Campo Magnético da Terra

Uma Brecha Gigantesca no Campo Magnético da Terra

Dr. Tony Phillips

16 de dezembro de 2008

Cinco espaçonaves THEMIS da NASA tem descoberto uma brecha no campo magnético da Terra, muito maior do que qualquer coisa previamente pensada existir. O vento solar poder fluir pela abertura para carregar a magnetosfera para gerar poderosas tempestades magnéticas.

Mas a própria brecha não é a maior surpresa. Os pesquisadores estão até mesmo mais surpresos com o modo estranho e inesperado que ela forma, mudando as idéias a muito tempo mantidas sobre a física espacial.

“De início, não acreditei nisso”, disse o cientista do projeto THEMIS David Sibeck, do Centro Espacial Goddard. “Este achado altera fundamentalmente o nosso entendimento da interação vento solar-magnestosfera. ”

A magnetosfera é uma bolha de magnetismo que cerca a Terra e nos protege do vento solar.  Explorar a bolha é a meta chave da missão THEMIS, lançada em fevereiro de 2007.  A grande descoberta veio em 3 de junho de 2007 quando as cinco sondas acidentalmente voaram sobre a brecha exatamente quando ela estava se abrindo. Sensores a bordo registraram uma torrente de partículas de vento solar correndo para dentro da magnetosfera, sinalizando um evento de tamanho e importância inesperados

“A abertura era enorme – quatro vezes mais larga do que a própria Terra”, diz Wenhui Li, um físico espacial da Universidade de New Hampshire que tem estado analisando os dados. O colega de Li, Jimmy Raeder, também de New Hampshire, disse “1027 partículas por segundo estavam fluindo para dentro da magnestofera – isto é 1 seguido de 27 zeros. Este tipo de influxo é de uma ordem de magnitude muito maior do que pensávamos ser possível”.

O evento começou com pouco aviso quando uma golfada suave de vento solar enviou um “pacote’ de campos magnéticos do Sol para a Terra. Como um polvo envolvendo seus tentáculos ao redor de um grande caranguejo, os campos solares magnéticos se dobraram ao redor da magnestofera e a quebraram, abrindo-a. A rachadura foi realizada por meios de um processo chamado “reconectação magnética”. Alto acima dos polos da Terra, os campos magnéticos solares e terrestres se ligaram [reconectaram] para formar condutos para o vento solar. Os condutos sobre o Ártico e a Antártica rapidamenente se expandiram; dentro de minutos eles se entrelaçaram sobre o Equador da Terra para criar a maior brecha magnética até mesmo registrada pela espaçonave que orbita a Terra. O tamanho da brecha pegou de surpresa os pesquisadores.

“Temos visto coisas como esta antes”, disse Raeder, “mas nunca em uma escala tão grande. O inteiro lado do dia da magnestofera estava aberto para o vento solar.” As circunstâncias são até mesmo mais surpreendentes.

Os físicos espaciais a muito tem acreditado que os buracos na magnetosfera da Terra se abrem apenas em resposta aos campos magnéticos solares que apontam para o Sul.

A grande brecha de junho de 2007, contudo, abriu em resposta a um campo magnético solar que apontava para o Norte.

“Para a pessoa leiga, isto pode soar como uma fuga, mas para um físico espacial, isto é quase sísmico”, disse Sibeck.

“Quando falei com meus colegas, a maioria reagiu com criticismo, como se eu estivesse tentando convence-los que o Sol nasce no Oeste”.

Isto é porque eles não podem acreditar em seus ouvidos: O vento solar pressiona contra a magnetosfera da Terra quase que diretamente acima do Equador onde o campo magnético do nossso planeta aponta para o Norte.

Suponha “um pacote” de magnetismo solar que venha ao longo, e ele aponta para o Norte, também. Os dos campos devem reforçar um ao outro, fortalecendo as defesas magnéticas da Terra e batendo fechada a porta ao vento solar. Na linguagem da física espacial, um campo magnético solar apontando para o Norte é chamado “IMF norte” e é sinônimo de escudos ativos

“Então, você pode imaginar a nossa surpresa quando um IMF Norte vem ao longo e os escudos não se fecham”, disse Sibeck. “Isto muda completamente o nosso entendimento das coisas”.

Eventos de IMF Norte realmente não desencadeiam tempestades geomagnéticas, nota Reader, mas eles estabelecem o estágio para as tempestades ao carregar a magnestosfera com plasma. Uma magnetosfera carregada é primada por auroras, emissões de energia, e outros distúrbios que podem resultar, quando, digamos, a ejeção de masa coronal atinge. Os anos adiante podem ser especialmente energéticos.

Reader explica: “Estamos entrando no Ciclo Solar 24. Por razões não plenamente compreendidas, as ejeções de massa coronal em ciclo solares calculados [como o 24] tendem a atingir a Terra com uma borda principal que é magnetizda ao norte. Uma tal ejeção de masa coronal deve abrir uma brecha e carregar a magnetosfera com plasma exatamente antes que a tempestade esteja a caminho. Esta é uma sequência perfeita para um evento realmente grande.”

Sibeck concorda. “Isto pode resultar em tempestades geomagéticas mais fortes do que as que temos visto em muitos anos.”

Published in: on janeiro 23, 2009 at 3:44 pm  Deixe um comentário  
Tags: ,

Manchas solares e Aquecimento Global

Especialista brilha sobre as Manchas Solares no Aquecimento Global

Fran Gillespie

9 de janeiro de 2009

Então você pensa que o Aquecimento Global é o resultado da poluição sendo lançada na atmosfera da Terra? Pense novamente, diz o Dr Mark Rose da Qatar
Petroleum. A poliução nada tem a ver com o aquecimento global;  tudo é por causa das manchas solares.

O Dr. Rose, que tem sido chefe da Qualidade Ambiental na Qatar Petroleum pelos últimos três anos, dirigiu-se a uma grande audiência no encontro de janeiro do Grupo de História Natural de Qatar. Por aproximadamente uma década, ele explicou, tem sido amplamente aceito que o uso de combustíveis fósseis tem aumentado o nível de dióxido de Carbono [CO2] na atmosfera. Esta opinião é promovida pela media como uma verdade incontestável, e quase todos os desastres naturais hoje em dia, sem qualquer hesitação, são atribuidos ao aquecimento global resultante da indiferença do homem quanto ao meio ambbiente. Qualquer um que pense em contrário, diz o Dr. Rose, é intimado a ficar quieto e encontrará uma relutância considerável da parte das revistas científicas idoneas em publicar teorias alternativas.

Vezes seguidas nos tem sido dito que as propriedades dos gases greenhouse do CO2 tem causado um aquecimento da Terra, e que se reduções significativas do CO2 não forem realizadas logo o planeta se aquecerá até o derretimento das capas polares.

Mas tais cenários alarmantes resultam de modelagem realizada pelo Painel Intergovernamental Sobre Mudança Climática da ONU [IPCC], que repedidamente adverte quanto ao grande perigo que se antepõe à raça humana. Estes prognósticos sombrios levaram ao Tratado de Quioto em 1997, onde as nações ocidentais industrializadas concordaram em reduzir as emissões de carbono.

Mas esta visão centrada no homem sobre as mudanças no ambiente da Terra, disse o Dr. Rose, é desafiada por muitos cientistas, que argumentam que o clima é, e sempre será, controlado pelo Sol . Os fracos esforços do Homem em mudar o clima é uma mera atuação secundária comparada às inimagináveis vastas mudanças no output do Sol. O vapor de água, não o CO2, é a maior força diretora na mudança climática.

Dr Rose demonstrou que variações consideráveis no clima europeu tem ocorrido em tempos históricos comparativamente recentes. Em um aquecimento do período medieval os Vikings se aventuravam muito longe e amplamente; estabeleceram uma colonia na Groenlândia e plantaram milho no que hoje é a tundra ártica. Este período coincidiu com uma explosão de atividade na superfície do Sol, conhecida como manchas solares, quando a intensa atividade localizada magnética resulta em enormes chamas solares. Mas quando depois de umas poucas centenas de anos, o clima repentinamente esfriou, os novos habitantes da Groenlândia ficaram inanes de fome, incapazes, como o povo Inuit, de se adaptar ao frio. Este foi o período quando em Londres as feiras de inverno eram realizadas sobre o congelado Rio Tâmisa, e a última aconteceu em 1814.

A atividade das manchas solares passa por ciclos traçáveis e previsíveis, disse o orador, e estes sempre coincidem com as flutuações no clima da Terra. Durante os últimos cinquenta anos as manchas solares tem estado não usualmente ativas e isto tem coincidido com o Aquecimento Global. O Dr. Rose enfrentou muitas perguntas de sua audiência atenta depois desta interessante apresentação de uma teoria alternativa sobre as causas do aquecimento global.

Se isto é verdade, significa que podemos parar de nos preocupar sobre a poluição da atmosfera da Terra? Claro que não, disse o Dr. Rose, a poluição é crescentemente nociva à saúde de todas as criaturas vivas, não apenas dos humanos. Mas culpar a poluição como causa do Aquecimento Global é uma outra coisa.

Published in: on janeiro 20, 2009 at 10:16 am  Comments (1)  
Tags:

Saturação de CO2 e Aquecimento Global

A Saturação do CO2 e o Aquecimento Global: De que se trata tudo isso? Explicando-se nos termos da pessoa leiga
Google Groups Home

alt.global-warming

Você pode ter ouvido murmúrios sobre a “saturação do CO2” e como isto pode ser desmentindo. Mas as chances são, se você é uma pessoa leiga interessada no aquecimento global, que você realmente não entenda sobreo que se trata tudo isso, então você tem que aceitar a dos fatos de alguém, em fé cegade boa fé.

Isto é uma tentativa de corrigir esta situação, e explicar a saturação do CO2 nos termos da pessoa leiga.

Imagine uma floresta cheia de ursos pandas. Imagine também um jardim zoológico que está libertando mais ursos pandas no jardim zoológico. Há um lobby que está dizendo que já existem muitos ursos pandas e que a floresta será deflorestada devido a estes ursos pandas extras, causando muitos problemas ruins.

Se você nada sabe algo sobre os hábitos dos ursos pandas, você pode perceber algo errado sobre isto – os ursos panda comem apenas bambu. Então, uma vez que todo bambu tenha acabado, acrescentar mais ursos pandas em nada resultará. Muitos ursos pandas nada terão para comer.  (Imagine, para a nossa situação hipotética, que os ursos pandas possam viver bem sem o bambu, apenas com água.).

Uma vez estando a floresta “saturada” de ursos pandas, acrescentar mais não afeta a floresta. As moléculas de CO2 são como ursos pandas. Elas são vorazes comedoras de radiação.

A “saturação do CO2” foi um ponto de vista aceito na ciência desde o início dos anos de 1900.

A “saturação de CO2” diz que as moléculas de CO2 são como ursos pandas. Você pode ter ouvido que as moléculas de CO2 aprisionam o calor na atmosfera, aquecendo-a. O que você não deve ter ouvido é que as moléculas de CO2 apenas podem aprisionar um subconjunto muito pequeno de calor. Está certo – as moléculas de CO2 só podem aprisionar uma fração muito pequena do que é conhecido como “comprimento de ondas infra-vermelho”. Chamamos esta pequena fração de “bandas CO2”. Como os ursos pandas, as moléculas de CO2 são muito seletivas.

O bambu neste caso – a energia nas bandas CO2 – acabou. Então acrescentar novas moléculas de CO2 nada terão para “comer”. Então elas não podem absorver mais energia nunca mais.

Esta parte não é contestada. Os apoiadores da teoria do Aquecimento Global tem alguns argumentos contudo, que eles afirmam “desmentir” a saturação do CO2. Estes argumentos podem ser vistos AQUI:

1)   O  argumento dos Aquecedores globais é: O equipamento experimental dos  cientistas anteriores era ruim.

Citação:  “Herr Koch tinha relatado a Ångström que a absorção não tinha sido reduzida por mais do que 0.4% qando ele diminiu a pressão, mas um cálculo moderno mostra que a absorção teria diminuído aproximadamente 1%”

Isto certamente soa como um grande erro, de 2.5 vezes! Mas, realmente, a citação acima é um caso cristalino de uma tentativa muito intencional de trapacear. De fato, o.4% significa uma saturação de CO2 de 99.6% , por que 100% – 0.4% é igual a 99.6%.

Até mesmo se estiverem certos os cálculos modernos que dizer que isto é de 1%, isto simplesmente significa que a saturação do CO2 é de 99% , 100% – 1% é igual a 99%.

A  diferença entre 99% e 99.6% realmente não é tão grande;  é realmente insignificante. Os Aquecedores globais sabem muito bem que eles estão tentando trapacear. Citação:”Mas até mesmo se ele houvesse visto uma mudança de 1%, Ångström teria pensado ser esta uma perturbação insignificante. Ele deixou de entender…”

Agora  Ångström era alguém pré Aquecimento Global. Ela nada tinha a fazer com os apoiadores do Aquecimento Global ou com os negadores. Ele era apenas algum cientista de um passado distante. Não há razão para que se assuma que ele era incompetente ou desonesto.

Então porque os Aquecedores Glçobais estão atacando-o? Como eles sabem o que ele deve ter pensado? Simples – qualquer um informado e honesto, quando dada a diferença entre 0.4% e 1% e sabendo que isto significa 99.6% ou 99%, de fato teria pensado que esta era uma “perturbação insignificante”

2)  O outro argumento que desmente o Aquecimento Global é:

ok, a energia fica esvaziada. Mas então ela é reemitida e reabsorvida pelas camadas superiores, e assim ela vai todo o caminho para este alto. Este não é tão ruim quanto o primeiro argumento, onde está claro que eles reconhecidamente estão tentando trapacear. Neste caso, é de fato possível que eles estejam sejam honestos, e apenas aconteça de não serem muito bons com a aritmética. Vamos fazer a aritmética para eles.

Parte do calor será perdido via condução e  conveção [processos normais de perda de calor]. Um alto estimativa  muito justa de re-radiação é 30%.

Também, o calor é absorvido em muito menos que 100 metros de CO2. Então o que acontece ao tempo onde estamos a 1000 metros acima na atmosfera?  Por este tempo, tivemos tido 10 absorções e re-radiações de calor. Cada uma com a eficiência máxima de 30%. 30% é 0.3 em uma calculadora, e multiplicamos isto por 0.3. Multiplique isto por 0.3 mas 8 vezes para obter o total de dez camadas. O que você vê na calculadora? Se você multiplica 0.3 em um total de dez multiplicações, você deve estar vendo um número com cinco zero depois do ponto decimal!

Isto é tão pequeno que é próximo do zero para todos os propósitos práticos.

Ambos argumentos [1] e [2] que supostamente desmentem a “saturação do CO2” são simplesmente falsos. A razão real pela qual a saturação do CO2 é ignorada, é que os cientistas que apresentaram estas matérias foram despedidos e/ou caso contrário perseguidos e intimidados, ou podem ter ouvido rumores de “saturação de CO2” e como isto é desmentido. Mas existem chances, se você é uma pessoa leiga interessada no aquecimento global, que você realmente não entenda sobre o que isto se trata, então tem que aceitar a versão de alguém em boa fé.

Esta é uma tentativa de corrigir a situação, e explicar a saturação de CO2 na linguagem da pessoa leiga.

Published in: on janeiro 20, 2009 at 9:31 am  Deixe um comentário  
Tags: , ,

armas dos EUA armazenadas em Israel

EUA diz que embarque de armas para Israel não está ligado a Gaza

sábado, 10 de janeiro de 2009
1:28am GMT

Stefano Ambrogi

LONDRES (Reuters) – Os militares americanos tem conseguido alugar um navio mercante para enviar munição para Israel neste mês, segundo os documentos de carga mostrados, mas o Pentágono diz que o embarque não está ligado ao conflito na Faixa de Gaza.

Um portavoz do Pentágano disse que a munição foi para armazenamento em Israel. Os armazenamentos são pré posicionados pelos militares americanos em alguns países para o caso de que eles necessitem de suprimento a curto prazo.

Nos documentos de carga, o Comando Sealift da Marinha Militar dos EUA (MSC) disse que o navio era para carregar 325 conteiners padrão de 20 pés do que é listado como “munição” em duas viagens separadas pelo porto grego de Astakos para o porto israelense de Ashdod em meados de janeiro.

O Tenente Coronel da Força Aérea Patrick Ryder, um portavoz do Pentágano, disse que não comentaria sobre as rotas do embarque por razões de segurança mas confirmou que um embarque de munições para Israel foi planejado.

“A entrega da munição é para o armazenamento de munições americanas pré posicionadas em Israel de acordo com um acordo autorizado pelo Congresso em 1990 entre os EUA e Israel”, disse Ryder.

“Este embarque previamente programado é rotina e não é em apoio a atual situação em Gaza”

O embarque se originou nos EUA, disse Ryder. Ele não forneceu detalhes posteriores sobre a carga pretendida.

A designação de “material perigoso” no manifesto menciona substâncias explosivas e detonadores, mas não dá outros detalhes.

A solicitação do embarque foi feita em 31 de dezembro, com a primeira parte da carta de carga a chegar não depois de 25 de janeiro e a segunda no fim do mês.

A carga para os vasos segue o aluguel de um navio comercial para carregar uma consignação muito maior da ordem em Dezembro.

Uma firma alemã de navegação que venceu o transporte da carga confirmou a ordem quando foi contactada pela Reuters mas declinou posteriores comentários.

Published in: on janeiro 11, 2009 at 10:52 am  Deixe um comentário  
Tags: ,