esta nação e outras precisam proteger. A informação nada mais é que o output desta atividade. Como resultado, a ênfase na terminologia relacionada a guerra de informação [‘dominância da informação’, ‘carrossel de informação’] que tem proliferado por uma década não parece se encaixar na situação diante de nós. Em alguns casos a batalha para afetar ou proteger os elementos do processamento de dados atiram um elemento contra o outro. Em outros casos, os sistemas mecânicos podem ser confrontados pelo organismo humano, ou vice versa, já que os humanos geralmente podem abater qualquer sistema mecânico com o toque de um interruptor. Na realidade, o jogo é sobre proteger ou afetar sinais, ondas e impulsos que possam influenciar os elementos de processamento de dados dos sistemas, computadores ou pessoas. Somos potencialmente as maiores vítimas da guerra de informação, porque temos negligenciado em nos proteger.

Nossa obsessão com um ‘sistema de sistemas’, ´dominância da informação’ e outras terminologias tais é provavelente a causa principal de nossa negligência com o fator humano em nossa teorias da guerra de informação. É tempo de mudar a nossa terminologia e o nosso paradigma conceitual. A nossa terminologia está nos confundindo e nos enviando em direções que lidam primariamente com hardware, software, e componentes de comunicação do espectro do processamento de dados. Precisamos passar mais tempo pesquisando como proteger os humanos em nossas estruturas de gerenciamento de dados. Nada nestas estruturas pode ser mantido se os nossos operadores tem sido debilitados por adversários potenciais ou terroristas que – exatamente agora – podem estar projetando os meios de interromper o componente humano de nossa noção cuidadosamente construída de um sistema de sistemas.

Projeto Blue Beam

Projeto Blue Beam

de Serge Monast

Originalmente Publicado em 1994

[Nota: Serge Monast e um outro jornalista, estavam pesquisando o Projeto Blue Beam, quando morreram de “ataques cardíacos” dentro de semanas um do outro embora nenhum tivesse um histórico de doença cardíaca. Serge estava no Canadá. O outro jornalista canadense estava visitando a Irlanda. Antes de sua morte, o governo canadense raptou a filha de Serge em uma tentativa de dissuadi-lo de continuar sua pesquisa sobre o Projeto Blue Beam. Sua filha nunca voltou. Os pseudo-ataques cardíacos são um dos métodos de morte alegados serem induzidos pelo Projeto Blue Beam.]

O infame Projeto Blue Beam da NASA tem quatro passos diferentes para a implementação de uma religião New Age com o Anti-Cristo a sua frente. Devemos nos lembrar que a religião New Age é o próprio fundamento para um novo governo mundial; sem esta religião a ditadura da Nova Ordem Mundial é completamente impossível. Repetirei que: Sem uma crença universal na religião New Age, o sucesso da Nova Ordem Mundial será impossível! Isto é porque o Projeto Blue Beam é tão importante para eles, mas tem sido tão bem escondido até agora.

Terremotos Engenheirados e “Descobertas” Falsificadas

O primeiro passo no Projeto Blue Beam da NASA diz respeito a quebra [reavaliação] de todo conhecimento arqueológico. Isto lida com a criação, com terremotos artificialmente criados em certas localizações precisas do planeta, de supostamente novas descobertas que finalmente explicarão a todas as pessoas o “erro” de todas as doutrinas fundamentais religiosas. A falsificação desta informação será usada para fazer todas as nações acreditarem que suas doutrinas religiosas tem sido mal compreendidas e mal interpretadas por séculos. As preparações psicológicas para o primeiro passo já tem sido implementadas com o filme “201:Uma Odisséia no Espaço”, as séries StarTrek e ‘Independence Day;’ todos os quais lidam com invasões vindas do espaço e reunindo todas as nações para repelirem os invasores. Os últimos filmes, como ‘Jurrassic Park,’ lidam com a teoria da evolução e afirmam que as palavras de Deus são mentiras.

“Descobertas Falsificadas”

O que é importante entender no primeiro passo é que estes terremotos atingirão partes diferentes  do mundo onde os ensinamentos científicos e arqueológicos tem indicado que os mistérios arcanos tenham sido enterrados. Por estes tipos de terremotos será possível para os cientistas redescobrirem estes mistérios arcanos que serão utilizados para desacreditar todas as doutrinas fundamentais religiosas. Esta é a primeira preparação para o plano para a humanidade porque o que eles querem fazer é destruir as crenças de todos os cristãos e muçulmanos do planeta. Para fazer isto, eles precisam de alguma prova “falsa” de um distante passado que provará de todas as nações e suas religiões tem sido mal interpretadas e mal compreendidas.

O Grande Show Espacial no Céu

O segundo passo do Projeto Blue Beam da NASA envolve um gigantesco “show espacial” com hologramas ópticos tridimensionais e sons holofônicos, projeção a laser de múltiplas imagens holográficas para diferentes partes do mundo, cada uma recebendo uma imagem diferente segundo a fé religiosa predominante regional e nacional. Esta nova “voz de Deus” estará falando em todas as linguagens. Para entender isto, devemos estudar as várias pesquisas feitas pelos serviços secretos nos últimos 25 anos. Os soviéticos tem aperfeiçoado um avançado computador, até mesmo o exportado, e o alimentado com diminutos particulares fisio-psicológicos baseados em seus estudos da anatomia e composição eletromecânica do corpo humano, e os estudos de propriedades elétricas, químicas e biológicas do cérebro humano. Estes computadores foram alimentados, também, com todas as linguagens das culturas humanas e seus significados. Os dialetos de todas as culturas tem sido alimentados nos computadores por transmissões de satélite. Os soviéticos começaram a alimentar os computadores com programas objetivos como aqueles de um novo messias. Também parece que os soviéticos – o povo da Nova Ordem Mundial – tem  recorrido a métodos suicidas com a sociedade humana pelo alocação de comprimentos de ondas eletrônicas para cada pessoa e cada sociedade e cada cultura para induzir pensamentos suicidas se a pessoa não se submete aos ditames da Nova Ordem Mundial.

Há dois aspectos diferentes do passo dois.

O primeiro é o “show espacial”. De onde vem este show espacial? O show espacial, as imagens holográficas serão usadas em uma simulação do fim durante o qual todas as nações verão cenas que serão a realização do que eles desejam verificar nas profecias e eventos adversos. Elas serão projetadas por satélites na camada de sódio a aproximadamente 60 milhas acima da Terra. Vimos os testes uma vez por um tempo, mas eles são chamados UFOs e avistamentos de “disco voadores”.

O resultado deste deliberado evento estagiado será mostrar ao mundo o novo Cristo, o novo messias, Maitreya, para a implementação imediata da religião do novo mundo. Bastante verdade será impingida a um mundo insuspeito para fisga-lo na mentira. “Até mesmo os mais sábios serão enganados.”

O projeto tem aperfeiçoado a habilidade de algum aparelho elevar um número enorme de pessoas, como em uma ascensão, e despejar estas pessoas em uma terra de ninguém.  Vimos testes deste aparelho nas abduções de humanos por estes misteriosos pequenos seres grays aliens que tiram as pessoas de suas camas e pelas janelas para aguardarem na “nave mãe”. A calculada resistência à religião universal e ao novo messias e as posteriores guerras sagradas resultarão na perda de vida humana em uma escala nunca imaginada anteriormente em toda história humana.

O Projeto Blue Beam fingirá ser o cumprimento universal das profecias antigas, como um maior evento que ocorreu a 2000 anos atrás. A princípio, ele fará uso dos céus como uma tela de cinema [na camada de sódio a 60 milhas] quando um satélite baseado no espaço gera o laser que projeta imagens simultâneas para os quatro cantos do planeta em todas as linguas e dialetos segundo a região. Isto lida com o aspecto religioso da Nova Ordem Mundial e é engano e sedução em uma escala maciça.

Os computadores coordenarão os satélites e o software já em lugar e dirigirão o show no céu. As imagens holográficas são baseadas em sinais quase idênticos se combinando para produzir uma imagem ou um holograma com profunda perspectiva que é igualmente aplicável as ondas acústicas ELF, VLF e LF e fenômenos ópticos. Especificamente, o show consistirá em múltiplas imagens holográficas para diferentes partes do mundo, cada uma recebendo uma diferente imagem segundo sua religião específica, nacional e regional. Nem uma única área será excluída. Com as animações e sons do computador parecendo se emanarem das profundezas do espaço, seguidores atônicos e ardentes de vários credos testemunharão seu próprio messias retornado em uma convincente realidade com o a vida.

Então as projeções de Jesus, Maomé, Buda, Krishna, etc., se unirão em outra explicação posterior correta dos mistérios e revelações terão sido desveladas. Esta uma boa vontade, de fato, ser o Anti-Cristo, que explicará que as várias escrituras tem sido mal comprendidas e mal interpretadas e que as religiões antigas são responsáveis por jogar irmão contra irmão, nação contra nação, e portanto as velhas religiões devem ser abolidas para dar caminho para a religião New Age da Nova Ordem Mundial, representando o um só Deus, o Anti-Cristo, que eles viram diante deles.

Naturalmente, esta falsificação soberbamente programada resultará em uma desordem social e religiosa em dissolução em uma grande escala, cada nação acusando a outra pelo engano, liberando milhões de fanáticos religiosos programados pela possessão demoníaca em uma escala nunca testemunhada antes. Além disso, este evento ocorrerá a um tempo de profunda anarquia política mundial e tumulto geral criado por alguma catástrofe mundial. A ONU até mesmo planeja usar a música de  Beethoven – ‘Song of Joy’ – como um hino para a introdução para a religião New Age de um só governo mundial. Se colocarmos este show espacial em paralelo com o programa Star Wars obtemos isto: a combinação da radiação eletromagnética e da hipnose que também tem sido objeto de intensa pesquisa. Em 1974, por exemplo, o pesquisador G. F. Shapits, disse sobre uma das propostas de pesquisa que, “… nesta investigação será demonstrado que as palavras faladas pelo hipnotizador podem ser convertidas em energia eletromagnética diretamente e para a parte subconsciente do cérebro humano sem empregar qualquer aparelho mecânico para receber ou transcodificar a mensagem, e sem que a pessoa exposta a tal influência tenha uma chance de controlar o input da informação conscientemente. Pode ser esperado que o comportamento racionalizado será considerado ter sido retirado de sua própria vontade livre.”

Qualquer um que investigue o chamado fenômeno da “canalização” exatamente agora será sábio em levar em consideração esta área de pesquisa. Será notado que aqueles que se pensam “canalizadores” tem escalado rapidamente desde que este tipo de pesquisa foi realizada. É desconcertante como é similar as suas mensagens. a despeito de que entidade eles afirmem ser a fonte da orientação divina. Isto sugeriria que qualquer indivíduo considerando a credibilidade da informação canalizada deveria estar discernindo e criticamente avaliando de onde se origina as mensagens que eles recebem, e se as mensagens são especificamente benéficas para a Nova Ordem Mundial.

O jornal “Sydney Morning” publicou um item em 21 de março de 1983 no que anunciou que os soviéticos estavam invadindo a mente humana; o artigo tendo sido submetido ao editor estrangeiro pelo Doutor Nathan Abnuengy, professor assistente em uma faculdade de agricultura na Ásia. Vale a pena citar extensamente este artigo até mesmo embora sua gramática esteja um pouco antiga. Este artigo se relaciona aos soviéticos que criaram o supercomputador que estávamos discutindo anteriormente e o que realmente é importante porque este tipo de computadores podem ser dirigidos por satélites e pelo espaço. Os computadores são alimentados com todas as diferentes linguagens e seus significados, o dialeto de todas as pessoas foram alimentados nos computadores com programas objetivos. Mas não estamos mais falando sobre os soviéticos e sim sobre a ONU, os acólitos da Nova Ordem Mundial, que estão alimentando os computadores com a informação necessária.

O editor da coluna na qual o artigo apareceu até mesmo declara que a peça estabelece pontos importantes demais para serem ignorados. Penso que seja possível que as pessoas que criaram este super programa de controle mental possam vender o software para uma organização e não estarem cientes que o cliente possa usar o programa e dados para escravizar toda a humanidade. Agora imagine o quanto eles avançaram desde que o artigo foi publicado!

Pensamento Artificial e Comunicação

O avanço das técnicas nos propelem na direção do terceiro passo no Projeto Blue Beam que vai ao longo da comunicação de duas vias aumentada telepática e eletronicamente onde as ondas ELF, VLF e ULF alcançarão cada pessoa de dentro de sua própria mente, convencendo cada uma delas que seus deus está falando com elas das profundezas de sua própria alma. Tais raios dos satélites são alimentados pelas memórias dos computadores que tem armazenado dados maciços sobre cada humano na Terra e suas linguas. Os raios se entrelaçarão então com seu pensamento natural para formar o que chamamos de pensamento artificial difuso.

Este tipo de tecnologia tem ido adiante por meio de pesquisas nas décadas de 1970 até as décadas de 1990 onde o cérebro humano tem sido comparado a um computador. A informação é alimentada, processada, integrada e então uma resposta é formulada e a ação é a correspondente. Os controladores da mente manipulam a informação  do mesmo modo que um computador para gramática manipula a informação. Em janeiro de 1991, a Universidade do Arizona recebeu uma conferência intitulada, ‘Workshop de Pesquisa Avançada da OTAN sobre Fenômenos Correntes e Emergentes e Sistemas Biomoleculares”. O que exatamente isto significa? Isto significa isto: Nos referimos a um trabalho que foi enviado para a conferência que sobressai por sua diferente atitude na direção do desenvolvimento sob discussão naquele tempo. Era, de fato, um protesto e um aviso apavorante para os cientistas presentes sobre o abuso potencial das descobertas das pesquisas deles.

As descobertas deles, de fato, afirmaram que os EUA já tinham desenvolvido equipamento de comunicação capaz de fazer o cego ver, o surdo ouvir e o paralítico andar. Isto podia aliviar o doente terminal da dor sem o uso de drogas ou de cirurgia. Não estou falando sobre ficção científica. Um homem pode reter o uso de todas as suas faculdades até o mesmo momento de sua morte. Este equipamento de comunicações depende de um modo completamente novo de ver o cérebro humano e os sistemas neuromusculares e os pulsos de radiação em frequências ultra baixas. Algum deste equipamento já está operacional dentro da CIA e do FBI. Ele nunca será usado para fazer o cego ver, o surdo ouvir e o paralítico andar porque é central para a agenda política doméstica e política externa de George Bush e seus mestres fantoches da Nova Ordem Mundial.

Domesticalmente, o novo equipamento de comunicações está sendo usado para torturar e assassinar pessoas que preenchem perfis imaginados de serem capazes de ocultar uma dada população para terroristas; para torturar e matar cidadãos que pertencem a organizações que promovem a tolerância e a paz e o desenvolvimento na América Central; para torturar e matar pessoas que se opõem ao desenvolvimento e emprego de armas nucleares, e para criar uma raça de escravos autômatos de culto, ou o que é popularmente conhecido como Candidato Manchuriano. A experimentação no exterior está ocorrendo em reféns mantidos pelos EUA e Canadá, Grã Bretanha, Austrália, Alemanha, Finlândia e França. Adicionalmente, tem havido uma série de suicídios bizarros, todos eles entre cientistas britânicos de computador, e todos tendo alguma ligação com a Marinha dos EUA.

O que é possível perguntar diante de uma tal psicologia do terror é isto: qualquer governo, corporação ou psiquiatra promoveria um tal horror hoje? E a resposta é muito obviamente: Sim.

As agências do governo e as corporações que trabalham com elas na direção de uma Nova Ordem Mundial estão preparadas para promoverem qualquer coisa que os ajude a alcançar seu objetivo de total controle social. Quanto a pergunta sobre o porque: Por uma coisa, se você aterroriza o público e faz com que ele tema pela sua própria segurança, ele permitirá que você implante leis draconianas e o cumprimento obrigatório delas, e eles só terão que dizer a você que tudo isso é para protege-lo, com certeza. Secundariamente, isto promove o apodrecimento das presentes formas democráticas de sistemas políticos, e leva as sociedades a buscarem métodos alternativos de ideologia política. De fato, a alternativa já tem sido planejada. Ele é chamada Nova Ordem Mundial e não terá em seu coração seus interesses e segurança. Como disse George Bush: ‘Leia os meus lábios.’ O medo sempre tem sido usado pela elite poderosa para controlar e subjugar as massas.

A velha máxima, ‘dividir e conquistar’, está sendo desempenhada ao limite mundialmente para assegurar que todo mundo esteja atemorizado por sua segurança pessoal, e tenha suspeitas de todo mundo mais. Isto, também, é controle mental. Para ir adiante a respeito desta nova tecnologia que é a base do Projeto Blue Beam da NASA, temos que considerar esta declaração do psicólogo James V. McConnell que foi publicada em uma edição de “Psychology Today” na década de 1970. Ele disse, ‘Tem chegado o dia onde podemos combinar a privação sensorial com a hipnose sob drogas e a astuta manipulação da recompensa e punição para ganhar um controle quase que absoluto sobre o comportamento do indivíduo. Então deve ser possível alcançar um tipo muito rápido e altamente eficaz dde lavagem cerebral positiva que nos permitira fazer dramáticas mudanças no comportamento e personalidade da pessoa”.

Agora quando falamos antes sobre este tipo de raio e comunicação telepática e eletronicamente aumentada, o tipo de raio que alimenta as memórias dos computadores que armazenam dados maciços sobre os humanos, a linguagem humana e os dialetos, e dizemos que as pessoas serão alcançadas por dentro, fazendo cada pessoa acreditar que é seu próprio deus que está falando diretamente de dentro de sua própria alma, nos referimos a este tipo de tecnologia e este tipo de pensamento que alguns psicólogos estão esposando, que é; devemos ser treinados desde o nascimento de modo a podermos fazer tudo o que a sociedade quer que façamos, muito mais do que aquilo que nós mesmos queremos fazer; isto é porque eles tem a tecnologia para fazer isto, e ninguém terá permissão para ter sua própria personalidade individual. Esta declaração e estas idéias são importantes porque este é o ensinamento básico da ONU que ninguém possua sua própria personalidade. E este mesmo psicólogo afirma que ninguém tem o que dizer e assim o tipo de personalidade que eles adquirem e que não há razão para acreditar que você tenha o direito de se recusar a adquirir uma nova personalidade se a sua velha personalidade é considerada ser ‘anti-social.’

O que é importante nesta declaração é que a Nova Ordem Mundial estará estabelecida sobre o sistema atual significando que o velho modo de pensar e de se comportar será considerado ‘velho e incorreto” e que eles podem mudar isso em um dos campos de erradicação da ONU para se assegurarem que qualquer um com este comportamento ‘anti-social’ será disposto tão rapidamente que outros indivíduos modificados serão capazes de preeencherem as necessidades e as agendas da Nova Ordem Mundial sem serem distraídos pela verdade.

Pode este ser o maior projeto de controle mental que já existiu?

O Projeto Blue Beam da NASA é a primeira diretiva para o absoluto controle da Nova Ordem Mundial sobre as populações da Terra inteira. Sugeriria que você investigue cuidadosamente esta informação antes de a descartar como uma atitude lunática e fanática. Se vamos adiante nos diferentes relatos que temos apresentado, descobrimos que as operações de controle mental e a tecnologia incluem um trasmissor que transmite na mesma frequência do sistema nervoso humano, que o transmissor é fabricado pela Loral Electro-Optical System em Pasadena, Califórnia. Loral, um maior contratado de defesa, tinha anteriormente realizado a pesquisa sobre armas diretas de energia para o Ten. Gen Leonard Perez da Força Aéra dos EUA que estava buscando uma arma que pudesse implantar mensagens nas mentes do inimigo enquanto urgia que suas próprias tropas realizassem deveres sobre-humanos de valor! O aparelho emprega a radiação eletromagnética de frequências de gigahertz [microondas] pulsadas em frequências extremamente baixas (ELF). Isto é usado para torturar pessoas física e mentalmente a distância.

Armas deste tipo são pensadas terem sido utilizadas contra uma mulher britânica que protestava contra a presença de Misseis Cruise Americanos na base aérea de Greenham Common durante a década de 1970. Esta arma pode ser usada para induzir uma total privação sensorial ao transmitir sinais ao nervo auditivo em uma tal  poder que isto bloqueie a habilidade do indivíduo de ouvir seus próprios pensamentos!

O processo empregado por uma tal tecnologia ELF é descrito em várias publicações do Departamento de Defesa dos EUA, incluindo um intitulado, ‘ O Espectro Eletromagnético e o Conflito de Baixa Intensidade’ do Capitão Paul E. Tyler, comandante médico, Marinha dos EUA, que é incluido em uma coleção intitulada, ‘O Conflito de Baixa Intensidade e o Édito da Tecnologia Moderna’ do Ten. Cel David G. Dean, USAF. O trabalho foi liberado em 1984 e a coleção publicada em 1986 pela Air University Press, base da Força Aérea de Maxwell, Alabama. Um outro aparelho de pulso de microondas pode enviar sinais audíveis diretamente a um indivíduo enquanto permanece indectável para todo mundo mais. A tecnologia é muito simples e pode ser construída usando um pequeno radar doppler de polícia comum. O raio de microondas é gerado pelo aparelho é modulado em audio frequências e pode transmitir mensagens diretamente dentro do cérebro. A transmissão da comunicação sub-liminar de duas vias e as imagens das profundezas do espaço correspondem diretamente a este tipo de tecnologia.

Em seu livro, ‘The Body Electric,’ o indicado para o Prêmio Nobel Dr. Robert O. Becker descreve uma série de experimentos realizados na década de 1960 por Allen Frie onde este fenômeno foi demonstrado bem como os experimentos mais recentes realizados em 1973 no Instituto de Pesquisa do Exército Walter Reed pelo Dr. Joseph C. Sharp que pessoalmente se submeteu a testes nos quais ele provou que podia ouvir e entender mensagens enviadas a ele em uma câmera de isolamento livre de ecos via um audiograma pulsado de microondas que é um análogo ao som da vibração da palavra irradiada em seu cérebro. Becker então continua para afirmar, ‘Uma tal aparelho tem óbvias aplicações para operações encobertas destinadas a tornar um alvo maluco com vozes desconhecidas ou enviar instruções indetectáveis para um assassino programado’.

Agora entenda quando ouvimos esta voz do messias do novo mundo que estaria falando do espaço para todas as pessoas sãs [?] da Terra que pode dar instruções aos zelotes e fanáticos religiosos, veríamos a histeria e a violência social em uma escala nunca testemunhada antes neste planeta. Nenuma força policial no mundo, até mesmo um front combinado, pode lidar com a desordem que se seguirá! Um livro de 1978 intitulado, “Efeito Auditivo das Microondas e Aplicação” de James C. Lynn descreve como as vozes audíveis podem ser transmitidas diretamente ao cérebro. Esta tecnologia pode realmente permitir que o cego veja e o surdo ouça. Ao invés, foi transformada em uma arma para escravizar o mundo.

Allen Frie também relata que ele pode acelerar, lentificar ou parar os corações de sapos isolados ao sincronizar a taxa pulsada de um raio de microondas com o próprio coração. Segundo o Dr. Robert Becker, resultados similares tem sido obtidos usando sapos vivos, o que mostra que é tecnicamente possível produzir ataques cardíacos com raios destinados a penetrar o peito humano.

Tem sido demonstrado que focalizar raios de energia eletromagnética de ultra alta frequência [UHF] pode ser usado para induzir considerável agitação e atividade muscular ou induzir fraqueza muscular e letargia. As microondas também podem ser usadas para queimar a pele humana e auxiliar no efeito das drogas, bactérias e venenos ou afetar a função do inteiro cérebro. Estes efeitos foram todos longamente revelados pela CIA em 21 de setembro de 1977 em testemunho diante do Sub-comitê de Saúde e Pesquisa Científica. O Dr. Sidney Gottlieb que dirigiu o programa MK-Ultra naquele tempo foi forçado a discutir o escopo da pesquisa da CIA para achar técnicas de ativação do organismo humano por meios eletrônicos remotos. Assim isto é algo que existe exatamente agora, que tem sido procurado em seu mais alto grau, que pode ser usado do espaço para alcançar qualquer pessoa, qualquer lugar na face da Terra.

Se vamos mais profundamente no processo de controle mental sobre as pessoas descobrimos que o equipamento e a tecnologia tem sido utilizada para influenciar políticos de um modo muito mais direto. Michael Dukakis, o candidato Democrata que concorria contra George Bush na eleição de 1988 foi alvejado pela tecnologia de microondas para impedir sua perfornance pública de fala uma vez que as pesquisas de opinião pública mostravam que ele possuia uma séria ameaça às perspectivas de eleição de Bush. Ele também afirma que o equipamento foi usado contra Kitty Dukakis e a levou a beira do suicídio. No mundo da Disneilândia da política americana, um candidato presidencial com problemas tais como estes, obviamente perde sua corrida para a Casa Branca. Em dezembro de 1980 a edição da Revista do Exército dos EUA, chamada  “Military Review”, em uma coluna do Ten. Cel. John B. Alexander, intitulada, ‘O Novo Campo de Batalha Mental: Irradie-me Espião,’ fornece um insight posterior para as capacidades técnicas a disposição do controlador. Ele escreve, ‘Vários exemplos demonstrarão áreas na qual o progresso tem sido feito. A transferência de energia de um organismo para outro; a habilidade de curar ou causar doença a ser transmitida a distância, assim induzindo doença ou morte sem causa aparente; a modificação telepática do comportamento que inclui a habilidade de induzir estados hipnóticos em uma distância superior a 1000 quilometros tem sido relatada.”

O uso da hipnose telepática ainda mantém um grande potencial. Esta capacidade pode permitir que agentes sejam profundamente plantados sem conhecimento consciente de sua programação. Em termos de cinema, o Candidato Manchuriano vive, e nem mesmo precisa de um telefonema. ” Outras técnicas de indução mente a mente estão sendo consideradas. Se aperfeiçoada, esta capacidade pode permitir a transferência direta do pensamento via telepatia de uma mente ou grupo de mentes para uma seleta audiência alvo. O único fator é que o receptor não estará ciente que o pensamento tem sido implantado de uma fonte externa. Ele acreditará que os pensamentos são originais”. Isto é exatamente sobre o que estamos falando.

O terceiro passo do Projeto Blue Beam da NASA é chamado Comunicação Eletrônica Telepática de Duas Vias. O  artigo do Ten. Cel. Alexander continua: ‘Se é possível alimentar o pensamento artificial em um campo multigênico via satélite, o controle mental do inteiro planeta é agora possível. A única resistência de um indivíduo seria constantamente questionar a motivação por trás de seus pensamentos e não agir sobre os pensamentos que ele considere estarem foram de suas próprias fronteiras ideológicas, religiosas e morais.’ Mais uma vez, é sábio considerar como a televisão, a propaganda, a educação moderna e os vários tipos de pressão social são utilizados para manipular estas fronteiras. Tem diso relatado pelo Ten. Cel. Alexander que disse, no sumário de seu artigo no Military Review, ‘A informação sobre estes tipos de tecnologia apresentadas aqui seriam consideradas por alguns como ridículas, já que elas não se encaixam em sua visão de realidade’.

“Mas algumas pessoas ainda acreditam que o mundo seja chato”

Agora, isto significa muito, porque se as pessoas não acreditam que este tipo de tecnologia é possível, ou que isto seja ficção científica, estas pessoas se colocam em grande perigo, porque na noite onde estes milhares de estrelas brilharão no espaço, eles não estarão preparados e não terão tempo para se preparar contra este tipo de tecnologia. Eles não acreditam e eles não tomarão tempo para se preparar.

Isto é exatamente o que acontece as pessoas que estão convencidas por Satã a acreditarem que ele não existe, assim eles não tem defesa contra ele. – JAH.

Manifestações Universais Sobrenaturais via Eletrônica

O quarto passo diz respeito a manifestação universal sobrenatural por meios eletrônicos. Ela contém três diferentes orientações.

Uma é fazer a humanidade acreditar que uma invasão alienígena está para ocorrer em cada maior cidade da Terra para provocar cada maior nação a usar suas armas nucleares para contra-atacar. Deste modo, a Côrte da ONU precisará que todas as nações que lançaram suas armas nucleares se desarmem quando for provado que a invasão era falsa. E como a ONU saberá que a invasão era falsa? Eles a terão programado, com certeza.

A segunda é fazer com que os cristãos acreditem que uma ascensão esta indo ocorrer com a suposta intervenção divina de uma civilização alienígena vinda para resgatar os terrenos de um demônio selvagem e sem misericórdia. Sua meta será se livrar de toda opsição significativa a implementação da Nova Ordem Mundial em um maior ataque, realmente dentro de horas do início do show no céu!

A terceira orientação no quarto passo é uma mistura de forças eletrônicas e sobrenaturais. As ondas usadas desta vez permitirão que as forças sobrenaturais viagem pelas fibras óticas, cabos coaxiais elétricos e linhas telefônicas para penetrar em todo mundo e nos maiores aparelhos domésticos. Chips embutidos já estão no lugar. A meta disto lida com fantasmas satânicos globais projetados por todo mundo para empurrar todas as populações a beira da histeria e loucura, leva-los a uma onda de suicídios, assassinatos e permanentes desordens psicológicas. Depois da noite das Mil Estrelas, as populações mundiais estarão prontas para o novo messias para reestabelecerem a ordem e a paz a qualquer custo, até mesmo ao custo de abrir mão de sua liberdade.

Anulando em Fases o Dinheiro e a Independência

As técnicas usadas no quarto passo são exatamente as mesmas usadas no passado na União Soviética para forçar as pessoas a aceitarem o Comunismo. A mesma técnica será usada pela ONU para implementar a religião do novo mundo e a Nova Ordem Mundial. Muitas pessoas perguntam quando isto vai acontecer e como eles realizarão as visões de uma Noite das Mil Estrelas, e os eventos que apontarão para este dia, quando isso começará. Segundo muitos relatos que tenho recebido, acreditamos que isto começará com algum tipo de desastre mundial econômico. Não uma quebra completa, mas o bastante para permitir que eles introduzam algum tipo de moeda intermediária antes que eles introduzam seu dinheiro eletrônico para substituir todo dinheiro em papel ou plástico. A moeda intermediária será usada para forçar todo mundo com poupanças a gastar ou a transformar em dinheiro porque eles entendem que as pessoas que tem dinheiro e não são dependentes deles podem ser as mesmas que montarão uma insurreição contra eles. Se todo mundo está quebrado, ninguém pode custear uma guerra de qualquer tipo. O papel moeda deixará de existir. Este é um dos primeiros sinais.

Mas para implementar mundialmente o dinheiro eletrônico, todos no mundo que podem ter dinheiro no futuro, terá que ter um meio de transferir eletronicamente este dinheiro. Antes deste tempo, todo mundo terá gasto, antes do ano 2.000, todo o seu dinheiro, reservas e bens. Todo mundo tem que estar 100% dependente do Conselho para sua existência. Para evitar qualquer tipo de independência, a Nova Ordem Mundial já tem implantado micro chips em animais selvagens, pássaros e peixes etc. Porque? Eles querem ter certeza que as pessoas que não aceitarem a Nova Ordem Mundial não serão capazes de caçar ou pescar em qualquer lugar do mundo. Se eles tentarem, serão rastreados e localizados por satélites, então aprisionados ou mortos.

A Nova Ordem Mundial já está mudando as leis de todas as nações para tornar todo mundo dependente de uma única fonte e suprimento de vitaminas. Eles já estão mudando as leis sobre religião e desordens psiquiátricas para identificar qualquer um que potencialmente seja uma ameaça para a Nova Ordem Mundial. Aqueles que forem descobertos serem defeituosos serão enviados a campos de erradicação onde seus órgãos serão retirados e vendidos pelo maior lance. Aqueles que não forem mortos serão usados para trabalho escravo ou utilizados em experimentos médicos. A meta da ditadura é controlar todo mundo em todos os lugares do planeta, grosseiramente e sem exceção. Isto é o porque a nova tecnologia sendo introduzida em todos os lugares é uma tecnologia para o controle das pessoas. As tecnologias das décadas de 1940 e 1950 foram utilizadas para ajudarem as pessoas a terem uma vida mais fácil e mais produtiva.

A nova tecnologia é construída e destinada a rastrear e controlar as pessoas em todos os lugares. Esta tecnologia está sendo fabricada para o propósito específico de escravizar as populações inteiras do mundo, e se recusar a ver isto é negar a emergência do Anti-Cristo e o  estabelecimento de uma religião da Nova Ordem Mundial e governo. Se você não pode ver, se você não pode aprender, se você não pode entender, então você e sua família e amigos sucumbirão nos fogos dos crematórios que tem sido construídos em cada Estado e em cada maior cidade da Terra, construídos para lidar com você. Ninguém está seguro em um estado totalitário de polícia!

Serge Monast

A Metas do Projeto Blue Beam

Da International Free Press no Canadá.

por volta de 1995

A rede da  International Free Press não é um grupo religioso, nem é uma organização  política, mas uma agência de imprensa investigativa mundial no campo da política, economia, médico e militar. Nos especializamos em investigar e publicar relatos especiais e fitas de audio para expor o sub-mundo da Conspiração da ONU para implementar uma Nova Ordem Mundial.

Nossa tarefa é fazer as pessoas entenderem que a agenda da Nova Ordem Mundial não é um sonho ou alguma selvagem e paranóide teoria; ela é real, é um projeto satânico em andamento.

Para que?

1. Para abolir todas as religiões tradicionais cristãs para substitui-las por uma única religião mundial baseada no culto do homem.

2. Para abolir toda identidade nacional e orgulho nacional para estabelecer uma identidade e orgulho mundial.

3. Para abolir a família como a conhecemos hoje para substitui-la por indivíduos todos trabalhando para a glória do novo governo na Nova Ordem Mundial.

4. Para destruir toda criatividade artística e científica individual para implementar um só governo no mundo, um só estado mental.

E este tipo de declaração de guerra da ONU é para a implementação de uma afiliação universal e obrigatória a ONU, um fortalecimento da ONU por um força multi-militar e multi-policial, um departamento mundial de justiça pela ONU com um tribunal internacional, um novo acordo de comércio para todas as nações mundialmente, o fim da guerra fria e das guerras locais como elas são hoje, e a obrigação de paz ao rasgar todas as constituições nacionais e de Estado.

Também, uma nova religão mundial e uma nova cultura para todos os homens. Se realmente quisermos entender o Projeto Blue Beam da NASA temos que voltar ao “amanhecer da idade de Aquarius”. Lembra-se desta música? A música disse, “Quando a Lua está na sétima casa e Júpiter alinhado com Marte, então a paz guiará o nosso planeta e o amor guiará as estrelas”. Isto se relacionou com o ano de 1982 para ser, naquele tempo, a abertura de uma conspiração da idade de Aquarius, exatamente antes da implementação da Nova Ordem Mundial, supostamente para começar em algum tempo em 1983.

Tenho que dizer que o Projeto Blue Beam foi criado para o ano de 1983. Ele tem sido retardado; não sabemos exatamente porque. Mas desde 1983 (18 anos antes da publicação deste relato], eles realmente se aperfeiçoaram com novas tecnologias e inovações no hardware espacial e software no qual eles estão envolvidos exatamente agora para tornar seus sistemas possíveis. Assim, as metas do movimento New Age sob o qual opera a ONU exatamente agora, são a implementação de um Messias para o novo mundo. As ferramentas para esta Nova Ordem Mundial são:

1. um exército internacional;
2. uma força policial internacional;
3. um banco mundial para a economia;
4. um governo mundial sob a ONU;
5. um banco de conservação mundial para preservação da vida selvagem pelo mundo. Isto significa que todos os movimentos ‘verdes’ se unirão em um novo banco internacional ou desaparecerão;
6. uma religião mundial onde as doutrinas de todas as igrejas serão destruidas nas raízes e substituidas por uma nova religião mundial da idade de Aquarius;
7. a clasificação mundial de sete raças para todos os escravos humanos que realizarão tarefas pré determinadas de trabalho, concordem ou não;
8. sedes de concentração mundial na ONU para aqueles que não aceitem o novo sistema;
9. controle da agricultura mundial e suprimento de comida e vitaminas por todo o mundo.

A Nova Ordem Mundial será um sistema de governo intermediário para a União Soviética, Grã Bretanha e toda a Comunidade Britânica e os EUA com sua população multi-racial. Isto é, no fim uma nova ordem mundial espiritual e política que substituirá as velhas sob as quais vivemos agora.

Quais são os planos da Nova Ordem Mundial?
Eles planejam a destruição de todas as pessoas que acreditam na Bíblia ou veneração a Jesus Cristo, e no completo desaparecimento da cristandade.

Para realizar este plano, a nova ordem mundial está mudando leis nacionais para garantir que as crenças e símbolos cristãos – como a cruz, por exemplo, se torne fora da lei e ilegal. Os feriados e cerimônias religiosas serão substituidos por festividades New Age ao redor do mundo. A eliminação e completa destruição de todas as sociedades secretas e fraternidades secretas, lojas e santuários, todos os quais eles vêem como sérias ameaças a sobrevivência deles depois da implementação de uma só religião mundial e um só governo mundial.

A Nova Ordem Mundial também planeja a abolição de todas as moedas, e a transferência de comércio para o dinheiro eletrônico por uma superestrada. Os pensadores e a doutrina básica dos livros de onspiração New Age são: Helena Petrovna Blavatsky, que escreveu ‘Isis Unveiled’ e ‘The Secret Doctrine.’

Alice A. Bailey que escreveu ‘The Race and the Initiation and Externalization of the Heirarchy;’ ‘Initiation: Human and Savior;’ ‘The Reappearance of the Christ.’ (o Cristo deles é o Novo Messias). ‘The Destiny of the Nation,’ no qual estão os planos para a disposição das nações-Estados ; ‘The Unfinished Autobiography;’ ‘Disciplineship and the New Age;’ ‘Esoteric Psychology.’

Estes livros são muito importantes para os pensadores New Age que são exatamente aqueles que estão conspirando para implementar a Nova Ordem Mundial.  .

Também, os escritos de Nicola Roerich, que escreveu, ‘Matraia, (Maitreya)’ (que é o novo messias); ‘Shambala, The Resplendent,’ e ‘The Agni Yoga Series.’

David Spangler que escreveu, ‘Revelation: The Birth of a New Age,’ considerado a “bíblia” dentro do movimento New Age; ‘Reflections on the Christ,’ que é relacionado a iniciação Luciferiana; ‘Links With Space,’ que sustenta que alienígenas supostamente virão para salvar os terrenos deles próprios; ‘Relationship and Identity,’ ‘The Love of Manifestation,’ ‘New Age Rifts,’ e ‘Toward a Planetary Vision,’ que está diretamente relacionado com as visões da Nova Ordem Mundial, como eles planejam ser.

Agora… o que estas pessoas também planejam – e repito, isto não é um sonho e nem um pensamento paranóide, isto é real. Eles planejam que para aceitar a Nova Ordem Mundial todas as pessoas devem primeiro aceitar a religião New Age; para entrar na religião da nova ordem, o cristão terá que abdicar de suas próprias crenças. Então, como eles disseram, a iniciação será em uma base mundial dentro da recentemente organizada nova igreja cristã [que será um templo maçonico estritamente reorganizado e controlado], uma organização oculta baseada em uma iniciação luciferiana. O que temos que entender aqui é que ninguém será capaz de manter suas velhas crenças e, ao mesmo tempo, entrar na religião New Age. Isto será impossível.

Para aqueles que não aceitarem a Nova Ordem Mundial, que a rejeitem, o pessoal da Nova Ordem já tem construído campos de concentração  para reeducação e, para estes campos, eles tem estabelecido que o que eles chamam de “classificação arco-iris” dos prisioneiros da Nova Ordem Mundial. O arco-iris é considerado uma ponte levando ao império satânico da Nova Ordem Mundial.

Nós já sabemos por exemplo que todo mundo terá que prestar um juramento a Lucifer para atravessar a ponte para a New Age. Todos que resistirem a iniciação serão enviados a instalações de detenção onde serão separados em diferentes categorias, conhecida como a classificação arco-iris dos prisioneiros da Nova Ordem Mundial.

1. A clasificação das crianças cristãs, como planejado, é para ser como sacrifícios humanos onde, dentro de cerimônias de missas negras, elas serão forçadas a participarem em qualquer tipo de orgia sexual ou serem mantidas como escravas sexuais.
2. Classificação de prisioneiros a serem usados em experimentos médicos onde drogas e novas tecnologias serão testadas em humanos.
3. Classificação de prisioneiros saudáveis para o Centro Internacional de Doação de Órgãos onde orgãos vitais serão removidos um a um enquanto eles são mantidos vivos por aparelhos mecânicos.
4. Classificação de todos os trabalhadores subterrâneos saudáveis. A Nova Ordem Mundial é basicamente uma ditadura mundial baseada na religião luciferiana; uma ditadura com uma ilusão de democracia. Para manter a ilusão da democracia, os campos e o trabalho escravo serão ocultos subterraneamente em colônias maciças que estão sendo construídas enquanto escrevo este relato.
5. Classificação dos ‘prisioneiros incertos’. No centro internacional de reeeducação, os prisioneiros políticos e religiosos serão reeeducados [seja quais forem os meios necessários] de forma que eles possam se arrepender em programas internacionais de televisão e glorificarem as virtudes do um só governo mundial em benefício de toda humanidade.
6. Classificação do Centro Internacional de Execução. Bastante claro!
7. Classificação sete. Ainda estamos esperando os detalhes da sétima classificação e estamos esperando as cores que serão destinadas a estas classificações de prisioneiros, mas esta é a agenda básica daqueles que tem planejado o o “novo paraíso mundial” no futuro.

Você deve entender que quando decidi divulgar, aproximadamente a seis meses atrás, alguns de seus planos e a informação concernente aos seus projetos mais importantes, que é o Projeto Blue Beam da NASA, eu não estava certo se sobreviveria minha posição contra os planos da Nova Ordem Mundial serem postos de joelhos perante todas as culturas e religiões mundiais.

Mas agora, seguindo minha própria consciência cristã, meu amor real e profundo por todos meus irmãos e irmãs desconhecidos na América e por todo o mundo, livremente aceito dar minha vida se isto tiver que ser pela causa da verdade, por Jesus Cristo, ao divulgar pela primeira vez, os quatro maiores passos do satânico Projeto Blue Beam. Peço a todo mundo que leia as descrições seguintes que não fiquem paralisados por seus temores naturais, mas que disseminem a todos os conteúdos deste relato especial e que se reunam para participar, pensar e organizar meios de sobreviverem ao show do governo da Nova Ordem Mundial e a tomada de poder, porque o que temos que entender é que o governo da Nova Ordem Mundial não será algo permanente, imortal; este não é o caso. Mas o que temos que fazer exatamente agora é aprender como sobreviver a tais planos satânicos.

Mais sobre o Projeto Blue Beam
Jesus está Vindo – Mate os Inimigos de Deus

Quando Ver e Ouvir não é Acreditar
de William M. Arkin
especial para washingtonpost.com
segunda-feira, 1o. de fevereiro de 1999

‘Cavalheiros! Nós o chamamos para lhes informar que vamos derrubar o governo dos EUA. Assim começa uma declaraçõ sendo liberada pelo Gen. Carl W. Steiner, ex comandante em chefe, Comando de Operações Especiais dos EUA. Ao menos a voz soa surpreendentemente como a dele. Mas não é Steiner. É o resultado da tecnologia de “morfologia” da voz desenvolvida no Laboratório Nacional de Los Alamos no Novo México.

Ao tomar apenas dez minutos de gravação digital da voz de Steiner, o cientista George Papcun é capaz, quase que em tempo real, de clonar padrões da fala e desenvolver uma acurada cópia. Steiner estava tão impressionado,que ele pediu uma cópia da fita. Steiner dificilmente foi a primeira ou a última vítima a ser enganada pelos membros da equipe de Papcun. Para refinar o método dele, ele pegou várias gravações de alta qualidade de generais e experimentou criar declarações falsas. Uma das mais memoráveis é a de Colin Powell dizendo ‘Estou sendo bem tratado pelos meus captores”. Eles escolheram te-lo dizendo algo que ele nunca diria, falou uum dos colegas de Papcun.

Uma Caixa de Chocolates é Como a Guerra
A maioria dos americanos foram apresentados aos truques da idade digital no filme ‘Forrest Gump’, quando o personagem representado por Tom Hanks pareceu apertar as mãos do Presidente Kennedy. Para Hollywood, são efeitos especiais. Para os operadores encobertos nas agências de inteligência e militares dos EUA, é uma arma do futuro. [uma arma a ser usada contra qualquer um que seja considerado Inimigo do Estado].

‘Uma vez você possa pegar qualquer tipo de informação e reduzi-la a uns e zeros, você pode fazer algumas coisas muito interessantes, diz Daniel T. Kuehl, presidente do Departamento de Operações de Informação da Universidade Nacional de Defesa em Washington, a escola militar para a guerra de informação. A transformação digital – da voz, de video e foto – tem vindo a existir, estando disponível para uso em operações psicológicas. As PSYOPS, como os militares as chamam, buscam explorar as vulnerabilidades humanas em governos inimigos, militares e populações para realizarem objetivos nacionais e do campo de batalha.

Para alguns, PSYOPS é um atraso na disciplina militar de lançar panfletos e propaganda de rádio. Para um número crescente de tecnólogos da guerra de informação, é o nexus da fantasia e da realidade. Ser capaz de fabricar convincentes audios ou videos, eles dizem, pode ser a diferença em uma operação militar bem sucedida ou golpe. [por exemplo, sua cabeça no corpo de Lee Harvey Oswald – e você é culpado e o juri o condenará!]

Alá na Realidade Simulada
Os planejadores do Pentágono começaram a discutir a transformação digital depois da invasão pelo Iaque ao Kuwait em 1990.

Os operadores encobertos cercaram a idéia de criar um videotape falsificado por computador de  Saddam Hussein chorando ou mostrando uma outra fraqueza, ou em alguma situação sexualmente comprometedora. O planos nascente era que as gravações inundassem o Iraque e o mundo árabe . [Não- eles fizeram isto durante a Operação Tempestade no Deserto – veja o DSWCC ‘A Voz de Deus’] http://www.nonwo.com/dswcc/ O vídeo nunca continuou, morto, os participantes dizem, pelas lutas buocráticas sobre jurisdição, ceticismo sobre a tecnologia, e preocupações levantadas pelos parceiros da coalisão árabe. [ BUZZZ – ele continuou, foi testado e aperfeiçoado. ] Mas o esquema estratégico das PSYOPS não morreu. Que tal se os EUA projetassem uma imagem holográfica de Alá flutuando sobre Bagdá pedindo que o povo iraquiano e o exército se levantassem contra Saddam, um oficial senior da força aérea perguntou em 1990? Segundo um físico militar que recebeu a tarefa de olhar a idéia do holograma, a capacidade tinha sido estabelecida de projetar grandes objetos tridimensionais que pareciam flutuar no ar. Mas fazer assim sobre os céus do Iraque? Para projetar um tal holograma sobre Bagdá em uma ordem de várias centenas de pés, eles calcularam, teria que haver um espelho de mais de uma milha quadrada no espaço, bem como enormes projetores e fontes de energia. E além disso, os investigadores voltaram, com o que se parecia Alá?

A história do holograma da Guerra do Golfo podia ser desmentida se não fosse o caso que o washingtonpost.com tem sabido que um programa supersecreto  foi criado em 1994 para alcançar a própria tecnologia para aplicação em PSYOPS. O ‘Projetor Holográfico’ é descrito em um documento classificado da Força Aérea como um sistema para “projetar o poder da informação do espaço… para operações especiais em missões de engano.’

A Guerra e Como Uma Caixa de Chocolates

Transformação da voz? Video falso? Projeção holográfica? Eles soam mais como efeitos de Mission Impossible e Star Trek do que como armas. Ainda que para cada uma, haja correspondentes e crescentes esforços na medida em que a tecnologia se aperfeiçoa e se expande a guerra ofensiva da informação. Seja como for que a transformação inicial da voz exigia cortar e colar a fala para por as letras ou palavras juntas para fazer um composto, o software de Papcun deseenvolvido em Los Alamos pode muito mais acuradamente replicar o modo como alguém realmente fala. São eliminadas as entonações robóticas. A ironia é que depois que Papcun terminou sua pesquisa de clonagem da fala, não havia tomadores entre os militares. Felizmente para ele,  Hollywood está interessada: A promessa de criar um virtual Clark Gable é mais poderosa do que a espada. A manipulação de video e foto já tem levantando profundas questões de autenticidade para o mundo jornalístico. Com o audio se unindo ao mix, não são apenas os jornalistas mas também os advogados particulares e os de mente de conspiração que sem dúvida considerarão esta injúria problemática em um futuro não distante. “Já sabemos que ver não é necessariamente acreditar”, diz Dan Kuehl, ‘agora suponha que ouvir também não seja”. William M. Arkin, autor de ‘The U.S. Military Online,’ é um especialista principal em segurança nacional e Internet. Ele faz palestras e escreve sobre armas nucleares, assuntos miitares e guerra da informação. Um analista da inteligência do exército de 1974-1978, Arkin atualmente presta consultoria ao Washingtonpost.Newsweek Interactive, MSNBC e Natural Resources Defense Council.

Fique preparado: Emails re-arranjados para parecerem uma ameaça de morte ou de bomba, suas conversas telefônicas rearranjadas depois que você utiliza palavras para descrever um filme que você viu e acima do tempo com o ECHELON gravando suas conversas, eles terão seu vocabulário de palavras em sua voz e agora quando eles querem processar você por um crime que eles cometeram – repetinamente eles tem as gravações de audio e a filmagem em video de você estando em algum lugar e o juri ouvirá você dizer o que seus inimigos querem ouvir. Você é então culpado, morte para você! Um juri acreditará e o condenará. Estamos ficando cheios desta civilização onde toda a mentira se torna um meio de vida, todas as mentiras se tornam verdade e a verdade não existe mais.

Apresentando a Patrulha do Projeto Blue Beam
Em cooperação com a TRW Space and Technology, a NASA e outras agências espaciais mundiais, o grupo Bilderberg tem desenvolvido uma série de três satélites estacionários com avançada tecnologia a laser que os capacita a projetarem imagens holográficas na superfície da Terra a partir do espaço externo!

Esta surpreendente tecnologia permite que a Patrulha do Projeto Blue Beam crie cópias holográficas de oficiais de polícia que patrulharão as ruas das nossas cidades ao longo e entre os nossos melhores. Os criminosos não serão capazes de dizer quem são os policiais reais e quem são os hologramas.

Published in: on outubro 21, 2008 at 1:47 pm  Comments (60)  
Tags: ,

Pânico Bancário de 2008 e a Morte da OTAN

O Pânico Bancário de 2008 e a Morte da OTAN

Stanislav Mishin

OTAN, uma organização não apenas ultrapassada mas sem um propósito oficial, não somente tem vivido após o seu inimigo, o Pacto de Varsóvia,e não apenas sobreviveu ao seu propósito de defender a Europa Ocidental da União Soviética e do Pacto de Varsóvia. Mas como uma mancha raivosa, tem, ao invés de morrer uma morte digna, continuado para engolir uma nação após outra em seu “pacto de paz e defesa” enquanto lançava três guerras de agressão.

A OTAN foi originalmente destinada a manter a Alemanha controlada, a América na Europa e os Soviéticos fora. O propósito da OTAN, como todas as boas burocracias, tem mudado. Ela tem renegado suas promessas à Rússia de não se expandir na direção leste e tem se expandido nesta direção em alguns regimes mais que questionáveis, particularmente nos Bálticos. Ao mesmo tempo, enquanto declarava a Rússia um parceiro útil, embora um parceiro menor que não vale nem mesmo ser convidado, ela alcançou um novo propósito.

O propósito foi encontrado inicialmente nos campos de batalha da Bósnia e então mais tarde no ar sobre as cidades sérvias, onde civis foram massacrados pelas patas apoiadas pelo ‘trabalho bem feito” da OTAN. De fato, tudo isto foi feito com um braço maior se torcendo pelos americanos de uma relutante OTAN Européia. Pareceria que ao defender e apoiar militarmente os Jihadistas islâmicos tivesse algo a ver que Dhimmi Washington estava muito mais apto do que os europeus. Contudo o USD venceu e a Europa foi ao longo exatamente como continuou no Afeganistão.

O Afeganistão foi o primeiro combate de guerra real da OTAN. Não mais são os primariamente bombardeiros da OTAN que atiram as bombas, frequentemente sobre alvos civis, de 3.500 metros, nem esta é uma guerra de combate com uma forma jihadista de guerrilha, treinada pelos mesmos especialistas da OTAN. O Afeganistão como um todo já tem mostrado que a OTAN é uma bomba vazia. Muitos de seus membros tem optado por contribuir com alguma coisa para o conflito e muito poucos tem enviado soldados e os tem enviado sob regras tão estritas de engajamento (ROE)s que eles nada são além de inúteis.

Para os Neocons anglo-americanos, isto com certeza foi um desastre. Sua garra de poder sobre a Europa e portanto sobre a União Européia em geral, estava rachando. Acrescente a isto os nós econômicos ligados pela Rússia com vários membros chave, usando cordas muito reais de energia e investimentos de negócios, e a OTAN estava optando por ser nada mais do que um círculo de costura. Os Neocons anglo-americanos tinham tomado uma nítida ação, algo que faria com que Estados membros da OTAN recuem de volta sob o abrigo Neocon e se unifique contra o inimigo comum. Mas quem? Os muçulmanos demonstraram pouca habilidade de protegerem o poder militar na Europa, eles fazem muito melhor com os imigrantes. Os chineses estavam fora de questão como uma regra geral de caminho para muito do dinheiro da elite em risco para aquele tipo de falta de lógica. Então havia apenas uma escolha clara: a Rússia. Mas como ressurgir a União Soviética, ou ao menos a sua sombra?

Entra diretamente o estágio, um pequeno tempo e o ditador georgiano e um que não vai brilhar muito egoisticamente. O fantoche perfeito: Saakashvili.

Apaparentemente convencer Saakashvili que o extermínio de uma província autônoma cheia de uma minoria que era não só protegida pelos russos mas que era composta em 90% por cidadãos russos, não era um conceito difícil, até mesmo embora ele devesse ter sabido que havia uma chance muito grande que as coisas se mostrassem como se mostraram. Quanto e que tipo de ajuda foi prometida ao lider georgiano sempre será um mistério. O que é sabido, de conhecimento de primeira mão deste escritor, é que os georgianos estavam esperando que os americanos lutassem uma guerra contra a Rússia para eles, desde 2001, desde os tempos de Shevardnadze.

De fato, os EUA e o Reino Unido não tinham planos para iniciar uma guerra pela Georgia mas a Georgia era central para os planos deles  de começarem uma guerra para eles. Começar uma guerra a Georgia começou, contudo não apenas os russos reagiram mas eles reagiram em uma velocidade de relâmpago, destruindo a máquina de guerra georgiana em dois dias e absolutamente dirigindo as forças georgianas para uma completa retirada. Nas pequenas nações há pouco espaço para se retirar.

Os Neocons anglo-americanos venceram por toda a guerra PR, fazendo seu fantoche sociopata parecer parte da vítima. Contudo, passada a retórica, a reação desejada não aconteceu. A Alemanha, França e Itália não se alinharam com o complexo militar industrial anglo-americano. Ao invés, eles negociaram um acordo, a última coisa que os Neocons haviam planejado ou queriam. Sobretudo, apareceram cisões em vários outros países da OTAN, até mesmo na Estonia, onde grupos de MPs bastante decididos foram o bastante e eles não iriam sofrer pela estupidez georgiana ao perderem negócios com a Rússia. Até mesmo Bruxelas dise Não e todos disseram redondamente não aos Planos de Ação dos Membros para a Ucrania e a Georgia.

Todos estes foram severas explosões para os trotkistas anglo-americanos, não menos severo do que eles próprios não virem em defesa de seu fantoche. Isto igualmente foi uma mensagem poderosa.O fracasso no Afeganistão somente acrescentou insulto à ferida.

Ainda, tudo isto por si só, pode não ser o suficiente para finalmente terminar com a OTAN e o fim de 100 anos de Guerra Ideologica, porque sim, caro leitor, ainda não temos deixado este período. A Rússia não é mais a União Soviética, não mais marxista lenininistas; mas o marxismo trotskista econômico [nazismo]  está vivo e bem, tendo infectado o Ocidente fluindo do corpo apodrecido do marxismo trotkista militar [nazismo]. A OTAN é a guarda final contra a volta do mundo tradicional, onde as nações buscam vantagens econômicas por elas próprias e não em nome de alguma forma mutante de internacionalismo. Esta é a guarda final contra os estados nacionalistas que buscam a melhoria de seu povo em primeiro lugar  e não alguma hipotética vila global da elite internacionalista.

Pânico Bancário de 2008 pode ser, contudo, a pedra final que abate este idoso e ameaçador Golias. Os trotkistas anglo-americanos que criaram esta confusão, estão curtos, em bancarrota. Sua habilidade de projetar o poder enfraquece a cada dia com um novo Dow-Jones baixo. Ao mesmo tempo, nações como a Islândia, uma vez um de seus postos militares chave, está buscando ajuda não de seus aliados mas da própria Rússia. Unidos por laços históricos, religiosos, culturais ou econômicos, ou todos os acima, nacões como a Islândia, Alemanha, Romania, Bulgária, Grécia, Checo, Eslovóquia e outras  naturalmente sairão da aliança da bancarrota. Os laços históricos que eram supostos terem morrido ao longo da história, como proclamado por um dos pais do NEOCONISMO trotskista: Fukuyama, agora voltarão ao globo para um equilíbrio a muito não visto e um que promete mais estabilidade do que os regimes internacionalistas dos últimos cem anos.

Published in: on outubro 19, 2008 at 4:01 pm  Deixe um comentário  
Tags: , ,

Universos Paralelos

Universos Paralelos

BBC
qunta-feira 14 de fevereiro de  2002

Imagine um universo co-existindo em paralelo como nosso.

NARRADOR (DILLY BARLOW): Imagine que você possa encontrar uma explicação para tudo no Universo, dos menores eventos possíveis até os maiores. Este é o sonho que tem cativado os mais brilhantes cientistas desde Einstein. Agora eles pensam que podem ter encontrado isto. A teoria é de tirar a respiração e tem uma conclusão extraordinária: o Universo no qual vivemos não é único.

MICHIO KAKU (Universidade da Cidade de New York): Pode haver um número infinito de universos e cada um com uma diferente lei de física. Nosso universo pode ser apenas uma bolha flutuando em um oceano de outras bolhas.

NARRADOR: Tudo que vocês estão para ouvir é verdadeiro; ao menos neste Universo é. Por quase uma centena de anos a Ciência tem sido assombrada por um negro segredo: que possam haver misteriosos mundos ocultos além de nossos sentidos humanos. Os místicos a muito tem afirmado que existem estes lugares. Eles eram, eles disseram, cheios de fantasmas e espíritos. A última coisa que a ciência queria era ser associada a uma tal superstição, mas até mesmo desde a década de 1920 os físicos vem tentando fazer sentido de uma descoberta desconfortável. Quantos eles tentaram localizar a exata localização de partículas atômicas como elétrons eles descobriram que isto era totalmente impossível. Eles não tinham uma única localização.

ALAN GUTH (Instituto de Tecnologia de Massachusetts): Quando se estuda as propriedades dos átomos descobre-se que a realidade é mais estranha do que alguém possa ter inventado em forma de uma ficção. As partículas realmente tem a possibilidade de, em algum sentido, estarem em mais de um lugar a um só tempo.

NARRADOR: A única explicação que alguém pode chegar com isto é que as partículas não existem em nosso Universo. Elas revoluteiam em existência em outros universos também e estão em número infinito destes universos paralelos, todos eles ligeiramente diferentes. De fato, há um universo paralelo no qual Napoleon venceu a Batalha de Waterloo. Em outro, o Império Britânico mantém sua colônia americana. Em outro, você nunca nasceu.

ALAN GUTH: Essencialmente qualquer coisa que possa acontecer acontece em uma das alternativas, o que significa que superimposto no topo do Universo que conhecemos está um universo alternativo onde Al Gore é Presidente e Elvis Presley ainda está vivo.

NARRADOR: Esta idéia foi tão desconfortável que por décadas os cientistas a descartaram, mas a tempo os universos paralelos fariam um retorno espetacular. Neste tempo eles seriam diferentes e seriam até mesmo mais estranhos do que Elvis estar vivo. Há um velho provérbio que diz: “tenha cuidado com o que você deseja no caso do seu desejo se realizar”. O mais fervente desejo na física a muito tem sido poder encontrar uma única teoria elegante que reunisse tudo em nosso universo. Foi este desejo que involuntariamente levou a redescoberta dos universos paralelos. É um sonho que tem dirigido o trabalho de quase todos os físicos.

MICHIO KAKU: Nun rink de gelo estou em comunhão com as leis fundamentais da física. No instante da criação acreditamos que o Universo era simétrico, era puro, era elegante. Sem a fricção das leis Newtonianas que são postas nuas, simples, elegantes e belas, puras, nobres, elementais exatamente como isto foi no início do tempo. Quando eu era uma criança de oito anos na escola elementar, meu professor chegou na sala e anunciou que um grande cientista tinha morrido e nos noticiários do entardecer todo mundo estava vendo imagens de sua escrivaninha com o manuscrito não terminado de seu maior trabalho. Eu queria saber o que estava no manuscrito. Anos mais tarde descobri que foi a tentativa de Albert Einstein de criar a Teoria de Tudo, a teoria do Universo e eu queria fazer parte daquela busca.

NARRADOR: Einstein nunca alcançou sua meta de uma Teoria de Tudo, mas novamente e novamente outros tem pensado que estão a beira de alcançar esta meta máxima. Isto sempre foi um pensamento de desejo – até recentemente. Uma revolução ocorreu na década de 1980. Nas Universidades pelo mundo as novas idéias em ciência se disseminaram. Finalmente, pareceu, tudo no Universo estava para ser explicado. Na Bretanha o famoso cientista físico Stephen Hawking, estava até mesmo tão confiante que ele afirmou que a física estava pronta para ler a mente de Deus. Logo não sobrariam grandes problemas científicos. Uma idéia era a mais revolucionária de todas. Parecia ser o fogo certo da Teoria do Tudo e capturou a imaginação de cientistas como Burt Ovrut. Tudo tinha a ver com as cordas.

BURT OVRUT (Universidade da Pennsylvania): Tem sido pensado desde que a física começou que a matéria é composta de partículas. Agora temos mudado este ponto de vista. Agora pensamos que a matéria seja composta de pequenas cordas.

NARRADOR: Por anos tem sido um artigo de fé que toda a matéria no Universo é feita de pequeninas partículas invisíveis. Agora, repentinamente, os físicos de partículas descobriram que eles tem estado estudando a coisa errada. As partículas realmente são pequeninas e invisíveis cordas. A teoria foi chamada de Teoria das Cordas e ela mantém que a matéria emana destas pequeninas cordas como música.

BURT OVRUT: Você pode pensar sobre isto como uma corda de violino ou de guitarra. Se você puxa isto de certo modo e você obtém uma certa frequência, mas se puxa de modo diferente você obtêm mais frequências nesta corda e de fato tem notas diferentes. A Natureza é composta de todas estas pequenas notas, as notas musicais, que são tocadas nestas super-cordas.

MICHIO KAKU: De repente entendemos que o Universo é uma sinfonia e as leis de física são harmonias de uma super-corda.

NARRADOR: A Teoria das Cordas é tão provocante e estranha que imediatamente começou a soar como uma perfeita Teoria de Tudo.

BURT OVRUT: Isto certamente nos arrastou a todos pela tempestade. Isto é uma teoria bela e simples e elegante e um número de pessoas disseram: bem, se isto é tão elegante, porque não tentamos usar isto como um princípio básico unificante para a natureza.

NARRADOR: Mas se a Teoria das Cordas era para se tornar a perdida Teoria de Tudo de Einstein ela teria que passar por um teste. Ela teria que explicar um evento muito mais que especial: o nascimento do Universo. As origens do Universo sempre tem sido um asunto especial dos cosmologistas que estudavam o grande mundo das estrelas e galáxias. Eles também, sentiam que estavam a beira de um grande triunfo, um completo entendimento de como o mundo havia começado. Eles a muito sabiam que as coisas tinham começado com uma gigantesca explosão – o Big Bang – mas por agora os cosmologistas tinham reinado a idéia. Eles tinham trabalhado recuando no tempo a partir do dia atual, cada vez mais perto do instante do Big Bang. O trabalho deles foi incrivelmente preciso.

PAUL STEINHARDT (Universidade de Princeton): Temos confiança que ao extrapolar para trás a partir do presente até quando as primeiras estrelas e galáxias se formaram e o Universo tinha apenas um bilhão de anos, ou extrapolar ainda mais longe para quando os primeiros átomos foram formados, quando o Universo tinha apenas algumas centenas de milhares de anos, ou quando o primeiro núcleo se formou, quando o Universo tinha apenas uns poucos segundos de idade.

ALAN GUTH: A física agora realmente está pronta para falar sobre estes bizarros eventos no Universo, frações de segundo e até mesmo bilhionésiomos e bilhionésimos e bilhionésiomos de um segundo, 10 a 35 segundos depois do instante do Big Bang. Absolutamente fantástico.

NARRADOR: Se tudo no Universo era para ser explicado, então a Teoria das Cordas e o Big Bang agora suavemente se uniriam e eles complementariam um ao outro perfeitamente. Afinal, um diz respeito ao nascimento do Universo e o outro a toda a matéria nele. Isto foi certamente uma conclusão precedente. Os físicos pareciam estar as margens da glória mas tudo foi terrivelmente errado. Por mais que eles tentassem, eles não conseguiam unir as duas idéias e então, depois de dez anos de esforço, algo até mesmo pior aconteceu: suas duas tão queridas teorias começaram a se auto-destruir. O primeiro problema apareceu com o Big Bang. Os cosmologistas tinham assumido que como eles trabalhavam recuando no tempo eles eventualmente trabalhariam todo seu caminho de volta ao início do Big Bang. Não haveria brechas inadequadas, mas depois de anos de refinamento infindável havia uma brecha que se recusava a desaparecer, a mais importante de todas.

ALAN GUTH: A despeito do fato de chamarmos a isto Teoria do Big Bang isto realmente não diz absolutamente qualquer coisa sobre o Big Bang. Isto realmente não nos diz o que explodiu, porque explodiu, o que fez com que isto explodisse. Isto nem mesmo descreve, realmente não nos permite prever quais são as condições imediatamente depois desta explosão.

MICHIO KAKU: O problema fundamental da cosmologia é que as leis de física como as conhecemos se quebram no instante do Big Bang. Bem algumas pessoas dizem: o que está errado com isto, o que está errado em ter as leis da física se desmoronando? Bem, para um físico, isto é um desastre. Todas as nossas vidas nos temos dedicado a proposição de que o Universo obedeça a leis conhecidas, leis que podem ser escritas na linguagem da matemática e aqui temos a peça central do próprio Universo, uma peça perdida além da lei física.

NARRADOR: O próprio início do Big Bang foi o único maior mistério em toda cosmologia. Isto foi chamado de singularidade.

PAUL STEINHARDT: Quando você extrapola a Teoria da Relatividade Geral de Einstein de volta ao início você descobre o que chamamos de uma singularidade, uma singularidade cósmica, o que é dizer que as equações explodem.

NARRADOR: Mas o problema com o Big Bang logo foi ofuscado. As cordas também estavam com problemas. A esperança tinha sido que a Teoria das Cordas evoluiria em uma única explicação definitiva para o Universo, mas quanto mais as pessoas trabalhavam nela algo intrigante aconteceu. Os físicos descobriram uma segunda versão dela e então uma terceira. Logo eles tinham encontrado cinco diferentes Teorias das Cordas. Ela não era única e não parecia muito definitiva.

BURT OVRUT: Cinco, até mesmo embora não seja um número grande, é grande demais para nós porque gostaiamos de ter uma teoria única e isto definitivamente é um problema; foi uma grande crise, assim muito tempo foi gasto estudando estas cinco teorias individuais, mas por trás de nossas mentes sempre estava: porque haviam cinco destas coisas quando deveria existir apenas uma?

NARRADOR: A Teoria das Cordas tinha começado a se desnovelar. Isto parecia como se o sonho de uma Teoria de Tudo estivesse mais longe do que nunca.

MICHIO KAKU: Os cínicos começaram a se manifestar e dizer que a Teoria das Cordas era difícil demais, era um beco sem saída, simplesmente não era o meio para ir e não era a Teoria de Tudo, era a teoria de nada.

NARRADOR: Mas exatamente quando os cientistas estavam para perder as esperanças, uma nova e surpreendente descoberta seria feita.Isto os inspiraria a começar sua busca novamente e os forçaria por fim a confrontar suas idéias menos populares: os universos paralelos. Quando a Teoria das Cordas se desmoronou, nem todo mundo ficou confuso; algumas pessoas até mesmo pareciam saborear o fato.

MICHAEL DUFF (Universidade de Michigan): Se a Teoria das Cordas realmente era esta chamada Teoria de Tudo, cinco teorias de tudo pareciam como um embaraço dos ricos.

NARRADOR: Michael Duff tem sido a estrela em elevação de uma idéia anterior chamada Super-gravidade. A Teoria das Cordas tinha deslocado isto e quase destruído a carreira de Duff.

MICHAEL DUFF: Os físicos tendem a ser ditados por novidade e moda. Há gurus que ditam a direção na qual as novas idéias crescem. Este era um tempo muito solitário de muitas formas. Quando tentei obter estudantes graduados interessados, muitos deles diriam: “bem, olhe, você pode estar certo ou estar errado, mas se eu trabalho na super-gravidade eu não encontrarei um emprego.”

NARRADOR: O que fez a experiência dos camaradas da super-gravidade tão irritante era que a teoria deles era tão diferente da Teoria das Cordas para se começar com ela. De fato, o principal desacordo entre eles era um ponto de detalhe que, para os externos, poderia parecer como buscar defeitos. Era sobre o número de dimensões no Universo. Nós normalmente pensamos sobre nós mesmos como vivendo em um mundo tridimensional. Nós podemos nos mover de três modos: a direita ou esquerda, para cima ou para baixo, e para frente e para trás, mas os físicos gostam de acrescentar dimensões extras.  Einstein sugeriu que o tempo deveria ser uma quarta dimensão. Então alguém sugeriu uma quinta dimensão especial e então uma sexta. Os números continuaram crescendo. As dimensões extras eram espaços no Universo que nós nunca perceberiamos. A maioria era microscopicamente pequena, mas os cientistas acreditavam que elas realmente estavam lá. A Teoria das Cordas tinha estado convencida de que havia um total de dez dimensões.

BURT OVRUT: Agora se você tem uma corda pouco oscilante ela tem que ter espaço suficiente para oscilar apropriadamente e quando se trabalha isto matematicamente descobrimos que temos uma resposta clara. Tinha que ser em um espaço de dez dimensões.

MICHIO KAKU: Dez dimensões.

BURT OVRUT: Nove dimensões espaciais e uma de tempo.

NARRADOR: A super-gravidade contudo estava convencida que havia exatamente onze dimensões.

MICHAEL DUFF: As equações da super-gravidade tomam sua forma mais simples e elegante quando escritas na estrutura de onze dimensões.

MICHIO KAKU: Havia uma guerra entre a décima dimensão e a décima primeira dimensão. Na ‘turma’ das dez dimensões tinhamos os teóricos das cordas, centenas deles, trabalhando para trazer a tona todas as propriedades do Universo conhecido de uma estrutura: uma corda vibrante; e então tinha este pequeno grupo de párias, fora da lei, trabalhando na décima primeira dimensão.

NARRADOR: Enquanto a Teoria das Cordas esteve em ascendência, poucos consideraram seriamente a décima primeira dimensão, mas a turma da super-gravidade nunca perdeu a esperança.

MICHAEL DUFF: No fundo sempre estive convencidos que eventualmente as 11 dimensões teriam seu dia. Eu não estava certo de quando e nem de como, mas estava convencido que mais cedo ou tarde as 11 dimensões estariam no coração das coisas.

NARRADOR: Mas por agora a bota estava em outro pé. A Teoria das Cordas estava com problemas. Suas cinco versões diferentes significava que ela não podia ser a teoria toda abarcante que os físicos estavam buscando. Tudo, assim parecia, havia sido tentado para salvar a teoria das cordas. Bem, quase tudo.

MICHAEL DUFF: Um anúncio surpreendente foi feito.

MICHIO KAKU: Esta foi ainda uma outra onda de choque que revolucionou o inteiro panorama.

NARRADOR: Em uma tentativa desesperada os teóricos das cordas tentaram acrescentar a última coisa a sua querida idéia. Eles acrescentaram a própria coisa que eles tinham passado uma década apagando: a décima primeira dimensão. Agora algo quase mágico aconteceu às cinco teorias das cordas que competiam.

BURT OVRUT: A resposta mostrou ser – e isto realmente foi notável, quero dizer realmente notável – isto mostrou que elas todas eram a mesma. Estas cinco Teorias das Cordas mostrarem ser simplesmente manifestações diferentes de uma teoria mais fundamental, precisamente esta teoria que tínhamos descartado na década de 1980.

MICHIO KAKU: Nas 11 dimensões olhando do topo da montanha, olhando para baixo você pode ver a Teoria das Cordas como sendo parte de uma realidade muito maior, a realidade da décima primeira dimensão.

MICHAEL DUFF: Bem foi um sentimento maravilhoso pensar que todos estes anos gastos na décima primeira dimensão não foram completamente desperdiçados.

NARRADOR: Os dois campos tinham estado absolutamente certos que o outro estava errado. Agora, subitamente, eles entenderam que suas idéias se complementavam perfeitamente. Com a adição de uma dimensão extra a Teoria das Cordas faz sentido novamente, mas isto tinha se tornado um tipo diferente de teoria.

BURT OVRUT: O que aconteceu com as cordas?

NARRADOR: As pequeninas cordas invisíveis da Teoria das Cordas eram supostas serem os fundamentais blocos de construção de toda matéria no Universo. Mas agora, com a adição da décima primeira dimensão, elas mudaram. Elas se esticaram e se combinaram. A surpreendente conclusão foi que toda a matéria no Universo estava ligada por uma vasta estrutura: uma membrana. De fato, nosso inteiro Universo é uma membrana. A busca para explicar tudo no Universo pode começar novamente e em seu coração estará esta nova teoria. Ela foi chamada de Teoria da Membrana, ou Teoria M, mas tão enigmático e profundo foi a idéia que alguns pensaram que M significasse outras coisas.

BURT OVRUT: Teoria M.

MICHAEL DUFF: Onde M significa mágico, mistério ou membrana.

BURT OVRUT: Teoria M.

PAUL STEINHARDT: Os físicos ficam com um tipo de olhar sonhador quando falam sobre a teoria M.

BURT OVRUT: Teoria M.

MICHIO KAKU: Talvez M signifique mãe, a mãe de todas as cordas. Talvez isto seja mágico. Talvez seja majestade, a majestade de uma teoria compreensiva do Universo.

BURT OVRUT: Teoria M.

NEIL TUROK (Universidade de Cambridge): Mistério mágico, loucura.

BURT OVRUT: Teoria M.

NARRADOR: Com a Teoria M parece ao menos que haja uma teoria que possa explicar tudo no Universo, mas antes que eles possam decidir se isto é verdade os cientistas precisavam saber mais sobre a 11a. dimensão. Logo se tornou claro que este era um lugar onde todas as regras normais de senso comum tinham sido abandonadas. Por uma coisa isto é tanto infinitamente longo quanto a apenas uma distância muito pequena.

PAUL STEINHARDT: A 11a. dimensão será, em seu tamanho máximo, algo como um trilhionésimo de milímetro.

BURT OVRUT: Bem isto é 10 a -20 de um milímetro. Isto é como tomar um milimetro e dividi-lo por dez com 20 zeros depois dele, assim é muitissimo pequeno.

NARRADOR: Isto sigifica que isto existe a apenas um trilhionésimo de milimetro de cada ponto de nosso universo tridimensional. Isto é mais perto do que a roupa está de nossos corpos, ainda que não possamos sentir isto. Neste espaço misterioso o nosso Universo membrana está flutuando. De início, ninguém pode imaginar como isto funcionava. Então alguns sugeriram que isto podia flutuar como uma fina folha de borracha. Outros que podia ser mais como uma bolha que vibrava como se explodisse sem direção através do hiper-espaço. Se tudo isto não fosse suficientemente surreal, foi então proposto que havia um outro universo membrana pulsando na extremidade oposta da 11a. dimensão. De início esta idéia não foi considerada muito seriamente, mas eventualmente isto seria reexaminado por físicos que estavam para responder se o nosso universo estava realmente sozinho. Isto começou com Lisa Randall.

LISA RANDALL (Universidade de Harvard): as pessoas olham para a rocha enquanto sobem e isto de fato é muito físico, mas você também descobre que você pode se concentrar em uma pequena coisa. Gosto de resolver problemas, gosto de jogos. Gosto de entender as coisas.

NARRADOR: Randall tem estado fascinada por um fenômeno aparentemente inexplicável: a fraqueza da gravidade.

LISA RANDALL: Há várias forças que vemos na natureza. A maioria delas as entendemos em algum nível e então há a gravidade que parece muito diferente. A força gravitacional é extremamente fraca em comparação com as outras forças. Agora você deve olhar ao redor e dizer que a gravidade não parece fraca, mas se você pensa sobre isto, você tem a Terra inteira puxando você e ainda que você não possa gerenciar escolher as coisas.

NIMA ARKANI-HAMED (Universidade de Harvard): A Gravidade certamente não parece fraca na vida diária. Ela é responsável por manter nossos pés no solo e manter a Terra girando ao redor do Sol e assim por diante, mas realmente a gravidade é incrivelmente fraca quando comparada a outras forças. Ela é fácil de apreciar se você pega um imã comum de geladeira e o coloca no topo de um pino de mental. Todos nós sabemos que este imã de geladeira realmente saltará deste pino para fora da mesa, e desta forma dramaticamente ilustramos como é frágil a gravidade quando comparada até mesmo a força magnética de um pequeno imã de geladeira.

LISA RANDALL: Então acontece que há idéias muito novas sobre como explicar a fraqueza da gravidade se temos dimensões extras.

NARRADOR: Quando apareceu a Teoria M, Randall e seus colegas imaginaram se isto podia fornecer a explicação. Podia a gravidade estar vazando de nosso universo para o espaço vazio da décima primeira dimensão?

NIMA ARKANI-HAMED: Gravidade pode apenas parecer ser fraca até mesmo embora isto seja fundamentalmente tão errado quanto tudo mais, porque ela dilui sua força em todas estas dimensões extras que não podemos ver.

NARRADOR: Randall tentou calcular como a gravidade podia vazar de nosso Universo Membrana para o espaço vazio, mas ela não pôde fazer isto funcionar. Então ela ouviu a teoria que poderia haver uma outra membrana na décima primeira dimensão. Agora ela teve um pensamento realmente estranho. Que tal se a gravidade não está vazando do nosso Universo, mas para ele? Que tal se ela vem de um outro Universo? Naquela membrana, ou brana, a gravidade seria tão forte quanto as outras forças, mas ao tempo em que ela nos alcança ela seria apenas um pálido sinal. Agora, quando ela refez seus cálculos, tudo se encaixou exatamente.

LISA RANDALL: Se você fosse imaginar que há duas membranas. Dizer que há uma na qual sentamos e outra na qual outra coisa se senta lá, mas não as nossas partículas, não a matéria de que somos feitos, não a matéria a que vemos as forças associadas. Se vivessemos em algum lugar mais na dimensão extra veriamos a gravidade como muito fraca porque ela passa a maior parte de seu tempo perto de outra brana. Somente vemos a cauda final da gravidade.

NARRADOR: A fraqueza da gravidade pode ao menos ser explicada, mas somente ao introduzir a idéia de um universo paralelo. A idéia de Randall abriu a Caixa de Pandora. Agora subtitamente cientistas de todo mundo se amontoaram na décima primeira dimensão tentando resolver problemas antigos e a cada tempo isto parecia que a explicação perfeita era um outro universo paralelo. Em qualquer lugar que eles olhavam, isto parecia que eles começaram a encontrar mais e mais delas. De cada canto da décima primeira dimensão os universos paralelos vieram se arrastando de lugares ocultos. Alguns tomaram a forma de membranas tridimensionais, como nosso próprio universo. Outros eram simplesmente folhas de energia. Então haviam membranas cilíndricas e até mesmo espiraladas. Instantaneamente toda a décima primeira dimensão parecia ser cheia na capacidade máxima de membranas.

MICHIO KAKU: Começamos a nos fazer a pergunta: Quem vive na décima primeira dimensão? Temos feito a interseção de membranas, temos membranas com buracos nelas, temos membranas que se parecem com rosquinhas ou temos muitos tipos diferentes de buracos de rosquinhas. Estamos exatamente entulhados com diferentes tipos de membranas.

MICHAEL DUFF: Esta décima primeira dimensão não apenas tinha a membrana que era como uma bolha ou objeto como folha, mas ela tinha uma inteira riqueza de diferentes branas de várias dimensões, infelizmente chamadas branas de ervilha [as branas são objetos na teoría M e sua vastidão, cosmología de branas. Na teoría M, as p-branas (o nome deriva de membrana) são objetos de dimensionalidade espacial p (por exemplo, uma corda é uma 1-brana). Na cosmología de branas, o termo “brana” se utiliza para referir-se aos objetos similares ao universo quadridimensional que se movem em um “bulk” de maior dimensão].

NARRADOR: Cada uma desssa membranas era um possível outro universo. A Teoria M tinha involuntáriamente feito a idéia de universos paralelos ser novamente respeitável.

MICHIO KAKU: Em um outro universo o próton pode ser instável, e neste caso os átomos se dissolveriam e o DNA não poderia se formar e portanto não haverá vida inteligente nestes universos. Talvez este seja um universo de eletrons e eletricidade, talvez um universo de raios e neutrinos, mas não de matéria estável.

MICHAEL DUFF: Os outros universos são paralelos ao nosso e podem estar bem perto do nosso, mas nunca estamos cientes deles. Eles podem ser completamente diferentes com leis da natureza completamente diferentes operando.

ALAN GUTH: Pode ser que nem todos tenham vida, mas alguma fração deles terá vida e seja qual for esta fração  há um número infinito de universos lá que terão um número infinito de civilizações vivas.

MICHIO KAKU: Alguns destes universos podem não parecer como o nosso, exceto talvez porque não estamos lá.

NARRADOR: A Teoria M estava ficando cada vez mais estranha, mas pode realmente ser uma teoria que explicasse tudo no universo? Para ter qualquer chance de contestar isto teria que existir uma outra teoria rival que fosse capaz de contestar. Ela teria que fazer sentido de embaraçar a singularidade no início do Big Bang. A Teoria M estava para vir com uma apropriada resposta ultrajante e os universos paralelos estariam no coração disto.

BURT OVRUT: Eu era um adolescente, não me lembro muito bem quanto foi isto e não me lembro precisamente porque meu pai e eu estávamos em Manhattan, na baía. Um dos grandes transatlânticos daquele tempo era o Michelangelo e ele estava na baía, lembro-me que no lado oeste de Manhattan. Deve ter sido perto da 42a. Street. Era uma vista notável. Era um navio enorme, vamos dizer que tivesse de altura aproximadamente 46 a 61 metros, a inteira superestrutura na frente do navio, a inteira proa tinha sido atingida por uma onda que explodiu todas as janelas na antepara para frente exatamente na ponte. Esta é uma do que eles chamam de onda branca, ou uma onda hostil que atingiu o Michelangelo e fez todo este estrago. O que é interessante é que há ondas de certa forma similares a esta que habitam as dimensões superiores e então você pode imaginar se você tivesse esta onda enorme se movendo pelas dimensões superiores; se ela se chocasse com uma outra onda, você teria uma tremenda colisão cataclísmica.

NARRADOR: As ondas a muito tem fascinado Burt Ovrut. Agora elas estão para virar a Teoria M de cabeça para baixo. No início de 2001 a recebida sabedoria era que a décima primeira dimensão era um lugar tranquilo com universos membranas gentilmente flutuando nela, mas Burt sugeriu uma idéia mais excitante. Os universos se movem pela décima primeira dimensão como ondas turbulentas e gigantescas.

BURT OVRUT: Estas coisas podem se mover. Elas não são estáticas, elas são, você sabe, como tudo mais no mundo; elas podem se mover ao redor e não há muito espaço para elas se moverem. De fato, se elas se movem, elas muito provavelmente colidem umas com as outras. De fato elas não se afastam uma das outras, ou colidem, e uma coisa que tinha me ocorrido muito cedo é o que aconteceria se eles colidissem?

NARRADOR: Para uma nova geração de cosmologistas como Neil Turok a visão de Burt da décima primeira dimensão soou intrigante, mas ele e seus colegas tinham outras coisas em mente. Eles ainda estavam enfrentando os grandes problemas da cosmologia.

NEIL TUROK: Foi um início? O tempo continuou antes do Big Bang? De onde veio o Universo?

NARRADOR: Acima de tudo, eles ainda estão tentando resolver o maior problema de todos: o que causou o próprio início do Big Bang, a singularidade?

NEIL TUROK: Ninguém tem uma solução para o problema da singularidade além do que essencialmente pela mão do início do Universo a um certo tempo e dizer vamos a partir de lá e não vamos nos preocupar sobre o que aconteceu antes e isto é muito insatisfatório. Este é o maior problema em cosmologia.Se você vai pela singularidade você está em seu caminho para uma teoria completa do universo.

NARRADOR: A maioria dos cosmologistas tem começado a pensar que eles possam nunca encontrar a solução. Eles quase que teriam desistido completamente, que é quando Turok e seus colegas ouviram Burt explicar sua idéia apropriadamente pela primeira vez. Em uma conferência em Cambridge pioneiros da Teoria M tinham se reunido para explorar suas implicações. Burt foi a estrela do show. Sua visão de uma violenta décima primeira dimensão impressionou os físicos reunidos e pegou a atenção dos cosmologistas.

PAUL STEINHARDT: Ouvimos sobre uma grande variedade de idéias. As idéias que afetaram Neil e eu mais fortemente foram as idéias que Burt apresentou.

NARRATOR: No último dia de conferência Neil Turok, Paul Steinhardt e Burt decidiram tiram um tempo fora. Eles foram asistir uma peça.

BURT OVRUT: Queriamos ver a peça Copenhagen que estava sendo apresentada em Londres naquele tempo e nós três pegamos o trem para Londres uma tarde e estivemos por mais ou menos uma hora no trem falando sobre estas idéias.

NARRADOR: Na viagem eles começaram a lançar as idéias. Três físicos, um trem e o maior segredo sobre o nosso Universo; o que causou o Big Bang.

PAUL STEINHARDT: Penso que as pessoas tem uma idéia errada sobre os cientistas na qual eles pensam de modo rígido e ordenado do passo 1 para o passo 2 e daí para o passo 3. O que realmente acontece é que frequentemente você tem um salto imaginativo no qual o tempo pode parecer sem lógica. Quando você captura o campo nestes estágios isto é como poesia na qual você está imaginando sem provar.

NEIL TUROK: Paul, Burt e eu estávamos sentados juntos no trem e apenas em livre associação.

PAUL STEINHARDT: Um de nós, talvez tenha sido eu, começou a dizer: ‘oh, bem, porque não podemos fazer um universo a partir da colisão” e Neil com um tipo de ajuda dizendo: “bem, se você fez isto então você pode criar toda a matéria e radiação do Universo” e assim tivemos esta conversa, um de nós completando as sentenças do outro naquele tipo de apenas deixar voar a imaginação.

BURT OVRUT: E na medida em que continuávamos, ao menos aprendi mais e mais sobre como pode ser possível ter estas colisões de branas pra produzir todos os efeitos do Universo inicial e em particular é apenas tão fácil de fazer com as minhas mãos: quando elas colidem você tem um Big Bang.

NEIL TUROK: E o Big Bang é a consequência de algum encontro entre dois mundos paralelos.

NARRADOR: Mas como pode uma tal colisão ir adiante e causar o mundo que conhecemos? O universo no qual vivemos tem vastas massas de matéria que chamamos de estrelas e de galáxias.

BURT OVRUT: Sabemos que as coisas não são suaves no Universo. De fato temos pequenas massas, temos estrelas, temos galáxias, temos quasars, temos aglomerados de matéria.

NARRADOR: Agora eles tinham que explicar como a colisão de dois universos paralelos pode acontecer para criar estes blocos de matéria. Havia algo sobre membranas, ou branas, que pudesse explicar isto?

NEIL TUROK: As pessoas tendiam a pensar nas branas como sendo chatas, folhas perfeitas, planos geométicos, mas penso que para nós que estava claro que esta imagem pode não estar correta. Ela não pode ser perfeitamente chata. Ela tem que ondular.

PAUL STEINHARDT: O que aconteceria quando estas branas se aproximam é que há ondas na superfície de cada brana e quando elas se reunem elas não atingem exatamente no mesmo tempo, mesmo lugar, mas de fato elas atingem pontos diferentes e em tempos diferentes.

BURT OVRUT: Descobrimos que quando a brana se move ela literalmente ondeia, assim quando a colisão ocorre ela transmite estas ondas à matéria real.

NARRADOR: Os universos paralelos se movem pela décima primeira dimensão como ondas e como qualquer onda elas ondulariam. Foram as ondas que causaram os aglomerados de matéria depois do Big Bang. Eles finalmente tinham a explicação completa para o nascimento do nosso Universo e agora eles podiam fazer alguma coisa até mesmo mais profunda. Eles podiam levar as leis de física de volta no tempo até o momento do Big Bang e para o outro lado.

NEIL TUROK: A existência de branas antes da singularidade implica que houve tempo antes do Big Bang. O tempo pode, pode ser seguido pela singularidade inicial.

BURT OVRUT: Você pode recuar até estar perto do lugar onde a expansão teria ocorrido e então apenas selecionar as mudanças dentro do outro mundo. Quando as branas colidem a colisão delas podem ser explicada dentro da Teoria M, assim simplesmente entra no reino da matemática e ciência agora muito mais do que estar em um ponto desconhecido que explodiu.

NARRADOR: A singularidade havia desaparecido e tinha tomado deles apenas menos de uma hora.

PAUL STEINHARDT: Então fomos ver a peça.

NARRATOR: Esta idéia é tão nova que apenas está começando a ser discutida, mas se é aceita significará que a teoria perdida de Einstein finalmente foi encontrada. A Teoria M pode realmente ser capaz de explicar tudo no Universo, mas a vitória será de um doce amargo, porque no fim desta longa busca, a ciência tem descoberto que o Universo como é pensado explicar pode não ser nada especial. Nada mais é que um número infinito de membranas, apenas um dos muitos universos que compõem o multi-universo.

MICHIO KAKU: O mais recente entendimento do multi-universo é que pode haver um número infinito de universos cada um com uma diferente lei de física. Os Big Bangs provavelmente ocorram todo tempo. Nosso Universo coexiste com outras membranas que também estão em um processo de expansão. Nosso Universo pode ser apenas uma bolha flutuando em um oceano de outras bolhas.

NARRADOR: Mas este não é bem o fim da história. Agora que a Teoria do Tudo pode ter sido encontrada  alguns estão interressadíssimos em usar isto. A Física está se preparando para o máximo vôo da fantasia: fazer um Universo seu próprio sem qualquer mistério ou respostas não respondidas.

ALAN GUTH: De fato tenho trabalhado com outras pessoas por algum período de tempo na questão se ou não em princípio é possível criar um novo universo no laboratório. Se isto realmente funciona ou não, não sabemos com certeza. Parece que provavelmente funcionaria. É realmente seguro criar um universo em seu porão. Isto não deslocaria o universo ao redor, até mesmo embora crescesse tremendamente. Ele realmente criaria seu próprio espaço na medida em que crescia e de fato em uma fração muito pequena de um segundo ele se partiria completamente de nosso universo e evoluiria em um universo isolado próximo crescendo em proporções cósmicas sem deslocar qualquer território que atualmente chamamos estar.

O Universo como um Holograma

O Universo como um Holograma

Michael Talbott

Existe a Realidade Objetiva ou o Universo é um Fantasma?

Em 1982 um evento notável aconteceu. Na Universidade de Paris uma equipe de pesquisa liderada pelo físico Alain Aspect realizou o que pode vir a ser um dos mais importantes experimentos do século XX. Você não ouviu sobre isto nos noticiários. De fato, a menos que você tenha o hábito de ler revistas científicas, você provavelmente nem mesmo tenho ouvido o nome de Aspect, embora haja alguns que acreditem que a descoberta dele pode mudar a face da ciência. Aspect e sua equipe descobriram que sob certas circunstâncias as partículas sub-atômicas como os eletrons são capazes de se comunicarem instantaneamente umas com a outras a despeito da distância que as separam. Não importa se elas estão a 10 pés ou a 10 bilhões de milhas separadas.

De alguma forma uma partícula sempre parece saber o que a outra está fazendo. O problema com este feito é que ele viola o princípio de longo prazo de Einstein que nenhuma comunicação possa viajar mais rápido do que a velocidade da luz. Já que viajar mais rápido do que a velocidade da luz é equivalente a quebrar a barreira do tempo, esta perspectiva assombrosa tem feito com que alguns físicos tentem vir com meios elaborados de descartar as descobertas de Aspect. Mas isto tem inspirado outros a oferecerem até mesmo explicações mais radicais.

O físico da Universidade de Londres, David Bohm, por exemplo, acredita que as descobertas de Aspect implicam que a realidade objetiva não existe; a despeito de sua aprente solidez, o universo está no coração de um fantasma, um gigantesco e esplendidamente detalhado holograma.

Para entender porque Bohm faz esta surpreendente avaliação, devemos primeiro entender um pouco sobre hologramas. Um holograma é uma fotografia tridimensional feita com a ajuda de um laser. Para fazer um holograma, o objeto a ser fotografado é primeiro banhado na luz de um raio laser. Então um segundo raio laser é ricocheteado da luz refletida do primeiro e ao resultante padrão de interferência [a área onde os dois raios laser se encontram] é capturado em um filme. Quando o filme é revelado, ele parece um rodamoinho sem significado de luz e linhas escuras. Mas logo que o filme revelado é iluminado por um outro raio laser, uma imagem tridimensional do objeto original aparece.

A tridensionalidade de tais imagens não é a única caraterística notável dos hologramas. Se um holograma de uma rosa é cortado na metade ele ainda contém a imagem inteira da rosa. De fato, cada metade conterá a imagem inteira da rosa. Se as metades são divididas novamente, cada fragmento do filme  sempre será descoberto conter uma versão menor mas intacta da imagem original. Diferente das fotografias normais, cada parte de um holograma contém a informação completa possuida pelo todo.

A natureza “do todo em cada parte” do holograma nos fornece um modo inteiramente novo de entender a organização e a ordem. Pela maior parte de sua história, a ciência ocidental tem trabalhado sob a tendência que o melhor meio para entender um fenômeno físico, seja um sapo ou um atómo, é dissecar isto e estudar suas partes respectivas. Um holograma nos ensina que algumas coisas no universo podem não se render a estas abordagens. Se tentarmos separar algo construido holograficamente, não obteremos os pedaços do que isto é feito, apenas obteremos inteiros menores.

Este insight sugeriu a Bohm um outro meio de entender a descoberta de Aspect. Bohm acredita que a razão porque as partículas sub-atômicas são capazes de permanecerem em contacto uma com a outra a despeito da distância que as separam não é porque estejam enviando um algum tipo de sinal misterioso, mas porque a sua separação é uma ilusão. Ele argumenta que em algum nível mais profundo da realidade tais partículas não são entidades individuais, mas realmente sejam extensões do mesmo algo fundamental.

Para capacitar as pessoas a melhor visualizarem o que ele quer dizer, Bohm oferece a seguinte ilustração. Imagine um aquário contendo um peixe. Imagine também que você seja incapaz de ver o aquário diretamente e seu conhecimento sobre ele e o que ele contém venha de duas câmeras de televisão, uma dirigida a frente do aquário e a outra a seu lado. Quando você olha fixamente os dois monitores de televisão, você pode assumir que o peixe em cada uma das telas é uma entidade em separado. Afinal, porque as câmeras estão colocadas em ângulos diferentes, cada um a das imagens será ligeiramente diferente. Mas quando você continua a observar os dois peixes, você eventualmente se tornará ciente que há um certo relacionamento entre eles. Quando um se volta, o outro também faz uma volta ligeiramente diferente, mas correspondente. Quando um fica de frente, o outro está de lado. Se você continua inconsciente do escopo completo da situação você pode até mesmo concluir que o peixo deve estar instantaneamente se comunicando com o outro, mas este claramente não é o caso.

Isto, diz Bohm, é precisamente o que está acontecendo entre as partículas sub-atômicas no experimento de Aspect. Segundo Bohm, esta ligação aparentemente mais rápida do que a luz entre as partículas sub-atômicas realmente está nos dizendo que há um nível mais profundo da realidade a qual não temos acesso, uma dimensão mais complexa além da nossa que é análoga ao aquário. E, ele acrescenta, vimos os objetos tais como as partículas sub-atômicas como separadas uma da outra porque estamos vendo apenas uma porção de sua realidade. Tais partículas não são partes separadas, mas facetas de uma unidade mais profunda e subjacente que é ultimamente tão holográfica e indivisível como a rosa anteriormente mencionada. E já que tudo na realidade física está compreendido destes “eidolons”, o próprio universo é uma projeção, um holograma.

Além de sua natureza fantasmagórica, um tal universo possuiria outras características surpreendentes. Se a aparente separação das partículas sub-atômicas é ilusória, isto significa que em um nível mais profundo da realidade todas as coisas no universo estão infinitamente conectadas. Os elétrons em um átomo de carbono no cérebro humano  estão conectados as partículas sub-atômicas que compreendem cada salmão que nada, cada coração que bate, e cada estrela que brilha no céu. Tudo interpenetra tudo, e embora a natureza humana possa buscar categorizar e arquivar e subdividir, os vários fenômenos no universo, todas as partilhas são de necessidade artificial e toda a natureza é ultimamente uma teia sem costuras.

Embora Bohm admita que não tenhamos meio de saber o que mais está oculto no super-holograma, ele se aventura a dizer que não temos razão para assumir que isto não contenha mais. Ou como ele coloca isso, talvez o nível super-holográfico da realidade seja um ‘mero estágio’ além do qual jaz “uma infinidade de desenvolvimento posterior”.

Bohm não é o único pesquisador a encontrar evidência de que o Universo seja um holograma. Trabalhando independentemente no campo da pesquisa cerebral, o neurofisiologista de Stanford, Karl Pribram também tem se tornado persuadido da natureza holográfica da realidade. Pribram estava desenhando o modelo holográfico do cérebro para o enigma de como e onde as memórias são armazenadas no cérebro. Por décadas, os estudos tem mostrado que muito mais do que estarem confinadas a uma localização específica, as memórias estão dispersas pelo cérebro.

Em uma série de experimentos principais na década de 1920, o cientista cerebral Karl Lashley descobriu que não importava qual porção do cérebro de um rato ele removia; ele era incapaz de erradicar sua memória de como realizar tarefas complexas que ele havia aprendido antes da cirurgia. O único problema  era que ninguém foi capaz de vir com um mecanismo que pudesse explicar esta curiosa natureza do “todo em cada parte” do armazenamento da memória.

Então na década de 1960 Pribram encontrou o conceito da holografia e entendeu que ele havia descoberto a explicação que os cientistas cerebrais haviam estado procurando. Pribram acredita que as memórias estão codificadas não nos neurônios, ou pequenos agrupamentos de neurônios, mas nos padrões dos impulsos nervosos que se entrecruzam no inteiro cérebro do mesmo modo que os padrões da interferência da luz do laser se entrecruza na área inteira de um pedaço de filme contendo uma imagem holográfica. Em outras palavras, Pribram acredita que o  próprio cérebro seja um holograma.

A teoria de Pribram também explica como o cérebro humano pode armazenar tantas memórias em tão pouco espaço. Tem sido estimado que o cérebro humano tenha a capacidade de memorizar algo da ordem de 10 bilhões de bits de informação durante um período de vida médio [ou a grosso modo a mesma quantidade de informação contida em cinco conjuntos da Encyclopaedia Britannica].

Similarmente, tem sido descoberto que em adição  suas outras capacidades os hologramas possuem uma capacidade estonteante de armazenar informação – simplesmente ao mudar o ângulo no qual os dois raios laser atingem um pedaço de filme fotográfico, é possível registrar muitas imagens diferentes na mesma superfície. Tem sido demonstrado que um centimetro cúbico de filme pode manter tanto quanto 10 bilhões de bits de informação.

Nossa desconcertante capacidade de rapidamente recuperar seja qual for a informação que precisamos do imenso armazenamento de nossas memórias se torna mais compreensível se o cérebro funcionar sob os princípios holográficos. Se um amigo lhe pedir para dizer a ele o que vem a mente quando ele diz a palavra “zebra” você não tem que escolher desjeitadamente de volta a um gigantesco arquivo cerebral alfabético para encontrar a resposta. Ao invés, asociações como “semelhante a um cavalo”, “listrada”, “animal nativo da África” todos pulam imediatamente na sua cabeça. De fato, uma das coisas mais surpreendente sobre o processo do pensamento humano é que cada pedaço de informação parece imediatamente se inter-relacionar com cada outro pedaço de informação – uma outra característica intrínsica ao holograma. Porque cada porção de um holograma está infinitamente interconectada com todas as outras porções, talvez este seja o supremo exemplo da natureza de um sistema interelacionado.

O armazenamento da memória não é o único enigma neurofisiológico que se torna mais tratável à luz do modelo holográfico do cérebro de Pilbram. Um outro é como o cérebro é capaz de traduzir a avalanche de frequências que ele recebe via os sentidos [frequências de luz, frequências de som etc] para o mundo concreto de nossas percepções.

Codificar e descodificar frequências é precisamente o que um holograma faz melhor. Exatamente como um holograma funciona com um tipo de lente, uma aparelho de tradução capaz de converter um borrão aparentemente sem sentido de frequências em uma imagem coerente, Pribram acredita que o cérebro também inclui uma lente e usa os princípios holográficos para converter matematicamente as frequências que ele recebe pelos sentidos para o mundo interno de nossas percepções.

Um corpo impressivo de evidência sugere que o cérebro usa os princípios holográficos para realizar suas operações. A teoria de Pribram, de fato, tem recebido um apoio crescente entre os neurofisiologistas.

O pesquisador argentino-italiano Hugo Zucarelli recentemente estendeu o modelo holográfico ao mundo do fenômeno acústico. Intrigado pelo fato de que os humanos possam localizar a fonte dos sons sem mover suas cabeças, até mesmo quando possuem a audição em um só ouvido, Zucarelli descobriu que os princípios holográficos podem explicar esta habilidade.

Zucarelli tem também desenvolvido a tecnologia do som holofônico, uma técnica de gravação capaz de reproduzir situações acústicas com um realismo quase desconcertante.

A crença de Pribram que nossos cérebros constróem matematicamente a “dura” realidade ao contar com o input de um domínio de frequência também tem recebido uma boa quantidade de apoio experimental.

Tem sido desoberto que cada um dos nossos sentidos é sensível a um alcance muito mais amplo de frequências do que previamente suspeitado.

Os pesquisadores tem descoberto, por exemplo, que nossos sistemas visuais são sensíveis a frequências de som, que nosso sentido de olfato é em parte dependente do que agora é chamado “frequências cósmicas” e que até mesmo as células em nossos corpos são sensíveis a um amplo alcance de frequências. Tais achados sugerem que é somente no domínio holográfico da consciência que tais frequências sejam escolhidas e divididas nas percepções convencionais.

Mas o aspecto mais fascinante do modelo holográfico do cérebro de Pribram é o que acontece quando ele é colocado junto da teoria de Bohm. Porque se a concretividade do mundo nada mais é do que uma realidade secundária e o que está “lá” é realmente uma mancha holográfica de frequências, e se o cérebro também é um holograma e somente seleciona algumas das frequências desta mancha e as transforma matematicamente em percepções sensoriais, o que vem a ser a realidade objetiva?

Falando muito simplesmente, isto cessa de existir. Como as religiões do oriente há muito tem mantindo, o mundo material é Maya, uma ilusão, e embora nós possamos pensar que somos seres físicos nos movendo em um mundo físico, isto também é uma ilusão.

Realmente somos “receptores” flutuando em um mar caledoscópico de frequências, e o que extrairmos deste mar e transmodificamos em realidade física nada mais é do que um canal dos muitos extraídos do super-holograma.

Esta impressionante nova imagem da realidade, a síntese das opiniões de Bohm e Pribram, tem vindo a ser chamado o paradigma holográfico, e embora muitos cientistas tenham recebido isto com ceticimo, isto tem galvanizado outros. Um grupo pequeno mas crescente de pesquisadores acredita que este possa ser o modelo mais acurado da realidade a que a ciência já tenha conseguido chegar. Mais do que isto, alguns acreditam que possam resolver alguns mistérios que nunca antes tem sido explicáveis pela ciência e até mesmo estabelecer o paranormal como parte da natureza.

Numerosos pesquisadores, incluindo Bohm e Pribram, tem notado que muitos fenômenos parapsicológicos se tornam muito mais compreensíveis em termos do paradigma holográfico.

Em um universo no qual os cérebros individuais são realmente porções indivisíveis de um holograma maior e tudo está infinitamente interconectado, a telepatia pode meramente ser o acesso do nível holográfico.

É obviamente muito mais fácil entender como a informação pode viajar da mente do indivíduo ‘A’ para aquela do indivíduo ‘B’ a um ponto a longa distância e ajuda a entender um número de enigmas não resolvidos em psicologia. Em particular, Stanislav Grof, um fundador do campo de psicologia transpessoal, sente que o paradigma holográfico ofereça um modelo para o entendimento de muitos fenômenos embaraçosos vivenciados pelos indíviduos durante estados alterados da consciência.

Criação – Universo Holográfico

Na década de 1950, enquanto realizava pesquisa nas crenças do LSD como um instrumento psicoterapêutico, Grof tinha uma paciente que subitamente se tornou convencida que ela havia assumido a identidade de uma fêmea de uma espécie de réptil pré histórico. Durante o curso da alucinação dela, ela não apenas deu uma descrição rica e detalhada do que ela sentia como estar encapsulada em uma tal forma, mas notou uma porção da anatomia masculina da espécie, o que era de um parte de escamas coloridas no lado de sua cabeça. O que foi surpreendente para Grof foi que embora a mulher não tivesse conhecimento anterior sobre tais coisas, uma conversa com um zoologista mais tarde confirmou que em certas espécies de répteis as áreas coloridas na cabeça de fato desempenham um papel importante como gatilhos do arrebatamento sexual.

A experiência da mulher não foi única. Durante o curso de sua pesquisa, Grof encontrou exemplos de pacientes regredindo e identificando-se com virtualmente todas as espécies da árvore revolucionária [achados de pesquisa que ajudaram a influenciar o cenário “homem a partir do macaco” no filme “Estados Alterados”]. Sobretudo, ele descobriu que tais experiências frequentemente continham obscuros detalhes zoológicos que acabavam por se mostrar acurados.

As regressões ao reino animal não eram o único fenômeno intrigante que Grof encontrou. Ele também teve pacientes que pareciam “grampear” algum tipo de inconsciente coletivo ou racial. Os indivíduos com pouca ou nenhuma educação subitamente davam descrições detalhadas de práticas funerárias do Zoroastrismo e cenas da mitologia hundu. Em outras categorias de experiência, os indivíduos davam narrativas persuasivas de experiências fora do corpo, de visualizações pré-cognitivas do futuro, de regressões a aparentes encarnações de vidas passadas.

Na última pesquisa, Grof descobriu este mesmo alcance de fenômenos manifestados nas sessões de terapia que não envolveram o uso de drogas. Por causa que o elemento comum em tais experiências parecia ser a transcendência da consciência do indivíduo além das fronteiras usuais do ego e/ou limitações de espaço e tempo, Grof chamou a tais experiências de “experiências transcendentais” e no final da década de 1960 ele ajudou a formar um ramo da psicologia chamado “psicologia transpessoal” devotado inteiramente ao estudo delas.

Embora a recém fundada Associação de Psicologia Transpessoal de Grof reunisse um número rapidamente crescente de profissionais de mente similar e tenha se tornado um ramo respeitado da psicologia, por anos nem Grof nem seus colegas foram capazes de oferecer um mecanismo para explicar o bizarro fenômeno psicológico que eles estavam testemunhando. Mas isto tem mudado com o advento do paradigma holográfico.

Como Grof recentemente notou, se a mente é realmente uma parte de um continuum, um labirinto que está conectado não apenas a todas as outras mentes que existem ou tem existido, mas a todos os átomos, organismos, e regiões na vastidão do próprio espaço e tempo, o fato que ela seja capaz de ocasionalmente fazer investidas no labirinto e ter experiências transpessoais não mais parece tão estranho.

O paradigma holográfico também tem implicações para as chamadas ciências duras como a biologia. Keith Floyd, um psicólogo da Universidade Virginia Intermont, tem ressaltado que se a concretividade da realidade nada mais é que uma ilusão holográfica, não mais seria verdade que o cérebro produza a consciência. Muito mais, é a consciência que cria o aparecimento do cérebro – bem como do corpo e de tudo mais ao redor de nós que interpretramos como físico.

Uma tal reviravolta no modo em que vemos as estruturas biológicas tem feito com que os pesquisadores ressaltem que a medicina e o nosso entendimento do processo de cura pode também ser transformado pelo paradigma holográfico. Se a aparente estrutura física do corpo nada mais é que a projeção holográfica da consciência, torna-se claro que cada um de nós é mais responsável por nossa saúde que a atual sabedoria médica permite. O que agora vemos como remissões miraculosas de doenças podem realmente ser devido a mudanças na consciência que por sua vez afetam mudanças no holograma do corpo.

Similarmente, novas técnicas controvertidas de cura tais como a visualização podem funcionar tão bem porque no domínio holográfico do pensamento as imagens são ultimamente tão reais quanto a “realidade”.

Até mesmo visões e experiências envolvendo uma realidade “não ordinária” se tornam explicáveis sob o paradigma holográfico. Em seu livro, “Gifts of Unknown Things,” o biólogo Lyall Watson descreve seu encontro com uma mulher shamã na Indonésia que, ao realizar uma dança ritual, foi capaz de fazer um inteiro grupo de árvores instantaneamente desaparecer no fino ar. Watson relata que ele e um outro espectador atônito continuaram a observar a mulher, e ela fez as árvores reaparecem, então desaparecerem novamente e assim novamente por várias vezes em sucessão.

Embora o atual entendimento científico seja incapaz de explicar tais eventos, experiências como estas se tornam mais defensáveis se a “dura” realidade é apenas uma projeção holográfica.

Talvez concordemos sobre o que seja “lá” ou “não lá” porque o que chamamos consenso da realidade é formulado e ratificado a nível do inconsciente humano ao qual todas as mentes estão infinitamente interconectadas.

Se isto é verdade, é a mais profunda implicação do paradigma holográfico de todas, porque isto significa que as experiências tais como as de Watson não são lugar comum apenas porque não temos programado a nossa mente com as crenças que as fazem assim. Em um universo holográfico não há limites na extensão em que podemos alterar o tecido da realidade.

O que percebemos como realidade é apenas uma tela que nos espera para desenhar nela qualquer imagem que quisermos. Tudo é possível, desde curvar colheres com o poder da mente até os eventos fantasmagóricos vivenciados por Castaneda durante seus encontros com o bruxo Yaqui Don Juan, porque o mágico é nosso direito inato, nem mais nem menos miraculoso do que a nossa habilidade de computar a realidade que queremos quando estamos em nossos sonhos.

De fato, até mesmo nossas noções mais fundamentais sobre a realidade se tornam suspeitas, porque em um universo holográfico, como tem ressaltado Pribram, até mesmo eventos aleatórios tem sido vistos como baseados nos principios holográficos e portanto determinados. As sincronicidades ou coincidências significativas subitamente fazem sentido, e tudo na realidade teria que ser visto como uma metáfora, porque até mesmo os eventos mais casuais expressariam alguma realidade subjacente.

Se o paradigma holográfico de Bohm e Pribram se torna aceito pela ciência ou morre uma morte ignóbil, permanece a ser visto, mas é seguro dizer que ele já tenha uma influência no pensamento de muitos cientistas. E até mesmo se é descoberto que o modelo holográfico não fornece a melhor explicação para as comunicações instantâneas que vemos estar ocorrendo para diante e para trás entre as partículas sub-atômicas, ao menos, como notado por Basil Hiley, um físico da Universidade Birbeck em Londres,  as descobertas de Aspect “indicam que devemos estar preparados para considerar radicalmente novas visões da realidade”.

Assassinato de Yitzhak Rabin

A Conspiração para Assassinar Yitzhak Rabin

de Barry Chamish
Especial para ParaScope

Um líder nacional é abatido a tiros. Um bode expiatório manipulado no local no momento crucial. Uma conspiração pela polícia secreta. Uma comissão do governo que divulgou a teoria do atirador solitário para explicar o assassinato. E um “fotógrafo amador” é pego com a coisa toda filmada. Não, não estamos falando sobre o assassinato de Kennedy. Estamos falando sobre o assassinato de Yitzhak Rabin, e seus assassinos ainda estão soltos. Barry Chamish, editor do jornal de inteligência politica “Inside Israel”, prova a perturbadora evidência que indica uma conspiração para assassinar Rabin.

A medíocre conspiração Shabak (Serviços de Segurança Geral) para assassinar Yitzhak Rabin está vagarosamente sendo exposta. Os mais improváveis israelenses estão se tornando convencidos que Yigal Amir não matou Rabin, mas que ele realmente foi morto em seu carro depois de Amir disparou duas balas brancas. Tal é o peso da evidência que Amir está esperando um milhão de dólares de adiantamento por um livro que contará seu lado da história. O agente literário de Amir, Avi Feinstein diz, “Amir foi um agente do governo e ele exporá a inteira conspiração em seu livro. ”

Isto é, se ele puder recordar disto depois de sua extensa experiência com um sofisticado controle mental.

A evidência mais convincente que Amir não matou Rabin veio do especialista forense da polícia Baruch Glatstein, que testemunhou no julgamento de Amir. Depois de examinar o terno e camisa de Rabin, ele concluiu que os dois tiros de alcance a queima roupa mataram o primeiro ministro. Amir foi filmado atirando ao menos cinco vezes. Segundo o testemunho de Glatstein, um tiro veio da distância de 25 centímetros, enquanto o segundo foi um tiro de contacto. Glatstein racionalmente explicou que a camisa de Rabin estava feitas em tiras de um modo que não podia ocorrer sem que os gases do cartucho explodissem em sua pele.

Posteriormente, Glatstein testemunhou que na camisa de Yoram Rubin, o segurança de Rabin que recebeu um tiro no antebraço, ele encontrou traços de cobre e chumbo no buraco da bala enquanto as balas de Amir eram compostas inteiramente de cobre. Em resumo, Amir também não atirou em Rubin.

O testemunho de Glatstein concorda com o do Dr. Skolnick, um cirurgião que operou Rabin. Dr. Skolnick concluiu que os ferimentos dele foram causados por tiros de contacto.

Em julho, a Suprema Côrte ouviu o testemunho de um taxista de Tel Aviv que levou um passageiro no dia em que Amir foi condenado. Depois de ouvir uma notícia no rádio sobre a condenação dele, o passageiro disse que ele foi o patologista no Hospital Ichilov que examinou Rabin. Ele insistiu que Amir não podia ter atingido Rabin porque as feridas deste eram de um alcance de queima roupa. Ele então mostrou seu cartão de identidade do Hospital Ichilov, provando que ele era de fato um patologista que trabalhava no hospital.

Dúzias de testemunhas ouviram cinco tiros disparados, e em julho, um oficial de polícia designado para a reunião fatídica onde Rabin foi morto, Yossi Smadja, disse a imprensa que ele também ouviu cinco tiros. Mas o testemunho deles não foi bem recebido pele acobertamento do evento da Comissão Shamgar.

O “filme amador” do assassinato de Rabin tem desde então sido examinado por inúmeros analistas na sequência de tomada em tomada e descoberto que tem sido negligentemente cortado e editado. Ainda mais sinistra foi a reação de Rabin ao ser atingido.Ao invés de recuar para o lado da direção da bala, Rabin alertamente se virou para trás, parecendo ciente dos eventos que aconteciam. Ainda mais sinistro, durante os segundos finais do filme enquanto supostamente Rabin estava sendo deitado no banco traseiro do carro, seguido pelo guarda ferido, alguém fecha a oposta porta de trás do passageiro do carro por dentro. Claramente, havia alguém esperando Rabin dentro do carro.

Então há o testemunho de Shimon Peres que viu o corpo de Rabin no hospital. Ele afirmou no Yediot Ahronot que a testa de Rabin estava inchada e contundida, que ele pensou de ser puxado pelo pavimento depois do tiro que recebeu. Isto está em contradição direta com o relato da testemunha ocular Miriam Oren que estava ao lado de Rabin depois que Amir apertou o gatilho. Ela disse ao noticiário da Televisão de Israel momentos depois do incidente que Rabin andou até o carro por ele próprio. Onde e como estas contusões que Peres afirma ter visto ocorreram?

Finalmente, existe a prova indiscutível oferecida não intencionalmente pelo auxiliar de Rabin, Eitan Haber. Enquanto os cirurgiões estavam operando Rabin no Hospital Ichilov, por razões não explicadas a este dia, Haber saqueou seu terno e bolsos de camisa procurando por algo e puxou a folha de música [songsheet] que Rabin tinha mantido na reunião. Haber produziu isto para as câmeras enquanto ele anunciava a morte de Rabin e isto estava profundamente ensanguentado. A menos que Rabin tenha posto isto em um não existente bolso de trás de seu terno, ele foi atirado de frente.

Apoio para este posicionamento veio de uma fonte muito improvável. Na noite do assassinato, um compatriota íntimo de Rabin, membro do Knesset Ephraim Gur, deixou o Hospital Ichilov e disse a um repórter da Reuters que ele tinha visto Rabin, e que ele recebeu tiros no peito e no abdomen.

Em 20 de setembro, dois jornais israelenses inesperadamene imprimiram entrevistas com os sutis advogados da tese da conspiração. Depois de nove meses de silêncio, Shlomo Levy deu uma entrevista a Yerushalayim. Levy, um associado de Amir na Universidade Bar Ilan, foi um soldado na Brigada de Inteligência do IDF. Depois de ouvir as ameaças de Amir de matar Rabin, ele as relatou ao seu comandante que disse a ele para ir a polícia. A polícia considerou muio seriamente o testeunho dele em 6 de julho de 1995 e transferiu isto para o Shabak onde isto foi ignorado até três dias depois do assassinato.

O relato conclui, ” O relato de Levy foi apenas um de um número de relatos que a  Shabak ignorou sobre  Amir… O fato de que a Shabak permitiu que juntasse poeira nos relatos até que Rabin já estivesse morto empresta crença a inúmeras teorias da conspiração.”

Levy foi perguntado, “Se você tinha a resposta certa, porque você se escondeu em sua casa com medo? “. Ele respondeu, “A Shabak é grande e poderosa e sou um pequeno camarada. O assassinato é uma ferida aberta para eles e quem sabe como eles reagiriam se eu me permitisse ser entrevistado.”

No mesmo dia, o filho de Rabin, Yuval foi entrevistado em Yediot Ahronot. Perguntado se ele acreditava que seu pai foi morto em uma conspiração, uma questão que recebeu muito interesse público, ele respondeu, “Não sei dizer que sim ou que não. Não é difícil aceitar isto… Uma coisa é certa, ninguém foi punido. A pior coisa que aconteceu a qualquer agente do Shabak foi perder seu emprego.”

Outubro viu claras inconsistências entre a versão oficial dos eventos que cercam o assassinato de Rabin e a verdade. No início do mês a revista semanal Maariv publicou uma importante coleção de testemunho de sete policiais e agentes de segurança a serviço na cena do assssinato que alimentou as suspeitas de uma conspiração de leitores anteriormente céticos. Em 18 de outubro, o autor desta peça foi vítima de um ataque malicioso durante oito minutos no Canal Dois da Televisão de Israel no show semanal da revista que foi mostrado novamente nesta noite. A despeito da clara tentativa de caracterizar o assassinato, como o Yediot Ahronot relatou no domingo seguinte, tive sucesso em incendiar um interesse nacional renovado na possibilidade de que o assassinato de Rabin não aconteceu como foi oficialmente relatado.

Primeiramente, vamos olhar o relato do Maariv. Começamos com a questão se as balas usadas pelo alegado assassino Yigal Amir eram reais ou não. Não foi negado pela Comissão Shamgar que “Brancos, brancos,” eram gritados por alguém enquanto Amir disparava sua arma. A conclusão é que Amir gritou isto para confundir os seguranças de Rabin, uma coisa que ele nega. Acontece que muito mais que “brancos, brancos” foi gritado.

S.G., O Agente de Segurança do Shabak Sub-comando da segurança de Rabin, Yoram Rubin: “Ouvi muito claramente, “Elas não são reais, não são reais”, durante o tiroteio.

A.A., Chefe de Segurança Pessoal do Shabak: “Ouvi um tiro e alguém gritando, “Não é real, não é real” Não posso dizer com certeza se isto veio do atirador.”

Avi Yahav, policial de Tel Aviv : “O tirador gritou, ‘Elas são cápsulas, nada, cápsulas.”

Nenhum dos policiais ou segurança ouviu o famoso grito ‘Srak, srak,’ (brancos, brancos). A cena que eles descrevem é a de um número de pessoas gritando frases diferentes. O que uniam os “gritadores” era a crença que balas brancas estavam sendo disparadas.

Quantas balas foram disparadas?

A.H., O agente designado para a equipe de Yoram Rubin: “Ouvi um tiro, seguido de um outro.”

Maariv para A.A.: “Você está certo que só ouviu um tiro?

A.A.: “Absolutamente certo.”

Avi Yahav: “Ouvi um número de tiros. Não estou certo de quantos”

S.G.: “Quando eu me aproximei do carro, ouvi três tiros”.

A inabilidade de pesoal treinado de segurança e da polícia em concordar quanto ao número de tiros é intrigante, mas em uma coisa todos corcordam: ninguém pensou que Rabin estivesse ferido.

Y.S., O Chefe de Segurança do Shabak para a reunião de Tel Aviv: “Ouvi que Rabin foi ferido somente quando cheguei ao Hospital Ichilov alguns minutos mais tarde.”

S.G.: Não ouvi qualquer grito de dor do Primeiro Ministro e não vi qualquer sinal de sangue… Não foi senão algum tempo depois que ouvi que Yoram Rubin estava ferido.”

A.A.: “Somente depois de um número de perguntas se Rabin estava ferido, dirigi em choque para Ichilov.”

Nenhum pessoal e segurança ou da polícia detectou qualquer sinal de que Rabin estivesse ferido, um fato muito inexplicável quando se considera que ele não foi meramente ferido mas supostamente atirado no pulmão e no baço por duas balas de 9 milímetros. Contudo, o “filme amador” do assassinato exonera as testemunhas. Depois que o filme mostra a explosão da arma de Amir, Rabin não é empurrado para frente pela pressão da bala, nem demonstra dor. Muito mais, ele continua andando e volta repetidamente a cabeça para sua esquerda.

Antes de examinar a próxima questão do artigo da Maariv, vamos pular para o relato do Canal Dois sobre a minha pesquisa. A despeito do embuste, um dos meus pontos veio alto e claro e foi um longo caminho na direção de impedir que meu nome fosse completamente manchado. Eu mostrei o filme do assassinato e ressaltei que quando Rabin entrou no carro, a porta do lado oposto do passageiro é fechada batida. Eu disse, o único modo da porta ter sido batida era se alguém dentro do carro a fechasse. Isto estaria em contradição com o relatório de Shamgar, que tem Rabin e Rubin entrando em um carro vazio. O Canal Dois salvou a minha dignidade ao dizer que a porta foi fechada pelas vibrações causadas pela entrada de Rabin. Por todo país, as pessoas abriram as portas de trás de seus carros e começaram a balançar os veículos. Nada pode fazer a porta fechar. Além disso, a porta de Rabin era blindada e pesava várias centenas mais de libras do que a porta média de um carro. Sobretudo, a porta da frente aberta do carro de Rabin não fechou com a de trás, e o filme não mostra qualquer abalo do carro. Portanto alguém – talvez o assassino – estivesse esperando por Rabin dentro do carro

Agora vamos considerar o testemunho de Yoram Rubin, o chefe da segurança pessoal de Rabin. Em 8 de novembro de 1995 ele foi citado como tendo dito ao New York Times que as últimas palavras de Rabin a ele no carro foram que ele estava ferido mas não seriamente. Vamos olhar o que ele disse a polícia na noite do assassinato e que mais tarde testemunhou perante a Comissão Shamgar no julgamento de Yigal Amir.

Rubin para a polícia às 1:07 a.m. em 05 de novembro de 1995: “Levantei o primeiro ministro e o empurrei para o carro.”

Para a Comissão Shamgar, ele disse: “Ele (Rabin) me ajudou a levantar. Isto é dizer, trabalhamos juntos… Pulamos, realmente pulamos. Estou surpreso, em retrospecto, que um homem da idade dele pudesse pular assim.”

No julgamento de Amir, Rubin declarou: “Eu o agarrei pelos ombros e perguntei a ele, ‘Yitzhak, você me ouve, somente a mim?”. Nas versões anteriores ele disse que ele não estava seriamente ferido ou que realmente ajudou Rubin a ficar de pé.

Talvez a peça mais confusa de testemunho diga respeito aos momentos críticos quando Rubin entra no carro com Rabin. O filme do assassinato mostra a porta de trás oposta a do passageiro sendo fechada por dentro. Ainda que Rubin testemunhe, “Sentamo-nos juntos e escorreguei entre o assento da frente e o de trás. Suas pernas e as minhas estavam suspensas lá fora e eu gritei ao motorista “Saia daqui”. Ele começou a dirigir e eu levantei as pernas de Rabin e as minhas para dentro e fechei a porta. Isto tudo demorou 2 a 3 segundos”.

Um incidente mais curioso ocorre a caminho do Hospital Ichilov, que normalmente leva-se menos de um minuto de direção a partir do suposto local do assassinato. A viagem demorou de 9:45 a 9:53. Com um minuto e meio de tempo de direção, o motorista de Rabin, Menachem Damti pegou um policial, Pinchas Terem, para ajudar a leva-lo ao hospital. Damti, um motorista experiente, não precisava de ajuda para encontrar o Hospital Ichilov, mas até mesmo isto não é o ponto principal. Com o primeiro ministro morrendo atrás dele, o altruista Yoram Rubin diz ao novo passageiro, “Estou ferido. Me enfaixe.” Quanto a Rabin, somente podemos supor que ele não se preocupou que suas feridas precisassem de uma atenção mais urgente.  Terem completou seu bizarro testemunho ao notar que Damti não notificou o hospital Ichilov por rádio que ele estava vindo e assim a equipe do hospital estava totalmente despreparada para a chegada de Rabin.

Uma conclusão a que muitos podem ser alcançados pelos testemunhos de todas estas testemunhas é que Rabin não foi ferido pelas balas brancas de Amir e que foi morto a tiros dentro do carro. Rubin levou uma inócua ferida no braço para encobrir seu papel neste evento e Damti pegou um policial como testemunha no caso de uma futura descrença.

Se este cenário ou algo mais insidioso não está recebendo confiança, todo testemunho contraditário será apropriadamente apurado por uma honesta comissão de inquérito. E esta hipotética comissão terá a resposta de como a porta de trás do passageiro do carro de Rabin realmente fechou quando ele entrou no veículo. Até que isto seja feito, dúvidas compelentes sobre a versão oficial do assassinato de Rabin permanecerão.

Exatamente antes do anoitecer de 4 de novembro de 1995, o Primeiro Ministro Yitzhak Rabin era um homem muito preocupado. Seu proceso de paz com a OLP não estava indo bem com o público israelense. A mais recente pesquisa no jornal diário Maariv mostrou que 78% do público queria que o processo parasse até que um referendo nacional fosse realizado para decidir se este processo continuasse ou não. Somente 18% dos israelenses confiavam em Rabin o suficiente para te-lo realizando a diplomacia sem um referendo público. Rabin não podia sair em público sem ser importunado. Seu momento mais humilhante veio em agosto quando ele foi a um jogo de futebol e 40.000 fãs o vaiaram em uníssono.

Mas naquele entardecer seria diferente. Uma coalisão de partidos políticos de esquerda e movimentos da juventude tinham organizado uma reunião em apoio a ele e Rabin sabia que, por uma troca, ele estaria cercado de milhares de apoiadores.

O que torna este assassinato naquele entardecer duplamente inesperado. Isto tudo parece fácil demais. As 9:15, Rabin deu uma fala diante de 100.000 apoiadores em uma praça fora de prefeitura de Tel-Aviv. Meia hora depois, ele desceu os degraus para uma área “estéril” abaixo onde seu carro o esparava. Aqui ele estaria seguro de ameaça porque ninguém além do aprovado pessoal de segurança era suposto estar lá.

Mas algo estava muito errado no estacionamento abaixo. A área, longe de estar estéril, estava cheia de pessoal não autorizado. Se Rabin estivesse alerta ele teria percebido que as coisas não estavam certas.

Inicialmente, ele deveria ter pensado, onde está a ambulância? Havia sempre uma ambulância estacionada perto do carro dele quando ele fazia aparecimentos públicos, ainda que neste entardecer nenhuma fosse vista. Então ele teria perguntado, onde estão os policiais? Dúzias de policiais deveriam ter fornecido segurança, mas somente uns poucos estavam a vista. A área de estacionamento estava quase que totalmente escura, onde é procedimento padrão de segurança iluminar seu caminho de passagem.

Mas Rabin parecia encantado pelo sucesso de sua fala e não caracteristicamente andou sozinho na direção de seu carro, não acompanhado por sua esposa, Leah. Uns poucos segundos antes que ele alcançasse seu veículo, um agente de segurança dos Serviços Gerais de Segurança (Shabak) que supostamente estava para cobri-lo por trás recuou e permitiu que um assassino, Yigal Amir, desse três tiros claros nos costas de Rabin.

Tão logo as balas foram disparadas, um agente do Shabak gritou, “Srak, Srak,” ou “elas são brancas, elas são brancas,” enquanto um outro agente disse a esposa de Rabin, Leah, uns poucos momentos depois para não se preocupar porque ‘os tiros eram brancos”. O agente  perto de Rabin agrediu o assassino e o algemou. Suas primeiras palavras depois de ter sido apreendido foram, “porque você me algemou? Fiz meu trabalho. Agora é tempo de fazer o de vocês’. A primeira questão que os agentes do Shabak perguntaram ao assassino foi, “Você não disparou brancas?”

Já que não havia ambulância, Rabin foi levado pelo carro ao hospital vizinho. O carro não estava equipado com rádio e assim os bloqueios de policiais não fizeram o caminho antes e a equipe do hospital não estava esperando a vítima até sua chegada. Us poucos minutos mais tarde, dúzias de repórteres receberam mensagens de um grupo desconhecido chamado Vingança Judia prometendo pegar Rabin da próxima vez. Depois do anúncio de sua morte, o porta-voz chamou de novo os repórteres se retratando do anúncio anterior e assumindo a responsabilidade pelo assassinato.

As 11:15 p.m., o asistente de Rabin Eitan Haber, segurando o que ele afirmou ser uma folha de música ensanguentada que Rabin tinha cantado na reunião, anunciou a morte do Primeiro Ministro. A tarefa cumprida, Haber correu para Jerusalém e limpou os arquivos do escritório do ministro Rabin. Ele aparentemente não queria esperar até a manhã seguinte e mais tarde disse ao repórter da revista semanal Kol Ha’ir que “Eu queria ter certeza que os arquivos fossem doados aos arquivos das Forças de Defesa de Israel (IDF).”

O que aconteceu a Yigal Amir em Riga?

O assassino acusado Yigal Amir tinha servido honrosamente na elite da Brigada Golani das Forças de Defesa de Israel. Imediatamente depois de sua liberação do serviço, ele foi enviado a Riga, Letônia na primavera de 1993 em algum tipo de missão em benefício do Departamento de Ligação, um ramo encoberto do escritório do Primeiro Miistro.

Fundado em 1953 para educar e resgatar judeus de trás da Cortina de Ferro o Departamento de Ligação havia se tornado um ninho de espiões com o passar dos anos. Como relatou o jornal diário Haaretz umas poucas semanas depois do assassinato de Rabin: “O Departamento de Ligação Realiza sua Própria Diplomacia e tem sua própria agenda particular.”

Amir era um ativista da reputadamente mais radical organização anti-governo de todas, Eyal. O chefe do Eyal, Avishai Raviv, foi filmado pela televisão israelense um mês e meio antes ao liderar uma cerimônia de indução na qual os novos membros juraram matar qualquer um “que venda a Terra de Israel.” Eyal é supostamente uma organização secreta; se assim é, pode-se supor porque os membros permitiriam serem filmados pela Televisão Israel, expondo-se ao público…

Em 12 de novembro, uma semana depois que Rabin foi assassinado, o jornalista Amnon Abramovich revelou na TV Israel que Eyal foi criada pelo Shabak para provocar e emboscar radicais de ala direita e que seu líder, Avishai Raviv, era um agente cujo nome código era “Champagne,” se referindo as bolhas de excitação que ele levantava.

Raviv era um agitador no campus da Universidade Bar Ilan, onde Amir estudou. Ele se tornou amigo de Amir e o encorajou a realizar fins de semana de estudos em Hebron. Como tem sido demonstrado, Raviv não era algum recém-chegado ao Shabak. Em 1987 ele estava supostamente a ser expulso da Universidade Tel Aviv por suas atividades radicais pelo deão, Itamar Rabinovitch, que até recentemente foi o negociador chefe de Rabin com os sírios. O então Primeiro Ministro Yitzhak Shamir ordenou que seu auxiliar Yossi Achimeir interviesse pessoalmente em benefício de Raviv. Então Raviv não foi recrutado depois que Rabin subiu ao poder.

Eyal tinha apenas dois membros, Raviv e Erin Agelbo. Eles partilhavam um apartamento alugado no subúrbio de Hebron – Kiryat Arba – no mesmo edifício onde uma vez morou Baruch Goldstein. Mas Agelbo, foi demonstrado, não era apenas um extremista comum e diário. Depois que a revista semanal Yerushalyim imprimiu a foto dele, uma leitora o reconheceu como um policial de Jerusalém que a treinou no uso de armas durante um cargo na guarda civil. Pasmem! Um link entre o assassinato e a polícia apareceu. O Departamento de Polícia de Jerusalém admitiu que Agelbo era um “antigo policial que fora despedido por suas atividades radicais em 1994.”

Logo depois do assassinato, a media israelense começou a expor alguma evidência muito incriminadora. A mais séria de todas era que Yigal Amir era um agente do Shabak. O primeiro a fazer publicamente esta acusação foi o Professor Michael Hersigor, um professor de ciência política de ala esquerda da Universidade de Tel Aviv. Em 11 de novembro, uma semana depois do assassinato, ele disse a um repórter do Yediot Achronot, “O assassinato do primeiro ministro não tem uma explicação racional. Não há explicação para o transtorno e nem conta o que aconteceu. Mas na minha opinião seria aconselhável buscar uma ligação entre Amir e o Shabak. É possível que haja uma conspiração. Acontece que o assassino estava no Shabak quando ele viajou para Riga. Ele recebeu documentos falsos com o qual recebesse uma licença de arma. Isto me soa como se ele tivesse ligações com o Shabak ao tempo do assassinato.”

O calor aumentou quando Alex Fishman do Yediot Achronot relatou que Amir foi treinado pelo Shabak em Riga. Logo depois, a Rádio do Exército transmitiu uma entrevista com Rabbi Benny Elon, um líder do movimento de asssentamentos judeus, que disse, ‘O Shabak foi responsável pela fundação e custeio do Eyal e de seu líder Avishai Raviv. Afirmo que o Shabak conhecia todos do Eyal antes do assassinato e que o Shabak custeava suas atividades.”

Com os fatos se fechando, o governo embarcou em um acobertamento medíocre dos dias em Riga de Amir. Para isto o escritório de imprensa do governo anunciou que Amir, que não falava letão e não tinha credenciais de professor, era um professor hebreu em Riga por cinco meses. O chefe do Departamento de Ligação, cujo nome foi deletado no artigo do Maariv, então mudou a história para que ele é que era um professor por dois ou três meses. Depois disso, o Ministro de Segurança Interna, Moshe Shahal, disse a TV Israel que Amir foi um guarda de segurança em Riga por dois meses, que provavelmente tenha sido a versão mais próxima da verdade. Finalmente, esgotando as idéias, o porta-voz do Primeiro Ministro, Aliza Goren, anunciou em dezembro que o Escritório do Primeiro Ministro agora está certo que Amir nunca esteve em Riga e que qualquer jornalista que estivesse escrevendo isso “estava agindo irresponsavelmente”. Esta complô desmoronou quando a BBC filmou uma cópia do passaporte de Amir com as letras CCCP claramente estampadas nele.

Mas este não foi o fim da história do estranho Escritório de Ligação do Primeiro Ministro. Nos meses anteriores ao assassinato, o Escritório de Fiscalização do Estado iniciou uma investigação da profunda corrupção no Escritório de Ligação e o desaparecimento inexplicável de uma grande quantidade de dinheiro no C.I.S. Em 1992, Rabin anunciou que ele estava considerando fechar o Escritório de Ligação por bem.

O Filme de Kempler

Um chamado fotógrafo amador, Ronnie Kempler, filmou o assassinato de Rabin. Ele não tinha uma câmera de sua propriedade, então tomou emprestado a da irmã dele e a pendurou ao redor de uma varanda que tinha uma vista panorâmica do estacionamento, onde ele permaneceu por mais de uma hora, sem ser interrogado. Ele contou que teve um “sentimento estranho” sobre Amir e focalizou nele por longos períodos de tempo.

O filme dele mostra claramente Amir sinalizando para alguém a distância uns poucos minutos antes de atirar e ele captura o movimento de um agente que cercava Rabin, tomando uma posição posterior e permitindo que Amir desse seus tiros. O filme também mostra que Yigal Amir apontou uma arma para Yitzhak Rabin e atirou nele. Mas e se as balas não fossem reais?

O filme amador do assassinato de Rabin tem desde então sido examinado por inúmeros analistas na sequência de tomada por tomada e tem sido demonstrado que ele foi cortado e editado. A parte mais estranha dele é a reação de Rabin ao seu atirado. Ao invés de recuar para o lado desviando-se das balas, ele alertamente se virou para trás, aparentemente ciente dos eventos ocorrendo.

Kempler trabalha para o Escritório de Fiscalização do Estado. Até mesmo o israelense mais cético tem que se perguntar porque o momento fatídico não foi capturado por um vendedor de carros, um carteiro ou um programador de computador. Porque ele era empregado do mesmo escritório que estava investigando o antigo empregador do assassino?

No mesmo momento em que Rabin foi baleado, Kempler parou de filmar. Ele disse ao entrevistador Rafi Reshef do canal Dois da TV Israel que foi porque “ele tinha visto o bastante’. Ainda que ele tenha dito a um outro jornalista que ele tinha deixado cair a câmera, e a um outro, que um policial disse a ele para parar de filmar. Quando o filme beta foi convertido para ser assistido na televisão nacional, o técnico que fez a transcrição afirmou que o som do agente gritando “brancos, brancos” foi removido.

Além de uma curto aparecimento no Canal Dois depois que o filme foi transmitido, Ronnie Kempler nunca tem sido citado publicamente em qualquer jornal – ou em qualquer lugar.

A Comissão Shamgar

O testemunho dos policiais na Comissão Shamgar embaraçaram um acobertamento limpo. Conquanto o Shabak tenha escolhido exonerar o policial de toda responsabilidade pelo assassinato, o chefe do Departamento de Polícia de Tel Aviv, Gabi Lest, testemunhou que seus homens era supostos assegurarem a área estéril mas não estavam destacados para o detalhe da segurança de Rabin. Estes policiais ficaram muito chocados ao verem que os oficiais do Shabak não estavam no lugar.

O que estes poucos policiais no lugar testemunharam para a Comissão Shamgar compromete a teoria do atirador solitário, que a Comissão, pessoalmente indicada pelo Primeiro Ministro Shimon Peres, eventualmente determinou que este era o caso.

Os oficiais Sergei e Boaz testemunharam que aproximadamente meia hora antes dos tiros, eles viram Amir falando com um homem escuro e alto em uma camisa de mangas curtas sem botões que ele parecia conhecer. O Sargento Saar testemunhou que viu o irmão de Amir, Hagai, que mais tarde foi acusado de fornecer as balas para o assassinato, perto da cena do crime pouco antes do assassinato. O Oficial Sharabi testemunhou que “um homem que ele conhecia de vista como um manifestante anti-Rabin correu até Rabin, apertou a mão dele e saiu”.

Sergei se tornou desconfiado da atmosfera toda e especificamente de Amir. Ele perguntou a um outro oficial quem era Amir e foi-lhe dito que ele estava trabalhando sob cobertura. O policial afirmou que Amir foi para a área estéril quando ele apresentou as credenciais do governo dadas a ele pelo Escritório de Ligação.

Então o Shabak permitiu Amir, que tinha sido filmado sendo retirado de uma demonstração em Efrat pelo Shabak duas semanas antes, um outro manifestante conhecido, o irmão de Amir que supostamente estava carregando as balas, um cineasta amador desconhecido e um homem misterioso usando uma camisa de mangas curtas de andarem a vontade em uma área que deveria estar cercada e fora de limites para pessoal não autorizado.

Reconstruindo o Assassinato

Há basicamente apenas duas explicações para o assassinato de Rabin. Uma é a de que o Shabak, uma das organizações de segurança mais respeitadas mundialmente, é totalmente incompetente. A outra é que os agentes na cena permitiram que o assassinato ocorresse. Provavelmente com o conhecimento de Rabin, o Shabak colocou Amir.

O tema da reunião da noite fatídica era, “Não à Violência.” Amir era para ter atirado em Rabin com balas brancas; Rabin era para ter escapado miraculosamente de uma tentativa de assassinato e então subido de volta ao estágio com uma fala emocionante, escrita pelo seu estreito auxiliar Eitan Haber. O público reagiria com revolta contra a tentativa de assassinato por um extremista de direita e o governo poderia justificar uma medida enérgica contra os oponentes ao processo de paz.

O que Amir Sabe?

Considere a história do agente do Shabak Yoav Kuriel que é amplamente acreditado ter sido o agente que gritou “elas são brancas, elas são brancas”. Na noite do assassinato de Rabin, seu corpo foi levado ao Hospital Ichilov e seus orgãos foram removidos. O governo declarou que ele cometeu suicídio e o enterrou em um funeral fechado no Cemitério Hayarkon fora de Tel Aviv. O tráfego foi desviado por 90 minutos enquanto acontecia o funeral. O jornalista investigativo do Maariv, David Ronen, teve sucesso em rastrear o certificado de óbito de Kuriel. O hospital, em um claro desrespeito ao procedimento, deixou em branco a causa da morte.

Um dia depois de seu julgamento, Amir gritou aos repórteres, “Porque vocês não imprimem a história sobre o segurança assassinado?” Ele foi perguntado que história era esta. “É a daquele que gritou que as balas são brancas.” Na teoria, Amir estava sendo mantido em um confinamento solitário sem acesso a notícias. Como ele sabia da história? Mas Amir não tinha terminado. Ele acrescentou, “Sei o bastante para por abaixo o inteiro regime. A coisa inteira tem sido uma charada. O inteiro sistema está podre. Eu serei perdoado quando as pessoas souberem da história inteira.”

Se esta explosão foi para consumo público, certamente era consistente com o que ele está dizendo particularmente. Em 29 de novembro de 1995, segundo um relato publicado pelo  Maariv em janeiro de 1996, ele se queixou a um oficial de polícia tomando o testemunho, ‘eles irão me matar aqui.”

“Não tem sentido,” respondeu o oficial.

“Você não acredita em mim, mas estou lhe dizendo que isto era uma conspiração. Eu não sabia que iria matar Rabin.”

“O que você quer dizer? Você apertou o gatilho, é simples.”

“Então porque Raviv não me relatou? Ele sabia o que eu ia fazer e não me impediu? E porque eu não fui atirado para salvar Rabin?”

Quam Matou Yitzhak Rabin?

Na primavera de 1996 a nova evidência levou a proposição que Yigal Amir atirou balas brancas enquanto que Rabin foi assassinado com balas reais dentro de seu carro, não pelas balas brancas que Amir disparou.

Em 3 de maio de 1996, os advogados de Yigal Amir apelaram de sua condenação à Suprema Corte, argumentando que não havia sido provado que foram os tiros dele que realmente mataram Rabin. Isto incluiu o testemunho do Dr. Skolnick do Hospital Ichilov, que operou Rabin e afirma que seus ferimentos não eram consistentes com a história oficial que Rabin recebeu os tiros a um metro de distância de Amir. Skolnick explicou que o tamanho e o padrão do ferimento e da queimadura e as marcas de pólvora eram aquelas de alguém atirando de perto, direto.

Em meados de maio, 12 médicos e a equipe que estava aserviço quando Rabin foi levado estavam recebendo amaças anônimas de morte. Em junho, uma sessão a portas fechadas da Suprema Corte ouviu o testemunho de um taxista. No dia em que Amir foi condenado, seu passageiro mostrou a ele um cartão de identidade do Hospital Ichilov que o identificava como patologista. Ele disse ao taxista que a condenação de Amir era uma fraude e que os ferimentos de Rabin eram de tiros diretos, de perto.

Os advogados de Amir ressaltaram que as balas podem ter sido manuseadas já que não há registros do que aconteceu a elas entre o tempo quando elas foram removidas do corpo de Rabin na noite de 4 de novembro e o tempo em que elas foram enviadas ao Instituto Forense Abu Kabir ao meio dia de 5 de novembro.

Os registros médicos indicaram que Rabin foi morto por uma bala disparada contra sua carne – não a uma distância de 1,5 metro.

Os advogados de Amir citaram a evidência do especialista em balística da polícia, Baruch Glatstein, que disse que seus testes de laboratório das roupas de Rabin mostraram que a prim eira bala que o atingiu foi disparada de uma distância inferior a 25 centímetros, enquanto que a segunda foi disparada com a arma realmente encostada na roupa dele. Glatstein ressaltou que as marcas feitas pela segunda bala somente podem ser feitas por uma arma disparada encontada na roupa. Glatstein também examinou a camisa do segurança de Rabin, Yoram Rubin, e encontrou traços de chumbo e cobre na ferida da bala. Segundo a evidência forense reunida por Glatstein, as balas que feriram Rubin não podem ter sido disparadas da arma de Yigal Amir. As balas de Amir eram feitas de puro cobre enquanto que Glatstein encontrou traços de chumbo misturado no buraco da bala na camisa de Rubin.

Um dos verdadeiros relatos iniciais da media sobre o assassinato foi a narrativa de uma testemunha ocular dada a Israel TV por Miriam Oren. Ela disse que quando viu Rabin entrar no carro “ele não parecia ter recebido um tiro. Ele entrou no carro por sua própria conta.” Quando o filme de Kempler começa novamente depois do tiro ele mostra o carro de Rabin se afastando. Exatamente antes do carro ir embora a porta de trás do passageiro [Rabin entrou no carro pelo lado de trás do motorista seguido por Rubin] fecha. Alguém já estava no carro esperando por Rabin e quando o Primeiro Ministro entrou, agarrou a porta de trás e a bateu de dentro.

O apelo de Amir também é baseado no testemunho de dúzias de testemunhas oculares que testemunharam que Amir não estava perto o suficiente de Rabin para ter disparado aqueles tiros. As testemunhas oculares dizem que os disparos tinham um som estranho e distinto, enquanto os testes da arma de Amir mostravam que os sons eram perfeitamente normais. Em julho, o policial Yossi Smadja foi citado no Maariv como dizendo que ele estava quase perto ao local do assassinato e ouviu cinco tiros, três claros e dois abafados.

O que estas pessoas ouviram foram tiros abafados das balas que mataram Rabin vindo de dentro do carro. Amir disse a polícia imediatamente depois do evento que ele tinha posto nove balas em sua arma. Já que quatro balas foram disparadas em Rabin, duas das quais o atingiram, uma que atingiu Yoram Rubin, e uma que não atingiu ambos homens mas mais tarde foi encontrada no local, teriam que ainda restar cinco balas na arma de Amir. Contudo, havia oito.

Então há o testemunho de Shimon Peres, que viu o corpo de Rabin no hospital. Ele afirmou ao Yediot Ahronot em setembro que a testa de Rabin estava inchada e arranhada, ele pensou de ser empurrado no chão depois que recebeu o tiro. Isto está em contradição direta com o testemunho de Miriam Oren que estava ao lado de Rabin depois que Amir puxou o gatilho. Ela disse ao noticiário da Televisão Israel que momentos depois do incidente Rabin andou até o carro por ele próprio. Quando, e como então, ele fez os arranhões que Peres afirma ter visto ocorrer?

Finalmente, há uma prova incontestável oferecida não intencionalmente pelo auxiliar de Rabin, Eitan Haber. Enquanto Rabin estava sendo operado no Hospital Ichilov, por razões não explicadas até este dia, Haber examinou seu terno e bolsos de camisa procurando por algo e retirou a folha de música que Rabin tinha mantido na reunião. Haber a apresentou para as câmeras quando ele anunciou a morte de Rabin  e ela claramente mostrava um buraco de bala na mancha de sangue. A menos que Rabin a tenha colocado em um inexiste bolso de trás de seu terno, ele foi atirado de frente.

Em 20 de setembro, dois jornais israelemses imprimiram entrevistas com os mais inesperados advogados sutis da tese da conspiração. Depois de nove meses de silêncio Shlomo Levy deu uma entrevista ao Yerushalayim. Levy era um associado de Amir que foi um soldado no Brigada de Inteligência do IDF. Depois de ouvir as ameaças de Amir de matar Rabin, ele relatou-as ao seu comandante que disse a ele para ir a polícia. A polícia considerou muito seriamente o testemunho dele em 6 de julho de 1995 e a transferiu ao Shabak onde ela foi ignorada até três dias depois do assassinato.

O relato conclui, ” O relato de Levy era apenas um de um número de relatos que o Shabak ignorou sobre  Amir… O fato de que o Shabak permitiu que os relatos se empoeirassem até que Rabin fosse assassinado dá credencial a inúmeras teorias da conspiração.”

Levy foi perguntado, “Se você fez a coisa certa, porque você está se escondendo em sua casa com medo?”. Ele respondeu, “O Shabak é grande e poderoso e sou um homem pequeno. O assassinato é uma ferida aberta para eles e quem sabe como eles reagiriam se eu me permitisse ser entrevistado”. No mesmo dia, o filho de Rabin Yuval foi entrevistado no Yediot Ahronot. Perguntado se ele acreditava que seu pai foi morto em uma conspiração, uma questão que é muito do interesse público, ele respondeu: “Não posso dizer nem que sim e nem que não. O pior que aconteceu a qualquer agente do Shabak foi ele perder seu emprego”.

Considerando a evidência, Yitzhak Rabin não foi morto por Yigal Amir. É possível que a maioria dos guardas de segurança de Rabin e muito provavelmente o próprio Rabin, pensou que isto seria um plano elaborado para pegar o radical de direita  Yigal Amir, em flagrante. O próprio Amir pode ter sido drogado ou levado a acreditar que suas balas eram reais e que ele realmente matou Rabin. Ele pode ter sido programado para assumir a culpa.

Seja quem for que estivesse por trás do golpe de estado também teve a ajuda da Comissão Shamgar, cujas conclusões meramente reforçaram a imagem fabricada pela media na mente do público israelense que o extremismo radical judaico era o responsável pelo assassinato. O acobertamento foi tão insidioso quanto o crime. O assassinato de Yitzhak Rabin é um crime resolvível. Ele não começa em Tel Aviv, mas em Hebron. Lá, em março de 1994, um crime horroroso foi perpetrado. 29 árabes foram massacrados na Caverna dos Patriarcas e uma comissão foi estabelecida para obter a verdade. Ela foi liderada pelo ex chefe de justiça da Suprema Corte israelense, Meir Shamgar, que mais tarde seria a comissão de inquérito da morte de Rabin. E como o último caso, a comissão Hebron era um claro ocultamento de faltas.

No mesmo dia do massacre, um repórter árabe para a revista semanal de notícias Yerushalaim visitou 25 sobreviventes em seis hospitais separados. Não havia tempo para estas vítimas, algumas delas meras crianças, organizarem uma conspiração ou coordenarem seu testemunho. Um após outro eles relataram que o homem acusado do crime — Baruch Goldstein — tinha ao menos um, talvez dois, cúmplices.

Uma dúzia destes sobreviventes testemunharam para a Comissão Shamgar que eles viram um cúmplice pegando as balas do atirador enquanto corria. E como o assasinato de Rabin, estranhamente, nove dos soldados que supostamente deveriam guardar o tempo não estavam em seu cumptimento do dever naquela manhã. Os três testemunharam que eles viram Goldstein entrar seguido uns poucos minutos mais tarde por um civil carregando uma arma de assalto Galil.

Shamgar declarou que Goldstein agiu sozinho, que os soldados que viram alguém mais o seguindo estavam enganados e que todas as testemunhas árabes cometeram perjúrio. A implicação de seu veredito era que os árebes mentem e seu testemunho é inútil. Nenhuma corte honesta no mundo teria chegado a conclusão de Shamgar.

E como sua comissão posterior no assassinato de Rabin, uma grande dose de significância está no que as testemunhas não testemunharam e no que a evidência não foi admitida. Primeiramente, até hoje, ninguém sabe como  Goldstein morreu. Nenhuma autópsia foi ordenada e as circunstâncias de sua morte permanecem desconhecidas.

Segundo, e mais importante, foi que ele não evitou o massacre. Goldstein sabia que o massacre estava vindo e disse a amigos, incluindo Shmuel Cytryn, mais tarde preso sem acusação e aprisionado por meses, que dois dias antes do evento ele recebeu notícia do exército “para se preparar para um massacre.”

Isto deve ter sido aviso suficiente para uma divisão dos Serviços Gerais de Segurança (Shabak) chamada Unidade Anti-subserviva Não-árabe para entrar em ação preventiva. Esta unidade mais secreta plantou agentes pelos territórios, supostamente para observar os judeus radicais e restringir a atividade deles. O masacre foi um fracasso notável, ainda que o chefe da unidade, Carmi Gillon, não tenha sido chamado para testemunhar na Comissão Shamgar. Talvez isto tenha acontecido porque o irmão dele, Ilan Gillon, foi o registrador da comissão responsável por organizar o testemunho.

Depois do ocultamento de faltas da Shangar, Gillon foi indicado chefe do Shabak, uma estranha recompensa na sequência do fiasco de Hebron. Ou realmente o massacre não foi um fiasco e sim um evento planejado? O que é sabido com certeza é que a unidade continuou a incitar e capturar aqueles judeus residentes territoriais que se opunham ao processo de paz de Rabin. O caso mais publicado foi o dos irmãos Kahalani, que estavam cumprindo uma prisão de muitas décadas pelo tentado assassinato de árabes. Segundo o Shabak eles foram pegos em uma operação de aferroar na qual o pino disparador da arma deles foi removido. Eles afirmam que a arma foi plantada no veículo deles. De uma forma ou outra, eles foram capturados de um modo ilegal nas sociedades mais democráticas.

De fato, o agente mais famoso da unidade era Avishai Raviv, cujo dever foi provocar o assassinato de Yitzhak Rabin. Ele formou uma organização chamada Eyal, que não tinha membros além dele. Ele convenceu Yigal Amir, um estudante da Universidade Bar Ilan, a ajuda-lo a organizar grupos de estudo em ou perto de Hebron. Quatro garotas adolescentes, estudantes de Sarah Eliash, testemunharam  Raviv agulhando Amir para matar Rabin na frente delas, chamando-o de covarde e falso herói. Este testemunho foi ouvido pela Comissão Shamgar e não foi incluído nas conclusões liberadas ao público. [notavelmente, grande parte do relato da comissão foi subtraído do público].

Raviv não era um provocador menor. Foi ele que teve posters de Rabin vestido em um uniforme da Gestapo impressos e distribuidos em uma grande reunião e foi ele que realizou uma cerimônia de posse transmitida no Canal Um da Televisão Israel um mês e meio antes do assassinato de Rabin. Os chamados membros do Eyal juraram matar qualquer um que traísse a terra de Israel. Mais tarde, participantes da performance testemunharam que Raviv disse a eles o que dizer, onde ficar e toda a produção foi vista como determinada. Eles não entenderam que estavam estabelecendo Amir como um bode expiatório ao criarem um grupo radical para o público poder identificar com ele.

Substituindo Gillon como chefe da unidade anti-subversiva estava o agente Kheshin, que indicou o agente Eli Barak como seu substituto. Até hoje muito pouco é conhecido publicamente sobre Kheshin, até mesmo o primeiro nome dele. Mas Barak é um assunto diferente. Na semana anterior ao assassinato de Rabin, o jornal de ampla circulação Kol Ha’ir, sem nomea-lo, acusou-o de ser responsável pelo assassinato.

Muito é conhecido sobre Barak. Ele é um motorista bêbado condenado, cambista e caçador. Depois de um acidente quase fatal causado por sua intoxicação, ele mentiu à polícia sobre quem estava dirigindo o carro. Seu amigo e a esposa do cambista morreram sob circunstâncias misteriosas. E no incidente mais público de todos, ele aterrorizou e  caçou espreitano um radio repórter, Carmela Menashe. Ao invés de despedir seu risco de segurança, Rabin o enviou em uma missão misteriosa e mais tarde aprovou sua indicação para Hebron.

Na mais óbvia cobertura da Comissão Shamgar, sete agentes do Shabak e funcionários envolvidos na situação do mais completo caos que levou a morte de Rabin, incluindo, Kheshin, receberam notícias que eles eram responsáveis pela acusação criminal. Kheshin foi mais tarde exonerado pela comissão, a despeito de estar a cargo da operação de Raviv. Mas Barak, que era aparentemente o superior imediato de Raviv, nem mesmo foi chamado para testemunhar.

Uns poucos repórteres persistentes tentaram localizar Barak em casa em Kochav Yair mas foram rudemente afastados por funcionários do Shabak que cercavam o quarteirão dele. A chave para descobrir a verdade claramente está com Eli Barak, mas ele tem sido protegido pelo governo. E por causa desta ofoscanet cobertura de suas atividades, muitas pessoas tem especulado que ele foi o homem misterioso que fechou a porta de trás do carro de Rabin por dentro antes que o Rabin “ferido” entrasse no assento traseiro.

Em fevereiro de 1996, o correspondente de Jerusalém para o London Observor, Shay Batya, relatou que ele falou com dois agentes do Shabak que foram despedidos depois do assassinato. Eles o informaram que  Amir era suposto disparar balas brancas e que Danny Yatom, ajudante chefe de segurança de Rabin, estava envolvido nas preparações para a fraude. Seu silêncio foi comprado ao ser indicado chefe do Mossad, um incidente estranhamente reminicente da elevação de Carmi Gillon como chefe do Shabak depois do massacre de Hebron.

De Gillon, é bem conhecido que ele foi um extremista de esquerda que desprezava os assentados e foi ouvido se referindo a eles como “neo-nazistas”. Sua atitude foi revelada em sua tese de mestrado em 1991, completada na Universidade de Haifa, que analisou o movimento de asentamentos de uma perspectiva de ódio.

Dois dias antes do assasinato, a despeito dos pedidos de subordinados de não deixar o país antes da reunião devido ao humor nacional, Gillon voou para Paris. Uma piada circulou depois do assassinato que  Gillon telefonou para Leah Rabin na noite do assassinato e apresentou seus pêsames. Ela perguntou a ele porque e ele disse: ” Oh, desculpe-me. Eu me esqueci da diferença de horário”.

Todo mundo que viu o filme “amador” do assassinato de Yitzhak Rabin testemunhou o alegado assassino Yigal Amir atirar no primeiro ministro a uns bons 120 centímetros atrás dele. A conclusão da Comissão  Shamgar, que investigou o crim e para o governo, concluiu que Amir atirou em Rabin uma vez enquanto estava a uma distância de 1.50 metro e novamente quando estava a um metro acima dele.

Mas como pode ser isso se foi determinado que os tiros que mataram Rabin vieram de uma distânia de apenas 25 centimetros? Obviamente, se assim o foi, não pode ser Amir queb os disparou.

Agora considere o testemunho do Chefe Tenente Baruch Glatstein do Laboratório Forense da Polícia de Israel, dado no julgamento de Yigal Amir em 28 de janeiro de 1996.

Glatstein: “Sirvo no Laboratório Forense e de Materiais da Polícia de Israel. Apresentei meus achados profissionais em um resumo registrado como Relatório 39/T depois de ter sido solicitado que testasse as roupas de Yitzhak Rabin e de seu segurança Yoram Rubin com o objetivo de determinar o alcance dos tiros.

“Gostaria de dizer umas poucas palavras de explicação antes de apresentar meus achados. Chegamos a nossas conclusões depois de testar os materiais microscopicamente, fotograficamente e por procedimentos técnicos e sensíveis químicos. Depois de ser atirado, as particulas do cartucho são expelidas pelo cano. elas contém restos do carbono queimado, chumbo, cobre e outros metais… Quanto maior a distância do tiro, menor a concentração de partículas e mais elas se espalham. A queima roupa, há um outro fenômeno, um caraterístico rasgar da roupa e abundância de pólvora da arma causada pelos gases do cartucho não terem lugar para escapar. Até mesmo se o tiro é de um centímetro, dois ou três você não verá o rasgo e abundância de pólvora da arma. Elas só são evidentes em tiros a queima roupa. Para posterior estimativa da distância, disparamos as mesmas balas, da arma suspeita sob as mesmas circunstâncias. Em 5 de novembro de 1996, recebi o paletó, camisa e camiseta do primeiro ministro bem como as roupas do segurança Yoram Rubin incluindo seu paletó, camisa e camiseta. Na seção superior do paletó do primeiro ministro descobri um buraco de bala a direita do primeira da costura, que segundo a m inha testagem da disseminação da pólvora da arma foi causado por um tiro a menos de 25 centímetros de distância. A mesma conclusão foi alcançada depois de testar a camisa e camiseta.

“O segundo buraco de bala foi encontrado na parte inferior da mão esquerda do paletó. Ele era caracterizado por uma abunância em massa de pólvora de arma, uma grande quantidade de chumbo e um rasgo de 6 centimetros; todos característicos de um tiro a queima roupa.”

[O autor interrompe rudemente para que ninguém perca a importância do tesetmunho. O Tenente Chefe Glatstein testemunhou que a arma que matou Rabinfoi disparada a primeira vez a uma distância inferior a 25 centímetros e o segundo tiro foi dado com o cano encostado na pele. Amir nunca deu um tiro a queima roupa em Rabin e nem a tão curta distância. Tão dramática quanto possa ser esta conclusão, Glatstein não é direto. Longe disto.]

“Como o buraco da bala inferior, ssegundo a pólvora e as formações de chumbo e o fato que um buraco secundário foi encontrado acima do principal buraco de entrada, é altamente provável que o primeiro ministro foi baleado enquanto se debruçava. O ângulo estava de cima para baixo. Tenho fotografias para ilustrar as minhas conclusões.”

[Foi mostrado a Côrte fotografias das roupas de Rabin. Segundo os achados da Comissão Shamgar, Rabin recebeu o primeiro tiro em posição ereta e então enquanto estava de barriga para baixo no chão, coberto pelo corpo de Yoram Rubin. Em nenhum outro lugar além do testmunho do especialista Glatstein  há tanta pista que ele recebeu o tiro enquanto estava em uma posição curvada.]

“Depois de examinar o buraco de bala na manga de Yoram Rubin, determinei a presença de chumbo e de cobre, mas a coleção de pólvora que leva a semelhança que ele, também, recebeu o tiro quase a queima roupa. A presença do cobre significa que a bala usada para atirar em Rubin foi diferente da en contrada nas roupas do primeiro ministro, porque eram compostas exclusivamente de chumbo. A bala que atingiu Rubin nunca foi encontrada.”

[Agora entramos nos reinos do bizarro, que foi exatamente o caso quando Yigal Amir escolheu um exame cruzado de uma testemunha. O Chefe Tenente Glatstein forneceu a prova que Amir não disparou as balas que mataram Rabin, ainda que Amir esteja determinado a desacreditar o testemunho.]

Amir: “Segundo seu testemunho, coloquei a arma diretamente nas costas dele.”

Glatstein: “Você colocou a arma nas costas dele no segundo tiro e diparou.”

Amir: “E o primeiro tiro foi a 50 centimetros?”

Glatstein: “Menos de 20 centimetros.”

Amir: “Se alguém considera que há mais pólvora do cano, então a alta pressão dos gases também deve aumentar .”

Glatstein: “Para resolver este problema, disparei a mesma munição, e no seu caso, da mesma arma, disparei uma Baretta 9 mm weapon com balas que se expandem depois de entrarem no alvo para diminuirem a penetração e romper mais tecido enquanto viaja pelo alvo, no paletó do primeiro ministro.”

Amir: “Quando dei o primeiro tiro, vi uma explosão muito não usual.”

[A este ponto, Amir estava perto de entender, finalmente, que ele disparou uma bala branca – mas ele explodiu seu caso quando concluiu, “precisamos de um novo especialista porque não atirei a queima roupa.”]

Fora toda conversa sobre teorias lunáticas de conspiração de direita. O Laboratório Forense da Polícia Israelense concluiu que Rabin foi baleado a menos de 20 centimetros e a queima-roupa, não importa o que diga Amir. Sobretudo, o segurança  Yoram Rubin foi baleado por um tipo diferente de bala do que aquelas derrubaram Rabin ou foram encontradas no clip de Amir. A menos que o especialista forense da Polícia de Israel esteja deliberadamente promovendo “uma teoria lunática de conspiração de direita”, Yigal Amir não matou Yitzhak Rabin com a sua própria arma.

Barry Chamish é o editor de Inside Israel, um relatório de inteligência política sobre assuntos israelenses.

Published in: on outubro 10, 2008 at 9:47 pm  Comments (1)  
Tags:

Aliens e UFOs em Porto Rico

Aspectos Importantes da Situação UFO/Alien em Porto Rico

Jorge Martin

PARTE UM

Explosão e terremoto anômalo – Como tudo isto começou

Em 31 de maio de 1987, às 1:55 P.M., os habitantes do sudoeste de Porto Rico foram abalados por um forte tremor e o som de uma alta explosão que parecia vir do subterrâneo. Milheres vivenciaram temerosos o inesperado fenômeno.

A media de imprensa relatou pesadamente sobre o terremoto, e publicou várias narrativas de vizinhos das cidades de Cabo Rojo, Lajas e Mayaguez, afirmando como o solo sacudiu e desceu por momentos enquanto eles ouviam a explosão. Também, as casas e construções na região racharam devido ao abalo.

Originalmente, o epicentro do temor foi localizado pelo Serviço Sismológico de Porto Rico em 81.000 pés profundamente sob a Laguna Cartagena, uma lagoa localizada entre as cidades de Lajas e Cabo Rojo, mas no dia seguinte o relato foi estranhamente mudado, afirmando que o epicentro do tremor e da explosão foi localizado fora do mar a oeste de Porto Rico, no Canal Mona. Esta súbita mudança de dados foi muito suspeita, na medida em que parecia que “alguém” queria desviar a atenção do local da Laguna Cartagena. Porque pensamos isto? As seguintes situações explicarão; junto com o terremoto, outros eventos se desdobraram naquele e nos dias seguintes, que não foram informados ao público, e depois de nos serem revelados durante a nossa investigação da área, deram uma aura mais ampla de mistério à situação.

No dia seguinte ao tremor e a explosão, no domingo, 1o. de junho de 1987, por volta das 10:00 P.M., um objeto voador não identificado enorme foi visto planando sobre a Laguna Cartagena. Muitas testemunhas, residentes em comunidades por todo ao redor do sítio, viram o incrível objeto enquanto ele permeneceu planando imóvel lá no céu noturno, de suas casas nas comunidades de Betances, Maguayo e outras.  Mr. Carlos Mercado, explicou o que ele e outros viram: “eu estava olhando na direção de Sierra Bermeja e a lagoa e muito repentinamente vi duas estrelas muito grandes e brilhantes ou luzes que estavam descendo muito vagarosamente lado a lado. Chamei minha mulher e peguei meus binóculos. As luzes estavam no fim de algo muito grande que parecia como um enorme cano prateado de aparência metálica. Isto era cilíndrico com duas grandes bolas de luz branco-esverdeada de cada lado. Debaixo do objeto estava algo como um luz avermelhada que girava.”

Mrs. Haydeé Alvarez, a esposa de Mercado, que também entrevistamos sobre o incidente, disse: “… elas eram como duas estrelas grandes, do tamanho de uma moeda de meio dólar, unidas por um longo cano metálico com luzes sob ele.”

“Mercado, sua família e vizinhos tem sido testemunhas de muitos incidentes UFO no setor porque eles vivem exatamente em frente de dois principais “pontos quentes” de UFO lá, a já mencionada Laguna Cartagena e a Sierra Bermeja, uma pequena cadeia de montanhas que por anos tem sido um local de muitos incidentes UFO relatados.

Mrs. Rosa Acosta, também uma residente da mesma comunidade, disse que: “Era realmente grande! Eu estava vendo isto a aproximadamente três quilometros de distância e pude ve-lo aproximadamente 6 polegadas de comprimento e distância… Foi incrivel! Esta coisa desceu e planou lá, imóvel sobre a Laguna Cartagena, no ar. Então, aproximadamente 15 minutos depois, ela voou e desapareceu ao sul, atrás de Sierra Bermeja. Isto não é novo aqui.

Estas luzes misteriosas e artefatos tem estado aqui por anos, especialmente naquele lugar. Tem havido ocasiões nas quais estou em minha rede, aqui no terraço, e repentinamente uma luz brilhante está brilhando acima de mim. Quando olho para cima, uma destas coisas, algo em forma de disco, está sobre mim e brilhando uma luz brilhante branca sobre mim. Isto tem acontecido um par de vezes… Porque eles fazem isto, não sei… e porque comigo… imagino sobre isto.”

Carlitos Muñoz, um jovem presente durante as entrevistas, explicou que toda a família dele tinha estado vendo este tipo de objeto por algum tempo: “aproximadamente um ano atrás [1986], uma noite, todos nós em casa vimos uma enorme plataforma, algo que desceu do céu e permaneceu sem movimento lá, sobre a Laguna Cartagena. Ele tinha luzes muito brilhantes amarelas e verdes, e muitos objetos luminosos menores estavam saindo da parte de baixo da plataforma e voando em diferentes direções. Eles continuaram indo e vindo daquela coisa. Depois de alguns minutos os objetos menores entraram no maior e este voou e desapareceu no céu. Isto acontece regularmente… e sempre sobre Sierra Bermeja e a Laguna.”

Muitas pessoas chamaram as estações de rádio locais para relatar o avistamento do enorme UFO sobre a lagoa, mas surpreendentemente, este objeto voltou outras duas noites consecutivas ao local, sempre as dez horas da noite e permanecendo imóvel sobre a lagoa a aproximadamente 500 pés de altitude, por alguns minutos e depois indo embora.

Círculos Enigmáticos e “RAIOS X” Irradiados

Alguns dias depois, movido pelos relatos das testemunhas indicando que os objetos sempre voavam sobre e por trás de Sierra Bermeja, próximo à Laguna Cartagena, fomos ao setor por trás da cadeia de montanhas, o setor de Olivares “e a área de depósito de lixo lá, já na municipalidade de Lajas, e próximo a área de veraneio de La Parguera”, também em Lajas. Enquanto investigávamos lá, fizemos uma descoberta inesperada, várias marcas perfeitamente circulares claramente definidas como se cortadas sobre o terreno que podiam ser claramente vistas em um campo próximo a Sierra Bermeja, em um setor de terra que pertencia a Mr. Fidel Avilés, um proprietário de terras e homem de negócios. Quando medidos, a maioria dos cículos eram de 35 a 40 pés de diâmetro e perfeitamente definidos por uma borda de 3 pés de largura quase que totalmente vazia de grama, na qual o solo parecia ter sido cozido por um grande calor e se tornado mais duro do que o solo fora da borda ao redor dele. Somente o solo dentro da borda parecia estar afetado, diferente. A pequena quantidade de grama ainda na área da borda estava totalmente seca e morta.

Quando perguntados, todos os vizinhos ficaram surpresos ao verem os círculos, que eles não haviam percebido antes. Os círculos pareciam ter se formado lá da noite para o dia. Os vizinhos declararam que nada sabiam sobre eles, que geralmente eles vão dormir cedo, assim eles não podiam dizer o que havia acontecido ou o que podia te-los formado, mas todos eles afirmaram que por várias noites, começando na noite depois do chamado “terremoto” e explosão eles tinham visto “… estranhas luzes e um objeto muito grande com muitas luzes coloridas planando no céu e voando sobre a Sierra Bermeja na direção de Cabo Rojo e da Laguna, para o outro lado da Sierra.” As descrições dos objetos vistos por eles eram similares aquelas dadas pelas testemunhas do outro lado da Serra, em direção às comunidades de Betances e Maguayo.

Mr. Roosevelt Acosta, seu irmão Heriberto e outros parentes que vivem no setor de Olivares todos atestaram isto, também indicando que em algumas ocasiões os vizinhos lá, bem como eles próprios, tinham visto estranhos seres pequenos que pareciam ter um leve brilho em seus corpos e que desapareciam muito rápido seja como fosse que fossem abordados pelas testemunhas.

Em uma ocasião Mrs. Dolín Acosta, uma outra residente do setor de Olivares, estava na varanda da casa dela e um raio brilhante de luz veio subitamente de cima e a engolfou. “Era uma luz muito brilhante – ela disse – e estava vindo de cima do teto da varanda. Havia um buraco no teto e eu estava olhando… Havia uma coisa lá em cima… algo como uma grande bola de luz e um raio de luz brilhante estava saindo dela e me iluminando. Quando olhei para mim… não pude acreditar! Eu pude ver meus ossos! Era como se eu olhasse para uma placa de raios X! Pude ver os ossos em meus dedos, em meus braços, meu corpo e meus pés! Este objeto estava lá em cima e pude ouvir um som suave saindo disto, algo como ar ejetado dele em intervalos, como pssss…pssss…pssss”. Ele então saiu, mas por uns minutos eu ainda pude ver assim. Minha irmã Eunice veio do quarto dela para ver o que estava causando a luz brilhante e nós duas pudemos ver dentro de nossos corpos, nossos ossos. Quando olhei para ela, ela não tinha olhos; pude claramente ver seus buracos oculares vazios, e ela viu a mesma coisa em mim. Depois de uns cinco minutos voltamos ao normal” Não foram sentidos efeitos posteriores por Dolín e sua irmã.

Mas vamos voltar aos círculos. Mr. Fidel Avilés, proprietário da terra onde eles apareceram, declarou: “Vivo aqui por cinquenta anos e nunca vi algo como isto. Estes círculos apareceram lá da noite para o dia depois da explosão e do tremor.”

Avilés tem uma pequena loja de alimentos lá em Olivares, e outros três círculos tem aparecido por trás da loja na manhã em que o entevistamos. Seu filho, Fillo Avilés, que trabalha na loja, explicou que nesta mesma manhã um jovem homem, muito nervoso, tinha vindo a loja e explicado que ele e outros estavam acampando com um grupo de amigos mais longe na estrada e foram para um passeio em sua motocicleta por volta das 3:00 A.M. Quando ele passou na frente da loja, ele viu que havia três estranhos objetos luminosos planando próximo ao solo por trás da loja. Segundo o que o jovem homem disse a Fillo, as coisas luminosas que ele viu eram “… redondas, sem som, e pareciam discos de cabeça para baixo, com uma luz brilhante amarelada se emanando deles”. Ele ficou assustado e deixou o lugar de uma vez.

Sobre os círculos que foram encontrados, primeiro havia oito círculos; dois dias depois havia doze deles. Intrigados, falamos sobre isto com os nossos amigos capitão Luis Irizarry, um certificado piloto de linha comercial com muitos anos de experiência e Julio César Rivera, um estudante de vôo. Eles concordaram em nos levar no avião de Irizarry para sobrevoar a área e tirar algumas fotos. Quando eles fizeram isto, ficaram surpresos com o que viram: havia 38 destes círculos lá no terreno! Eles pareciam totalmente simétricos e pareciam estar em pares. Alguns dias depois tomamos algumas amostras do solo nos círculos e as enviamos ao Programa da Divisão da Extensão Agrícola em Mayaguez, uma maior cidade perto de Cabo Rojo, em ordem de verificar se um tipo de cogumelo que encontramos no local poderia ter formado os círculos, mas foi confirmado pelo citologista do programa que o tipo de fungo envolvido não poderia te-los causado. Também, as amostras de terra mostraram que o Ph no solo havia mudado, mas apenas na área da borda. As outras amostras tiradas de dentro e de fora dos círculos eram totalmente normais. Mas havia outras coisas estranhas relativas ao chamado “terremoto”. Vamos ve-las.

Fumaça Azul Cobalto e Homens Misteriosos na Laguna Cartagena

Encontamos mais ângulos estranhos do que aconteceu antes, durante e depois do tremor de 31 de maio de 1987. Vários vizinhos do setor de Maguayo, perto de Laguna, afirmaram que na noite anterior a explosão e tremor eles tinham visto uma estranha grande bola vermelha de fogo que voava e fez várias voltas sobre a Laguna e então desceu de um modo controlado e vagaroso enquanto fazia um som de zumbido e desapareceu vagarosamente nas águas da Laguna Cartagena.

As 2:00 A.M., muitos residentes de Maguayo foram despertados por uma luz branca muito forte e muito brilhante que estava atravessando todas as janelas e aberturas nas casas deles. Curiosos, os vizinhos olharam para fora e ficaram surpresos pela vista de uma enorme nave tipo de disco voador que estava planando baixo sobre a lagoa, como se procurasse algo lá. Segundo todos eles, a nave estava coberta por uma brilhante luz branca e estava circulando na área muito vagarosamente. Depois de aproximadamente dois minutos, a nave foi embora, desaparecendo muito rapidamente no céu. No dia  seguinte, às 1:55 p.m. o tremor e a explosão ocorreram. Devemos nos lembrar que o epicentro do tremor e da explosão foi originalmente indicado pelas autoridades a 81.000 pés de profundidade sob a Laguna Cartagena… Um objeto não identificado foi visto entrando na lagoa, um outro objeto não identificado foi visto mais tarde naquela noite circulando e planando sobre a lagoa como se procurasse algo lá… e no dia seguinte uma explosão que as rochas de toda a região sentiram… ter se originado na Laguna Cartagena. O que realmente aconteceu neste lugar?

Depois deste incidente, muitos caças a jato, helicópteros e grandes aviões radar tipo AWACs estavam sendo vistos constantemente voando baixo e circulando acima da lagoa como se procurassem por algo lá, e os pescadores e vizinhos continuaram a relatar verem UFOs indo e vindo do mar, na linha costeira, bem como planando sobre a Sierra Bermeja e a Laguna Cartagena.

Várias rachaduras na terra apareceram depois de explosão, em diferentes lugares de Lajas e Cabo Rojo, e  muitas testemunhas afirmaram que uma fumaça de cor brilhante azul cobalto saiu com força destas rachaduras. Mr. Pedro Asencio Vargas, residente no setor “La 22”, de Llanos Tuna, Cabo Rojo, e que é um professor, afirmou que isto aconteceu na casa dele: “vi claramente, algumas rachaduras apareceram no solo de meu pátio e esta fumaça azul veio delas com força. Isto assustou a mim e a minha família. Temi que pudesse ser um vulcão se formando em minha terra. Algumas pessoas da Faculdade de Artes Mecânicas e Agrícolas de Mayaguez [parte do complexo da Universidade de Porto Rico especializado em engenharia e técnicas agrícolas] vieram examinar o que aconteceu, mas estranhamente, eles se recusaram a tirar amostras dos resíduos da fumaça azul e do pó que permaneceu em algumas plantas e no solo. Isto foi estranho, porque eles disseram que estavam investigando o que aconteceu… Então, porque eles se recusariam a tirar as amostras e analisa-las? Ainda não entendo o comportamento deles”.

Mas esta fumaça brilhante azul cobalto também saiu da Laguna Cartagena, segundo várias testemunhas. Mr. Carlos [Carlencho] Medina, junto com outros residentes da comunidade Maguayo, afirmou que depois da explosão lá houve uma brilhante fumaça azul cobalto saindo da lagoa [a fumaça azul cobalto não tem nada a ver com vulcanismo ou atividade sísmico-geológica], a lagoa foi cercada por um pessoal estranho e não identificado. Este pessoal era composto por alguns homens vestidos em uniformes  militares de camuflagem com suas etiquetas de identificação cobertas com fita adesiva, outros vestidos como civis em roupas comuns ou ternos elegantes, mas com botas de borracha acima dos joelhos, e ainda outros estavam vestidos de branco da cabeça aos pés com roupas de tipo anti-contaminação. Os homens vestidos com roupas anti-contaminação tinham espessas luvas cinza escuro e botas e estavam tirando amostras em enormes  frascos translúcidos da água da lagoa, lama e solo, bem como das plantas lá. Segundo as testemunhas, eles tinham algum tipo de “radio” que estavam usando para examinar algo na água, suas descrições dos ‘radios” nos lembraram os contadores de radiação.

Os militares e os homens de terno evitavam que alguém chegasse ao local dizendo que pessoal especial estava lá…. “… para investigar seja o que for que tenha acontecido lá” e que ninguém podia entrar na área. Medina e outros explicaram que no segundo dia um helicóptero militar verde escuro sem identificação foi trazido a área e uma grande bola metálica com algo que se parecia equipamento eletrônico nela foi abaixada na água e anexada a uma linha metálica muito longa que estava ligada ao helicóptero. O pessoal parecia procurar algo. As testemunhas também notaram que havia um número de vans de cor bege e veículos tipos Bronco com pequenas antenas de tipo parabólica girando no topo deles.

Mrs. Zulma Ramírez de Perez, que era, naquele tempo, uma das proprietárias, juntamente com a família dela, de parte da terra onde está localizada a Laguna Cartagena, foi ao local com a irmã dela para ver o que tinha acontecido porque elas tinham visto a fumaça brilhante azul saindo da lagoa em uma área onde há água [a mesma área onde foram Carlos Medina e outros]. Vários homens americanos vestidos em ternos escuros com uma etiqueta vermelha triangular no lado direito, algum tipo de agente americano, segundo as senhoras, as abordaram e ordenaram que elas deixassem o local de uma vez. Elas explicaram que a terra era delas e os agentes responderam que eles não se importavam, que elas teriam que sair de qualquer modo, e disseram que estavam tentando descobrir o que havia acontecido lá. Mas não foi oficialmente informado pelas autoridades que um tremor acontecera lá… ou não foi isto? Estes homens eram altos, caucasianos, louros e vestidos em ternos de boa aparência mas usavam o que já foi descrito como botas pretas de borracha. Eles também tinham maletas prateadas metálicas com eles, segundo as duas irmãs.

A este ponto Mrs. Ramírez disse algo muito importante, ela afirmou que a família inteira dela tinha estado vendo naves como disco voadores entrando e saindo das águas da Laguna Cartagena desde o ano de 1956. “De início elas eram muitos brilhantes e luminosas – ela disse -, e na medida em que elas vinham você podia definir mais claramente a forma delas. Elas eram em forma de disco, prateadas, metálicas, com domos translúcidos no topo e elas tinham muitas luzes maravilhosamente coloridas por volta delas. Elas faziam um som de soprar forte e rápido [como o vento]. Você pode ver pessoas, figuras dentro dos domos, porque em algumas ocasiões quando eles vem, gritamos para eles e eles param no ar em frente a nós. Tentamos relatar estas coisas que estamos vendo para a media, mas niguém presta atenção em nós e então, apenas deixamos como está.

“De fato, meu irmão Quintín, já falecido, em uma noite de 1964, gritou para eles que queria conhecer como eles eram para ver se realmente eram do espaço externo, como dizem as pessoas, e naquela mesma noite ele teve um encontro com eles. Ele foi se deitar e subitamente sentiu uma necessidade de ir à lagoa. Ele se vestiu, pegou seu jipe e dirigiu na direção da estrada de terra “Las Guanábanas”, para trás da lagoa. Saindo do jipe ele viu duas figuras se aproximando dele da lagoa. Eles eram homens brancos e altos, de aproximadamente entre 1.85 e 2.10 metros de altura. Eram homens de longos cabelos louros  e vestiam uma roupa prateada de uma única peça. Eles eram muito bonitos e delicados, quase de aparência feminina, ele disse.  Ele estava tão nervoso, que pediu que eles não se aproximassem mais. Eles sorriram docemente para ele e voltaram para a lagoa. Ele fugiu do local e na manhã seguinte explicou tudo para nós. Ele ficou muito desapontado porque não acreditamos nele. Depois disso, ele nunca mais disse nada para nós. Sabemos que ele teve outros encontros com estes seres porque algumas noites ele desaparecia na lagoa e não falava sobre o que estava fazendo lá a noite toda. Mas sabíamos que ele estava com “os amigos dele”, como ele costumava chama-los. Fico muito triste de agora ele já estar morto porque eu sei que ele ficaria feliz de ouvir todas as coisas que as pessoas estão dizendo sobre a lagoa e os aliens lá, porque isto sustenta tudo que ele disse.”

No dia seguinte à explosão e tremor, um helicóptero militar verde sem identificação pousou no topo de uma das montanhas de Sierra Bermeja, exatamente atrás da residência de Mr. Milton Velez. Velez, sua esposa e filhos todos viram vários homens vestidos em uniformes verdes millitares e botas usando boinas negras sairem do helicóptero e iniciarem a escanear o solo por toda a montanha com instrumentos que pareceram a Milton detectores de metal. “Eles pareciam para mim com as pessoas das forças especiais – declarou Velez-, eles estavam procurando algo lá em cima. Depois de aproximadamente uma hora, eles voltaram para o helicóptero sem qualquer explicação”. Em dias mais recentes Velez, sua família e vizinhos tem visto luminosos discos voadores que descem do céu de noite e permanecem imóveis perto de um  pequeno dirigível de radar instalado lá pelo governo. Depois de alguns minutos, os UFOs vão embora muito rapidamente. Isto tem se tornado um evento comum lá. Mais sobre este pequeno dirigivel de radar ligado a situação será discutida mais a frente neste relato.

Luzes da Terra?

Devido aos muitos avistamentos de objetos luminosos e repetidas explosões na área, as autoridades, isto por meio de explicações oficiais dadas por sismologistas, afirmaram que todos os avistamentos eram devidos a energias da terra liberadas para a atmosfera sobre estas áreas de falhas geológicas profundas subterraneamente. Segundo eles, a fricção nestas falhas produzia as luzes, desmentindo os avistamentos UFOs como erros de identificação por testemunhas incautas.

A situação real era que muitos dos avistamentos tinham a ver com objetos metálicos e definitivamente sólidos que voavam sobre as áreas de modo inteligentemente controlado. A maioria dos UFOs era em forma de disco ou de charuto. Outros foram descritos como bolas de luz ou bolas que também voavam de maneira controlada.

Mr. Luis Bonet, da cidade de Hormigueros, aproximadamente a 20 milhas de distância de Cabo Rojo, intrigado pelos incidentes na Laguna Cartagena, visitou o local tarde de noite para ver se ele podia ver algo estranho lá. Ao invés, ele vivenciou isto: “Depois da explosão, alguns dias mais tarde, eu fui lá para ver o que estava acontecendo. Estava andando na escuridão e repentinamente alguém me tocou nas costas. Isto me assustou e eu dei um grito. Seja o que fosse, ele respondeu em inglês e me perguntou quem eu era e o que estava fazendo lá, que eu tinha que sair de uma vez ou teria problemas. Eu disse a ele, um homem americano louro vestido em um bom terno negro e gravata, que eu estava investigando o que acontecera lá e ele me ordenou sair do local afirmando que eles [fossem eles quem fossem] estavam investigando se o que havia acontecido lá era algo natural ou algo mais. Eu não queria problemas e então fui embora.”

Dois policiais, um helicóptero negro e ‘agentes federais’

Também é a primeira vez que estamos revelando isso; entrevistamos um policial que estava na lagoa com um outro colega policial uns poucos dias antes da explosão. Algo aconteceu lá que eles nunca esquecerão.

Segundo o policial, eles tinham ido a lagoa para pescar, e repentinamente seu amigo e colega policial viu movimentos estranhos em um aclive de uma das montanhas de Sierra Bermeja e fumaça saindo do solo. Ele subiu a montanha para dar uma olhada e viu vários homens vestidos em roupas de aparência prateada com luvas e botas que estavam examinando algo na área com o que pareciam contadores geiger. Seu amigo o chamou e na medida em que ele subia a montanha ele percebeu alguns outros homens, vestidos similarmente, puxando três grandes rolos de espessos cabos elétricos ou de comunicação recobertos de borracha de várias polegadas de espessura em grandes caminhões negros. Os homens então entraram um dos cabos nas águas da lagoa, especificamente na área livre de grama que cresce na maioria da superfície. [a área onde a maioria doa avistamentos tem ocorrido e de onde Ramirez costumava ver UFOs entrando e saindo]. Os outros caminhões entraram em uma alameda de ranchos de gado lá a direita e dasapareceram de vista.

Naquele momento um helicóptero apareceu não se sabe de onde e alguém ordenou a eles, por meio de um alto falante, que parassem o que estivessem fazendo e saissem da montanha. O policial, cujo nome não revelo por óbvias razões de segurança, explicou que “era um grande helicóptero negro sem identificação. Alguém dentro dele tinha ordenado que parássemos e disse que sabiam que estávamos armados. Como eles sabiam de nossas armas conosco? Ainda não posso entender isto. Talvez eles tivessem algum tipo de equipamento no helicóptero que os capacitasse de saber isto. Nós descemos da montanha e eles pousaram perto de nós, muito rapidamente. Dois homens vestidos em macacões negros e armados pularam do helicóptero e pediram ao meu amigo para chegar mais perto. Eles eram brancos, de cabelos e bigotes escuros e de aparência hispânica. Ele se uniu a eles e voltou muito preocupado com uma aparência desapontada.

“Agora estamos em problemas – ele disse – eles são agentes federais.” Eu disse a ele para não se preocupar e ambos fomos para o helicóptero. Eles perguntaram o que estávamos fazendo e explicamos que éramos policiais fora do horário de trabalho pescando no local”. Eles responderam em um espanhol perfeito com sotaque portoriquenho: “vocês não podem ir lá em cima. Este é um local restrito sob controle do governo federal dos EUA e estamos fazendo um exerimento lá.” Que tipo de experimento, eles nunca disseram [esta declaração dos homens do helicóptero era uma mentira, porque a área não foi “arrendada” para o governo federal dos EUA por um ‘acordo’ entre o governo local portoriquenho e o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA até 6 de agosto de 1989.”].

O policial continuou a explicar: “Eles nos levaram para uma área lá entre duas montanhas na serra e havia uma tenda de acampamento. Um homem branco alto vestido em roupas militares saiu da tenda, ele parecia um oficial americano. Este homem falou a eles e percebemos que ele estava perguntando porque eles haviam nos levado lá. Ele parecia muito preocupado e aborrecido com a nossa presença”.

Depois de falar com o homem militar um dos homens os abordaram e a próxima coisa que se lembram é que estavam deitados com as faces no solo na estrada de terra que sai da Laguna Cartagena para a estrada 101. Nossos policial é o primeiro a reagir e quando ele está se recuperando ele ouviu um homem dizer em perfeito espanhol:  “Hey, eles estão acordando, vamos embora”. Então alguns homens entraram em uma carro e sairam muito rapidamente. Ambos policiais acordaram, mas permaneceram tontos por algum tempo, sentados lá na estrada de terra. Eles deixaram o local e nunca voltaram lá. O amigo do nosso policial permaneceu de certa forma tão perturbado depois da experiência, quemais tarde mudou-se para New York, e ele não tem voltado a Porto Rico.

“Não sei o que aconteceu. Estes homens fizeram algo conosco, porque não posso lembrar o que aconteceu depois que o homem com o oficial militar veio até nós na tenda de acampamento; somente que despertamos na estrada de terra e em um estado tonto. Era como se tivéssemos sido drogados e levados para lá. Agora posso dizer isto. Estou certo que de certa forma eles nos drogaram. Mas porque? Não vimos nada importante … penso… somente estes homens em roupas prateadas com os cabos entrando na água… Quem sabe… talvez isto seja o que eles não queriam que víssemos… e o oficial militar… E então, alguns dias depois a explosão e o terremoto lá… Tudo isto é estanho… muito estranho”, comentou o policial.

PARTE DOIS

Em 4 de março de 1988, as 2:00 P.M., uma outra forte explosão subterrânea foi sentida e ouvida na área de Lajas-Cabo Rojo. O radialista Raymond Stewart, da estação de rádio Super B em Lajas, descreveu a explosão como “incrível!”, afirmando que isto se parecia mais com uma explosão subterrânea do que com um terremoto. Muitas pessoas telefonaram para a estação de rádio para perguntar sobre a situação e também para relatar avistamentos de duas enormes bolas de luz laranja que desceram do céu e planaram sobre a Laguna Cartagena. Os avistamentos foram descartados pelas autoridades locais como observações dos planetas Júpiter e Vênus, não obstante o fato de que ambos os objetos tivessem um luz laranja e fossem observados se movendo no céu por centenas de testemunhas, muitas das quais de diferentes pontos de observação por toda a região. Analisando muitos relatos dados pelas testemunhas, chegamos a conclusão que ambos objetos estavam exatamente sobre a Laguna Cartagena quando avistados. Também, verificamos a posição de Júpiter e Vênus no céu naquele dia e eles estavam em posição astral a noroeste. Também, estes planetas tinham um brilho esbranquiçado, não laranja.

Ao mesmo tempo, esquadrões de jatos militares dos EUA começaram a voar baixo sobre a área e especialmente acima da Laguna Cartagena, juntamente com um grande avião militar verde com um disco redondo de radar no topo [Hawkeye, AWAC?]. Este tipo de radar é utilizado em missões especiais. Tudo isto preocupou os residentes na zona. O que esta aeronave especial de radar de reconhecimento está procurando na Laguna? Os jatos a estavam escoltando para proteção? Se assim foi, porque? Ninguém ainda sabe responder estas perguntas.

Depois destes “tremores”, o número de avistamentos e incidentes continuou a aumentar. Em um dos muitos avistamentos neste setor, na quarta-feira 8 de março de 1988, por volta das  5:40 P.M., Mr. Jesus Padilla e vários outros vizinhos da comunidade de Parcelas Betances observaram um estranho objeto em forma de pirâmide-triângulo negro com luzes coloridas voando sobre o setor e indo para oeste.

Em 1o. de abril de 1988, houve uma outra explosão e uma outra grande bola de fogo foi observada vindo do sul e planando sobre Sierra Bermeja. Vários residentes da comunidade de Betances viram um enorme objeto em forma de charuto com luzes coloridas e dois menores que vieram do primeiro que planou sobre a Laguna e então voou embora para o oeste, se posicionando por alguns minutos sobre a Sierra Bermeja, exatamente sobre o território, então sobre a construção de uma chamada estação de rádio “Voz da América”. O setor envolvido com esta estação de rádio “Voz da América” tem sido também um lugar de muitos avistamentos UFOs. Por alguma estranha razão, estes objetos parecem manter uma observação sobre a área. O governo dos EUA construiu algo lá, mas a anunciada estação de rádio nunca funcionou. A área está fora de limites para todo mundo, e ninguém sabe o que realmente foi construído lá. Depois de planar sobre as montanhas a luz menor entrou na maior e então o objeto principal voou embora para oeste, desaparecendo de vista. Entre as testemunhas destes avistamentos estavam Mrs. Dora Rodriguez Acosta, Mr. Edgardo Plaza, Miss Karen Mercado e Miss Marylin Acosta, e alguns outros.

Em novembro de 1988, quase 300 pessoas participando de uma reunião política viram um UFO luminoso  em forma de charuto planando sobre a comunidade de Betances, e então sobre a Sierra Bermeja e a lagoa, enquando liberava muitos objetos luminosos menores de seu interior. O avistamento durou meia hora.

Um enorme UFO em forma de Triângulo capturou e desapareceu com dois caças a jato dos EUA em Cabo Rojo

A situação continuou acontecendo e indo “em um crescendo” até a noite na qual dois caças a jato da Marinha dos EUA foram aparentemente abduzidos em pleno ar por um enorme UFO em forma de triângulo e desapareceram na frente de mais de 115 testemunhas que tinham aparecido neste momento. Este evento aconteceu na noite de 28 de dezembro de 1988, às 7:45 P.M.

Segundo a maioria das testemunhas, parecia haver três caças a jato evolvidos no incidente, dois deles desapareceram em pleno ar quando foram interceptados e fechados por um enorme UFO de forma triangular, e o terceiro fugiu da área voando para o norte, sendo caçado por várias grandes bolas vermelhas de luz, depois do que, um dos objetos ou seções voou fora muito rapidamente para o norte e então outro voou para leste, desaparecendo. Como os leitores devem entender, este incidente tem profundas implicações para todos nós, e é um dos mais importantes incidentes UFO relatados nos anos recentes em Porto Rico e no exterior.

O Governo dos EUA “arrenda” a área

Em 8 de agosto de 1989, depois do incidente entre os caças e o UFO, depois dos rumores neste sentido, a  Laguna Cartagena foi “arrendada” por um “acordo” para o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA, para “preservar” especies animais de lá em perigo de extinção. A área agora está sob controle dos EUA por este acordo por 50 anos, e possivelmente por mais 50 anos depois disto. Mais tarde, as autoridades federais tomaram o controle de outro ‘ponto quente” ufológico em Sierra Bermeja, um campo perto do setor Pitahaya-Olivares, na linha costeira, perto aos canais de mangue entre La Parguera e o farol de Cabo Rojo, uma outra área na qual muitos UFOs são vistos regularmente entrando e saindo da água, uma área que tem sido cuidadosamente observada por vasos da Marinha dos EUA e aviões, e por aqueles dias era restrita e colocada sob controle de inúmeras tropas militares americanas por vários meses, sem qualquer explicação [a área do farol]. A razão ‘oficial’ para controlar o campo na área de Pitahaya-Olivares ? As autoridades queriam localizar um aerostato, um potente dirigível de radar, naquela área para detectar e evitar o contrabando e drogas por ar e por mar. Eventualmente, o radar foi empregado e ancorado lá e local foi declarado fora dos limites para todo mundo. Coincidentemente, o mesmo tipo de aerostato ou dirigível de radar tem sido localizado em outros “pontos quentes” UFO nos EUA e em outros lugares. Um desses “lugares quentes” é a região de Gulf Breeze Pensacola, onde por alguns anos agora tem havido muita incidência UFO. Um outro local é Marfa, Texas. Mas isto é apenas uma coincidência? Um padrão estranho parece emergir de todas estas coincidências.

Desde então, em muitas ocasiões e muitas testemunhas, policiais, soldados e vizinhos da área, tem visto UFOs, ambos discos metálicos claramente definidos e objetos luminosos, voando próximo ao dirigível e planando sobre ele emitindo estranhos flashes de luz em um padrão similar aquele que o dirigível emite. Para alguns, isto parece como se os objetos aéreos estivessem se comunicando pelos flashes de luz. Algumas vezes os UFOs são caçados por aeronaves militares, mas como matéria de fato, seja como for que isto aconteça [os UFOs descendo e planando sobre o dirigível], o dirigivel funciona mal e tem que ser consertado. Segundo fontes internas, todos os sistemas de computador ficam em branco, eles se apagam, e tem que ser reprogramados. Para muitos, a razão real para esta instalação lá é uma diferente: a situação UFO na área. Um exemplo disto é o seguinte avistamento de Mr. Luis Collado e alguns outros residentes no setor de Olivares.

Uma nave estranha perto do Composto do Aerostato

Quando estávamos falando com Mr. Miguel Figueroa, um residente de Lajas, sobre um encontro que ele teve com vários aliens de tipo gray na estrada 101, perto de Laguna Cartagena, um outro homem, Mr. Luis Collado, se aproximou de nós para contar sobre algo que ele tinha visto na noite de 17 de agosto de 1991, quando ele viu uma nave estranha perto das instalações do aerostato.

Depois de nos ser apresentado por Mr. Benito Collado, ele nos guiou ao ponto exato onde ele viu a nave, em fronte do sítio de esvaziamento e perto da instalação do aerostato, explicando que: “eu estava dirigindo nesta estrada no setor de Olivares por volta das 2:00 A.M. depois de deixar a casa de alguns amigos no setor de Las Palmas e ir para casa… quando subitamente eu cheguei lá e vi uma coisa estranha lá em frente da montanha; parei meu carro e sai para ver melhor. O que vi era algo suspenso em pleno ar sobre a montanha que divide este setor do setor de La Parguera, exatamente na fazenda administrada por Freddie Guindín. Olhe, isto era algo como um daqueles chamados discos voadores, mas ele tinha algo no topo… Você sabe a parte superior cônica do chapéu das bruxas? Era algo assim, conico no topo e uma base circular ao redor dele. Era grande e tinha muitas luzes ao seu redor. Era metálico, como prateado. Mas a coisa mais estranha era que havia algo saindo sob ele, como uma névoa giratória que descia diretamente para a montanha, para o solo, em uma coluna, mas giratória, em uma coluna espiralada. Esta coluna era semi-luminosa. Era uma coluna de luz e nuvens ou névoa descendo do objeto… Acredito que esta coisa fosse um UFO [OVNI].”

Luis continou: “Disse para mim mesmo… que coisa estranha! Nunca tinha visto algo assim. E você podia ouvir um som de zumbido vindo daquela coisa. Ela apenas ficou lá, e depois de observar por algum tempo fui embora. Mas a coisa estava lá e estou certo que a vi. E os policiais que cuidam daquele lugar [as instalações do aerostatos] certamente também viram isto, porque aquela coisa estava no topo da montanha na entrada do lugar e assim eles tinham que ver isto, não tenho qualquer dúvida quanto a isto. Se eu ouvi o som de zumbido vindo de lá, na estrada, eles devem ter ouvido isto ainda mais alto onde estavam, porque estavam mais perto. Não sei, mas tenho um sentimento aqui que o aerostato nada tem a ver com o problema com drogas, como o governo quer que nós acreditemos. Penso que há algo a ver com os UFOs que estão sendo observados lá, talvez para manter um olho neles.”

Ele deixou claro que pela primeira vez ficou relutante em contar o que viu, temendo que ninguém acreditasse nele, mas depois de nos ouvir falando com Mr. Figueroa, ele entendeu a importância do que ele tinha visto relativo a situação UFO na área e mudou de idéia, pelo que nós lhe agradecemos profundamente.

A informação de Collado era muito interessante, mas nada havia para sustenta-la; felizmente, no mesmo dia enquanto visitámos a residência de Mr. Roosevelt Acosta, sua irmã Dolín [já mencionada como a mulher que recebeu um raio X de um UFO] e suas filhas e um genro afirmaram que nas primeiras horas de 17 de agosto de 1991, todos eles viram enquanto estavam indo para casa de Roosevelt uma estranha nave suspensa no ar sobre a montanha próxima das instalações do aerostato. Segundo eles, era por volta das    2:00 – 2:30 A.M. quando eles avistaram isto e era algo “como um disco voador com uma coisa pontuda no topo e com muitas luzes. Ela veio voando do oeste e então ficou suspensa sobre a montanha [ a mesma que nos foi identificada por Collado] e algo como uma fumaça desceu dele em um movimento giratório para o solo’.

O avistamento estava confirmado! Quatro testemunhas totalmente independentes viram o mesmo objeto relatado por Luis Collado na mesma hora e no mesmo lugar. Dolín Acosta e sua família afirmaram que eles observaram o UFO por aproximadamente uma hora, depois do que foram dormir, não sabendo o que aconteceu depois disso.

Também, entre outros, Mrs. Jocelyn Irizarry e a família dela, residentes na estrada 116 de Lajas, viram uma enorme nave disco voador no ar perto do dirigível em novembro de 1991. Por causa de todas estas situações a maioria dos residentes no sudoeste acredita que as instalações do dirigígel radar foram colocadas lá para observar a atividade UFO e tentar detectar as trajetórias dos UFOs e localizar as áreas exatas pelas quais eles entram ou saem constantemente do mar e da terra.

Tem sido relatada a presença alien direta na área? Sim, tem havido muita, e a seguir estão apenas exemplos.

Como já mencionei, Mr. Manuel Figueroa, um residente do setor de Palmarejo, em Lajas, teve um encontro próximo com vários aliens de tipo gray nas primeiras horas de 31 de agosto de 1990, quando ele estava dirigindo pela estrada 101, perto de Laguna Cartagena. As criaturas tinham sido observadas por várias outras pessoas na área, que disseram a ele sobre elas e a direção que elas haviam tomado andando pela estrada 101. Para surpresa dele, ele encontrou cinco aliens andando na estrada em frente a ela. Eles eram cinza, pequeninos, de aparência frágil, com grandes cabeças, orelhas pontudas, com uma boca como um corte e sem lábios, pequenas narinas no lugar do nariz, e grande olhos luminosos e amendoados, que projetavam uma brilhante luz branca… Elas tinham braços longos com mãos com apenas três dedos e ´pés também com apenas três dedos.

Na medida em que Figueroa dirigiu para mais perto deles, eles se viraram e olharem para ele com seus olhos brilhantes, que ele entendeu como um aviso para ele se manter afastado deles. Ele parou e então continuou seguindo-os a curta distância, amedrontado, mas também fascinado pelos seres. Naquele momento, eles todos se viraram para a esquerda e pularam sobre uma pequena ponte na estrada para dentro de um pequeno riacho que se ligava a Laguna Cartagena, desaparecendo lá. Ainda nervoso e chocado com o encontro, Figueroa foi embora para casa. Mas de manhã algo estranho aconteceu. Figueroa recebeu um telefonema em sua casa de um homem, que falavra espanhol com um sotaque americano, que disse a ele para não falar nada a qualquer pessoa sobre o que ele tinha visto e para onde os pequenos seres tinham ido [a Laguna Cartagena, o local da maioria dos incidentes UFO na área], que se ele falasse alguma coisa “algo ruim podia acontecer a ele”. Foi assim! Ele já estava assustado pelo que tinha visto, e então mais isto… O  que o preocupou mais foi como o homem misterioso tinha obtido tão rapidamente o telefone dele, porque a sua era uma linha particular e ainda mais, estava listada sob o nome de outra pessoa. Até mesmo assim, o homem que telefonou pediu para falar diretamente com ele, Mr. Miguel Figueroa. Como ele podia saber…? Figueroa ainda não pode explicar isto.

Neste momento Miguel Figueroa está convencido que o que ele viu nas horas iniciais de 31 de agosto de 1990 estava relacionado ao muitos incidentes UFO relatados no setor. De início, eu não falaria sobre isto, mas tenho visto os UFOs, discos voadores na área antes. E eu lhe digo, o que aconteceu aqui é real, e estes seres devem ter uma base ou algo subterrâneo nesta área. Não penso que eles sejam agressivos. Eu estava sozinho e a luz que eles emitiram indicou que eles eram poderosos; mesmo assim, eles não me prejudicaram. Eles podiam ter feito isto, mas não o fizeram. Foi apenas como se eles me dissessem; “não chegue mais perto,”  mas eles não queriam me machucar. Apenas desejaria que isto não tivesse acontecido… porque não pude lidar com isto. Eu gostaria de esquecer tudo isto.”

Coincidentemente, Timothy Good e eu, juntamente com outros investigadores, estávamos na mesma área no anoitecer de 31 de agosto de 1990, mas o relato sobre o caso não chegou ao nosso conhecimento senão dias depois.

“Duas criaturas estranhas examinando uma planta…”

Na noite de 13 de agosto de 1991, Mrs. Marisol Camacho, uma jovem mulher que vive atrás da comunidade de Maguayo, exatamente próximo à Laguna Cartagena, recebeu uma visita inesperada na casa dela de duas criaturas estranhas e esquisitas, como ela os descreveu.

“Eu estava dormindo – ela disse -, era por volta de 2:00 a.m., e ouvi barulhos estranhos lá fora, perto de minha varanda. Saí da cama e fui para a janela da varanda [com venezianas metálicas]. Lá estava alguém murmurando alguma coisa, uma língua estranha. Abri a janela muito vagarosamente e…Oh, meu Deus! Havia duas das criaturas mais esquisitas que você possa imaginar de pé lá na varanda! Eles estavam examinando uma das plantas que eu tenho e que eu chamo de Queijo Suiço [ o nome científico da planta é ‘Monsterosa deliciosa’, uma planta ornamental tropical com folhas com muitos buracos]. Eles estavam tirando folhas da planta e murmurando. Eles pareciam realmente interessados nisto. Eu estava surpresa e… não sei porque, não podia me mover, estava congelada lá… olhando para eles. Eles tinham aproximadamente 1.20 metro de altura e tinham grandes cabeças. As cabeças tinham a forma de ovo, grande no topo e com um queixo pequenino. Eles eram muito magros e pareciam ser de cor cinza, todo cinza, e estavam nus. Eles tinham grandes olhos alongados que se estreitavam para os lados da cabeça. Não havia pupilas ou branco nestes olhos. Suas faces eram chatas, com um pequeno corte como boca, sem lábios, e dois pequeninos buracos por nariz. Nunca senti qualquer medo, estava fascinada pelo que estava vendo. Eles pareciam crianças para mim! ”

Perguntada sobre as mãos deles, ela explicou que: “… eles tinham braços mais longos que os nossos, e longas mãos muito magras com quatro dedos longos. Eles não pareciam me perceber na janela. Eles pegaram as folhas da planta e sairam falando entre eles em uma linguagem muito rápida. Eles sairam andando vagarosamente na direção da Laguna Cartagena, entraram nos arbustos lá no fim da rua e desapareceram. Eu não podia acreditar isto! O que as pessoas andavam dizendo por aqui era verdade! Há aliens aqui! Eu os vi e estou certa do que vi. Depois que eles foram embora, pude me movimentar novamente. Voltei para cama e mais tarde contei o que tinha visto ao meu marido.”

Mas os aliens voltaram duas semanas depois: “novamente era tarde da noite – ela disse -, ouvi os mesmos sons, levantei-me e fui para a mesma janela que estava parcialmente fechada… e lá estavam eles novamente! Os mesmos ou outros idênticos a eles… mas senti que eram os mesmos. Eles estavam examinando a mesma planta novamente e falando naquele jargão murmurado… Mas desta vez eu fui capaz de me mover e tentei dizer algo a eles. Eu comecei a abrir as venezianas mas quando eles ouviram a janela se abrindo, eles olharam para mim muito rapidamente e então correram muito rápido descendo a rua na direção da Laguna Cartagena novamente, desaparecendo lá.

“Não sei o que eles querem, mas eles não parecem perigosos. Eles não me prejudicaram. E eles não machucaram meus cães, que dormiram todo tempo enquanto eles estavam aqui na varanda. Uma coisa é certa, eles já estão aqui, vivendo conosco. Devemos nos preparar para encarar este fato… e estou convencida que eles esão lá na Laguna Cartagena. E o território deles é lá.”

Uma semana depois desta segunda visita, muitos dos vizinhos dela testemunharam um disco brilhantemente colorido que planou por 3 minutos a alguns 15 metros acima da casa dela uma noite às 9:30 p.m.

Um Alien no Canal de Irrigação

A testemunha deste outro encontro é Mr. Ulises Pérez, um jovem homem que vive em Lajas. Em um anoitecer, às 11:30, ele estava em sua motocicleta em uma estrada de terra em um desolado rancho de gado no setor de Cuesta Blanca, localizado entre La Parguera e a Laguna Cartagena, quando: “… a moto caiu em um buraco cheio de água e emitiu faísca e desligou. Eu comecei a examina-la, porque ela não daria a partida, e depois de consertar o que eu acreditei ser a causa do  problema, quando eu estava novamente tentando dar a partida, olhei lá, para o canal de irrigação… e vi a coisa lá!

“O que eu vi foi algo como … algo que estava sentado ou agachado sobre um tronco de árvore lá na margem do canal. A pele da coisa parecia como se fosse crua. Você sabe, quando você corta sua pele, o corte parece esbranquiçado com pontos rosa-avermelhados nele? Era como a pela dele se parecia. Era uma pele branco pálida, sem cor, como aqueles lagartos salamandras pálidos? Exatamente assim. Olhamos um para o outro por um momento, sem nos mover. Eu estava apavorado com aquela coisa lá. Não tenho vergonha de admitir e tentei dar partida na moto para ir embora. Enquanto eu me movia, esta coisa pulou e desapareceu sobre os lírios de água do canal. A moto deu partida e eu fugi. Fui para casa e expliquei nervosamente o que tinha visto. Meus amigos e parentes não acreditaram em mim, mas eles foram até o  lugar comigo para ver. Vendo a trilha dos lírios de água esmagados eles acreditaram em mim e ficaram apavorados”.

Segundo Ulises a criatura era idêntica aquelas já descritas em encontros anteriores. “O que mais me impressionou foi a grande cabeça e aqueles olhos negros enormes que ela tinha”, ele declarou. Como em outros casos, há uma ligação com a Laguna Cartagena, porque o canal de irrigação no qual Ulises viu a criatura se liga com a lagoa.

Todos estes casos parecem implicar que este tipo de seres tem possivelmente estabelecido seu habitat profunadmente sob a Laguna Cartagena e outros corpos de água na região. Já tem sido declarado anteriormente por outros investigadores que este tipo de espécie de criatura pode ser anfíbia por natureza, devido as membranas descritas regularmente entre seus dedos por muitas testemunhas.

O Encontro de um Velho Homem com Vários “Grays”

Ainda um outro caso em Sierra Bermeja ou perto da lagoa é o de Mr. Eleuterio Acosta, um ancião de 80 anos muito sério que vive no setor de Olivares, exatamente em frente das instalações do dirigível radar, que confrontou cinco destas pequenas criaturas cinzas em sua casa. Eleuterio, agarrando um pesado bastão, ameaçou ataca-los gritando que saissem da casa dele. Neste momento ele se tornou ciente de um outro tipo de ser mais alto que disse algo em um rápido jargão aos outros. Então  os menores correram na direção da janela com venezianas, onde do lado de fora estava o mais alto e incrivelmente mudaram sua forma passando pela janela com venezianas! Então todas as seis criaturas fugiram correndo  muito rapidamente em direção das montanhas de Sierra Bermeja, atrás da casa dele.

Uma Abdução Evitada?

Há também o caso de encontro de Mrs. Albita Acosta. Albita, também uma residente do setor de Olivares, e que também é uma testemunha de muitos UFOs vistos perto do dirigível radar, lutou e evitou uma aparente tentativa de abdução dela por este tipo de criatura em maio de 1991.

Aliens na Plataforma de Ancoramento do Aerostato

Também há um encontro de alguns policiais que guardam o lugar com várias destas criaturas nas instalações do dirigível radar [aerostato], na seção de ancoragem do dirigível, depois que ele foi construído. Isto aconteceu em uma noite de abril de 1990. Um dos policiais percebeu à distância o que a ele parecia serem crianças brincando na plataforma de concreto para ancoragem do dirigível. Ele se aproximou do local em seu carro de patrulha e ligou os faróis, apenas para ver que não eram crianças, mas sim, criaturas realmente muito estranhas que tinham no máximo 1.2 metro de altura. Elas tinham grandes cabeças e eram de cor cinza. Os pequenos seres fugiram correndo em direções diferentes e o policial pediu ajuda pelo rádio, repetindo o código 1050. Quando a ajuda chegou, as criaturas já haviam desaparecido. Foi realizada uma extensa busca, mas sem resultado. Fomos capazes de entrevistarmos confidencialmente um os policiais envolvidos no incidente, que verificou os detalhes relatados aqui.

Alguns dias depois, um outro grupo de policiais lá viram um disco voador com uma aura dourada ao redor dele que quase pousou no território do aerostato. No dia seguinte, um outro daqueles círculos misteriosos apareceu no solo exatamente onde o UFO foi avistado. O círculo foi “apagado” do solo quando foram  dadas ordens para remove-lo pelo uso de uma escavadora mecânica.

Mas há mais narrativas importantes que parecem nos dar uma resposta sobre a razão para o que está acontecendo na área.  Uma é a seguinte.

“Eles me levaram a base deles…”

Mr. Carlos Manuel Mercado, também já mencionado, e uma das muitas testemunhas que viram a abdução de dois caças a jato dos EUA em pleno ar sobre a Laguna Cartagena por um enorme UFO triangular em dezembro de 1988, e que temos vindo a conhecer muito bem e respeitar como um homem sério e honesto, revelou durante a nossa entrevista com ele que algo chocante aconteceu a ele uma noite seis meses antes do incidente dos jatos que ele testemunhou. Esta outra experiência aconteceu em junho de 1988:

“Naquela noite eu estava tentando dormir, mas estava tão quente que eu não conseguia. Minha família já tinha ido dormir. Eu me levantei e me deitei no sofá na sala de estar, tentando  obter alguma fresca lá, mas sem resultado. Eu não conseguia dormir. Enquanto eu estava lá, repentinamente vi um flash de luz lá fora e ouvi um som de zumbido. Alguns momentos depois algo bateu três vezes nas venezianas da janela na minha frente. A metade superior das janelas estava aberta mas a metade inferior estava fechada e levantei e abri a janela… e lá estavam eles! Três pequenos homens olhando para mim… mas eles não eram humanos. Eu  estava surpreso, mas uma voz disse na minha mente “não se assuste, tudo está bem. Nada irá acontecer a você. Não se assuste. Vamos lhe mostrar uma coisa.” De início, fiquei surpreso, mas quando ouvi a voz fiquei calmo, muito calmo. Eles me pediram para sair, mas não com suas bocas, foi na minha mente. Abri a porta… senti que tinha que fazer isto, de alguma forma eu sabia que eles não me prejudicariam.”

Segundo Manuel, os pequenos seres tinham aproximadamente 1.20 metro de altura, com grandes cabeças em forma de pera, pele cinza pálido, e grandes olhos amendoados sem pupilas. Os seres não tinham orelhas e tinham um pequeno corte no lugar da boca. Eles tinham apenas duas pequenas narinas em lugar do nariz. Uma outra coisa: estes seres tinham como pequenas manchas na pele de sua face… “Como acne? Algo assim”, ele disse. Segundo ele os seres eram de forma humanóide mas seus braços eram um pouco mais longos que os dos humanos. Todos os três estavam vestidos em roupas de uma só peça muito justa e de cor bege, como mecânicos.” Somente suas mãos e cabeça estavam fora das roupas. Dois deles pegaram minhas mãos e desceram a estrada em frente da minha casa [em frente da Sierra Bermeja] eu… eu não posso acreditar nisto… Havia um disco voador lá! Ele estava sobre três pernas metálicas que desciam de sua parte de baixo. Era redondo, com um domo no topo dele e com janelas, e muitas luzes coloridas ao redor de sua borda. Você sabe a forma dos hidrantes de água? Esta é a forma que a coisa tinha. Havia uma abertura em sua parte de baixo de onde descia uma longa escada até o solo. Eles me pediram para subir a escada e fomos a bordo da nave… porque era uma nave… Havia outros deles lá, e o lugar estava cheio de máquinas com muitas luzes coloridas e painéis. Isto estava na área as muitas janelas, como uma cabine no domo. Os pequeninos seres me apresentaram a um ser mais alto que tinha aproximadamente a minha altura [1.79 metro]. Eu me senti mais confortável com ele porque, mesmo sendo como os outros, ele era mais alto e parecia um pouco mais humano. Este estava vestido com um robe branco e eles disseram que era o capitão médico deles.

“Este ser mais alto me explicou que eles não queriam me fazer mal, que eles apenas queriam me mostrar e dizer algo que mais tarde eu pudesse relatar a outras pessoas. Ele disse algo aos outros nos painéis e senti as pernas se elevando e um som de pinças, a abertura se fechou e nave começou a se mover. Eu estava impressionado mas não estava com medo. Eles de alguma forma me mantinham calmo. A nave disparou e acredito que iríamos muito longe, mas ao invés,  a nave se inclinou a esquerda e caiu na direção de Sierra Bermeja. Estava com medo de nos acidentarmos, mas um buraco apareceu em uma depressão do lado da montanha de El Cayúl e a nave continuou a descer e passou por um túnel e chegou a um grande lugar que parecia ser subterrâneo, como uma caverna muito longa e grande! Havia muitas estruturas como  barracas, construções dentro do lugar, e centenas, muitos dos pequeninos aliens estavam trabalhado como se em linhas de produção reunindo eletrônicos ou partes mecânicas, maquinário…

PARTE TRÊS

“Havia muitas naves lá embaixo, mas não como aviões ou helicópteros, não, não… Todas as naves eram em forma de disco ou triângulos ou hexágonos… .

“O ser alto explicou: “Como você pode ver, temos uma base aqui para a manutenção dos sistemas de nossas naves; temos estado aqui por um longo tempo e não preetndemos ir embora. Queremos que o povo da Terra saiba que não lhe desejamos mal e nem queremos conquista-los. Quremos alcançar vocês e estabelecer um relacionamento direto que será benéfico para ambas as partes. O povo da Terra pode ficar seguro que não desejamos fazer-lhe qualquer tipo de mal”. Eu disse: “porque eu, um homem simples, ninguém vai acreditar em mim.” E ele disse ‘Isto não importa. As pessoas o ouvirão, bem como a muitos outros que estamos contactando e trazendo aqui para ver a mesma coisa. Quando as pessoas com conhecimento ouvirem o que vocês, pessoas simples, como você se diz, estão dizendo, eles saberão que vocês estão dizendo a verdade.”

“Depois eles me trouxeram de volta para casa e antes de irem embora eles me disseram que voltariam algum dia. De início, fiquei com medo de falar sobre isso. Fiquei com medo que ninguém acreditasse em mim, até mesmo vocês… Somente falei sobre isto com a minha família. Mas quado aconteceu esta coisa com os jatos, eu me preocupei. Talvez isto tenha algo a ver com os sers lá embaixo, e sei, eu sinto, eles são bons e inofensivos. Sinto que eles não querm nos fazer mal, e saber que isto tudo pode ser importante, decidi falar e deixar que vocês saibam o que aconteceu”, disse finalmente Mercado.

Conhecemos um outro homem, um oficial militar de alto escalão na área oeste de Porto Rico, que supostamente foi levado [abduzido] a esta mesma base UFO subterrânea por este mesmo tipo de aliens. No entanto, não podemos revelar o nome dele aqui, para evitar que ele sofra qualquer tipo de perseguição, mas tudo que ele diz combina com os detalhes dados por Mr. Carlos Manuel Mercado, especialmente o lugar onde o aclive ad montanha se abre para a proposta base alien, na montanha El Cayúl.

Há também uma mulher que reside em Lajas e trabalha no governo municipal de Lajas que foi abduzida pelo mesmo tipo de aliens grays. Segundo ela, ela foi examinada por eles e levada a uma base subterrânea sob  Sierra Bermeja, localizando o mesmo lugar para a ‘entrada’ na montanha de ‘El Cayúl’. Todas estas são testemunhas independentes que não conhecem uma às outras mas tem dado o mesmo tipo de detalhes a respeito da base e da entrada.

Laguna Cartagena… Realmente há uma Base Alien Lá?

Como podemos ver, há bastante evidência circunstancial que suger que algo estranho e muito importante relacionado aos UFOs está acontecendo no sudoeste de Porto Rico, especialmenet na área de Lajas-Cabo Rojo. Na medida em que acontecem mais incidentes,mais pessoas lá acreditam que exista uma base UFO na área. Recentemente, uma fonte nos deu e a outros investigadores portoriquenhos um esboço do que ela acredita ser uma base UFO conjunta EUA/Alien sob a área de Sierra Bermeja – Laguna Cartagena a que ela teve acesso.

Uma outra fonte, um homem que consideramos muito série e responsável, nos contou como acidentalmente ganhou acesso, junto com um amigo pescador de La Parguera cujo último nome era Vega, a esta suposta instalação por uma abertura de ventilação supostamente oculta localizada perto do território. Nossas testemunhas, cujos nomes não podemos revelar por razões de segurança que serão lógicas para o leitos depois de ler um pouco mais este artigo, explicaram que realmente há aliens lá embaixo e que eles também haviam visto soldados americanos lá embaixo. Apavorados, eles fugiram do lugar preocupados de terem visto algo que não deviam.

Nossa fonte voltou ao  local alguns dias depois e encontrou a alegada abertura lacrada por um pesado pedaço de concreto. Alguns dias depois seu amigo, o pescador, foi encontrado morto pendurado por um pequeno prego enfiado na parede de sua casa em La Parguera. Segundo as autoridades, ele se enforcou com o cadarço de um de seus sapatos no prego. A coisa estranha foi que as mãos dele estavam livres e o prego no qual ele supostamente se enforcou estava muito abaixo de sua cabeça. Também, ninguém soube explicar como um prego tão pequeno pôde suportar o peso dele. Investigamos este caso e o irmão do homem morto, o pescador  Víctor “Lindo” Vega, que trabalha em La Parguera e que nós já conheciamos como testemunha de outros incidentes UFO lá, explicou que ninguém na família pôde entender a morte de seu irmão: “meu irmão não bebia qualquer coisa alcoólica até depois de ter visto seja o que for que ele viu lá embaixo nos mangues e no aerostato, e não usava qualquer droga; ele não estava deprimido e não tinha problemas emocionais ou sentimentais; além isso, ele tinha boa saúde. Então, porque isto? Não sei, mas algo não está claro nisto tudo”, disse Lindo.

Nos últimos meses de 1992, um forte programa de desinformação foi levado adiante por Mr. Aníbal Roman, o diretor do Escritório da Agência de Defesa Civil da área de Mayaguez e o tenente de polícia Rodríguez, dos quartéis de polícia de Lajas, usando toda media televisiva, de radio e de imprensa de Porto Rico para mostrar como mentiras e fabricações os relatos de testemunhas e investigadores sobre os UFOs e os aliens vistos na área e ridicularizar a situação, isto juntamente com oficiais do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA, tais como Mr. Fred Schaffner.

Enquanto isto estava sendo feito por Román, seu supervisor, Coronel José A. M. Nolla, Diretor da Agência Estatal de Defesa Civil de Porto Rico, enviou uma ordem diertiva interna para todos os escritórios regionais em Porto Rico declarando as orientações para uma investigação secreta sobre a situação UFO e os avistamentos dos USOs [objetos não identificados submersos] era real e importante. A cópia de tal diretiva nos foi dada por uma fonte dentro da Agência de Defesa Civil. A fonte explicou as descobertas, até mesmo depois afirmando que eles eram da responsabilidade da agência, estavam realmente para anáise peo Departamento de Defesa dos EUA e pela Força Aérea dos EUA. Deste modo, estas agências militares não seriam oficialmenet vistas como envolvidas com a investigação UFO.

Também, recentemente, o Coronel Nolla, que costumava ser o oficial de ligação da Guarda Nacional e Exército Reserva Portoriquenho com a Agência de Inteligência de Defesa dos EUA [DIA], similar a CIA nos militares americanos, declarou sob juramento em uma audiência no Senado de Porto Rico que os militares e a Agência de Defesa Civil tinham estado investigando os muitos avistamentos UFO e as mutilações de gado que tem acontecido em Porto Rico desde 1975.

O Programa de Desinformação  é Exposto

Por estes mesmos dias, Mr. Freddie Cruz, Diretor da Agência de Defesa Civil em Lajas, expôs este programa de desinformação de Roman e Rodriguez em uma entrevista que fizemos com ele sobre um importante incidente UFO que ele e várias outras pessoas testemunharam na tarde de terça-feira, 28 de abril de 1992, quando todos eles viram um caça a jato caçando um disco voador na área.

“Isto aconteceu às 5:00 P.M., – ele disse -, …eu estav a consertando meu caminhão aqui e ouvimos umm jato voando baixo. Uma das crianças disse “Hey!, ohe aquela coisa! todos nós olhamos para cima e vimos uma coisa como um disco voador sendo caçada por um jato militar [mostramos a todas as testemunhas várias fotografias de aviões a jato militares e segund elas era um f-14 Tomcat]. O disco era metálico, prateado, muito polido e estava como se brincase com o jato.

“Ele era um pouco maior que o jato, não muito [ teria uns 70 pés de diâmetro]. Ele pararia no ar repentinamente e quando o jato estava perto de alcança-lo, ele se moveria em frente muito rapidamente, parando de novo mais longe. O disco era justamente isto, um disco voador, como dois discos achatados unidos pelas bordas e tinha um domo no topo. Por um momento, na medida em que o jato estava novamente para alcança-lo, o disco se partiu no meio! A parte superior se separou da parte inferior e então cada parte ou seção voou embora, uma para sudoeste  outra para leste. O jato permaneceu circulando lá na área como se não soubesse o que fazer, e então voou para leste”.

Cruz declarou: “Isto me convenceu que eu devia falar o que eu sabia sobre a situação. Não é justo continuar com a desinformação de Roman e outros. Atualmente, há uma investigação secreta sendo realizada pela Agência de Defesa Civil de Porto Rico. Sei que tudo é verdade, porque eu próprio tenho visto os UFOs.”

A este ponto Cruz nos revelou outros eventos importantes que ele testemunhou, juntamente com várias outras pessoas. “Em novembro passado [1991], a polícia recebeu uma pista sobre a chegada esperada de estrangeiros ilegais vinda em barcos da República Dominicana no setor da prais de ‘El Papayo’, localizada entre La Parguera, Lajas e Guánica, um pouco mais a leste. Enquanto estávamos lá, às 9:00 p.m., vimos uma grande estrela brilhante no céu. Repentinamente, a estrela começou a desc er muito rapidamente e era uma coisa enorme!… Um UFO, um disco voador do tamanho de um estádio! Era muito brilhante e tinha luzes coloridas ao seu redor.

“Ele permaneceu lá imóvel a aproximadamente 7,6 metros da superfície do mar. Era grande, realmente grande, e permaneceu lá por aproximadamente meia hora. Então ele voou muito rapidamente para cima e desapareceu no céu. Isto realmente nos abalou. Serei honesto, quando aquela coisa desceu, engatinhei para baixo do meu caminhão e permaneci lá até que aquilo fosse embora.

“Também, Martin, temos observado a Laguna Cartagena e temos visto objetos redondos ou ovóides brilhantemente coloridos quando eles sobrevoam o lugar fazendo voltas em ângulos fechados… e algumas vezes eles entram na lagoa e desaparecem sob a água! Os UFOs estão lá, realmente estão lá! Então, isto é o porque não posso continuar calado enquanto Roman e outros ridicularizam e satirizam as pessoas que tem visto estas coisas lá! Isto não é justo. O nosso povo diz o que tem visto porque ele sabe que, seja o que for que esteja acontecendo por lá, é importante. Conheço a maioria destas pessoas e sei que elas são sérias, honestas e decentes. Elas merecem algum respeito.”

Finalmente, Mr. Cruz declarou que: “Há UFOs na Laguna Cartagena, e algo estranho está acontecendo nas instalações do aerostato radar! Se não,porque os caminhões brancos da NASA tem que entrar nos territórios do aerostato por volta das 2:00 a.m., escoltados por veículos jipe militares omni [hummers] , a um tempo quando ninguém os vê? Porque fazer isto de tal maneira escondida? O que faz a NASA em uma guerra anti-drogas? Nada que saibamos. Para mim, há uma base alien por lá e as autoridades sabem sobre isto ou algo assim, e eles não querem que ninguém mais saiba sobre o assunto.”

Como matéria de fato, um oficial da polícia de alto escalão da zona, explicou confidencialmente para nós que quando os policiais que foram selecionados para a segurança na entrada da estrada para a instalação do aerostato foram instruídos, isto foi feito por agentes federais dos EUA [supostamente do FBI] e ele, bem como os policiais, ficaram todos surpresos pelas muitas perguntas relacionadas a UFO e a alien que eles fizeram a eles. Eles perguntariam algumas coisas sobre a experiência pessoal do policial e perguntas pessoais, mas de repente eles mudavam a linha de questionamento para coisas assim: “Você tem visto UFOs ou discos voadores? Você tem sido contactado por aliens? Você acredita em UFOs? Alguém na sua família teve alguma experiência UFO? De tempos em tempos este tipo de questionamento voltaria em suas entrevistas e re-instruções, enquanto também usavam um polígrafo ou detector de mentira no policial durante as sessões de interregatório.

Como dissemos anteriormente, tudo isto é evidência circunstancial, mas evidência circunstancial que quando analisada junta e logicamente, fortemente sugere a possibilidade de realmente existir uma base alien na zona.     Os fatos mencionados são apenas uma pequena percentagem dos muitos incidentes relacionados a UFO e aliens lá. Para nós relatarmos toda esta informação sobre a situação exigiria um livro inteiro, mas para o leitor interessado, este relato dará uma idéia geral da importância do que está atualmente acontecendo na região sudoeste de Porto Rico.

Mas vamos ver alguns outros casos de outras regiões de Porto Rico.

Caçada de um UFO em “El Yunque”

Este incidente aconteceu em 4 de julho de 1989, e várias testemunhas que vivem no setor de Sabana / Yuquiyú da cidade de Luquillo, uma área próxima da Floresta Tropical Nacional Caribenha, no leste da ilha, foram capazes de ver quando um UFO descrito como “um objeto oval brilhante como uma estrela” foi caçado por dois caças a jato que foram enviados para intercepta-lo pela Estação Naval Roosevelt Roads em Ceiba, perto da área.

Segundo Mrs. Rosa Dávila de Quiñones, residente no setor de Sabana [a única testemunha que foi voluntária para ser identificada para o relato], neste noite houve um blecaute de energia elétrica na área e ela estava falando sobre isto com seus vizinhos quanto todos eles viram, por volta das  8:30 P.M. o UFO voado sobre a supramencionada floresta e a montanha El Yunque [famosa pelos muitos avistamentos UFO e incidentes que tem ocorrido lá]. Segundo eles o UFO estava muito brilhante e tinha uma forma oval. “De início ele parecia uma estrela branco-azulada muito grande e brilhante, mas então começou a se mover muito rapidamente e fazendo vários ângulos em alta velocidade e foi então que todos entenderam que isto era algo estranho, algo não normal”, disse Mrs. Dávila.

Ela continuou para explicar que depois de várias passagens e voltas sobre as montanhas lá na floresta tropical, o UFO começou a descer, se dirigindo diretamente em um ângulo de 45 graus na direção da montanha El Yunque, e então, todos viram dois caças a jato se aproximando da área do leste, se dirigindo para o UFO. Todas as testemunhas estavam certas que os caças a jato haviam sido enviados pela Estação Naval Roosevelt Roads, e os viram se aproximando do objeto luminoso. Naquele momento, o UFO mudou o curso em alta velocidade e se acendeu mais brilhantemente com uma luz branca, desaparecendo no céu sobre as montanhas Pitahaya, a sudeste da Montanha Luquillo, ainda sendo caçado pelos caças a jato. Todos os vizinhos ficaram atônitos com o que tinham visto.

Coincidentemente, eu estava no setor de El Yunque naquele mesmo dia examinando outras coisas relatadas para mim relativas aos UFOs lá, e por causa disso sou testemunha da falta de energia elétrica em Rio Grande e Luquillo, mas infelizmente, deixei o local às 7:30 P.M. e perdi o incidente do UFO com os caça a jato, porque de outra forma eu poderia ter sido capaz de filmar isto com a minha câmera.

“Bola de Luz” em Guavate

Na sexta-feira, 22 de junho de 1990, Mr. José Antonio Valdés, sua esposa Matilde e um oficial militar amigo deles que os estava visitando em cas, foram todos testemunhas de um ourto encontro UFO surpreendente.

Naquela tarde, às 6:30 P.M., os dois homens estavam fazendo alguns consertos na casa de madeira de Valdés no setor de “Los Piñeros”, em Guavate, Cayey, isto na parte centro leste da ilha de Porto Rico, quando de repente eles vira, uma grande e estranha “bola de luz” voar sobre a casa de Valdés a grande velocidade. A “bola” foi descrita por eles como “uma bola redonda de luz amarela brilhante com uma luz vermelha muito brilhante no centro”. Não foram observados mais detalhes sobre o UFO por eles. Segundo as testemunhas a “bola de luz” estava voando horizontalmente “em uma trajetória do nordeste para o sudoeste” e tão logo ela passou sobre eles, “apareceram quatro jatos militares como se uma trilha ou a caçando em alta velocidade”.

Os jatos foram descritos como de “… uma estranha cor azul-acinzentada metálica, com dois motores impulsionadores e todos eles tinham asas posicionadas para trás e voavam muito rapidamente”. Esta descrição combina com aquela dos caça a jato da Marinha dos EUA, os F-14 Tomcat. “Os jatos estavam voando muito baixo sobre a área e circulando no céu – segundo as testemunhas – como se procurassem por algo, então eles foram na mesma direção que a bola de luz tomou, para sudoeste, e desapareceram”. O aparente tamanho do UFO foi estimado como três vezes o tamanho de um dos jatos que eles viram. Então, como os F-14 são aproximadamente de 18,9 metros de comprimento, então o tamanho do UFO deve ter sido aproximadamente de 54,9 metros.

“Somente uns cinco ou seis minutos haviam se passado depois que os jatos voaram sobre a área quando todos eles viram um grande jato com uma coisa redonda achatada no topo voar sobre o mesmo setor e na mesma direção que o UFO e os caças a jato tinham previamente tomado”, disse Valdés. Segundo o oficial militar lá presente, que entrevistamos sobre o incidente, este último grande jato era um jato radar  AWAC, e ele, bem como as outras testemunhas estavam certos que o UFO estava sendo caçado tanto pelos caças a jato quanto pelo jato radar, todos eles certamente vindos da Estação Naval Roosevelt Roads.     O oficial declarou estar certo de que o que ele viu foi uma perseguição e uma operação de busca realizada pelos caças a jato e o jato AWAC.

“Venho frequentemente a esta área, e esta não é a primeira vez que vejo UFOs aqui. Em muitas ocasiões você pode ver estes objetos voando ao redor e subitamente descerem em certas áreas das montanhas e desaparecerem lá. Para mim as aeronaves militares, especialmente os jatos  AWAC, estão tentando localizar o lugar para onde este objeto possivelmente vá na área. Talvez elas vão para o subterrâneo aqui em algum lugar, e isto é o que eles estão verificando”, disse o oficial.

O UFO que eles todos observaram era totalmente sem som e muito brilhante. UFOs similares tem sido observados na região Guavate frequentemente, e tenho investigado um número de avistamentos registrados. Temos o nome e endereço do oficial, mas ele nos pediu para não revelar seu nome ou posto militar por causa do medo de possível perseguição devido a sua posição. Para aqueles interessados, temos várias testemunhas de nossa entrevista com ele sobre este incidente voluntárias para se apresentarem e verificaro que ele nos disse, se houver alguma necessidade de fazer assim.

O UFO Brincalhão

Em 28 de junho de 1990, Mr. Jose Rodríguez, residente no setor de Barrio Playita, em Yabucoa, a leste da ilha, também perto da Estação Naval Roosevelt, viu uma outra surpreendente caçada de UFO por caças a jato dos EUA. “O UFO brincou com os jatos, se esquivando deles em grande velocidade por uns poucos minutos e então se afastando muito rapidamente em grande velocidade e desapareceu na direção sudoeste, ainda sendo seguido pels jatos a distância”, ele disse durante a entrevista.

Encountro Perto da Base de Comunicações da Marinha em Juana Diaz

A seguinte narrativa nos foi dada por uma fonte confidencial, um oficial militar estacionado na Base de Comunicações e Reserva do Exército dos EUA de Fort Allen, em Juana Díaz, Porto Rico, no sul. Isto tinha a ver com um outro encontro UFO / caças a jato. Depois de concordar em não revelar o nome dele ou seu posto, ele explicou o que aconteceu na base na noite de 18 de julho de 1990 às 12:10 A.M.

Segundo o oficial, naquela noite os soldados e os oficiais estavam todos em suas barracas, exceto aqueles envolvidos em seus deveres, quando subitamente o perimetro da base se tornou iluminado por uma poderosa luz branca. Nossa fonte explicou que naquele momento um oficial de alto escalão deu uma ordem pelo sistema de intercomunicações para “… todo mundo ficar dentro das barracas e não sair ou de qualquer outra instalação da base sob qualquer circunstância”.

A luz era muito brilhante, mas quando a ordem foi dada ele já estava olhando por uma janela. O que ele viu lhe deu um choque.

“Em uma área da costa, exatamente acima da base e um pouco ao sul estava um objeto como um disco brilhantemente iluminado. Ele era circular e de aparência metálica… como se fosse de alumínio – ele afirmou -, e ee tinha o qe pareciam ser muitas janelas em sua mardem do centro com luzes amareladas brancas rodndo nelas. Na parte inferior do objeto havia uma turbina redonda como uma protusão com muitas luzes coloridas girando ao redor dela, e sob o objeto um raio muito brilhante de luz branco-rosada estava emergindo, descendo como se procurasse por algo. Esta mesma luz foi a que iluminou o perimetro da base.”

Ele ficou parado lá por um momento, não acreditando em seus olhos, ele explicou, quando repentinamente “… ouvi um som alto dos motores de jato e dois jatos voaram em grande velocidade sobre a base. Para mim [um homem com conhecimento de aeronaves militares] os jatos eram do tipo F-18, e foram despachados de algum lugar para examinar o UFO perto da base. Tão logo os jatos apareceram e foram na direção do UFO, o objeto partiu em grande velocidade para o oeste com o som de vento precipitando-se e sendo seguido pelos jatos. Este jatos devem ter sido enviados da Estação Naval de Roosevelt Roads, porque por tudo que sei não há F-18s na Base Aérea da Guarda Nacional de Muniz na Isla Verde. A propósito, estes F-18s devem ser de um porta-aviões participando dos exercícios militares UNITAS sendo realizados em Roosevelt Roads e na ilha Vieques, porque regularmente não há F-18s em Porto Rico.”

O que ele disse a seguir me surpreendeu: “algo grande está acontecendo aqui com toda esta atividade UFO. Recentemente, foi mostrado a todo pessoal militar em Fort Allen vários vídeos nos quais fomos informados da realidade sobre os UFOs. Eles mostraram um velho filme em branco e preto sobre um UFO acidentado que supostamente aconteceu no Novo México a muitos anos atrãs, e todos vimos a nave, que estava semi-enterrada no solo em um ângulo de 45 graus, e havia vários corpos da tripulação do UFO. Segundo o que eles nos mostraram estes seres tinham 1, 50 metro de altura, magros, muito pálidos e tinham grandes cabeças carecas. Eles tinham grandes olhos redondos e um pequeno nariz, mas não me recordo de boca ou orelhas.

“Eles também nos mostraram umm outro video de UFOs alegadamente filmado por eles ao redor da ilha. Eles queriam que nós soubéssemos que os UFOs são reais, mas eles não elaborariam quando pedimos mais detalhes. Você sabe; para mim, o que eles queriam [os oficiais que instruíram sobre UFOs] era que nós soubéssemos que era real e que os seres não são perfeitos, eles são falíveis, que suas naves se acidentam e que eles também morrem, que eles não são invulneráveis. Aparentemente eles queriam nos condicionar para a idéia que eles existem e aceitar a possibilidade de algum dia ter que intervir com eles. Os oficiais não diriam que estas eram naves alienígenas ou algo assim, apenas que elas eram reais e que o governo as tem observado estreitamente. Finalmente, eles nos disseram que eles estão esperando algo grande, eles não explicariam o que, mas tinha a ver com isto, e que se isto acontecesse nós teriamos que lidar com a situação e com as pessoas, o público”, disse o oficial.

Este relato confidencial foi mais tarde confirmado por outros duas fontes militares independentes que nos abordaram no UFO Photo Exhibit que partilhamos com Mr. John Timmerman, do CUFOS, no Plaza Las Américas Shopping Mall, em San Juan, Porto Rico, na semana de 13 a 18 de agosto de 1990. Eles afirmaram que grupos militares especiais na ilha tem recebido instruções oficiais sobre a situação UFO desde 1988, o ano no qual os caças a jato foram abduzidos pelo enorme UFO de forma triangular em Cabo Rojo e San Germán.

UFO Caçado por Helicópteros em Caguas

Aa 5:30 P.M. de 19 de dezembro de 1990, Mr. Mario Orlando Rodríguez, residente na área urbana de Bairoa Park, em Caguas, no centro-leste de Porto Rico, viu algo que ele nunca esquecerá. Segundo o relatyo dele, naquele entardecer ele estava trabalhando em casa no seu  estúdio [ele é um artista gráfico comercial free lance] quando ele ouviu o som de motores de helicóptero voando muito baixo sobre a casa dele. Curioso ele foi para fora para ver o que estava acontecendo e, para sua surpresa e espanto, ele testemunhou algo que ele nunca esperou ver.

“Quando sai, vi helicópteros militares verde escuro sem identificação, números ou identidades voando muito baixo sobre as casas. Eles se pareciam com helicópteros comuns usados pela Guarda Aérea Nacional de Porto Rico. Um deles tinha uma abertura de um de seus lados e havia um homem lá preso por agum tipo de cinto. O homem estava gritando algo que não pude ouvir por causa dos motores dos helicópteros, e ele estava apontando em uma direção específica. Quando olhei naquela direção havia uma coisa estranha lá… Era algo como uma grande bola, como uma grande pérola com uma aura amarelada a circundando, e no centro, no interior, havia como uma luz avermelhada. Era um UFO, não tenho dúvida quanto a isto. O UFO estava voando em uma trajetória de sudeste a noroeste e os helicopteros o estavam caçando.”

Perguntamos a Rodríguez se ele podia dizer algo sobre as dimensões do UFO e ele respondeu que: “A coisa era tão grande quanto um avião comercial jumbo 747 comparado aos helicópteros. E a coisa mais estranha era que isto estava voando totalmente ssem som, sem som de tudo.”

Zahíra Milagros Larregoity, uma menina de 13 anos, uma outra testemunha do incidente, explicou que “eu estava vindo a casa de Mario para pedir algum gelo  de erpente vi esta grande bola de luz amarela voando acima de mim sem qualquer barulho e voar sobre a montanha e desaparecer; então eu vi alguns helicópteros caçando a bola na mesma direção. Era uma uz muito bonita. Algo bom de se ver.”

A montanha sobre a qual isto aconteceu está ao norte da área urbana de Bairoa Park e Mirador Bairoa, e em ocasiões anteriores outros UFOs tem sido avistados sobre esta mesma montanha. Em uma ocasião eu mesmo fui testemunha de um tal avistamento em novembro de 1991.

Os helicópteros envolvidos devem ter sido da Guarda Aéra Nacional de Porto Rico ou de Roosevelt Roads, mas nenhum deles reconheceria um tal incidente ou sua participação na caçada. Um detalhe interessante é que o objeto visto por Rodríguez é similar aquele visto por José Antonio Valdés, sua esposa Matilde e o oficial militar em Guavate, Cayey, alguns meses antes.

“UFO Elétrico” em Carraízo

Para que os leitores tenham uma idéia posterior sobre a importância deste tipo de incidente acontecendo em Porto Rico, aqui elaboraremos sobre um incidente chocante que aconteceu em março de 1991 na cidade de  Trujillo Alto.

Isto aconteceu na noite de domingo, 17 de março de 1991. Tudo estava quieto e normal no setor Carraízo sector da cidade de Trujillo Alto. Mas depois da meia-noite houve uma súbita explosão de luzes, cores e um estranho som forte.

Por muitas milhas ao redor, a escuridão noturna se tornou iluminada e muito brilhante com uma luz de proporções incríveis. A distância, podia ser visto como o céu noturno tinha adquirido uma intensa cor turqueza-azul e ao mesmo tempo a energia elétrica falhou em vários setores a milhas de distância do lugar. Por uma vez tudo foi iluminado por uma uz muito brilhante esverdeada que se mudou em uma luz laranja. Acrescentando um toque espetacular a tudo isso, um brilhante raio de luz branca podia ser visto se projetando acima no céu, se movendo sa esquerda para direita e vice-versa, em uma movimento como um ventilador e com uniformidade. Isto foi visto por milhares de testemunhas por milhas ao redor de Trujillo Alto. Contudo, aqueles mais perto da área, e aqueles em lugares altos nos setores de Rio Piedras, Carolina e Trujillo Alto, viram algo ainda mais espetacular.

Diretamente sobre a sub-estação de energia elétrica localizada exatamente atrás da área urbana de El Conquistador, no setor Carraízo, estava um imenso UFO circular, imóvel em pleno ar e radiando uma quantidade intensa de luz. Muitos residentes de El Conquistador puderam ver como a energia elétrica da sub-estação estava sendo atraída para a estranha nave acima dela. Algo como uma cortina de energia elétrica estava fluindo para dentro da parte inferior do enorme objeto. Demorou alguns momentos para que as pessoas se reunissem nas cercanias da sub-estação, enquanto muitas outras telefonavam para a policia ou estações de rádio para relatarem o que estava acontecendo ou para pedirem informação sobre o fenômeno que estavam vendo.

PARTE QUATRO

Um daqueles presentes lá, Mr. Josue Marrero, descreveu tudo como algo retirado de um filme de Steven Spielberg: “Isto era enorme. E a luz era intensa como a luz do sol. Era como se a noite se tornasse dia. E a energia elétrica estava subindo em uma parede de faíscas e descargas elétricas subindo. Eu nunca tinha visto algo assim! Eu até mesmo tive que afastar meus olhos dele, a luz era brilhante demais e os feria.”

Mr. José Miranda, uma outra testemunha que mora na Avenida Diego Velázquez, em El Conquistador, afirmou que: “O que vi quando olhei pela janela de trás depois que a luz brilhante engolfou tudo, era algo o qual eu pude apenas ver aproximadamente um quarto de seu tamanho e forma. Ele estava imóvel lá no ceu e para mim era algo redondo, algum tipo estranho de nave com uma borda redonda metálica como níquel brilhante e na parte de baixo, que é o lado que eu pude ver melhor, seguindo aquela borda estava uma fina luz verde fosforescente e a seguir uma mais no centro onde uma outra luz azul-violeta fosforecente e em seu centro aquela luz muito poderosa branco brilhante, como a luz de solda. Eu vi isto e os raios elétricos, as descargas subindo, em cores, algo assim. Toda esta área era como se fosse dia claro, e as luzes mudavam de verde para azul e para laranja… assim. Eu vi isto lá em cima por trinta segundos… e então a energia elétrica falhou completamente e a coisa disparou para o norte em grande velocidade. Corri para a janela da frente para ver mas isto já tinha ido embora.

“Minha esposa, que tinha visto parte do que aconteceu, estava gritando na cama devido a impressão que isto causou nela, porque nunca tínhamos visto uma nave tão grande como aquela e tão perto pendurada sobre as nossas casas. Aquela coisa facilmente cobriria a maior parte da área porque era grande demais… Era enorme, de fato enorme. Não era nada como um avião ou algo assim. Para mim, o que vi foi uma nave alienígena, algo não normal… algo que não é deste planeta.”

Seu vizinho, Mr. Rafael Benítez, um psicólogo profissional que conhecemos pessoalmente, acrescentou sobre o que ele viu: ” Quando olhei para cima pela janela de trás, porque tudo era como se fosse dia claro e a energia elétrica estava faltando, vi algo como três fontes de luz muito brilhantes em seu centro sob isto. Também vi como uma parede de raios elétricos subindo, como diminutas capilaridades elétricas, pequeninas descargas elétricas subindo, e você podia ouvir um som de chhh, chhh, chhh, algo como quando você ouve eletricidade estática, algo como isso. A parede de eletricidade era mais larga em sua base e enquanto subia para aquela coisa no ar se tornava mais fina. Ao redor da coisa havia algo como uma nuvem que a rodeava.

“Esta coisa que eu vi não era algo que eu conheça como de tecnologia terrena. As luzes eram intensas demais… como faróis brilhando para baixo, mas realmente intenso, cegante. Para mim o que vi foi uma nave alien que nos visitou, absorveu a energia da estação elétrica, então carregou seja o que for que quisessem recarregar em sua nave, talvez eles tivessem problemas de energia, e foram embora.”

Danny Rodríguez, um jovem homem que vive perto da sub-estação, também viu os incríveis efeitos de luz lá quanto dos sistemas explodiram, mas infelizmente ele não olhou para cima de sua casa, não viu os objetos que muitos outros viram lá. Mas ele se lembra claramente que depois que este incidente terminou, ele pôde ver por vários minutos um estranho raio de luz verde fosforescente que descia do céu em um ângulo de 45 graus na direção da estação. O raio de luz estava vindo de noroeste. “Foi como um poderoso raio de flash de luz vindo do céu, e ficou lá por alguns minutos. Algo não natural aconteceu aqui” ele disse.

Mr. Genaro Bigas, também um vizinho que reside na Avenida Diego Velázquez, explicou que quando ele foi para sua varanda para ver o que estava acontecendo, ele viu, sobre seu teto, algo se estendendo sobre ele “… algo como um enorme semi-círculo de aproximadamente 180 graus. Ele ficou lá no ar sobre as casas. Naquele momento vi que estava mais escuro na parte de baixo e estava emitindo brilhantes luzes laranjas de seus lados por toda sua volta. Esta era a fonte de luz que estava iluminando tudo aqui. Havia algo sólido lá para cima, porque você podia ver em sua borda algumas luzes laranja e então acima disto você podia ver as nuvens e o céu, mas da borda para dentro você podia ver uma sólida superfície escura. Então, depois, algumas luzes brancas muito brilhantes apareceram lá na parte de baixo no centro dele.

“O que eu vi é compatível com o que é chamado de disco voador. Era enorme, realmente grande, tão grande quanto quase toda esta área residencial. Mas estava lá em cima e imóvel. Como podia ser, esta coisa lá em cima apenas parad no ar? Isto devia sr muito pesado… Era incrível, mas todos vimos isto. Uma outra coisa é que enquanto a coisa esteve lá em cima eu pude sentir uma sensação de calor, quando isto deixou a área todos sentimos uma brisa refrescante de vento no mesmo momento.

“Estou triste de não ter saído completamente, para dar uma olhada melhor nisto. Mas talvez seja o nosso instinto de proteção que me evitou de fazer isto. Isto eu posso dizer: se era algo alien, ele não era hostil, porque não nos causou mal, exceto pelos danos na sub-estação.”

Mrs. Evelyn Suárez, residente em Colinas de Fairview, também em Trujillo Alto, mas a aproximadamente a 3 milhas de distância de onde ocorreu o incidente, foi capaz de ver o objeto suspenso sobre o setor de  El Conquistador: “Quando eu vi, era enorme, enorme. Era redondo e seu metal externo parecia-se com cobre, com uma luminosidade laranja toda a seu redor. Se você viu o filme Starman, o UFO nele era algo como um enorme globo de luz vermelho-alaranjada com muitas luzes; era algo exatamente como isso. Ele também tinha luzes verdes e outras coloridas ao seu redor. Estou certa que havia outros objetos luminosos menores ao redor dele, muito perto dele. Oh! isto de fato era uma nave, que é o melhor meio de eu descrever isto para você. Nunca esperei ver algo assim, nunca mesmo.”

José e Sonia Adorno, que vivem no 15o. andar do condomínio Los Cedros, também em Trujillo Alto, a aproximadamente 5 milhas de distância, revelaram que viram isto do apartamento deles. Ela comentou: “Era por volta das 12:20 A.M., e subitamente tudo se tornou muito brilhante. Quando olhamos para fora vimos algo muito grande e redondo no ar cercado por algum tipo de nuvem. Havia uma luz brilhante amarelada, azulada que subia do solo para algo como uma enorme plataforma que estava lá em cima no ar sobre El Conquistador. Era algo redondo e um pouco achatado no topo com uma luz amarelo-alaranjada por toda sua volta. Eu estava assustada pelo que vi, e meu marido disse que não era nada, talvez apenas o mal funcionamento de um transformador elétrico, mas não era algo assim, era algo muito esquisito. Então aquela coisa voou para o norte e desapareceu em grande velocidade.

“Era algo enorme. Eu compararia seu tamanho com aquele do estacionamento do Trujillo Alto Plaza Shopping Center, mas de fato, na distância em que eu o estava vendo. Isto era quão grande era ele. Nunca tinha visto algo assim. Muito mais pessoas devem ter visto também.” Sonia estava certa, porque a vizinha dela, Mrs. Rosa Flores, também viu.

Ramses Díaz, um jovem que vive na área urbana de Ciudad Universitaria, nos arredores de Trujillo Alto, também viu isto juntamente com seu irmão: “Ele era luminoso – ele disse -, algo enorme em uma nuvem, realmente grande. Uma grande bola de luz laranja com muitas luzes menores nele. Eu telefonei para o Serviço Atmosférico Nacional em Isla Verde, e seus previsores disseram que não havia tempestade elétrica naquela noite e que eles não podiam explicar o que as pessoas estavam descrevendo e o que estava acontecendo. Depois que isto aconteceu, eu contactei o CUFOS, em Illinois, EUA, e falei com Mr. John Timmerman, que me enviou alguns formulários de relato para que eu preenchesse e especificasse os detalhes do que eu vira. Ele disse que se o que eu estava descrevendo era acurado, o que nós vimos foi um  UFO.”

Mr. Sergio Serrano viu tudo isso da estação de serviço de gasolina onde ele trabalha na Rua De Diego, em Sabana Llana, Rio Piedras. “Eu vi a coisa quando ea voava sobre nós indo para Trujillo Alto. Ela estava vindo do setor de El Yunque.” A testemunha descreveu um objeto similar ao descrito pelas outras testemunhas.

Muitos residentes da área  Covadonga Residential, em Trujillo Alto, entre eles Miss Elizabeth Torres, também viram este incrivel avistamento. ‘Foi belo”! – ela disse – Era umm disco voador. Quando tudo se tornou iluminado saimos para ver e vimos aquela coisa grande lá no ar, parada imóvel sobre as montanhas, sobre Carraízo. Era um disco, muito grande, com luz laranja e luzes menores trocando de cor por toda sua volta. Belo! Todo este lugar estava cheio de pessoas vendo a coisa lá.”

Mr. Luis Rodríguez, um guarda de segurança que patrulha o território de uma companhia em Carolina, perto da companhia Travenol, declarou que viu o objeto enquanto ele voava muito rápido para oeste, na direção de Trujillo Alto. Ele afirmou que era enorme, como uma bola de luz laranja com muitas luzes coloridas menores nele, e que parecia vir do oeste. ‘Aquela coisa veio de El Yunque. Era imensa. Eu ainda fico nervoso quando penso no que vi”, ele explicou.

Mr. Enzo Rizzo, que vive em Los Olmos Condominium, em Rio Piedras, a algumas seis milhas de distância de Carraízo, relatou também ter visto o incidente, observando: ” … o objeto e sua grande luminosidade, bem como uma série de raios muito potentes e brilhantes de luz branca saindo do topo dele e se projetando para cima no espaço enquanto se movia em uma movimento como o de um ventilador.” Rizzo, um italiano que havia chegado a Porto Rico por aqueles mesmos dias, disse que nunca antes em sua vida viu algo como aquilo da noite de domingo, 17 de março de 1991. “Foi uma vista incrível, algo fora deste mundo.”, ele disse.

Brigadas de Conserto de Sistema de Energia Elétrica

No dia seguinte, várias brigadas da Autoridade de Energia Elétrica de Porto Rico estavam reparando os danos na sub-estação, que chegaram a 355.000 dólares em perdas. Postes elétricos queimados, várias linhas de energia de alta voltagem, e um número de transformadores queimados estavam entre os equipamentos danificados. Entrevistamos dois supervisores e engenheiros da Autoridade de Energia Elétrica de Porto Rico lá sobre o que ocorreu, Mr. José Luis García e Mr. Orlando Lozada.

Segundo Lozada: “Ainda não podemos explicar o que causou todos estes danos, Não havia razão para isto acontecer como aconteceu. Primeiramente, houve um curto circuito muito poderoso devido ao aparente contacto entre duas linhas de alta voltagem que estavam longe o suficiente uma da outra para evitar que isto acontecesse… mas de alguma forma aconteceu. ”

Tecnicamente, a resposta dele já implicou que houve um fator misterioso envolvido com seja o que for o que aconteceu. Mas havia uma outra questão: se o que aconteceu foi um curto circuito, como foi oficialmente explicado, porque então os sistemas não se desligaram para evitar o acontecimento, ao invés de permitir que a energia elétrica continuasse a fluir como ela fez por vários minutos, aumentando a amperagem a níveis surpreendentes?

Para isto, o engenheiro García respondeu que: “Esta estação tem um sistema automático para evitar isto. Tão logo haja uma sobrecarga, este sistema supostamente corta o fluxo de energia. Contudo, o que aconteceu aqui foi de tal magnitude que o sistema de emergência não respondeu. Isto causou uma extrema sobrecarga de energia, e o nível de energia foi a infinito. Isto explica os danos aqui…”

Um outro supervisor lá disse que: “O que aconteceu apenas não foi natural. Não há explicação para como as coisas aconteceram aqui na noite passada.”

Depois de fazer contacto com “um suprvisor altamente posicionado da Autoridade de Energia Elétrica de Porto Rico, ele nos confidenciou que “os controladores ou “raisers” deixaram de funcionar lá, e que o tipo de falha que aconteceu aqui não é uma falha comum, até mesmo mais lá, onde o equipamento tem uma boa manutenção. Chamamos este tipo de descarga de “tiroteios”, e neste caso, porque os raisers falharam de operar, nós chamamos a isto exatamente assim: “tiroteios”. Mas em Porto Rico há muitos “tiroteios” devido a causas desconhecidas ou misteriosas. Algo que pode explicar isto é o que um empregado me disse relativo a ocorrências similares em Arecibo [aproximadamente a 40 milhas de San Juan]. Ele explicou o que ele viu quando um disco voador desceu e começou a absorver energia de uma outra sub-estação lá em Cruce Dávila, em Barceloneta, perto dos Laboratórios Farmacêuticos Abbot, com efeitos similares a estes vistos em Trujillo Alto.”

Tudo indica que um enorme UFO foi realmente observado por inúmeras testemunhas em Trujillo Alto e nas comunidades vizinhas, um UFO que aparentemente controlou de alguma forma os sistemas de emergência da sub-estação evitando que eles cortassem o fluxo de energia. A subsequente grande sobrecarga de energia foi aparentemente o que este objeto ou nave estava procurando, talvez para recarregar alguns sistemas internos ou para alguma outra coisa que nós nem mesmo podemos imaginar, por agora. A coisa importante aqui é que a partir deste momento mais de uma centena de testemunhas já tem se apresentado, todas elas dando descrições acuradas similares do objeto visto lá, testemunhas que estavam tão distantes quanto dez milhas e que não se conheciam entre elas. O Serviço Atmosférico Nacional confirmou que não houve tempestade elétrica na vizinhança de Porto Rico, e funcionários da Autoridade de Energia Elétrica de Porto Rico e do governo, explicaram oficialmente, tentando encobrir o incidente. Mas para os residentes das comunidades de El Conquistador e de Carraizo uma coisa está clara: eles estão certos de terem sido visitados por uma nave alien, possivelmente de origem extraterrestre.

Fenômeno Periférico

Além do avistamento vários outros fenômenos foram relatados:

1. Um número de residentes em  El Conquistador com ventiladores de tetos em suas casas relataram que os braços do ventilador se curvaram para cima enquanto o UFO esteve acima da casa deles, como se uma forte força magnética os atraisse.

2. Outras testemunhas relataram que seus ventiladores de mesa começaram a circular para trás, voltando ao normal depois que o UFO partiu.

3.  As máquinas de faz de telefone de algumas testemunhas começaram a trabalhar por conta própria e apagaram as mensagens gravadas.

4.Uma senhora residente em  El Conquistador e parente da testemunha José Miranda, que estava com uma placa de metal em sua cabeça devido a uma cirugia cerebral, afirma que enquanto o UFO esteve lá ela sentiu uma dor muito aguda na cabeça, sentindo-se melhor quando ele deixou o local.

5.No dia seguinte, depois de ter visto e fenômeno e o UFO lá, uma garota de 17 anos levitou em seu quarto, flutuou, e isto foi visto pela mãe dela.

Um outro detalhe interessante foi o comportamento apresentado pelos animais no setor. Muitos galos e cães dos vizinhos que lá eram conhecidos por seu comportamento barulhento, permaneceram totalmente silenciosos toda aquela noite até tarde do dia seguinte. Eles ficaram silenciosos e pareciam assustados. Ao menos dois shows especiais de entrevistas no radio foram transmitidos para as pessoas falarem sobre o que elas tinham visto e vivenciado. A maioria das narrativas foram similares as apresentadas aqui.

Há muitas perguntas ainda não respondidas sobre todos estes incidentes importantes apresentados neste relato, incidentes que são apenas uma fração de uma plétora de tais casos na ilha de Porto Rico. Mas sem dúvida estes eventos indicam que o fenômeno UFO/alien está muito perto da realidade diária de Porto Rico.

Por outro lado, cada dia recebemos mais relatos de jatos caçando UFOs e abduções/encontros com aliens por testemunhas idôneas e confiáveis por toda a ilha; apenas antes e terminar este relato, recebi mais um par, mas devido a falta de espaço aqui, não posso apresenta-los em detalhes. Algumas vezes, devido a quantidade de atividade UFO aqui, suponho se Porto Rico tenha sido selecionada como um lugar onde o  contacto aberto com uma espécie alien está sendo testado para examinar as reações e efeitos psicológicos e sociológicos de um tal contacto. Devemos nos lembrar que aqui, Porto Rico, é uma possessão territorial colonial dos EUA e é muito possível que “alguém” possa ter selecionado a ilha para um tal teste porque ela está sob a jurisdição dos EUA, e isto forneceria um exame muito de perto para o governo sobre a situação em desenvolvimento. Muitos acreditam que nos EUA e no exterior haja um acordo secreto entre o governo dos EUA e certas espécies de liens, e até mesmo embora não haja qualquer prova sólida específica sobre isto, há muita evidência circunstancial que etnde a implicar exatamente isto.

Na maioria dos incidentes descritos neste relato o relacionamento entre a situação UFO e a Estação Naval Roosevelt Roads, uma principal intalação militar dos EUA a leste de Porto Rico é evidente. Por causa disso, e relativo ao crescente número de incidentes UFO de todos os tipos e os muitos relatos de caças a jato caçando os UFOs, isto juntamente com o que algumas testemunhas tem visto relacionado aos UFOs vinda da estação naval, não posso ajudar além de supor e me perguntar: Estes caças a jato que são visto com os UFOs de fato estão caçando-os ou realmente os estão escoltando?

Ventos Solares Perdem Energia

Os Ventos Solares Perdem Energia – Os Mais Baixos Níveis Em 50 Anos

Notícias de Ciências da NASA para 23 de setembro de  2008

Rápidos destaques – note as consequências climáticas e a diminuição nos campos magnéticos ao longo com a pressão e o impacto na heliosfera… Gore pode ter que devolver seu Prêmio Nobel enquanto os Maias, Cayce e os indios Hopi podem ter mais verdadeiros e mais etéreos insight e conciência… observar o sol e o sistema solar nunca é tedioso…

Os físicos solares tem anunciado que o vento solar está perdendo pressão, atingindo o record mais baixo em 50 anos de Idade Espacial.

Este desenvolvimento tem repercussões através do sistema solar.

Curiosamente, a velocidade de milhão mph de vento solar não tem diminuído muito – apenas 3%. A mudança na pressão vem principalmente de reduções na temperatura e na densidade. O vento solar está 13% mais frio e 20% menos denso.

“O vento solar não está inflando a heliosfera tanto quanto costumava fazer”, diz McComas. “Isto significa menos escudo contra os raios cósmicos.”

Além  do enfraquecido vento solar, “Ulysses também descobre que o campo magnético subjacente do Sol tem enfraquecido mais de 30% desde meados da década de 1990“, diz Posner. “Isto reduz ainda mais o escudo natural.”

Os dados não publicados dos raios cósmicos de Ulysses mostram que, de fato, elétrons de alta energia (GeV), um menor mas intrigante componente dos raios cósmicos ao redor da Terra, tem pulado em número por volta de 20%.

Mas qualquer raios cósmicos extras podem ter consequências.

– Se a tendência continua, os astronautas na Lua ou em rota para Marte teriam uma dose maior de radiação espacial

– Sondas espaciais robóticas e satélites em alta órbita da Terra enfrentam um risco aumentado  de má funções de instrumentos e reinícios de computadores devido aos ataques dos raios cósmicos.

– Também, há estudos controvertidos que ligam o fluxo de raios cósmicos à nebulosidade e mudança climática na Terra.

Em 23 de setembro de 2008 em uma instrução na sede da NASA os físicos solares anunciaram que o vento solar está perdendo poder.

“A pressão média do vento solar tem caido mais de 20% desde meados de 1990”, disse Dave McComas do Instituto de Pesquisa do Sudoeste em San Antonio, Texas. “Este é o mais fraco desde que começamos a monitorar o vento solar a quase 50 anos atras”.

McComas é o principal investigador para o sensor de vento solar SWOOPS a bordo da espaçonave Ulysses, que mediu a diminuição. Ulysses, lançado em 1990, circula o sol em uma órbita única que o leva tanto aos polos do Sol quanto equador, dando a Ulysses uma visal global da atividade do vento solar:

Curiosamente, a velocidade de milhão mph de vento solar não tem diminuído muito – apenas 3%. A mudança na pressão vem principalmente de reduções na temperatura e na densidade. O vento solar está 13% mais frio e 20% menos denso.

“O que estamos vendo é uma tendência a longo prazo, uma incessante diminuição na pressão que começou em algum tempo em meados da década de 1990”, explica Arik Posner, o cientista da NASA do Programa Ulysses em Washington DC.

Quão não usual é este evento?

“É difícil de dizer. Temos estado monitorando o vento solar apenas desde os anos iniciais da Idade Espacial – do início da década de 1960 até o presente”, diz Posner. “Durante este período de tempo, isto é único. Como o evento se sobressai durantes séculos ou milênios, só se pode supor. Não temos dados que remontem tão longe.”

O enfraquecimento do vento solar tem repercursões em todo o sistema solar – a começar na heliosfera.

A heliosfera é uma bolha de magnetismo emanando do sol e inflada por proporções colossais de vento solar. Cada planeta de Mercúrio a Plutão e além está dentro dela. A heliosfera é a primeira linha de defesa de nosso sistema solar contra os raios cósmicos galáticos. Partículas de alta energia dos buracos negros e das supernovas tentam entratar no sistema solar, mas a maioria é defletida pelos campos magnéticos da heliosfera.

Certo: A heliosfera.

“O vento solar não está inflando a heliosfera tanto quano costumava fazer”, disse McComas. “Isto significa menos escudo contra os raios cósmicos”.

Além do vento solar enfraquecido, “Ulysses também descobre que o campo magnético subjacente do sol tem enfraquecido em mais de 30% desde meados da década de 1990, diz Posner. “Isto reduz o escudo natural até mesmo mais”.

Dados dos raios cósmicos não publicados de Ulysses mostram que, de fato, elétrons de alta energia  (GeV), um componente menor mas intrigante dos raios cósmicos ao redor da Terra, tem pulado de número em aproximadamente 20%.

Estas partículas extras não oferecem ameaça aos povos na superfície da Terra. Nossa atmosfera espessa e campo magnético planetário fornecem camadas adicionais de proteção que nos mantém seguros.

Mas qualquer raio cósmico extra pode ter consequência. Se a tendência continua, astronautas na Lua ou a caminho de Marte receberão uma dose extra de radiação espacial. As sondas espaciais robóticas e os satélites em alta órbita da Terra enfrentam um risco aumentado de mal funcionamento de instrumentos e reiniciações dos computadores devido aos ataques dos raios cósmicos. Também, existem estudos controvertidos que ligam o fluxo dos raios cósmicos à nebulosidade e alteração climática na Terra. Esta ligação pode ser testada nos anos a seguir.

Alguns dos efeitos mis dramáticos do fenômeno podem ser sentidos pelas espaçonaves Voyager da NASA. Depois de viajarem lá fora por mais de 30 anos, as duas sondas estão agora na borda da heliosfera. Com  a heliosfera encolhendo, as  Voyagers podem logo se encontrar do lado de fora olhando para dentro, empurradas para dentro do espaço interestelar muito antes do que esperado por alguém. Nenhuma espaçonave tem estado fora da heliosfera antes e ninguém sabe o que as Voyagers podem encontrar lá.

NASA está para lançar uma nova espaçonave chamada IBEX (Explorador de Fronteira Interestelar) que pode monitorar as dimensões da heliosfera sem realmente viajar para a margem do sistema solar. IBEX pode realmente ser capaz de “ver” a heliosfera encolhendo e antecipar a saída da Voyager. Sobretudo, IBEX revelará como o escudo de raios cósmicos de nosso sistema solar reage às mudanças nos ventos solares.

“O potencial para descoberta,” diz McComas, “é impressionante.”

Published in: on outubro 1, 2008 at 11:33 am  Deixe um comentário  
Tags: , ,