Tudo Sobre HAARP

Guerra Ambiental

Data: 31 de maio de 2008

A expansão significativa do arsenal de guerra climática na América, que é uma prioridade do Departamento de Defesa, não é uma matéria para debate ou discussão. Enquanto isto, os ambientaistas culpam o governo Bush por não ter assinado o Protocolo de Quioto e a questão da “guerra climática“, como é chamado a manipulação de padrões de clima para uso militar, nunca é mencionada.

A Força Aérea dos EUA tem a capacidade de manipular o clima, seja para propósitos de testes ou para uso direto de inteligência militar. Estas capacidades se estendem a desencadear inundações, furacões, secas e terremotos. Em anos recentes, grandes quantidades de dinheiro tem sido alocadas pelo Departamento de Defesa para acelerar o desenvolvimento e aperfeiçoar estas capacidades.

A modificação climática se tornará parte da segurança doméstica e internacional e pode ser feita unilateralmente… Isto pode ter aplicações ofensivas e defensivas e até mesmo usada para propósitos de retrocesso. A habilidade de gerar precipitação, fog, tempestades na terra ou modificar o clima espacial… e a produção de clima artificial, tudo é uma parte integrante de um conjunto de tecnologias que podem fornecer um substancial aumento nos EUA, ou capacidade degradada em um adversário, para obter a consciência global, alcance e poder . (Relatório Final AF 2025 da Universidade da Força Aérea dos EUA

Conquanto não haja firme evidência de que as instalações de guerra climática da Força Aérea dos EUA tenham sudo deliberadamente aplicadas para modificar padrões climáticos, podemos esperar que se estas capacidades estão sendo desenvolvidas para uso militar, elas sejam ao menos objeto de testes de rotina, muito do mesmo modo dos testes de novos sistemas de armas convencionais e estratégicas.

É desnecessário dizer, o assunto é um tabu científico. A possibilidade de manipulações climáticas ou ambientais como parte de uma agenda militar e inteligência, conquanto tacitamente reconhecida, nunca é considerada como relevante. Os analistas militares estão mudos sobre a matéria. Os metereologistas não estão investigando o assunto, e os ambientalistas estão amarrados ao aquecimento global e ao Protocolo de Quioto.

Ironicamente, o Pentágono, conquanto reconheça sua habilidade de modificar o clima mundial para uso militar, tem se unido ao consenso do aquecimento global. Em um estudo maior (pdf) , o Pentágono tem analisado em detalhes as implicações de vários cenários de aquecimento global.

O documento supramencionado do Pentágono constitui um acobertamento conveniente. Nem uma só palavra é mencionada sobre seu principal programa de guerra climática: O Programa de Pesquisa de Alta Frequência Ativa Auroral (HAARP) baseado em Gokona, Alasca — conjuntamente gerenciado pela Força Aérea e a Marinha. .

TABELA 1: Padrões Climáticos Não Usuais (2003-2004)

Alex, Ivan, Frances, Charley e Jeanne (Agosto-Setembro de 2004): Quatro furacões destrutivos e uma tempestade tropical ocorrem em sequência, dentro de um curto período de tempo. Sem precedentes na história dos furacões no Caribe, a ilha de Grenada é completamente devastada: 37 pessoas morreram e quase 2/3 dos 100.000 habitantes da ilha ficaram sem teto. No Haiti, mais de 2.000 pessoas tem morrido e dezenas de milhares ficaram sem teto. A República Dominicana, Jamaica, Cuba e as Bahamas também tem sido devastadas.

Nos EUA, o dano que atingiu vários Estados do Sul, incluindo Flórida, Alabama, Georgia, Mississippi e as Carolinas é o mais alto da história dos EUA.

O Brasil em março de 2004: Pela primeira vez um furacão se formou no Atlântico Sul, atingindo o Brasil com ventos de 90 mph e causando mais de uma dúzia de mortes. “Os meteorologistas ficaram coçado suas cabeças em perplexidade, na medida em que o familiar rodamoinho de nuvens, completo e com um olho bem definido, apareceu em uma bacia oceânica onde nunca havia sido verificado anteriomente” (WP, 19 de setembro de 2004)

Em março de 2004 a Costa Sul do Brasil foi batida pelo primeiro furacão registrado no Atlântico Sul. O Centro Nacional de Furacões do NOAA o categorizou como categoria 1, o nível mais suave para uma tempestade se qualificar como um furacão. Ainda que a tempestade pareça ter causado um dano considerável, em parte talvez porque a população local não tinha qualquer experiência anterior em como responder a tais tempestades.

A tempestade tem imediatamente levantado a especulação como se isto pode de alguma forma estar relacionado a tendência em andamento do aquecimento global. Uma maior incerteza científica nos estudos das alterações climáticas tem sido se um aumentado efeito greenhouse aumentará a frequência e a intensidade dos furacões. O juri parece fora destas matérias, mas parece haver um consenso mais amplo que a alteração climática é provável de produzir uma mudança nos traços da tempestade e que algumas áreas raramente ou nunca visitadas por furacões podem se tornar vulneráveis a tais tempestades severas. Se o furacão do Atlântico Sul é uma anomalia de uma vez em um milênio ou um precursor de coisas por vir, esta tempestade é provável de estimular mais pesquisa sobre este tópico.

Japão, China e a Península Coreana: “O Japão tem sofrido seu mais alto número de tufões a registro, e as tempestades – que atingem em uma taxa de uma por semana pela maioria do verão — ocasionaram estragos e caos em Taiwan, China e na Península Coreana.”

China (Agosto de 2004): O Tufão Rananim, o pior em 48 anos, tem matado ao menos 164 pessoas e ferido mais de 1.800 na província de Zhejiang na China. Rananim é confirmado pelas autoridades meteorologicas da China como sendo om mais forte a atingir a tera firme da China desde 1956. É estimado que ele tenha atrapalhado a vida de aproximadamente 13 milhões de pessoas.

EUA Maio de 2003 : 562 tornados atingiram os EUA, o mais alto record registrado na história, excedendo em muito o pico mensal de 399 em junho de 1992 (CNN, 3 de julho de 2003)

India, 2003: uma onda de calor pré monção causou picos de temperaturas entre 45 e 49 graus Celsius matando mais de 1.400 pesoas.

Sri Lanka, “pesadas chuvas do Ciclone Tropical 01B exacerbaram as condições já úmidas, causando inundações e deslizamentos de terra e mais de 300 mortes.

Europa Ocidental verão de 2003: vivenciou temperaturas extremamente altas. “A Suiça vivenciou seu junho mais quente [2003] em ao menos 250 anos enquanto no Sul da França as temperaturas médias estavam entre 5 e 7 graus Celsius mais quentes do que a média a longo prazo. A Inglaterra e Gales também vivenciaram seu mês mais quente desde 1976.”

Há várias explicações principais sobre a mudanças atmosféricas e climáticas, nenhuma das quais explica completamente, dentro de seus termos respectivos de referência, as ocorrências atmosféricas altamente não usuais e erráticas, sem mencionar as perdas humanas e a devastação, que tem levado a uma desestabilização de inteiros sistemas agrícolas e eco-sistemas. É desnecesário dizer que estas explicações nunca se dirigem a matéria da manipulação cimática para uso militar.

A Manipulação Climática pelos Militares dos EUA: o Programa HAARP

O Programa de Pesquisa de Alta Frequência Ativa Auroral (HAARP) baseado em Gokona, Alasca, tem estado em existência desde 1992. É parte de uma nova geração de armamento sob a Iniciativa de Defesa Estratégica dos EUA (SDI). Operado pelo Diretorado de Laboratório de Pesquisa de Veículos Espaciais da Força Aérea, HAARP constitui um sistema de antenas poderosas capazes de criar ‘modificações locais controladas na ionosfera” [camada superior da atmosfera]:

“[HAARP será usada] para induzir uma pequena mudança localizada na temperatura ionosférica de forma que as resultantes reações físicas possam ser estudas por outros instrumentos localizados no sítio de HAARP ou perto dele “. (HAARP website)

Nicholas Begich — ativamente envolvido na campanha pública contra HAARP– descreve HAARP como:

“Uma tecnologia super poderosa de radiação de ondas de rádio que levanta áreas da ionosfera ao focalizar um raio e calor nestas áreas. As ondas eletromagnéticas então recuperam-se para a Terra e penetram tudo – vivo ou morto. ” (para detalhes posteriores veja Michel Chossudovsky abaixo)

As Armas da Nova Ordem Mundial de Washington Tem a Habilidade de Desencadear Mudanças Climáticas

de Michel Chossudovsky, Professor of Economia, Universidade de Ottawa

A ressurgência do Terceiro Mundo, janeiro de 2001

Centro para Pesquisa Sobre Globalização (CRG), globalresearch.ca, 4 de janeiro de 2002

O importante debate sobre aquecimento global sob os auspícios da ONU fornece uma imagem parcial da alteração climática; além dos impactos devastadores das emissões dos gases greenhouse sobre a camada de ozônio, o clima do mundo pode agora ser modificado como parte de uma nova geração de sofisticadas armas “não letais.” Tanto os americanos quanto os russos tem desenvolvido a capacidade de manipular o clima do mundo.

Nos EUA, a tecnologia está sendo aperfeiçoada sob o programa HAARP como parte da Iniciativa de Defesa Estratégica (SDI). Recentes evidências científicas sugerem que HAARP esta completamente operacional e tem a capacidade de potencialmente desencadear inundações, secas, furacões e terremotos. De um ponto de vista militar, HAARP é uma arma de destruição em massa. Potencialmente, constitui um instrumento de conquista capaz de seletivamente desestabilizar sistemas agrícolas e ecológicos de regiões inteiras.

Conquanto não haja evidência de que esta tecnologia mortal esteja sendo usada, certamente a ONU deve estar se dirigindo ao assunto de “guerra ambiental” juntamente com o debate sobre os impactos climáticos dos gases greenhouse…

A despeito do vasto corpo de conhecimento, a matéria de deliberadas manipulações climáticas para uso militar nunca tem sido explicitamente parte da agenda da ONU sobre mudança climática. Nem as delegações oficiais nem os grupos de ação ambiental participantes da Conferência de Haia sobre Alteração Climática (CO6) (Novembro de 2000) tem levantado o amplo assunto da “guerra climática” ou “técnicas de modificação climática” (ENMOD)” como relevantes para o entendimento da alteração climática.

O embate entre negociadores oficiais, ambientalistas e lobbies americanos de negócios tem se centralizado na recusa direta de Washington de se submeter aos compromisos de redução das emissões do dióxido de carbono preconizadas pelo Protocolo de Quioto de 1997. Os impactos das tecnologias militares sobre o clima do mundo não são objeto de discussão ou preocupação. Estreitamente confinado as emissões dos gases greenhouse, o debate em andamento serve aos objetivos estratétigos e de defesa de Washington.

“GUERRA CLIMÁTICA”

O cientista de renome mundial Dr. Rosalie Bertell confirma que “os cientistas militares dos EUA… estão trabalhando em sistemas climáticos como uma arma potencial. Os métodos incluem o aperfeiçoamento de tempestades e o desvio do vapor de rios na atmosfera da Terra para produzir alvejadas secas ou inundações”. Já na década de 1970, o ex conselheiro de Segurança Nacional Zbigniew Brzezinski tinha previsto em seu livro “Between Two Ages” que:

“A tecnologia tornará disponível, aos líderes das maiores nações, técnicas para realizarem guerras secretas, das quais somente um número muito mínimo de forças de segurança precisam ser apreciados… Técnicas de modificação climática podem ser empregadas para produzirem períodos prolongados de seca ou tempestade.”

Marc Filterman, um antigo oficial militar francês, ressalta vários tipos de “armas não convencionais” que usam rádio frequências. Ele se refere a “guerra climática” indicando que a União Soviética e os EUA já tinham a maestria do “know-how” necessário para desencadear súbitas alterações climáticas no início da década de 1980.” Estas tecnologias tornam “possível desencadear distúrbios atmosféricos ao usar ondas de radar de frequência extremamente baixa (ELF).”

Um estudo de simulação de futuros cenários de defesa comissionados pela Força Aérea dos EUA pede por :

“Forças aeroespaciais dos EUA “possuirem o clima” ao capitalizar as tecnologias emergentes e focalizar no desenvolvimento destas tecnologias para aplicações no combate da guerra… Para aperfeiçoar operações amigáveis ou interromper aquelas dos inimigos via a determinação das medidas emm pequena escala de naturais padrões de clima para o domínio completo das comunicações globais e controle do contra-espaço, as modificações climáticas oferecem ao combatente da guerra um amplo alcance de opções possíveis para derrotar ou coagir um adversário… Nos EUA, a modificação climática provavelmente se tornará uma parte da política de segurança nacional com aplicações domésticas e internacionais. Nosso governo buscará tal política, dependendo de seus interesses, em vários níveis .”

HAARP

Dr. Rosalie Bertell define HAARP como “um aquecedor gigantesco que pode causar um caos maior na ionosfera, criando não apenas buracos, mas longas incisões na camada protetora que evita que a radiação mortal bombardeie o planeta.”

ENGANANDO A OPINIÃO PÚBLICA

HAARP tem sido apresentado a opinião pública como um programa de pesquisa científica e acadêmica. Documentos militares dos EUA parecem sugerir, todavia, que o principal objetivo de HAARP é “explorar a ionosfera para propósitos do Departamento de Defesa”. Sem se referir explicitamente ao programa HAARP, um estudo da Força Aérea aponta o uso de modificações atmosféricas induzidas” como meio de alterar padrões atmosféricos bem como interromper as comunicações e radar de inimigos.

Segundo Dr. Rosalie Bertell, HAARP é parte de um sistema integrado de armas, que tem potencialmente consequências ambientais devastadoras:

“É relatado a 50 anos de programas crescentemente e intensamente destrutivos para entender e controlar a atmosfera superior. Seria imprudente não associar HAARP com a construção de laboratórios especiais que está sendo separadamente planejada pelos EUA. HAARP é uma parte integral da longa história de pesquisa espacial e desenvolvimento de uma deliberada natureza militar. As implicações militares de combinar estes projetos é alarmante… A habilidade da combinação HAARP / laboratório espacial/foguete para enviar uma grande quantidade de energia, comparável a uma bomba nuclear, a qualquer lugar na Terra via laser e raios de partículas, é assustadora. O projeto provavelmente será “vendido’ ao público como um escudo espacial contra armas que venham, ou, para os mais crédulos, um aparelho para reparar a camada de ozônio.”

Além da manipulação atmosférica, HAARP tem un número de usos relacionados:

“HAARP pode contribuir para mudança climática ao intensamente bombardear a atmosfera com raios de alta frequência… As ondas de baixa frequência que retornam em alta intensidade podem também afetar os cérebros das pessoas, e ter efeito nos movimentos tectônicos, que não podem ser descartados”.

Mais geralmente, HAARP tem a habilidade de modificar o campo geomagnético do mundo. É parte de um arsenal de “armas eletrônicas” que os pesquisadores militares dos EUA consideram “uma guerra mais gentil e afável”.

ARMAS DA NOVA ORDEM MUNDIAL

HAARP é parte do arsenal de armas da Nova Ordem Mundial sob a Iniciativa de Defesa Estratégica (SDI). Dos pontos de comando militar nos EUA, inteiras economias nacionais podem ser poetncialmente desestabilizadas por meio das manipulações climáticas. Mais importantemente, estas manipulações podem ser implementadas sem o conhecimento do inimigo, a um custo mínimo e sem o engajamento de pessoal militar e equipamento como em uma guerra convencional.

O uso de HAARP — se isto estiver para ser aplicado — pode ter potencialmente impactos devastadores no clima mundial. Respondendo aos interesses estratégicos e econômicos dos EUA, pode ser usado para modificar seletivamente o clima em diferentes partes do mundo resultando na desestabilização de sistemas agrícolas e ecológicos.

Também vale a pena notar que o Departamento de Defesa dos EUA tem alocado recursos substanciais ao desenvolvimento de sistemas de inteligência e monitoramento sobre mudanças atmosféricas. A NASA e a Agência Nacional de Mapeamento e Imagem (NIMA) do Departamento de Defesa estão trabalhando em “imagens para estudo de inundações, erosão, riscos de deslizamento de terra, terremotos, zonas ecológicas, previsões atmosféricas e mudança climática” com dados transmitidos por satélites.

A INÉRCIA POLÍTICA DA ONU

Segundo A Convenção da Estrutura sobre Mudança Climática (UNFCCC) assinada no Encontro da Terra de 1992 no Rio de Janeiro:

“Os Estados tem … de acordo com a Carta da ONU e os princípios da lei internacional, a … responsabilidade para assegurar que as atividades dentro das jurisdições deles ou controlar não causem dano ao ambiente ou a outros Estados ou áreas além dos limites da jurisdição nacional.”

Vale também a pena recordar que uma Convenção internacional ratificada pela Assembléia Geral da ONU em 1977 bane “o uso militar ou outros usos hostis de técnicas de modificação ambiental tendo se disseminado, de longo alcance ou efeitos severos”. Tanto os EUA quanto a União Soviética foram signitários desta convenção. A Convenção define “técnicas de modificação ambiental” como referentes a qualquer técnica para mudar – por meio de manipulação deliberada de processos naturais – a dinâmica, composição ou estrutura da Terra, inclusive seu biota, litosfera, hidrosfera e atmosfera ou do espaço externo”.

Porque então a ONU – desprezando a Convenção de 1977 ENMOD bem como sua própria Carta — decide excluir de sua agenda as alterações climáticas resultantes de programas militares?

O PARLAMENTO EUROPEU RECONHECE O IMPACTO DE HAARP

Em fevereiro de 1998, respondendo a um relato de Mrs. Maj Britt Theorin — MEP sueca e a longo tempo uma defensora da paz – O Comitê sobre Assuntos Externos, Política de Segurança e de Defesa do Parlamento Europeu, manteve audiências públicas em Bruxelas sobre o programa HAARP. A Moção para Resolução que o Comitê submeteu ao Parlamento Europeu:

“Considere HAARP… por virtude e seu impacto de muito longo alcance sobre o ambiente ser uma preocupação global e chama que suas implicações legais, ecológicas e éticas sejam examinadas por um corpo internacional independente…; o comitê lamenta a repetida recusa da administração dos EUA… para fornecer evidência para a audiência pública… sobre os riscos ambientais e públicos do programa HAARP.”

A solicitação do Comitê para formular um “Papel Verde” sobre “os impactos ambientais das atividades militares”, contudo, foi casualmente descartada com base de que faltava a Comissão Européia a requerida jurisdição para investigar profundamente “os links entre o ambiente e a defesa”. Bruxelas estava ansiosa de evitar um fechamento com Washington.

COMPLETAMENTE OPERACIONAL

Conquanto não haja evidência concreta de HAARP ter sido usada, os achados científicos sugerem que atualmente ela esteja plenamente operacional. O que isto significa é que HAARP pode potencialmente ser aplicada pelos militares dos EUA para modificar seletivamente o clima de uma ‘nação não amigável’ ou “Estado Hostil” com vistas a desestabilizar sua economia nacional.

Os sistemas agrícolas nas nações desenvolvidas e em desenvolvimento já estão em crise como resultado das políticas da Nova Ordem Mundial, incluindo a desregulamentação de mercados, descarga de bens etc. Amplamente documentado, as políticas do FMI e a “medicina econômica” do Banco Mundial imposta ao Terceiro Mundo a a países do antigo bloco soviético tem grandemente contribuido para a desestabilização da agricultura doméstica. Por sua vez, as determinações da Organização Mundial de Comércio (WTO) tem apoiado os interesses de um punhado de conglomerados agro-bio-tec ocidentais em sua busca para impor sementes geneticamente modificadas (GMO) aos fazendeiros pelo mundo.

É importante entender a ligação entre os processos econômicos, estratégicos e militares da Nova Ordem Mundial. No contexto acima, as manipulações climáticas sob o programa HAARP (acidentais ou deliberadas) inevitavelmente exacerbariam estas alterações ao enfraquecer economias nacionais, destruir a infraestrutura e potencialmente desencadear a falência dos fazendeiros em vastas áreas. Certamente governos nacionais e a ONU devem se dirigir as possíveis consequências de HAARP e outras “armas não letais” sobre mudança climática.

Segundo Richard Williams, um médico e consultor do laboratório David Sarnoff em Princeton:

HAARP constitui “um ato irresponsável de vandalismo global.” Ele e outros temem um segundo estágio onde HAARP “irradiaria muito mais energia na ionosfera. Isto poderia produzir uma severa interrupção da atmosfera superior em uma localização que se espalharia rapidamente ao redor da Terra por anos.” (Citado em Scott Gilbert, Guerra Ambiental e Política Externa dos EUA: A máxima Arma de Destruição em Massa)

diz Scott Gilbert

Janeiro de 2004
www.globalresearch.ca

A guerra ambiental pode soar nova para alguns, mas tem sido pesquisada extensamente nos círculos militares por anos. A primeira descrição pública de técnicas de modificação climática como uma arma de guerra foi feita em 20 de março de 1974. Naquele tempo o Pentágono revelou uma nuvem de sete anos semeando esforço no Vietnã e no Cambódia, ao custo de $21.6 milhões. O objetivo era aumentar as chuvas nas áreas alvo, assim causando deslizamentos de terra e tornando as estradas não pavimentadas lamacentas, atrapalhando o movimento de suprimentos. Mas o interesse na exploração do ambiente para propósitos militares não terminou lá.

A Universidade Aérea, localizada na Base da Força Aérea de Maxwell no Alabama, se descreve como um “centro para educação avançada” que “desempenha um papel vital em cumprir a missão da Força Aérea dos EUA” e cujos “membros de serviço devem colocar a defesa da nação acima do ego” O Chefe de Staff da Força Aérea dos EUA encarregado da Universidade Aérea “olha 30 anos adiante no futuro para identificar conceitos, capacidades e tecnologias que os EUA necessitarão para permaneceram a força dominante no ar e no espaço no século XXI”. O estudo, completado em 1996, foi intitulado Air Force 2025. Um componente deste estudo era um trabalho intitulado “Clima como uma Força Multiplicadora: Possuindo o Clima em 2025”. É um documento assustador. É evidente que os autores contemplam nosso ambiente como nada mais que um recurso a ser explorado para propósitos militares. Eles afirmam que por 2025, as forças dos EUA podem “possuir a atmosfera” ao “capitalizar as tecnologias emergentes e se focalizar no desenvolvimento destas tecnologias para aplicações no combate de guerra”. Os autores descrevem a modificação atmosférica como tendo “tremendas capacidades militares” que “podem fornecer a dominância no espaço de batalha a um grau nunca antes imaginado” afirmando que o projeto seria “não distinto da partição do átomo”. O trabalho continua para discutir como a pesquisa ionosférica (a ionosfera é uma região da atmosfera da Terra variando entre 30 e 1.2300 milhas acima a superfície da Terra.) é necesaria para alcançar as metas em aperfeiçoar as capacidades de comunicação dos EUA e como método de imposibilitar as comunicações inimigas. “Por 2025, pode ser possível modificar a ionosfera e o espaço próximo, criando uma variedade de aplicações potenciais.”

Dr. Bernard Eastlund, quando tabalhava como consultor para Advanced Power Technologies Inc. (APTI) na década de 1980, patenteou aparelhos que são descritos como capazes de causar “interrupção total das comunicações sobre uma porção muito grande da Terra, misseis ou destruição de aeronaves, deflexão e confusão, modificação atmosférica”. Estas patentes foram baseadas nas idéias e pesquisa fundamental de Nicola Tesla (muitas de suas idéias foram roubadas por corporações dos EUA). Algumas patentes de Eastlund foram temporariamente lacradas sob Ordem de Sigilo dos EUA. As patentes de APTI e Eastlund foram rapidamente compradas por E-Systems, uma companhia que é o lar de muitos agentes da CIA aposentados ou ainda a trabalho. A Raytheon, a quarta maior contratada de defesa dos EUA e a terceira maior companhia aeroespacial, atualmente detém as patentes.

A luz do supramencionado, é importante conhecer que desde o início da década de 1990, a Força Aérea dos EUA tem estado patrocinando o maior projeto de modificação ionosférica chamado HAARP, localizado no lugar remoto de Gakona, Alasca, que é uma versão pequena da antena discutida nas patentes de Eastlund. APTI inicialmente ganhou o contrato para construir HAARP. Eastlund sente que a atual versão de HAARP, embora o maior aquecedor ionosférico já construído, ainda não é poderoso o bastante para trazer as idéias de suas patentes a fruição. “Mas”, ele diz, ” eles estão chegando lá. Isto é um aparelho muito poderoso. Especialmente se eles forem ao estágio expandido”. O que eles tem feito até esta data é definitivamente um necessário primeiro passo no objeto completo. Eastlund diz, “Os militares estavam interessados em suas patentes porque, no caso de um ataque nuclear russo ao EUA, um local no Alasca estaria no caminho das ogivas que viessem”. HAARP atualmente é uma parte da Iniciativa de Defesa Estratégica (SDI) em andamento, popularmente conhecida como “Guerra nas Estrelas”.

Um documento interno de 1990 obtido por Popular Science descreve as aplicações do projeto HAARP como “Criar um completo escudo global” que destruiria mísseis balísticos ao superaquecer seus sistemas de orientação eletrônicos na medida em que voassem e para “manipular a atmosfera local”.A palavra “local” foi usada porque alguns 150 tratados internacionais proibem a “guerra climática’. Contudo, Pravda relatou: “o trabalho continuou de qualquer modo, a despeito do documento assinado. Foi simplesmente realizado sob o disfarce de pesquisa científica ou desenvolvimento de tecnologia de duplo propósito’.

HAARP é apresentado como um inócuo projeto científico, mas o Washington Post relatou que um número crescente de físicos e outros na comunidade científica estão se tornando crescentemente céticos. “Um pequeno frupo de físicos americanos, alguns dos quais tem manifestado queixas em revistas científicas, temem que HAARP pode não ser simplesmente um experimento de pesquisa benigna como seus advogados a descrevem, mas possivelmente a fase 1 de um secreto programa militar dos EUA que pode estar buscando meios de explodir espaçonaves de outros países no céu ou interromper as comunicações em grandes porções do planeta”.

Em 2002 o website globalresearch.ca relatou que o Comitê de Defesa e Asuntos Internacionais da Duma Estatal Russa expressou preocupação que “sob o programa HAARP os EUA estejam criando novas armas integrais geofísicas que podem influenciar o meio perto da Terra com ondas de rádio de alta frequência – o significado deste salto qualitativo pode ser comparado a transição do aço frio as armas de fogo, ou das armas convencionais para as armas nucleares.” Os deputados demandaram um banimento internacional de experimentos em grande escala deste tipo e enviaram um apelo ao Presidente Vladimir Putin, saídas de noticiários, grupos científicos, ONU e outros. O artigo continuou para dizer que o programa HAARP “criará armas capazes de quebrar as linhas de comunicação de rádio e equipamentos instalados em espaçonaves e foguetes, provocar sérios acidentes nas redes de eletricidade e nos condutos de petróleo e gás e ter ainda um impacto negativo na saúde mental das populações de inteiras regiões.”

Dr. Nicholas Begich, co-autor do livro “Angels Don’t Play This HAARP”, apresenta HAARP como “uma tecnologia super-poderosa de radiação de ondas de rádio que levanta áreas na ionosfera ao focalizar um raio nelas e então aquece-las. As ondas eletomagnéticas retornam a Terra e penetram tudo – vivo e morto”. Esta habilidade permite a melhor comunicação com submarinos e uma tomagrafia penetrante na terra de uma área ampla [similar ao radar] que pode ser usada para localizar sítios subterrâneos de mísseis, bunkers e reservas de petróleo. Pela sua pesquisa ele tem chegado a conclusão que HAARP tem o potencial de arruinar sistemas globais de comunicação, mudar padrões atmosféricos sobre grandes áreas, interferir com os padrões migratórios da vida selvagem e afetar negativamente a saúde humana. Ela também é capaz de potencialmente desencadear inundações, secas, furacões e terremotos.

Em setembro de 2003 o website globalresearch.ca relatou que um cientista que trabalha na pesquisa ionosférica expressou preocupação que o blecaute de 14 de agosto de 2003 pode ter sido “um teste secreto do governo” que serviu a múltiplos propositos incluindo “preencher as exigências para uma guerra sofisticada e resposta de segurança”. O autor propõem uma pergunta: pode um experimento secreto de HAARP ter causado o blecaute? Este artigo foi baseado em um número de fatos que parecem estranhamente circunstanciais, dadas as cirunstâncias. Por exemplo, a energia acabou uns poucos minutos depois do sino de fechamento de Wall Street e uns poucos minutos depois que HAARP havia sido ligada naquele dia. A grade de energia que foi afetada não foi a vulnerável grade da Califórnia.

Os dados que mostrariam para onde os efeitos de HAARP eram dirigidos, ao fornecer uma imagem da ionosfera, não foram postados no dia do blecaute. Ele também comentou sobre a possibilidade de que os aquecedores de HAARP foram dirigidos ao gargalo da grade de energia enquanto a grede estava operando quase que em plena força. “A súbita presença de energia eletromagnética pode facilmente forçar um aumento inesperado no fluxo de energia que por sua vez pode causar uma falha crítica tal como aquela vista em 14 de agosto de 2003.” A única exigência para obter precisão geográfica é que a atividade geomagnética seja mínima tal como aconteceu no dia do blecaute.”. Houve também um curto teste realizado pouco antes das 4pm. O autor diz que tal teste serviria ao propósito de “mostrar aos pesquisadores exatamente onde o raio se focaria dado as condições da corrente, e seria um passo necessário antes da execução de um tal experimento”. O autor descreve como experimentos deste tipo seriam “um meio ideal de testar possíveis aplicações militares do instrumento – com certeza -, isto precisaria ser testado em um ambiente controlado onde os efeitos fossem cuidadosamente analisados [tal como nosso solo] e isto foi um excelente teste de segurança doméstica”. Ele conclui dizendo “embora possa soar como um episódio de Arquivos X, os fatos são claros; HAARP é um instrumento de guerra ionosférica, é capaz de focalizar sua energia eletromagnética em grandes distâncias, e foi ligado exatamente no tempo em que o evento começou, e tal cenário serviria a múltiplos interesses de segurança nacional simultaneamente com um mínimo impacto econômico”. Michel Chossudovsky, ao conferir com outros cientistas bem conhecidos, foi capaz de concluir, “este homem conhece os fatos. Ele pode ler e analisar dados cientificos e é bem informado sobre o impacto do programa HAARP.” Embora o artigo não se some para provar, Chossudovsky sente que as declarações do autor devem ser consideradas seriamente e investigadas.

O programa HAARP foi programado para estar completo em 2002 e a testagem em escala completa tinha começado no início de 2003. Conquanto atualmente não haja prova conclusiva que HAARP tenha sido usada para manipulação atmosférica, tem havido inúmeros relatos descrevendo condições ambientais e atmosféricas muito não usuais pelo mundo nos anos recentes. Em janeiro de 2003 Yuru Solomatin, secretário do Comitê Ucraniano para Política Econômica escrevendo no Pravda relatou “Um monte de especialistas e cientistas acredita que desastres naturais imprevisíveis e várias catástrofes que atingiram a Europa e a Ásia no verão de 2002 podem ter certas razões globais que tenham causado elas todas”. Ele propõe ‘a possibilidade de secretos testes de armas geofísicas. Estes testes foram ou secretos ou não autorizados. Muitos especialistas e cientistas acreditam que um programa americano especial chamado HAARP seja um desses desenvolvimentos.” Chossudovsky diz, “Até mesmo embora não tenhamos uma informação livre de ambiguidade sobre particulares ocorrências climáticas, quando há padrões atmosféricos muito não usuais que estão ocorrendo, que não podem ser explicados pele emissão dos gases greenhouse, não podemos excluir a possibilidade de manipulações climáticas feitas pelo homem, baseado em nosso entendimento do clima.”

Uma objeção primária a modificação atmosférica para propósitos militares é que seu uso é indescriminado e os civis serão inevitavelmente afetados. Sobretudo, a pesquisa necessária para atingir estes objetivos é perigosa. Segundo Bertell, HAARP pode fazer “longas incisões na camada protetora da atmosfera da Terra”. Como aconteceu com o Projeto Manhattan [o da bomba atômica], os cientistas trabalhando neste maciço projeto militar simplesmente não são capazes de determinar com certeza se as atividades deles causarão ou não danos irreparáveis. Nem eles parecem se importar. Em 1971 Science publicou um artigo intitulado “Modificando a Ionosfera com Intensas Ondas de Rádio” no qual os autores descrevem o desenvolvimento da tecnologia da radiação da onda de rádio para modificação ionosférica que a muito tempo tem sido “o desejo dos pesquisadores”. Esta nova tecnologia agora permite a eles realizarem a pesquisa sem as “complicações associadas” de um laboratório. Eles agora tem “um laboratório de plasma no céu”.

Há uma necessidade extrema que esta tecnologia seja estreitamente monitorada por múltiplos corpos científicos independentes [que atualmente não é] e, se isto deve ser usado, precisa ser usado de modo que seja benéfico à vida na Terra. Isto pode ser usado para aumentar o suprimento de comida, reparar a camada de ozônio ou reduzir os danos as populações civis frequentemente afetadas por adversas condições atmosféricas. Tristemente, as atuais agendas militares parecem não dar muito peso a estes possíveis usos benéficos da tecnologia.

Vandalismo No Céu
de Dr. Nick Begich e Jeane Manning

Techno-Net e a forma de protesto da década de 1990 — fazendo piquetes de informação nas rodovias. Por exemplo, um grupo rapidamente crescente de homens e mulheres ao redor do mundo estão usando a InterNet (iniciada pelos miliatares dos EUA como uma troca e transferência de informação com a qual não se pode interferir) para chamar atenção para um projeto militar questionável no Alasca, Agora estas pessoas da Internet, dos e-mails, dos faxes estão abrindo buracos na parede de sigilo do Departamento de Defesa ao usar o próprio sistema do governo.

A parte impressa do protesto começou quando Dennis Specht, um ativista anti-nuclear então morando no Alasca, enviou um item de noticiário sobre o tópico HAARP. Entao um pesquisador científico e ativista político vivendo em Anchorage, Nick Begich, se comunicou pela net com Patrick e Gael Crystal Flanagan, que são auto descritos TechnoMonks vivendo em Sedona, Arizona, e foi dito para verificar a mesma revista baseada na Austrália. Begich ficou surpreso de ver um item de sua cidade natal em Nexus, e imediatamente se dirigiu a biblioteca local para procurar os documentos citados no artigo.

Esta pesquisa levou a artigos e ao livro, “Angels Don’t Play this HAARP: Avanços na Tecnologia de Tesla”, que tem 230 páginas de informação detalhada sobre este projeto intrusivo.Este artigo apenas dá ressaltes. A despeito da quantidade da pesquisa (350 notas de roda pé), seu coração é que HAARP ferve a atmosfera superior.

HAARP desintegrará a atmosfera superior com um raio eletromagnético focado e que pode ser guiado. Isto é um modelo avançado de um “aquecedor ionosférico”. (A ionosfera é a esfera eletricamente carregada que circunda a atmosfera superior. Seu alcance varia entre 40 a 600 milhas acima da superfície da Terra.)

Simplesmente falando, o aparelho de HAARP é o reverso de um radio telescópio; as antenas enviam sinais ao invés de receber. HAARP é a tecnologia de radiação de ondas de rádio que levanta áreas da ioosfera ao focalizar um raio e aquecer estas áreas. As ondas eletromagnéticas então saltam de volta para a Terra e penetram tudo – vivo e morto.

HAARP publicamente dá a impressão que seja principalmente um projeto acadêmico com o objetivo de alterar a ionosfera para melhorar as comunicações para nosso próprio bem. Contudo, outros documentos militares explicam mais claramente – HAARP se destina a saber como “explorar a ionosfera para os propósitos do Departamento de Defesa”. A comunicação com submarinos é somente um dos propósitos.

As divulgações à imprensa e outras informações dos militares sobre a HAARP continuamente minimizam o que isto pode fazer. Os documentos para publicidade insistem que o projeto HAARP não é diferente de outros aquecedores ionosféricos operando regularmente pelo mundo em lugares como Arecibo, Porto Rico; Tromso, Noruega e na antiga União Soviética. Contudo, um documento do governo de 1990 indica que a energia aniquilante de rádio frequência (RF) se dirigirá a ionosfera para atividades não naturais.

“…nas mais altas energias de HF disponíveis no ocidente, as instabilidades comumente estudadas estão se aproximando de sua máxima capacidade dissipativa de energia RF, além da qual os processos do plasma serão “fugidios” até que seja alcançado o próximo fator limitante.”

Se os militares, em cooperação com a Universidade do Alasca Fairbanks, puderem mostrar que esta nova tecnologia de Guerra nas Estrelas baseada no solo é segura, então ambos vencerão. Os militares tem um escudo de defesa relativamente barato e a Universidade pode se gabar sobre a mais dramática manipulação geofísica desde as explosões atmosféricas das bombas nucleares. Depois de ter sido testado com sucesso, eles teriam megaprojetos militares do futuro e enormes mercados para o gás natural da Inclinação Norte do Alasca.

Olhando as outras patentes que foram construídas do trabalho do físico texano Bernard Eastlund, se torna mais claro como os militares pretendem utilizar o transmissor de HAARP. Isto também torna as negativas do governo menos acreditáveis. Os militares sabem como pretendem usar esta tecnologia e tem deixado isto claro nos documentos deles. Eles tem deliberadamente enganado o público, por meio de sofisticados jogos de palavras, mentira e desinformação. Os militares dizem que o sistema HAARP pode:

* dar aos militares um instrumento para substituir o efeito de pulso eletromagnético dos aparelhos atmosféricos termonucleares [ainda considerados uma opção viável pelos militares até ao menos 1986).

* substituir o sistema de comunicação de frequência extremamente baixa (ELF) dos submarinos operando em Michigan e Wisconsin com uma tecnologia nova e mais compacta.

* Ser usado para substituir o sistema de radar acima do horizonte que uma vez foi planejado para a atual locação de HAARP, com um sistema mais flexível e acurado.

* fornecer um meio de impedir as comunicações sobre uma área extremamente grande, enquanto mantém os sistemas de comunicação dos próprios militares funcionando.

* fornecer a tomografia penetrante da terra em uma grande área que, se combinada com a habilidade de computadores EMASS e Cray, tornaria possível verificar muitas partes dos acordos de paz e de não proliferação de armas nucleares.

* ser um instrumento para sondagem geofísica para encontrar petróleo, gás e depósitos minerais em uma grande área.

* ser usado para detectar aviões e misseis cruise que vem a baixo nivel, tornando obsoletas as outras tecnologias.

As habilidades acima parecem uma boa idéia para todos que acreditam na defesa nacional, e para aqueles preocupados sobre o corte de custos. Contudo, os usos possíveis que HAARP registra mas não explicam, e que só podem ser encontrados na Força Aérea, Marinha, Exército e outros registros de agências federais são alarmantes. Sobretudo, os efeitos do uso incauto deste níveis de energia em nosso escudo natural – a ionosfera – podem ser cataclísmicos, segundo alguns cientistas.

Dois cidadãos do Alasca colocam isto rispidamente. Um fundador do movimento NO HAARP, Clare Zickuhr, diz “os militares vão dar um grande chute na ionosfera e ver o que acontece”.

Os militares deixaram de dizer ao público que eles não sabem o que exatamente acontece, mas um artigo de ciência de Penn State bravateia sobre esta incerteza. Ciência Macho? O projeto HAARP usa os maiores níveis de energia que Begich e Manning chamam “os grandes garotos com seus novos brinquedos”. Isto é um experimento no céu, e experimentos são feitos para se descobrir alguma coisa que ainda não seja conhecida. Cientistas independentes disseram a Begich e Manning que HAARP é um tipo de “explosivo do céu” com efeitos não previsíveis que podem ser um ato de vandalismo.

A pesquisa relacionada a Begich e Manning descobriu esquemas bizarros. Por exemplo, documentos da Força Aérea revelaram que um sistena tinha sido desenvolvido para manipular e interromper processos mentais por meio de radio frequência pulsada [a matéria de HAARP] sobre grandes áreas geográficas. O material mais revelador desta tecnologia veio dos escritos de Zbigniew Brzezinski (antigo conselheiro de Segurança Nacional do Presidente Carter) e de J.F. MacDonald (conselheiro científico do Presidente Johnson e professor de Geofísica na UCLA), quando eles escreveram sobre o uso de transmissores de radiação de energia para guerra geofísica e ambiental. Os documentos mostraram como estes efeitos podem ser causados e os efeitos negativos sobre a saúde e o pensamento.

As possibilidades de interrupção mental de HAARP são as mais perturbadoras. Mais de 40 páginas do livro, com dúzias de notas de rodapé, narram os trabalhos de professores de Harvard, planejadores militares e cientistas na medida em que eles planejam e testam este uso da tecnologia eletromagnética. Por exemplo, um dos trabalhos descrevendo este uso foi da Cuz Vermelha em Genebra. Isto até mesmo deu os alcances de frequência onde estes efeitos podem ocorrer – os mesmos alcances que HAARP é capaz de transmitir.

A seguinte declaração foi feita a vinte e cinco anos atrás, em um livro de Brzezinski que ele escreveu enquanto era professor da Universidade Columbia:

“Estrategistas políticos estão tentados a explorar a pesquisa do cérebro e do comportamento humano. O geofísico Gordon J. F.MacDonald — especialista em problemas de guerra — diz agudamente apropriado no tempo, que ferramentas excitada artificialmente por eletrônica “podem levar a um padrão de oscilações que produzem niveis relativamente altos de energia sobre certas regiões da Terra… Deste modo, alguém pode desenvolver um sistema que danifique seriamente a performance cerebral de populações muito grandes em regiões selecionadas durante um longo período de tempo… Não importa quão profundamente perturbe o pensamento de usar o ambiente para manipular o comportamento para vantagens nacionais , para alguns, a tecnologia que permite tal uso muito provavelmente se desenvolverá dentro das próximas poucas décadas.”

Em 1966, MacDonald foi membro do Comitê de Aconselhamento de Ciência do Presidente e mais tarde um membro do Conselho sobre Qualidade Ambiental do Presidente. Ele publicou trabalhos sobre o uso das tecnologias de controle ambiental para propósitos militares. O comentário mais profundo que ele fez como geofísico foi, “a chave para a guerra geofísica é a identificação das instabilidades ambientais as quais adicionar uma pequena quantidade de energia que liberaria quantidades vastamente maiores de energia.” Enquanto os geofísicos de ontem previram os avanços de hoje, os gerenciadores do programa HAARP estão enviando a visão?

Os geofísicos reconheceram que acrescentar energia a sopa ambiental pode ter grandes efeitos. Contudo, a humanidade já havia acrescentado quantidades substanciais de energia eletromagnética em nosso ambiente sem entender o que pode constituir a massa crítica. O livro de Begich e Manning levanta perguntas: Tem estas adições sido sem efeito, ou há uma quantidade cumulativa além da qual o dano irreparável pode ser feito? HAARP é um outro passo em uma jornada da qual não podemos retornar? Estamos para embarcar em um outro experimento de energia que desencadeie a libertação de um outro conjunto de demônios da Caixa de Pandora?

Já em 1970, Zbigniew Brzezinski previu que “uma sociedade mais controlada e direta” gradualmente apareceria, ligada a tecnologia. Esta sociedade seria dominada por um grupo de elite que impressione aos eleitores pelo alegadamente superior “know how” científico. Angels Don’t Play This HAARP posteriormente cita Brzezinski:

“Desembaraçado das restrições dos tradicionais valores liberais, esta elite não hesitaria em alcançar seus fins políticos ao usar as mais recentes técnicas modernas para influenciar o comportamento público e manter a sociedade sob extrita vigilância e controle. O momentum técnico e científico então alimentaria a situação que explora”, previu Brzezinski.

Suas previsões se mostraram acuradas. Hoje, um número de novas ferramentas para a elite estão emergindo, e a tentação de usa-las aumenta incessantemente. As políticas para permitir que as ferramentas sejam usadas já estão no lugar. Como podem os EUA serem mudados, pedaço a pedaço, na prevista tecno-sociedade altamente controlada? Entre as pedras dos passos Brzezinski esperava que houvesse persistentes crises sociais e o uso da media da massa para ganhar a confiança pública.

Em um outro documento preparado pelo governo, a Força Aérea dos EUA afirma:

“As aplicações potenciais de campos eletromagnéticos artificiais são de amplo alcance e podem ser usadas em muitas situações militares e quase militares… Alguns destes usos potenciais incluem lidar com grupos terroristas, controle de multidão, controle das brechas de segurança nas instalações militares e técnicas anti pessoal em guerra tática. Em todos estes casos os sistemas eletromagnéticos seriam usados para produzir de media a severa interrupção fisiológica ou distorção perceptual ou desorientação. Além disso, a habilidade dos indivíduos funcionarem pode ser degradada ao ponto que eles se tornem ineficazes para o combate. Uma outras vantagem dos sistemas eletromagnéticos é que eles podem fornecer cobertura sobre grandes áreas com um único sistema. Eles são silenciosos e as contramedidas para eles podem ser difíceis de desenvolver… Uma última área onde a radiação eletromagnética pode se provar de algum valor é no aperfeiçoamento de habilidades de indivíduos para fenômenos anômalos. ”

Estes comentários apontam usos já de certa forma desenvolvidos? O autor do relato do governo se refere a um documento anterior da Força Aérea sobre os usos da radiação de radiofrequência em situações de combate. (Aqui Begich e Manning notam que HAARP é o transmissor de radiação de radio frequência mais versátil e maior no mundo .)

O registro do congresso dos EUA lida com o uso de HAARP para penetrar a terra com sinais que saltam da ionosfera. Estes sinais são usados para olhar dentro do planeta a uma profundidade de muitos quilometros para localizar munições subterrâneas, minerais e túneis. O Senado dos EUA alocou quinze milhões de dólares em 1996 para desenvolver apenas esta habilidade — a tomografia pentrante da terra. O problema é que a frequência necessária para radiações penetrantes da terra está dentro do alcance de frequência mais citados para interrupção das funções mentais humanas. Isto pode também ter profundos efeitos nos padrões de migração de peixes e animais selvagens que confiam no campo de energia não perturbado para encontrar as rotas deles.

Como se os pulsos eletromagnéticos no céu e a interrupção mental não fossem o bastante, Eastlund bravateou que o super poderoso aquecedor ionosférico pode controlar a atmosfera. Begich e Manning trouxeram a luz documentos do governo que indicam que os militares tem a tecnologia do controle atmosférico. Quando HAARP é eventualmente construída para seu completo nível de energia, ela pode criar efeitos atmosféricos sobre hemisférios inteiros. Se um governo experimenta com os padrões mundiais atmosféricos, o que é feito em um lugar terá impacto em todo mundo mais no paneta. Angels Don’t Play This HAARP explica um princípio por trás de algumas invenções de Nikola Tesla — a ressonância — que afeta sistemas planetários.

A Bolha de Partículas Elétricas

Angels Don’t Play This HAARP inclui entrevistas com cientistas independentes tais como Elizabeth Rauscher. Ela tem um Ph.D., uma longa e impressionante carreita em física de alta energia, e tem sido publicada em prestigiadas revistas científicas e livros. Rauscher comentou sobre HAARP. “Você está bombeando energia tremenda em uma configuração molecular extremamente delicada que compreende estas multi camadas que chamamos de ionosfera.” A ionosfera tem a tendência a reações catalíticas, ela explicou: se uma pequena parte é carregada, uma maior mudança na ionosfera pode acontecer.

Ao descrever a ionosfera como um sistema delicadamente equilibrado, a Dra. Rauscher partilhou sua imagem mental disto – uma esfera como bolha de sabão que circunda a atmosfera da Terra, com movimentos em rodamoinho sobre a superfície da bolha. Se um buraco suficientemente grande é furado nela, ela prevê, ela pode estourar.

Fatiando a Ionosfera

O físico Daniel Winter, Ph. D. , de Waynesville, North Carolina, diz que as emissões de alta frequência de HAARP podem se acoplar a pulsos de comprimentos de onda (de baixa frequência, ou ELF) que a grade da Terra usa para distribuir informação como vibrações para sincronizar as danças da vida na biosfera. Dan denomina esta ação geomagnética ‘Corrente Sanguínea da Informação da Terra’ e diz que é provável que o acoplamento de HAARP HF (alta frequência) com natural ELF (frequência extremamente baixa) pode causar efeitos colaterais não planejados e não suspeitados.

David Yarrow de Albany, New York, é um pesquisador com um background em eletrônica. Ele descreveu as possíveis interações das radiações de HAARP com a ionosfera e a grade magnética da Terra:

“HAARP não queimará buracos na ionosfera. Isto é um eufemismo perigoso do que o gigantesco raio de gigawatt de HAARP fará. A Terra está girando relativa ao delgado escudo elétrico da membrana multicamada de ‘ion-o-speres’ que absorvem e excudam a superfície da Terra contra a intensa radiação solar, incluindo tempestades de partículas carregadas na erupção dos ventos solares no Sol. O giro axial da Terra significa que HAARP — em uma queima que não dure mais que uns poucos minutos — fatiará a ionosfera como uma faca de microondas. Isto não produz um buraco, mas uma longa incisão – um rasgo.”

Cruelmente Puxando as Cordas

“Segundo conceito: Na medida em que a Terra faz sua rotação, HAARP fatiará através do fluxo geomagnético… um cilindro de cordas magnéticas em forma de donut – como os meridianoas de longitude nos mapas. HAARP pode não ‘cortar’ estas cordas no manto magnético de Gaia mas pulsará cada corda com rígidas alta frequências fora de harmonia. Estes impulsos barulhentos vibrarão as linhas de fluxo geomagnético, enviando vibrações por toda a teia geomagnética.

“A imagem que vem a mente é a de uma aranha em sua teia. Um inseto pousa, a as vibrações da teia alertam a aranha sobre a posível presa. HAARP será um dedo de microondas feita pelo homem furando a teia, enviando sinais confusos, se não rasgando buracos nos fios.”

“Os efeitos desta interferência com a sinfonia da harpa geomagética de Gaia são desconhecidos, e eu mal posso suspeitar sobre isto. Até mesmo se o intento de HAARP é aprender a explorar qualquer efeito, não tocar em sintonia com as sinfonias globais.

Entre outros pesquisadores citados está Paul Schaefer de Kansas City. Ele é formado em engenharia elétrica e passou quatro anos construindo armas nucleares. “Mas a maioria das teorias que nos tem sido ensinadas pelos cientistas a acreditar parecem estar desmoronando”, ele diz.

Ele fala sobre desequilíbrios já causados pelas idades industrial e atômica, especialmente pela radiação de grandes números de pequenas partículas de alta velocidade “como piões muito pequeninos em nosso ambiente. O nível não natural do movimento das partículas altamente energéticas na atmosfera e nos cinturões de radiação que circundam a Terra é o vilão das interupções atmosféricas, segundo este modelo, que descreve uma Terra descarregando sua construção de calor, aliviando o stress e recuperando a condição de equilíbrio por meio de terremotos e ações vulcânicas.

A Terra Febril

“Alguém pode comparar o estado anormal da Terra e sua atmosfera a bateria de um carro que tem se tornado sobrecarregada com o fluxo normal de energia danificado, resultando em pontos quentes, arqueamento elétrico, quebras físicas e turbulência geral na medida em que as energias aprisionadas buscam algum lugar para ir.”

Em uma segunda analogia, Schaefer diz “A menos que desejemos a morte de nosso planeta, devemos parar a produção de partículas instáveis que estão gerando a febre da Terra. Uma primeira prioridade para evitar este desastre seria fechar todas as usinas nucleares e terminar os testes com as armas atômicas, a guerra eletrônica e Guerra nas Estrelas.”

Enquando isto, os militares constróem seu maior aquecedor ionosférico, para deliberadamente criar mais instabilidades em uma enorme camada de plasma – a ionosfera – e acelerar o nível de energia das partículas carregadas.

Chuva Eletrônica no Céu

Eles tem publicado trabalhos sobre a precipitação de eletrons da magnetosfera [os cinturões externos de partículas carregadas que circulam através dos polos magnéticos da Terra] causados pelo homem ondas eletromagnéticas de frequência muito baixa. “Estas partículas precipitadas podem produzir ionização secundária, emtir raios X e causar perturbação significativa na atmosfera inferior.”

Dois radio cientistas da Universidade de Stanford oferecem evidência de que a tecnologia pode afetar o céu ao fazer ondas na Terra; eles mostraram que ondas de radio de frequência muito baixa podem vibrar na magnetosfera e fazer com que as partículas de alta energia se cascateiem para a atmosfera da Terra. Ao ligar ou desligar o sinal, eles podem parar o fluxo de energia das partículas.

Controle Atmosférico

Avalanches de energia desalojadas por tais ondas de radio pode nos atingir duramente. O trabalho deles sugere que os técnicos podem controlar a atmosfera global ao enviar sinais relativamente pequenos ao cinturão de Van Allen (cinturões de radiação ao redor da Terra ). Assim os efeitos da ressonância de Tesla podem controlar energias enormes por pequeninos sinais desencadeadores.

O livro de Begich/ Manning pergunta se este conhecimento será usado por cientistas orientados para a guerra ou por aqueles orientados para a biosfera.

Os militares tem tido aproximadamente vinte anos para trabalhar em métodos de guerra atmosférica, que eles eufemisticamente chamam de modificação atmosférica. Por exemplo, a tecnologia de fazer chover foi tirada de uns poucos percursores de testes no Vietnã. O Departamento de Estado dos EUA fez amostragem de estudos de manipulação de relâmpagos e furacões no Projeto Skyfire e no Projeto Stormfury. E eles olharam algumas destas complicadas tecnologias que darão grandes efeitos. Angels Don’t Play This HAARP cita um especialista que diz que os militares estudaram laseres e químicos que eles entendiam podiam danificar a camada de ozônio sobre um inimigo. Procurando meios de causar terremotos, bem como detecta-los, era parte de um projeto chamado Prime Argus, décadas atrás. O dinheiro para isto veio da Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA, agora sob o acrônimo de ARPA.)

Em 1994 a Força Aérea revelou seu plano mestre de precisão espacial para 2020 que inclui o controle atmosférico. Os cientistas tem experimentado com controle atmosférico desde a década de 1940, mas Spacecast 2020 notou que “usar técnicas de modificação ambiental para destruir, danificar ou ferir um outro Estado é proibido”. Tendo dito isto, a Força Aérea clamou os avanços na tecnologia “compele um reexame deste tópico sensível e potencialmennte arriscado.”

40 Anos de Atirar no Céu?

Já em 1958, o conselheiro chefe da Casa Branca sobre modificação atmosférica, o Capitão Howard T. Orville, disse que o Departamento de Defesa dos EUA estava estudando “meios de manipular as cargas da terra e céu e assim afetar a atmosfera” ao usar raio eletrônico para ionizar ou desionizar a atmosfera sobre uma dada área.

Em 1966, Professor Gordon J. F. MacDonald foi diretor associado do Instituto de Geofísica e Física Planetária na Universidade da Califórnia, Los Angeles, era membro do Comitê de Aconselhamento de Ciência do Presidente sobre Qualidade Ambiental. Ele publicou trabalhos sobre o uso de tecnologias de controle ambiental para propósitos militares. MacDonald fez um comentário revelador:

“A chave para a guerra geofísica é a identificação das instabilidades ambientais nas quais a adição de uma pequena quantidade de energia liberariam quantidades vastamente maiores de energia.”

Um cientista mundialmente reconhecido, Donald tinha várias idéias para o uso do ambiente como um sistema de armas e naquele tempo ele contribuiu com o que era o sonho de um futurista. Quando ele escreveu seu capítulo, “Como Destruir o Ambiente”, para o livro “Unless Peace Comes”, ele não estava brincando. Nele ele descreve o uso da manipulação atmosférica, modificação climática, derretimento ou desestabilização da capa de gelo polar, técnicas de depleção de ozônio, engenharia de terremoto, controle das ondas do oceano e manipulaçao das ondas cerebrais usando os campos de energia do planeta. Ele também disse que estes tipos de armas seriam desenvolvidas e, quando usadas, seriam virtualmente indectáveis por suas vítimas. HAARP é esta arma? A intenção dos militares de fazer engenharia ambiental é bem documentada.

As audiências do subcomitê do Congresso dos EUA sobre Oceanos e Ambiente Internacional olharam as modificações climáticas e atmosféricas dos militares realizadas na década de 1970. “O que emergiu foi uma surpreendente imagem de pesquisa de alcance muito longo e experimentação pelo Departamento de Defesa em meios nos quais o manuseio ambiental pode ser usado como arma’, disse um outro autor citado em Angels Don’t Play This HAARP.

Os segredos revelados surpreenderam os legisladores. Será que uma investigação sobre o estado de arte da manipulação eletromagnética hoje surpreenderia os legisladores? Eles podem descobrir que as tecnologias desenvolvidas nos experimentos de HAARP no Alasca podem enviar a visão de Gordon MacDonald, porque os cientistas de liderança estão descrevendo a atmosfera global não apenas como pressão e sistemas de ar, mas também como um sistema elétrico.

‘Pequeno Input, Grande Efeito’

HAARP destrói a ionosfera onde ela é relativamente instável. Um ponto a lembrar é que a ionosfera é um escudo elétrico ativo que protege o planeta do constante bombardeio de partícculas de alta energia vindas do espaço. Este plasma condutor, junto com o campo magnético da terra, aprisiona o plasma elétrico do espaço e mantém isto de volta ao impedir ir diretamente para a superfície da Terra, diz Charles Yost de Dynamic Systems, Leicester, North Carolina.

“Se a ionosfera é grandemente perturbada, a atmosfera abaixo é subsequentemente perturbada”

Um outro cientista entrevistado disse que existe uma poderosa conexão elétrica entre a ionosfera e parte da atmosfera onde o nosso clima vem ao estágio, a atmosfera inferior.

Um efeito eletrico feito pelo homem – a ressonância harmônica das linhas elétricas – causam a queda das partículas carregadas dos cinturões de Van Allen (radiação), e os ions que caem causam cristais de gelo (que precipitam as nuvens de chuva).

E quanto a HAARP? A energia explodida para cima de um aquecedor ionosférico não é muito comparado ao total na ionosfera, mas os documentos de HAARP admitem que quantidades milhares de vezes maiores de energia podem ser liberadas na ionosfera do que injetadas. Como “a chave para a guerra geofísica” de MacDonald, “os efeitos não lineares (descritos na literatura sobre o aquecedor ionosférico) significam pequeno input e grande output. O astrofísico Adam Trombly disse a Manning que um modelo de acupuntura é um meio de olhar o possível efeito do pulso de multi gigawatts da ionosfera. Se HAARP atinge certos pontos, estas partes da ionosfera podem reagir de modos surpreendentes.

Aquecedores ionosféricos menores, tais como o de Arecibo, estão sob regiões relativamente plácidas da ionosfera, comparado aos movimentos dinâmicos mais próximos aos polos magnéticos da Terra. Isto acrescenta uma outra incerteza a HAARP – a imprevisível e viva atmosfera superior perto do polo norte.

Os experimentadores de HAARP não impressionam o senso comum dos habitantes do Alasca tais como Barbara Zickuhr, que diz “Eles são como garotos brincando com um espeto agudo, procurando um urso adormecido e o furando na anca para ver o que acontece.”

Eles Podem Provocar um Curto-Circuito da Terra?

A Terra ser um sistema elétrico esférico é um modelo muito bem aceito. Contudo, estes experimentos que querem fazer conexões elétricas não naturais entre partes deste sistema podem não estar pensando nas possíveis consequências. Os motores elétricos e geradores podem oscilar quando seus circuitos são afetados. As atividades humanas podem causar mudança significativa no circuito elétrico do planeta ou no campo elétrico? Um trabalho da respeitada revista científica Science lida com esta ionização feita pelo homem de material radioativo, mas talvez isto possa também ser estudado com o tipo de queimadores do céu de HAARP em mente:

“Por exemplo, enquanto as mudanças no campo elétrico da Terra resultantes de uma chama solar modulando a condutividade pode ser somente um efeito pouco detectável pela meteorologia, a situação pode ser diferente a respeito das mudanças no campo elétrico causadas pela ionização causada pelo homem…”

A meteorologia, com certeza, é o estudo da atmosfera e do clima. A ionização é o que acontece quando um nível mais alto de energia é disparado nos átomos e retira os eletrons dos átomos. As resultantes partículas carregadas são um assunto de HAARP. “Alguém que olhe o clima pode nos dizer que estamos no caminho errado,” diz Paul Schaefer, comentando as tecnologias do tipo de HAARP.

Projeto Montauk

Estação da Força Aérea em Montauk
Ativa ou Não?
de John A. Quinn

Introdução

Para ter as coisas começadas do jeito certo (e colocar o leitor em um apropriado estado mental) esta pergunta deve ser respondida antecipadamente, tão simples e diretamente quanto possível; a resposta é sim… e não; e aqui está a história.

Dentro dos últimos dois anos, vários incidentes de natureza profundamente perturbadora e altamente irregular tem ocorrido em Camp Hero/Estação da Força Aérea Montauk, uma instalação ostensivamente abandonada na ponta extremo sul de Long Island e perto do histórico farol do Ponto Montauk. Esta área é atualmente administrada pelo sistema de parques do Estado de New York e é de fato um designado parque estadual, ao menos no papel. Dois destes incidentes envolveram mulheres, uma das quais estava acompanhada por seus filhos, sendo interpeladas, perseguidas e ameaçadas com armas por pessoal militar ou do governo, não identificado, enquanto estavam nas vizinhanças. Disseram a elas que elas violaram áreas restritas e top secretas e estavam sujeitas a serem presas; contudo nenhuma prisão foi feita. Um tal incidente envolvendo armas aconteceu dentro do ano passado [1996] quando uma jovem mulher estava andando no chamado parque estadual. Um evento similar mas sem armas automáticas aconteceu em meados de 1995 quando uma família que passeava encontrou um agente de segurança, também não identificado, que abusivaente perseguiu a família e a ameaçou de prisão pela mesma alegada violação; novamente, não foram feitas prisões. Em abril de 1966, em um esforço para se manterem atualizados sobre o status da área, esta família novamente entrou na porção restrita do Parque Estadual de Camp Hero, e mais um vez foi abordada por um guada não uniformizado que os advertiu que eles estavam invadindo uma área fora dos limites de acesso ao público e que deveriam sair imediatamente. Isto se seguiu em um número inexplicavelmente grande de eventos similares em anos recentes. Existe testemunho muito bem consubstanciado – pelo menos remontando a 25 anos atrás -, de atividades bizarras, inconstitucionais e horríveis secretamente realizadas pelo governo sombrio e agências militares neste local.

Além das conhecidas bases militares [da marinha americana] de Camp Hero e a Estação da Força Aérea de Montauk, os planos e registros do Corpo de Engenheiros do Exército americano estabelecem uma prova conclusiva da existência de ao menos quatro níveis de intalações subterrâneas sob Camp Hero, e segundo fontes informadas, mais de três níveis adicionais tem sido acrescentados na década de 1990. Montauk é geologicamente distinta do resto de Long Island e está no topo de uma montanha submersa pelo mar, assim há muito leito rochoso onde descer. Camp Hero foi uma instalação do exército americano criada antes da Segunda Guerra Mundial e a Base da Força Aérea de Montauk foi criada dentro de seu perímetro na medida em que o exército se retirou do local na década de 1950. A Base da Força Aérea esteve oficialmente ativa somente até 1989, e os registros federais não mostram qualquer fonte legítima de custeio existente após este tempo para manter ativo a base e seu sistema de radar SAGE que tinha se tornado obsoleto, ainda que documentos recuperados da Força Aérea e inúmeras testemunhas verifiquem sem sombra de dúvida que a Estação da Força Aérea estava ainda ativa muito depois de então.

Recentemente tem emergido muita evidência que indica que a base e as instalações subterrâneas estavam e ainda são usadas para uma quantidade tremenda de pesquisa classificada top secreta e experimentação (muito disto cai sob o patrocínio do apelidado Projeto Phenix] em física quântica e de partículas [simulação de buracos negros], campos elétricos superpoderosos, controle do clima, psicotrônica [interface mente e máquina], genética, e controle mental baseado em drogas e eletrônica. A preponderância desta evidência fortemente sugere que um grande quantidade destas atividades tem sido deliberadamente malevolente tanto para os fins desejados e quanto os meios, e tem utilizado sujeitos não voluntários e até mesmo indefesos – incluindo as vezes, jovens raptados das comunidades adjacentes. Certos experimentos na dobra controlada de nosso espaço-tempo contínuo tiveram tais efeitos devastadores e consequências potenciais surpreendentemente inconcebíveis que vários internos do projeto conspiraram para sabotar os procedimentos em agosto de 1983, forçando o abandono total, mas que acabou sendo temporário.

Conteúdo

Sem Piqueniques no Parque Estadual de Camp Hero

É uma questão de registro público que o governo federal entregou a propriedade de Camp Hero/Estação da Força Aérea de Montauk para o Estado de New York, para uso da terra como um parque público em 1984, ainda que segundo os termos do acordo registrados nos escritórios do Condado de Suffolk em Riverhead, N.Y., o governo federal retenha todos os direitos a toda propriedade sob a superfície da terra – somente a superfície foi realmente doada ao Estado de New York. O acordo também determina que o governo federal pode reclamar a superfície da terra por razões de segurança nacional, se necessário.

13 anos depois desta transferência, ao menos 2/3 do chamado parque permanece fora dos limites permitidos ao público! Isto mesmo é uma violação ao regulamento dos parques estaduais de New York, e a restrição é feita cumprir severamente por uma variedade de autoridades, que algumas vezes apontam armas. Técnicos eletrônicos tem monitorado e registrado radio frequências extremamente não usuais e não ortodoxas e outras transmissões eletromagnéticas que se emanam diretamente desta supostamente abandonada e restrita propriedade atualmente, o que indica atividades muito semelhantes aquelas que são alegadas ocorrerem lá. Novas linhas telefônicas e linhas de energia de alta alta capacidade com um gigawatt metro tem sido instaladas nesta alegada área abandonada e fora de limites bem recentemente, e as testemunhas observaram uma unidade de radar de partícula de raio altamente avançada da Cardion Corp. por um período de ao menos quatro meses em 1994. Investigadores receberam várias explicações para a razão disto de funcionários da Cardion (Siemens), e uma testemunha ouviu de um guarda de segurança que a unidade tinha estado funcionando mal no subterrâneo e assim foi trazida para a superfície para testes, e eu pessoalmente vi e ouvi com meus próprios olhos e ouvidos estas bizarras e complexas transmissões de sinais EM/RF monitoradas e rastreadas por receptores que localizam a direção e outros equipamentos.

O metro elétrico com capacidade de gigawatt está em uma estrutura afirmada ser um prédio de manutenção de equipamentos pelo funcionários do parque estadual: um dos poucos prédios funcionais dentro da área restrita. Gigawatts de energia elétrica é uma quantidade tremenda de energia – bastante para suprir uma grande cidade, mas onde está esta cidade em Montauk Point? Aparentemente, no subterrâneo. Investigadores das atividades clandestinas avaliam que se gigawatts de eletricidade fossem descarregados (utilizados) dentro de um único prédio, ele seria demolido completamente pelo fogo em tempo record. Eles apontam para a existência de uma linha de energia e gigawatt metro como evidênia clara de operações secretas, ilícitas, inconstitucionais na Estação da Força Aérea. Em junho de 1996 esta avaliação foi confirmada como fato por um homem de serviço da LILCO, a companhhia de energia elétrica para a área de Montauk (e virtualmente toda Long Island). Um leitor de linha e metro para a vizinhança de Camp Hero, afirmou que ele e seus supervisores estavam cientes que uma quantidade tremenda de eletricidade é utilizada por esta linha de energia e registrada pelo metro. Ele também notou que também não é possível em absoluto que seja para a manutenção de um único edifício de manutenção que use tanta energia para operações de equipamentos ou outras atividades legítimas concebíveis de parques estaduais.

Fato Estranho da Ciência

A pesquisa e a experimentação alegada haver ocorrido na instalação subterrânea debaixo de Camp Hero, que inclui manipulações de tempo e interdimensionais e viagem, podem sem dúvida atingir certos leitores como ficção científica; contudo, um exame cuidadoso dos mais recentes conceitos e desenvolvimentos na física quântica mostra um apoio disseminado às teorias que fornecem esta possibilidade , até mesmo similaridade, do desenvolvimento de métodos para realizar viagem no tempo e em outras dimensões. Por exemplo, em março de 1994, “Scientific American” publicou um trabalho científico de David Deutsch e Michael Lockwood que concluiram claramente que nada nas atualmente conhecidas leis da Física, proibe tais excursões. De fato, o peso da prova é agora sobre os duvidosos do tempo e da viagem dimensional que dizem que isto é impossível. Várias grandes mentes na Física contemporânea – incluindo mas não se limitando a Nick Herbert, Kip Thorne, Frank Tipler, Fred Allen Wolf, Michio Kaku, Steven Hawking, e Paul Halpern — postulam que a viagem no tempo pode de fato ser alcançada. Pode ser dito conclusivamente, provado além da dúvida dentro da estrutura da ciência contemporânea, que existem dimensões paralelas – realidades prováveis, aparentemente infinita em número, e nosso familiar espaço tempo continuum em 3D é apenas uma manifestação.

Fundamentalmente, é a nossa consciência que de algum modo literalmente traz a existência a dimensão ou ralidade que vivenciamos, manifestando-a do que são para nós reinos de potenciais infinitos. Isto foi demonstrado em uma fórmula matemática conhecida como Prova de Von Neumann, desenvolvida pelo físico húngaro Janus Eric Von Neumann e publicada na década de 1930 em seu livro “Fundamentos Matemáticos da Física Quântica”, conhecida até hoje como a “bíblia” entre os físicos quânticos. Outros desenvolvimentos tem demonstrado que o tempo como é geralmente concebido, uma progressão linear do passado para o presente e deste para o futuro, em última instância não existe. Experimentos realizados na Universidade de Columbia na década de 1970 provaram que uma decisão tomada por um pesquisador/observador que determina se um fóton tem ou não viajado como uma onda ou uma partícula (causando ou não causando interferência de onda], e o que é feito depois que o fóton é emitido dentro de um aparelho multi espelhado (o que retarda consideravelmente sua viagem), também determinará o estado do fóton ao tempo em que ele é emitido – mostrando que o presente afeta o passado e então o futuro pode afetar o presente. Portanto, todo tempo é realmente simultâneo; o que chamamos de passado e futuro existem agora. O passado não foi embora e o futuro não está por vir. Então onde eles estão? Em uma outra dimensão. Alterações similares aos conceitos tradicionais sobre espaço, em particular vastas distâncias, devem suceder de tais fatos cientificamente aceitos.

Um outro campo de pesquisa usada intensamente em projetos top secretos envolvendo tecnologias ultra avançadas é aquele de Nikola Tesla, um verdadeiro gênio científico e verdadeiro pai de nosso sistema elétrico atual de corrente alternada, que já na virada do século anterior relatadamente desenvolveu tais tecnologias como raio de partícula e aparelhos anti-gravidade, transmissão de energia sem fio, psicotrônica e energia “livre”, para nomear uns poucos. Grande parte de seu trabalho permanece apenas obscuramente compreendido por muitos cientistas até mesmo hoje. Tesla e suas invenções figuraram proeminentemente no lendário “Philadelphia Experiment” que foi de fato parte da pesquisa do Projeto Phoenix.

Deve ser ressaltado por estes revisionistas que descontam a realidade do “Philadelphia Experiment” e também aqueles cujas mentes se assombram com a contemplação de tais assuntos, que há uma ampla evidência em se falando apenas de registro público (jornais, revistas, periódicos, etc.), mostrando que nas décadas de 1930 e início da de 1940 a Inteligência Naval e outras agências estiveram de fato completamente devotadas na pesquisa da tecnologia de ocultação ao radar com os principais físicos da época, incluindo John Hutchenson, Emil Kurtenhour, Albert Einstein, Von Neumann e Tesla. Embora não seja discutido então ou agora, a literal invisibilidade à visão foi também um assunto de consideravel interesse neste trabalho. Os locais desta pesquisa foram primeiramente a Universidade de Chicago e então mais tarde o Instituto Para Assuntos Avançados, uma organização de fachada para grupos conectados ao conclave de “um governo mundial” – o Conselho de Rhodes.

É certamente digno de nota que Tesla, que mantinha instalações de pesquisa em Shoreham, Long Island, falou de seus contactos com e inspiração de fontes extraterrestres.

Isto nos leva ao que talvez seja a avaliação mais incrível a respeito de tais comportamentos super secretos como o Projeto Phoenix, incluindo o Philadelphia Experiment e mais tarde, as atividades de Montauk – o envolvimento do governo secreto e agências internacionais com várias espécies alienígenas em inúmeros destes empreendimentos, até mesmo a anteriormente bem documentada queda de UFO em Roswell, New Mexico em julho de 1947. Não obstante, nenhuma pessoa racional e inteligente pode continuar a ignorar a existência de naves aeroespaciais excepcionalmente avançadas, aparentemente de origem não terrestre em sua maior parte, bem como a grande quantidade de testemunho de milhares de pessoas normais e sadias de contactos em algum grau com frequentes seres humanóides embora não terrenos operando tais naves; ignorar tais fatos é estar em negativa. Certamente uma tal condição de negativa da parte de tantos tem sido deliberada e unilateralmente instigada pelos governos, em particular pelos serviços de inteligência por inúmeras razões. A razão mais frequentemente citada e aceitável é a afirmação da grande preocupação sobre o efeito das notícias da existência de seres extraterrestres (e suas associadas tecnologias avançadas e habilidades) possa ter sobre os fundamentos sociais, políticos e econômicos da civilização humana. Tradução: aqueles no controle tem medo que eles possam não se manter assim. Uma razão mais compelente seria esconder o fato de que muitas das agências supra mencionadas tem aderido a atividades colaboradoras e a tratados com grupos de alguns destes seres extraterrestres. Uma percentagem da tecnologia usada no Projeto Phoenix e também na aeronave Stealth é dito ser derivado de fontes alienígenas e acusações tem sido feitas por pessoas como John Lear, filho do inventor do Lear Jet e mantenedor dos maiores records da aviação [que voou muitas missões para a CIA e saberia], que em troca desta tecnologia o governo deu a certos alienígenas permissão para abduzirem e realizarem experiências em cidadãos. Embora a ocorrência de abduções seja inegável por agora, uma quantidade surpreendente de evidência mostra que de fato pessoas muito humanas associadas a certas agências mlitares ou governamentais são responsáveis por muito – se não pela maioria -, do chamado fenômeno da abdução. fPreston Nichols diz que a inforação dele indica que 2/3 das ‘abduções alienígenas” realmente são realizadas pelas agências do governo – sem nenhum envolvimento alienígena.]

A totalidade da evidência nesta conjuntura indica que ao menos umas poucas raças extraterrestres estão presentemente se movendo em grande velocidade ao redor dos arredores gerais da Terra. O presidente de Buena Vista (Disney), Michael Eisner aparece pessoalmente em um vídeo promocional de 1996 da Disney para uma exibição completamente reprojetada e interativa de “Tomorrowland” apresentando cenários extraterestres e de abdução, durante a qual ele acusa direta e claramente o governo americano de enganar e mentir para o público a respeito da existência de extraterrestres e sua presença aqui, por muitos anos. Sua delaração continua com uma chamada para que as pessoas aceitem a verdade inevitável e aprendam a lidar com isto, sem ajuda ou orientação de qualquer fonte oficial ou governamental que possa ser esperada. (Algo novo aqui?)

Whitley Strieber, o autor de best sellers dos livros de não ficção “Communion” e “Breakthrough” reforçou esta opinião enquanto falava no programa de rádio Dreamland de Art Bell – que alienígenas de qualquer espécie que estejam conectados com as agências secretas militares ou governamentais, geralmente são más notícias e aqueles que não estão assim conectados podem ser OK, ou ao menos, gozarem do benefício da dúvida.

A Caixa de Pandora

Algumas das informações mais surpreendentes agora disponíveis a respeito de uma tal pesquisa classificada e experimentação em física ultra avançada, e tecnologias resultantes,e os usos das quais foram colocadas, podem ser encontradas em livros de Preston Nichols e Peter Moon, que fornecem profundos detalhes das atividades recentes do Projeto Phoenix. Seguindo o “Philadelphia Experiment” em 1943, uma tentativa inicial de tornar invisível [invisibilidade ao radar] e segundo algumas fontes também de invisibilidade literal, que pela maioria responde haver terminado em um fracaso incontrolável e de pesadelo, tal que a pesquisa interdimensional foi posta a espera enquanto era desenvolvida a bomba atômica e até que fosse vencida a Segunda Guerra Mundial, certamente contra o Japão. [a respeito da guerra contra a Alemanha nazista, contudo, a consequência não foi tão completa e decisiva como os livros de história podem nos ter feito acreditar – certamente nenhuma bomba atômica foi lançada – e devemos procurar mais sobre isto posteriormente). No final da década de 1940, entendendo que as linhas de pesquisa do Projeto Phoenix, se apropriadamente canalizadas, controladas e desenvolvidas, tinham possibilidades surpreendentes e inimagináveis, as agências clandestinas do governo reabriram a caixa de Pandora.

Os piores problemas encontrados durante o “Philadelphia Experiment” foram os efeitos extraordinariamente dstrutivos e bizarros sobre os seres humanos que estavam a bordo do navio militar que foi usado no experimento. Alegadamente, navio e tripulação desapareceram da vista por algum tempo; danos psicológicos devastadores bem como horríveis resultados físicos que atingiram os marinheiros que foram anexados ao metal do navio quando ele reapareceu [rematerializou] foram relatadamente alguns destes efeitos. Janus Von Neumann, que era o diretor do “Philadelphia Experiment”, (depois que Tesla havia saido desgostoso por sua preocupação sobre os efeitos sobre as pessoas) foi chamado para descobrir mais a respeito de como os seres humanos eram impactados ao entrarem em outras dimensões de tempo-espaço e para desenolver tecnologia que pudesse permitir que pessoas fizessem isto sem danos severos. Von Neumann, que diferentemente de Tesla tinha pouco costume com a metaísica ou a parapsicologia, logo se descobriu incapaz de chegar a termos com os aspectos psíquicos e espirituais dos seres humanos além dos níveis material e físico. É suficiente dizer que alguns elementos de uma pessoa, frequentemente chamados de espírito ou alma, devem permanecer em sintonia com seu original fechamento no tempo-espaço, que começa ao tempo da concepção física [incarnação] enquanto se transfere ou retorna de outras dimensões, se tais resultados destrutivos em ampla escala devam ser evitados. Von Neumann, exercendo mais uma vez suas prodigiosas capacidades mentais, chegou ao primeiro computador mundial, que tinha a capacidade de calcular certos fatores de referência de tempo e espaço com absoluta precisão – uma necessidade para o que era para ser realizado; além disso, equipamento psicotrônico foi criado que podia receber, reconfigurar e transmitir frequências do tipo de rádio gerada por pensamentos da mente humana [frequências que existem e podem ser captadas pelo que geralmente é chamado “física” [não, elas não são todas falsas); e por extensão, aparelhos que podiam externa e artificialmente alterar ou “controlar” as mentes das pessoas.

Entre os objetivos iniciais do Projeto Phoenix tem sido (e ainda são! [veja informação sobre o Projeto HAARP posteriormente]) obter capacidades de controle climático. Agências secretas do governo dos EUA e grupos associados receberam um grande impulso nesta área, e no desenvolvimento das tecnologias psicotrônicas em geral, da pesquisa e do trabalho de Wilhelm Reich, um verdadeiro gênio em vários campos: científico, médico, psicológico e metafísico. Reich demonstrou por extensa experimentação que uma forma de eneria de radio-frequência que ele chamou de “orgonio” era responsavél por estados psicológicos mentais bem como por coisas como condições climáticas. A respeito das condições climáticas, Reich doou sua tecnologia de “quebra de nuvem” para o governo americano sem compensação financeira, já que ele próprio estava buscando outras implicações de suas descobertas. (Parcialmente devido a pressão da Associação Americana de Medicina [A.M.A.], Reich foi sem misericórdia caçado e perseguido por agentes federais e seu laboratório foi destruído; ele foi aprisionado, entre outras acusações, por praticar medicina sem licença.) A tecnologia de controle climático de Reich foi utilizada e posteriormente desenvolvida pelo governo, e integrada a outros aspectos do projeto Phoenix.

Alguns pesquisadores,incluindo Preston Nichols, avaliam que as tecnologias do Projeto Phoenix foram desenvolvidas e aperfeiçoadas em seu mais alto grau, e em sua maior parte em Long Island no Laboratório Nacional Brookhaven e outras instalações. Grande parte disto foi legitimamente custeada até a década de 1960, quando o Congresso, ao ser informado pelos Laboratórios Brookhaven, Siemens/ITT, A.I.L. e outros contratados do estado avançado de desenvolvimento e da grande eficácia dos aspectos de controle mental e da psicotrônica, prudentemente decidiu terminar tal pesquisa de uma vez, para o bem de ao menos esta tecnologia cair em mãos erradas e ser usadda de modo inaceitável. Isto pode ter sido uma das poucas recentes ações congressionais apresentando alguma determinação real, mas infelizmente, a tecnologia já havia caído nas mãos erradas. Consternados pela ação do Congresso, os diretores do projeto abordaram certos membros da inteligência e das hierarquias militares em segredo e inconstitucionalmente conspiraram para continuar a experimentação, novamente em segredo, na recentemente fechada Estação da Força Aérea de Montauk. Janus Von Neumann foi mais uma vez o diretor científico já que as avenidas de pesquisa do Projeto Phoenix eram levadas a extraordinariamente novas alturas. Isto, o chamado Projeto Montauk, especificamente lidava em sua maior parte com psicotrônica e áreas interdimensionais de experimentação. Experimentos de controle mental eletromagnético usando transmissões de radio frequência altamente energizadas eram realizadas continuamente sobre homens de serviço visitantes e mulheres “convidadas” para a base para R&R; sobre a população grandemente nas comunidades vizinhas; e mais incrivelmente, em inúmeras crianças abduzidas [raptadas]. Sobretudo, pelo final da década de 1970, foi ralizada experimentação muito avançada na “dobradura” controlada de espaço-tempo, usando algumas idéias e invenções de Tesla [ morto a muito tempo], Von Neumann e outros. Correntes elétricas tremendamendamente poderosas fluindo em configurações específicas geravam campos eletromagnéticos que criavam em efeito um funcional “objeto de viagem espacial”. Para mais uma vez simplificar, a física era novamente utilizada para visualizar e estabilizar a “destinação alvo” em uma diferente dimensão espaço-tempo na qual o vortex seria então focalizado. O cilindro de viagem espacial, um conceito formulado pelo físico supramencionado Frank Tipler, é atualmente um dos modelos teóricos mais amplamente aceitos na física quantum de como criar um “buraco negro” artificial e controlável, e asim alcançar a mudança espaço-tempo e dimensional e até mesmo a habilidade de efetuar alterações e manipulação de nosso espaço-tempo continuum.

Há indicações definidas e testemunho que as instalações militares em Montauk Point foram o local da pesquisa psicológica e de controle mental até mesmo antes de 1969; segundo os pesquisadores de Camp Hero, tem sido sabido que uma base “psíquica” tem até mesmo existido desde sua origem não muito depois que o governo federal adquiriu a terra em 1910 por meio de uma flagrante burla, fraude e engano praticada contra seus legítimos proprietários – a tribo indígena Montauk. Evidência substancial de inúmeras fontes mostra que as agências de inteligência do nosso governo são responsáveis por um surpreendemente sortimento de experimentos de controle mental e projetos, ao menos a cinquenta anos. O Napa (Califórnia) Sentinel publicou uma longa série em 1991 que forneceu uma visão geral muito compreensível do “estado de arte” geral das atividades em controle mental nos EUA; o Washington Post tem apresentado uma boa cobertura sobre os diabólicos abusos da CIA e do NSA neste campo. As audiências do Comitê Church do Senado durante a década de 1970 sobre as práticas da CIA, NSA e similares em tais assuntos, realmente só arranharam a superfície de um aspecto sórdido, brutal e pouco conhecido dos registros dos serviços de inteligência dos EUA neste tipo de experimentação – quase sempre envolvendo completo abuso abjeto e desrespeito aos direitos humanos, civis e constitucionais. Em 1994 o Comitê do Senado de Assuntos dos Veteranos [presidido por John D. Rockefeller] realizou audiências sobre as práticas de grupos militares e de inteligência a respeito da utilização de sujeitos involuntários em uma parte substancial da chamada pesquisa realizada em campos tais como a testagem dos efeitos das armas químicas e biológicas e os usos de drogas e as configuradas transmissões eletromagnéticas e de radio frequência no controle mental [e corporal].

Em Montauk, para simplificar consideravelmente, a agenda básica de “pesquisa” era como se segue. Psíquicos extremamente dotados e rigorosamente treinados eram atraídos por meio do equipamento psicotrônico para computadores que convertiam as formas de ondas de seus pensamentos em código digital de computador, e também reestabeleciam formas de ondas a transmissores excepcionalmente altamente energizados eletromagneticamente ou por radiofrequência que transmitiam pensamento, sinais alteradores da consciência e da mente. Segundo narrativas, certos experimentos alcançaram a materialização, em níveis variados de estabilidade e solidez, de objetos visualizados pelos psiquícos cujos pensamentos eram irradiados, bem como efeitos de teleportação. [o website da IBM em maio de 1997 apresentou uma sinopse da pesquisa dela e pretendido desenvolvimento da tecnologia da teleportação]

Parte disso soa muito excitante, surpreendente e até mesmo maravilhoso, e certamente de alguns modos provavelmente o seja. Contudo, em grande extensão, tais atividades foram e são feitas absolutamente sem qualquer consideração com os efeitos que as pessoas experimentem; sobretudo, este trabalho é feito com a plena intenção de usar as capacidades e o conhecimento obtidos para mais inteligentemente e completamente subjugar a humanidade com um controle cada vez mais poderoso e invasivo de nossa consciência; de fato, e literalmente se lembrarmos da Prova de Von Neumann, “a engenharia da realidade”. Segundo Nichols, um engenheiro radio-eletrônico inquestionavelmente brilhante que trabalhou frequentemente no Projeto Montauk em um estado mental alterado enquando simultaneamente trabalhava no Laboratório Nacional Brookhaven (tal consciência alternativa pode ser obtida com variações das tecnologias psicotrônicas) – e também segundo outros participantes em primeira mão em certos destes experimentos – alguns dos mais jovens abduzidos e tão viciosamente abusados nestas atividades morreram como resultado e foram enterrados em massa no sitio! A tragédia humana atestada aqui começa a rivalizar as indeléveis atrocidades dos massacres de Pol-Pot ou Auschwitz e Bergen-Belsen em seu horror e brutalidade. O fato de que isto tenha sido feito a crianças americanas e em solo americano por agências ligadas, contudo tenuamente, a nosso governo é virtualmente inimaginável; ainda que temos descoberto, muitas das avaliações feitas pelos investigadores de Phoenix/ Montauk tenham sido examinadas e verficadas.

Como mencionado, o Projeto Montauk ruiu e foi queimado em agosto de 1983, sabotado certamente de dentro por alguns participantes chave que não podiam mais tolerar o que estava acontecendo. Um túnel do tempo exatamente ligado ao “Philadelphia Experiment” exatamente quarenta anos antes [12 de agosto de 1943] foi alegadamente alcançado então – aparentemente uma tentativa de projetar operadores para repararem ou desfazerem os danos que eles sentiam terem sido feitos ao espaço-tempo continuum durante o experimento de 1943; entretanto, o projeto terminou temporariamente, como descrito, com a superfície da propriedade sendo doada ao Estado de Nova Iorque.

Os paradoxos abundam

Até mesmo uma breve descrição deste local revelará maciças inconsistências e ofuscantes anomalias na atual administração da área dos Parques Estaduais de Nova Iorque: uma série de investigações da instalação de aproximadamente 400 acres mostra que sua designação e administração é muito irregular e suspeita. Embora seja supostamente uma instalação abandonada, tóxica e perigosa, fora dos limites do público até que seja limpa, virtualmente nenhuma limpeza tem sido realizada depois de 13 anos. A entrada de veículos tem um portão de alta segurança e é cercado com cadeados de combinação e está pesadamente cheio de avisos postados de “entrada restrita” e “não ultrapasse”, ainda que a cerca e os avisos que delineiem e identifiquem a área restrita sejam pontilhados ou não existentes ao longo de milhares de pés da fronteira [ironicamente, especialmente nas áreas residenciais]. Ao mesmo tempo, inúmeras autoridades patrulham a base continuamente, mas de uma forma como se estivessem “fora de serviço”. Eles geralmente não usam emblemas que os identifiquem ou uniformes e assim é algo não oficial – não necessário de se identificarem ou a fonte de sua autoridade; avisos para se manter fora da área e ameaças de prisão [e mais] são enviadas “não oficialmente” mas com muita força. A Polícia Estadual de Nova Iorque, a Polícia Estadual de Parques e a Polícia Municipal de East Hampton também patrulham a área e cumprem a restrição “fora dos limites”. Parece óbvio que o perímetro desta área restrita é tão desigualmente e irregularmente identificado e patrulhado para evitar chamar uma atenção indevida a este local.

Funcionários dos Parques Estaduais de Nova Iorque, incluindo o supervisor do parque George Larsen, são extremamente evasivos e enganosos quando questionados sobre o status real da área, bem como sobre a administração dela. Quintais nas vizinhanças diretamente adjacentes da Estação da Força Aérea de Montauk tem caminhos que levam diretamente a supostas áreas restritas, ou propriedade perigosa, do qual existe evidência filmada em videotape. Também, a uma maior exceção ao cumprimento legal da restrição da área fora de imite, e considerando as acusações feitas a respeito de algumas atividades aqui, é uma exceção mais que sinistra. Crianças e adolescentes tem sido localizados muito frequentemente dentro do perímetro e não são retirados ou até mesmo abordados quando observados pelo pessoal da segurança. Evidência filmada existe disso, e também de crianças dirigindo bicicletas e subindo nas estruturas da chamas área restrita, tóxica e perigosa, que aparentemente não está fora dos limites para eles.A Guarda Nacional e outras unidades militares realizam o que parece ser legítimos exercícios de treinamento na propriedade. Estas pessoas estão sendo submetidas a tal ambiente inseguro, tóxico e perigoso? Não parece ser provável, mas se assim for, aqui temos um outro fato escandaloso, bizarro e desperador para acrescentar a longa lista de tal relato ocorrer regularmente neste local. Bem como há uma quantidade substancial de testemunho de residentes das redondezas que descrevem o que parece ser uma atividade noturna, em andamento, não legítima, envolvendo pessoal militar/do governo não identificado na base.

Informação de Apoio

Certos incidentes tem vindo a luz durante os últimos poucos anos que dão apoio posterior a algumas das alegações sobre as atividades do Projeto Montauk. Ramos da CIA, NSA e outras agências tem reconhecido que realizaram inúmeras e extensas experimentações em controle mental em algumas locações nas décadas de 1960 e 1970, inclusive a infame pesquisa feita no Instituto Memorial Allen e na Universidade McGill em Montreal, Canadá. Dr. Euen Cameron era o chefe mestre de cerimônias lá, em um outro cenário estranhamente reminiscente da Alemanha nazista no que havia de pior – e não sem razão, como descobriremos.

Para os não esclarecidos, há quantidade substancial de informação e evidência sobre literalmente incontáveis projetos e subprojetos realizados pelas agências federais de inteligência de pesquisa e experimentação em todas as formas concebíveis de controle mental – usando tudo desde o contrle encoberto da informação básica disponivel a sociedade como um todo de fontes fundamentais como livros, revistas, TV, rádio, jornais etc., até drogas e eletromagnetismo e um culto altamente estruturado como “sistema de crença” em grupos de controle. ( Jonestown, o massacre da Guiana [aproximadamente 700 das mais de 900 vítimas foram de homicídio, não de suicídio) em 1979, como exemplo principal do projeto de controle mental mais drogas empregadas em um culto da CIA que perdeu o controle – o que talvez tenha sido a idéia! – um fato estudiosamente evitado na maior parte da cobertura da media da tragédia.) Usando sinais de radio frequência ou eletromagnéticos [e drogas] tecnologias funcionais tem sido desenvolvidas que podem: manipular os estados psicológicos básicos; interferir com o funcionamento mental coerente e com os reflexos motores; controlar o sistema nervoso autônomo; transmitir palavras audíveis diretamente ao cérebro vio microondas pulsadas; criar [psicotrônica] links mente-computador [utilizado pela Força Aérea com pilotos combatentes e computadores de vôo e demonstrado na TV]; interface diretamente com os processos de pensamento conscientes e o subconscientes; plantar mensagens subliminares – especialmente quando os alvos estão em sono REM… tudo isto em adição a outras atividades e capacidades anteriormente ressaltadas.

De particular interesse são as filas de computadores de nanotecnologia extremamente avançada da NSA que, usando links com satélites, podem localizar, catalogar, rastrear e escanear literalmente qualquer um nos EUA, ao ler [e registrar ou correlacionar/combinar] a única assinatura bio-eletromagnética possuida por qualquer um e por todos seres vivos, e pelo monitoramento de estado mental, físico e emocional através de sutis leituras evocadas de eletroencefalogramas captados por um escaneamente extremamente sensível. Os indivíduos alvos podem então ser “interfaceados” por meio da tecnologias de eletromagnetismo/radio frequência ressaltadas. A lista não termina, e este relato é apenas relativo aos aspectos de controle mental de Montauk, então devemos continuar. Indico aos leitores as bibliotecas públicas para alguma informação posterior sobre os projetos de controle mental do governo.

Os pesquisadores do Projeto Montauk avaliam que os mais jovens abduzidos para uso nos experimentos, primeiramente tinham demolido completamente seus espíritos, psiques, personalidades, senso de ego, e integridade mental por meio de um abuso psicossexual severo, intensivamente cuidadoso e orquestrado até que estivessem apropriados para serem “reunidos” “reprogramados” via supercomputadores usando a psicotrônica, realidade virtual eletromagnética e de rádio frequência e tecnologias “tecno-psíquicas” para o desejado perfil psicológico, realizado como necessário; para uso em experimentação interdimensional, como cobaias no infindável trabalho de controle mental e psicotrônica, como agentes adormecidos que podem ser ativados por uma variedade de meios – inclusive pelo uso de receptores implantados, e como “um exército secreto” que pode ser convocado pelo governo secreto em tempos de crises severas e não usuais; se eles de fato sobrevivessem a experiência difícil. Isto é a maior confirmação que este seja realmente um método estabelecido e usado frequentemente [em outros projetos de controle mental documentados] de serviços de inteligência para criar agentes controlados mentalmente, frequentemente totalmente involuntários a serem usados em espionagem, assassinatos e similares. Falsas instalações de cuidados infantis e grupos falsos “quase religiosos” tem sido fortemente implicados como métodos utilizados por agências de inteligência com a CIA para obter acesso aos apropriados mais jovens em situações que exigem parâmetros de controle.

Em 1978, virtualmente o inteiro Estado do Oregon foi submetido a transmissões eletromagnéticas verdadeiramente não comuns que tinham efeitos destabilizantes e negativos no humor e estado mental de uma grande percentagem da população. Isto foi monitorado e rigorosamente relatado por inúmeros grupos tais como a polícia, bombeiros, serviços de emergência,estações de rádio e TV etc. A situação naquele tempo recebeu ampla cobertura da imprensa e os sinais foram eventualmente rastreados a um transmissor da marinha dos EUA na Califórnia!

A respeito destas habilidades “psíquicas” das agencia do governo, o San Francisco Examiner no domingo, 24 de dezembro de 1995, apresentou a primeira parte de um artigo sobre um programa da CIA no Instituto de Pesquisa Stanford e outras instalações que treinaram e desenvolveram habilidades psíquicas no programa de forma que eles pudessem serem usados como “espiões psíquicos’. Chamado Stargate, o programa floresceu na década de 1980 e foi especialmene bem sucedido em tais atividades como “visão remota” e outros fenômenos associados a percepção extrassensorial. Outros experimentos incluiram psicocinese [movimentar objetos com a força do pensamento], onde processos aleatórios eram influenciados pela mente, e também controle mental por interferência psíquica. Sentir onde um alvo estava e o que estava fazendo eram outras habilidades pesquisadas neste programa. Uma grande quantidade de informação sobre visão remota e outras operações psíquicas diretamente controladas, frequentemente realizadas por pessoal militar ou de inteligência, tem se tornado públicas aproximadmente no ano passado.

A publicação de agosto de 1995 de Popular Science trouxe uma peça que forneceu muita informação sobre um recente projeto do governo chamado HAARP (Programa de Pesquisa Aural de Alta Frequência Ativa]; informação que novamente impulsiona certas avaliações feitas pelos investigadores de Montauk/ Phoenix . Além disso, das capacidades e funções esotéricas mas de certo modo mais mundanas tornadas públicas a respeito desta tecnologia, a inteira ionosfera da Terra pode ser configurada para realizar um receptor de frequência incrivelmente poderoso, de ultra amplo espectro, global ao radiar energia de raio em alta frequência na ionosfera.

O Projeto HAARP está sendo operado pela marinha e a força aérea, junto com o laboratório Phillips e adicionais participantes. A tecnologia de HAARP causa tremendas mudanças de energia em regiões específicas da ionosfera, permitindo que isto seja configurado como uma lente virtual, um espelho virtual, um transmissor, e outros meios. As metas publicadas de aparência inócua das atividades de HAARP são camufladas pela evidência produzida pelos autores do livro recente “Os Anjos Não Tocam Eta HARPA”. Segundo os documentos descobertos pelo Dr. Nick Begich e Jeann Manning no curso da pesquisa deles, alguns dos objetivos deste projeto, detalhados em documentos oficiais internos da força aérea, incluem, entre outros horrores, utilizar vários sinais eletromagnéticos (RF) para causar efeitos deletérios, injuriosos mental e fisicamente e até mesmo fisicamente letais sobre grupos alvo da população, não excluindo os chamados “inimigos domésticos”. Também diretamente indicado em certos documentos é o uso de transmissões para interagir com e “interrogar” as mentes de grupos alvos. Isto significa controle mental eletromagnético. Tais atividades podem ser implementadas em qualquer lugar na face da Terra. Outras aplicações potenciais para a tecnologia de HAARP incluem:

1. Aperfeiçoamento de ou interferência com as comunicações – bem desenvolvimento de novos tipos de transmissão de rádio.

2. Manipulação de padrões climáticos.

3. Armas relacionadas e usos de controle mental como supramencionado.

4. Tomografia penetrante da Terra – uma função como raio X que pode revelar, por exemplo, a existência de instalações subterrâneas [como Montauk!], bem como depósitos de petróleo e de minerais.

5. “Empurrar o envelope” em termos de bombear energia eletromagnética na ionosfera apenas para ver o que acontece.

Segundo a vasta maioria dos cientistas [independentes de qualquer afiliação governamental] entrevistados pelos autores, o potencial para um dano catastrófico e em bola de neve à ionosfera e de fato a inteira rede de vida inter-relacionada eletromagneticamente neste planeta como um resultado deste projeto em particular é extremo. Isto é uma atividade horripilante que tem inimagináveis riscos ambientais globais, bem como certos objetivos completamente inconstitucionais. Leia “Angels Don’t Play This HAARP” de Dr. Nicholas Begich e Jeann Manning para conhecer a história inteira.

A tecnologia de HAARP pode ser capaz de muitos ou todos os efeitos e procesos dos Projetos Phoenix/ Montauk, bem como modificação genética, “polícia cerebral” e outras funções similarmente assustadoras. Nick Begich e Jeann Manning tem relatado transmissões de 435 megahertz que tem sido monitoradas em associação a atividade de HAARP; sinais que Mr. Nichols tem determinado estejam diretamente no alcance da interface mental e tem sido usados extensamente no controle mental e a experimentação psicológica que tenho relatado. As implicações disto são incríveis e horripilantes, já que o potencial agora existe para implementar tais funções em uma base mundial.

Turtle Cove

Investigadores do Projeto Montauk afirmam que a localização de Montauk Point foi escolhida não por acaso, mas porque este é um “ponto de energia” muito importante na Terra, devido a fatores geomagnéticos de grande significado científico.

É de conhecimento comum e um fato aceitado em geofísica e ciências relacionadas que certas áreas da superfície da Terra são “pontos quentes” goemagnéticos onde ocorrem anomalias gravitacionais, magnéticas e eletromagnéticas, incluindo efeitos em certas atividades eletromagnéticaas e de radio frequência, e isto é um fato das razões pimárias citadas nos proponentes de HAARP para a situação da principal [como a conhecemos!] instalação HAARP em Gakona, Alasca.

Richard Hoagland, um ex cientista da NASA que reuniu uma equipe que tem feito grande parte de pesquisa intensiva no que parece ser uma face similar a da Esfinge, pirâmides e outras estruturas na superfície marciana, tem decifrado uma fórmula matemática codificada em ângulos e relacionamentos de estruturas que compõem o complexo marciano [conhecido como Cidonia] que ele chama de geometria tetraédrica ou física tetraédrica. Os elementos básicos da fórmula são [e eu simplifico consideravelmente], como uma esfera tal como um planeta é rotado em seu eixo, pontos específicos na esfera se tornam o foco ou portal para o processo de subida natural de energia que se origina em outras dimensões. A mais notável destas coincidências com onde os pontos do tetraedro incritos dentro da esfera se intersectam a superfície da esfera. Outros que os polos, estes pontos estariam a 19.5 graus de latitude norte e sul. Na Terra isto é as Ilhas Havaianas, em Júpiter é a Grande Mancha Vermelha, e assim por diante. Segundo a fórmula tetraédria outras locações também são pontos de “poder”, incluindo a própria Cidonia. Na Terra alguns pontos adicionais incluem Gizé [as famosas pirâmides] no Egito , Machu Pichu (na mesma longitude que Montauk) e Stonehenge.

Quando os colonizadores ingleses e europeus alcançaram as costas leste de Long Island nos anos de 1600, os índios Montauk e outras tribos estreitamente relacionadas viviam na região. Os Montauks são uma tribo Algonquina, reconhecida no fato que muitos Algonquins sejam a tribo primária ou liderante. Grante quantidade de indios nativo americanos, incluindo os Montauks e a minoria dos Algonquins, acreditam que Turtle Cove, imediatamente adjacente a e entre Montauk Point e Camp Hero, seja de fato uma maior ponto de “poder” – um “stargate” ou vortex interdimensional e fonte de nossa realidade ou criação. Os índios Montauk são considerados os guardiães deste ponto. (o mundo criado, como muitas tribos o conheciam, era a América do Norte,que foi chamada de Ilha da Tartaruga).

Um ponto importante é que os chefes dos Montauks tem mantido o nome de Faraó através da história deles, muito antes que qualquer pessoa branca tivesse chegado para partilhar tal nome com eles, e o nome Faraó agora aparece em algum outro lugar da Terra exceto o Egito. A evidência arqeológica indica que os índios Montauks habitavam esta região continuamente por ao menos 8.000 anos. Como Montauk é geologicamente distinto de Long Island e da América do Norte, pode ser teoricamente um remanescente da dos Atlantes do Egito e Montauk. Narrativas históricas de séculos anteriores atestam estruturas piramidais que existiram em ou perto de Turtle Cove, e vários anciãos da tribo se recordam de ouvir sobre elas: contudo elas foram relatadas serem uma formação linear – não circular que seria mais provável se elas fossem construções nativo americanas. Preston Nichols e Peter Moon teorizam no livro deles “Projeto Montauk”que as pirâmides de Montauk podem ter sido construídas por uma sociedade extraterrestre, e que os índios Montauk são um remanescente de uma civilização atlante muito antiga, como o foi o Egito Antigo. A pesquisa deles traz inúmeras conexões com Marte e também com as pirâmides e a face similar a Esfinge que são o foco do trabalho de Hoagland.

Este local, nos tempos antigos e atualmente, e as atividades que as agências secretas do governo [com seus extensos laços com fraternidades de tipo maçonico e senhores extraterrestres por trás delas – como escrito no livro “Deuses do Éden” de William Bramley) estão alegadamente realizando são vitalmente importantes para a raça humana e seu futuro na Terra.

Uma outra curiosidade é o nome “Camp Hero”. A palavra “hero” é derivada da palavra grega para o deus egipcio Horus, entre quais atributos estavam a habilidade de ver outras realidades bem como adiante e para trás no tempo. Embora este nome tenha sido dado a região relativamente recentemente pelo governo federal (leia: Theodore Roosevelt — um Mestre Maçom que possuia uma grande parte da terra tribal muito próxima a Turtle Cove) certamente se correlaciona perfeitamente com o que os índios Montauk e outras tribos acreditavam sobre este local. Como notado, Camp Hero foi conhecido por ser uma “base psíquica” desde sua iniciação como uma instalação militar do governo.

Parece que os membros de certas organizações ou agências ou sabiam que este era um ponto muito significativo na Terra ou logo descobriram isto, e durante centenas de anos sistemática e deliberadamente manipularam os índios Montauk para deixarem suas terras tribais e campos de enterros a leste do que agora é o pequeno vilarejo de Montauk. Thomas Jefferson fez um esforço substancial no iníio dos anos de 1800 para ir pessoalmente a Montauk e registrar o máximo possível da história de Montauk, linguagem e cultura. [embora a lingua dos indios Montauk agora tenham quase desaparecio completamente, há indicações substanciais que era de fato Vril, a assim chamada linguagem enoquiana de extrema antiguidade]. Obviamente Jefferson, um outro Mestre Maçom, considerou ser o material muito importante. Jefferson mais tarde afirmou haver perdido grande parte do material em um acidente de barco, mas isto parece estranho porque ele nunca voltou a Montauk para refazer o trabalho perdido se isto fosse tão mportante em primeiro lugar, e pudesse indicar que sua história não era verdadeira e que a informação estivesse escondida longe.

A Destruição Sistemática de Uma Tribo

As maquinações contra a tribo e as tentativas incansáveis de afastar os indios Montauk da terra de Montauk Point e vice versa culminaram em uma decisão judicial ultrajante e indenfensável em 1900 da côrte de Nova Iorque que declarou os índios Montauk estarem “extintos” até mesmo enquanto alguns se sentavam na sala da côrte; uma tática particular usada contra nenhuma outra tribo da América do Norte. Significativamente, a construção de instalações militares em Turtle Cove começaram quase que imediatamente depois desta decisão da côrte. De fato, centenas de Montauks ainda estão vivos hoje, e este é um fator definitivo na decisão do governo federal de devolver ao Estado de Nova Iorque a base da Estação da Força Aérea de Camp Hero/Montauk depois de seu suposto abandono das instalações de superfície. Há uma existente lei federal chamada de Ato do Não Intercurso que diz que a propriedade de qualquer terra uma vez habitada pelos índios americanos que seja ocupada e então abandonada pelo governo dos EUA, deve reverter aos seus habitantes originais; neste caso seriam os índios Montauk, exceto que eles estão covenientemente “extintos” por ordem judicial.Contudo uma ordem judicial do Estado de Nova Iorque não necessáriamente se aplica acima do governo federal. Obviamente o governo federal não quer que os índios tenham a propriedade que interferiria seriamente nas operações clandestinas lá. Se os Montauks pudesem, como estão tentando fazer, obter o pleno reconhecimento legal como uma tribo existente, o governo federal seria obrigado a se curvar aos termos do Ato do Não Intercurso e devolver a propriedade de Camp Hero a eles, a quem ela obviamente pertence – sem qualquer divertido negócio sobre reter os direitos às instalações subterrâneas.

Envolvimento do Secreto Governo Mundial

Segundo muitos daqueles que tem investigado os inúmeros projetos, programas e tais que tem sido discutidos neste artigo, existe algum tipo de supergoverno internacional mundial oculto por trás das cenas do grande estágio mundial, por assim dizer; puxando as cordas que tem um impacto substancial na consequência de muitos eventos mundiais – eventos frequentemente instigados e manipulados por estes mesmos grupos. Muito pouco, se algo, que pode ter qualquer efeito significativo sobre a raça humana socialmente, politicamenete, economicamente ou até mesmo espiritualmente apenas acontece a menos que este grupo oculto de controle pretenda que isto aconteça, ou permita. Um fenômeno como o do Terceiro Reich defintivamente cairia nesta categoria. Não apenas muitas pessoas proeminentes abertamente apoiaram Hitler e alguns dos objetivos declarados do movimento nazista antes da deflagração da Segunda Guerra Mundial na Europa, mas depois da guerra incontáveis milhares de membros de alto escalão do partido nazista, principais cientistas e agentes de inteligência vieram para os EUA e trabalharam para o governo americano, e não apenas nos campos aeroespaciais como geralmente é pensado. De fato, nossos serviços de inteligência receberam a maior infusão de todas, incorporando o maior número de ex agentes nazistas, muitos dos métodos e técnicas nazistas de inteligência bem como uma vasta quantidade de “pesquisa” e dados resultantes de um dos mais abomináveis projetos daquele tempo – os campos nazistas de morte. Muitas alegações e rumores continuam a persistir que inúmeros outros nazistas de alto escalão escaparam para vários países da América do Sul e novamente auxiliaram a inteligência americana e as agências militares onde eles continuam a fomentar eventos realizados para sua intenções inabaláveis políticas e filosóficas.

Acoplado ao fato de que não houve rendição completa e incondicional do Terceiro Reich, somente um acordo de cessar fogo, podemos admitir a possibilidade que há mais da história do que o que foi publicamente revelado – e talvez os nazistas não foram realmente derrotados mas foram em alguma extensão incorporados ao nosso governo, e atividades tais como os Projetos Phoenix e Montauk realmente tenham ido para o subterrâneo depois disto. Há inegáveis fortes implicações de um substancial elemento nazista/ariano em muitos destes comportamentos, que em alguma extensão podem talvez terem infiltrado nosso governo depois do fim da Segunda Guerra Mundial.

Obviamente “Top-Secret”

Uma conclusão que razoavelmente pode ser tirada desta riqueza de evidência que é irradiantemente óbvia; certos grupos clandestinos ou agências tem conduzido e continuam a realizar atividades extremamente sensíveis e classificadas como “top-secret” nas instalações sob a Estação da força áerea Camp Hero/Montauk com a cooperação tácita e as vezes, a assistência do sistema de parques estaduais de Nova Iorque bem como vários outros corpos governamentais.

Existem claras evidências sobre como exatamente as atividades tem sido e estão sendo realizadas no Projeto Phoenix/ Montauk (e outos tais), que agências são responsáveis, e quem mais provavelmente sejam as vítimas desta pesquisa que será difícil se apresentarem e tomarão uma investigação sustentável e intensa por pessoas dedicadas; certamente devemos esperar que as agências e grupos envolvidos sejam menos que sinceros e honestos a respeito de qualquer coisa relacionada. Contudo, incidentes de intimidação, ameaças e abusos de armas apontadas diretamente contra os nossos cidadãos, tais como aqueles descritos no início deste relato, são facilmente verificáveis: eles são um ultraje absoluto e inaceitável e fortemente indicam que algo muito asqueiroso e secreto ainda está acontecendo certamente nas instalações subterrâneas dos laboratórios de Montauk e indubitavelmente em outros lugares pelo mundo. Tais incidentes representam uma óbvia violação de todo contrato implícito e explícito entre qualquer governo legítimo e seu povo; o tempo está a muito vencido para a cidadania local e nacional dar uma olhada profunda e séria na real situação em tais locais e nas maiores ramificações, assistidas, espera-se por uma imprensa livre e legítima, preocupada e sensível as organizações locais. Devemos exigir uma auditoria pública completa destas atividades atrozes daqueles que forem descobertos responsáveis, além da restituição ás partes feridas de qualquer meio possivel.

Se agências secretas operando sem o conhecimento ou consentimento de qualquer autoridade constitucionalmente eleita pretendem ou continuam suas atividades clandestinas, ilegais, inconstitucionais neste local, ao menos as áreas devem ser clara e inequivocamente determinadas, cercadas, tendo avisos e patrulhadas como tal. Isto é o que está sendo feito fora do perímetro da Area 51 da Base da Força Aérea de Nellis em Nevada, onde em maio de 1996 a Força Aérea tomou 4.000 acres do Escritório de Gerencialmento de Terras (BLM) adjacentes a Area 51 e top-secret S4 em Nellis. Esta ação foi tomada para evitar que o público chegasse perto demais da pesquisa altamente classificada que envolve naves aeroespaciais terrestres [ou não] que apresentam características anti-gravidade, testemunhadas por muitos milhares de pessoas anteriormente.

De fato, experimentos realizados em sujeitos não voluntários e indefesos e mais definitivamente o uso de crianças sequestradas em qualquer um de tais experimentos devem cessar imediatamente e aqueles responsáveis levados à justiça. O modo totalmente sorrateiro que a Estação de Camp Hero/Montauk está sendo administrada é o suficiente para indicar que coisas muito desagradáveis e maliciosas estão acontecendo diferentemente da situação de Nellis e em Montauk eles não querem que você saiba que há algo que supostamente você não deve saber!

A família mencionada no início deste relato que foi submetida ao comportamento abusivo, impróprio e completamente não profissional por supostos empregados dos parques do estado de Nova Iorque, em abril de 1995, está movendo ação legal como resultado do incidente. As investigações preiminares tem fracassado em encontrar qualquer registro válido do emprego dos parques estaduais de Nova Iorque para este indivíduo. Sobretudo, ele se identificou como um empregado da Estação da Força Aérea de Montauk – uma designação federal para a supostamente a muito abandonada instalação! Estas conversas foram gravadas.

Do mesmo modo, em uma recente investida a vizinhança da entrada principal da base feita para posterior “espionagem”, fui momentaneamente surpreendido quando um veículo de manutenção dos Parques Estaduais de Nova Iorque saiu pelo portão e o motorista parou para me perguntar o que estava fazendo lá [ os novos sinais de aviso de “área restrita” marcando o “velho” perímetro interno da propriedade da base estão aproximadamente 300 jardas atrás da estrada de entrada, diretamente passando um desvio para a pequena vizinhança próxima.] Dei uma desculpa que estava procurando a Avenida Washington, uma das ruas na área adjacente de habitações, e ele replicou: “Penso que seja de volta a estrada a direita.Isto aqui é uma base da força aérea!” E de fato é!

Custeio Ilegal

Inúmeras matérias colaterais tem sido levantadas pelos investigadores do Projeto Montauk. Um dos mais notáveis é o custeio destas secretas e inconstitucionais operações que vem grandemente da importação e venda de temendas quantidades de drogas pesadas ilegais. A polícia de East Hampton e outras agências locais de cumprimento legal tem sido acusadas por alguns de “olhar para o outro lado” quando os barcos dos contrabandistas de drogas descarregam em inúmeras praias remotas de Eastern Long Island a noite, assinaladas por fogueiras acesas pelas turmas que pegam a carga no litoral. Leis que proibem fogueiras noturnas nas praias nesta área são notoriamente descumpridas, para grande consternação de uma grande proporção dos residentes de East Hampton e funcionários: e apenas um carro rápido ou avião vai embora; é o maior e mais densamente povoado mercado local no país – a cidade de Nova Iorque. Segundo uma fonte informada do Departamento de Justiça, a área de Long Island, N.Y.tem literalmente zero casos federais de contrabando de drogas pendentes, e há muito poucos, se algum , casos já por inúmeros anos na área de Long Island. Isto de fato está em flagrante contrastraste com as fronteiras e linhas costeiras dos EUA para ser visto com alguma suspeita. Elementos do crime organizado (Máfia) trabalhando em conjunto com unidades clandestinas da NSA e CIA, alegadamente estão conectados a estes aspectos do Projeto Montauk e também uma percentagem de vítimas procuradas para experimentação, que notadamente envolve o uso de jovens adolescentes masculinos e caucasianos.

Tecnologia do Raio de Partícula

No fronte científico há forte evidência, detalhada por Nichols em seu livro mais recente, que indica que aceleradores de patículas estão em uso na base da força aérea de Montauk e nas instalações vizinhas – tais como os Laboratórios Brookhaven – para fornecer energia aos experimentos tridimensionais, armas de raios de partícula,transmissões HAARP e sistemas exóticos de radar de raio de partícula.

As peculiariedades e falta de qualquer resposta crível a queda do vôo 800 da TWA tem levado muitos investigadores das atividades clandestinas em Long Island a suspeitarem do envolvimento das operações do Projeto Montauk na queda; em particular, o uso de armas de raios de partículas, energizados por estes aceleradores de partícula subterrâneos. Segundo a informaçãode um ex agente federal ligado ao Projeto Montauk, certamente as operações dos raios de partícula causaram a queda. Este aspecto do Projeto Montauk não tem sido pesquisado profundamente neste relato; em “Pyramids of Montauk”, Preston Nichols fornece alguma informação sobre o assunto geral. E no que e por quem estas armas estão usadas contrariamente? Mr. Nichols me disse que em agosto de 1995 ele foi informado diretamente por um coronel da força aérea estacionado em Montauk chamado Ciel Roth que a tecnologia do raio de partícula estava sendo desenvolvida para uso como arma em um esforço maciço contra malévolos extraterrestres – aparentemente os “grays”. (Quem é mais malevolente, se os “greys ou ou o governo secreto, é uma questão em aberto). Os investigadores apontam um número muito alto realmente não usual na queda de UFOs em Long Island como uma indicação que isto de fato possa ser verdadeiro. As suspeitas são que o vôo 800 da TWA pode ter sido atingido durante as operações de raios de partículas. (Alguns investigadores não estão certos que tenha sido acidental, já que certos agentes de inteligência aparentemente estavam a bordo. Também é possível que uma arma menos exótica seja a responsável pela queda). A área de Long Island onde o jato caiu, Westhampton, tem sido identificada por Nichols e outros como tendo acelerador de partícula e tecnologia de raio de partícula operando nas instalações subterrâneas, e está próxima aos Laboratórios Nacionais de Brookhaven, citado como sem qualquer dúvida um maior participante nas operações clandestinas nesta região.

Severos e extensos incêndios de bosques nesta área de Long Island em agosto de 1995 foram alegadamente causados por certas operações [ou má funções] de raio de partícula/acelerador, e de fato os fogos foram a razão primária pela qual foi pedido a Mr. Nichols que se encontrasse com o Cel. Roth. Isto aparentemente foi uma tentativa da parte da Força Aérea para avaliar se Nichols podia ou não obter alguma luz do que estava indo errado com uma série interligada de aceleradores subterrâneos entre Brookhaven e Montauk Point.

Cavando a Verdade

Vários grupos investigativos do congresso tem começado a olhar as acusações feitas a respeito da Estação da Força Aérea Camp Hero/Montauk, devido em grande parte a informação nos livros de Preston Nichols e Peter Moon e nas narrativas oferecidas por inúmeras testemunhas. Mr. Nichols e outros tem conhecimento em primeira mão do que transpirou e transpira lá e eles continuam no esforço de revelar o uso clandestino da instalação subterrânea vastamente bem documentada e muito grande lá. Acusações tem sido feitas que os investigadores congressionais estão atualmente sendo ludibriados, enganados e claramente mentidos em suas tentativas de terminar como esta base permaneceu em um status operacional depois de ter sido fechada em 1969, e em suas tentativas de descobrir que tipos de atividades tem sido e estão sendo realizadas lá, depois que o custeio legítimo de qualquer operação na propriedde federal tinha terminado.

As pessoas responsáveis ou envolvidas em disseminar as informações sobre o Projeto Montauk, como o cientista Alfred Bielek, Preston Nichols, e certos jornalistas, tem sido submetidas a uma variedade de perturbadoras e sempre nocivas retaliações. Mr. Bielek, que tinha sido empregado das agências do governo e organizações particulares como um cientista de pesquisa e que tem feito uma grande quantidade da investigação do inteiro Projeto Phoenix, tem tido sua residência bombardeada por transmissões extraordinariamente complexas e anormais eletromagnéticas e de radio frequência, monitorado e gravado por técnicos eletrônicos o que tem tido um severo efeito detrimental físico e psicológico nele. Mr. Nichols tem sobrevivido a todos os tipos de críticas ultrajantes, infelizmente nem todas elas metafóricas, por todos os meios. Em setembro de 1995 e novamente em maio de 1996, tentativas foram feitas contra a vida dele; a primeira por um meio de um programado auto acidente que deixou Nichols seriamente ferido [agora já se recuperou inteiramente] e a segunda por meio de um ataque de um gás nervoso, realizado pelo motorista de um carro que cortou Nichols enquanto ele estava dirigindo – obrigando-o a parar e então liberando o gás.

Um residente local da área de Montauk, ativo em tornar pública a informação sobre o Projeto Montauk foi ameaçado e intimidado em uma residencia particular e mensagens bizarras deixadas na propriedade, depois que ele de certa forma tinha sido identificado como a pessoa responsável por postar boletins de propaganda e avisos públicos detalhando os maiores aspectos do projeto. Devido ao número de medidas extremamente protetoras, este indivíduo tem mantido secreta sua identidade, ele e seu advogado sentem que tem havido algum grau de enolvimento oficial a nível governamental [mais provavelmente a inteligência federal], para que ele tenha sido rastreado a residência onde de fato era apenas um hóspede naquele tempo.

Um número de construções e instalações na área geral de Montauk são ditas pelos investigadores estarem ligadas subterrâneamente por meio de túneis ao complexo subterrâneo central, entre eles um prédio da Inteligência Naval no centro, datando da Segunda Guera Mundial, que no presente é ostensivamente um condomínio particular de residências. Foi aqui de fato que Preston Nichols se encontrou com pessoal da Força Aérea em agosto de 1995, a respeito dos incêndios dos bosques. Há documentação irrefutável que tais túneis existem e se extendem muito além das propriedade de Camp Hero/Estação da Força Aérea. Minhas próprias inestigações me provaram que há defato maiores inconsistências e peculiaridades rodeando certas destas construções e suas supostas funções – contudo, no interesse da brevidade não falarei mais sobre isto agora. A inteira área de vila de Montauk, que está aproximadamente a 5 milhas a oeste da Estação da Força Aérea e do Farol, era basicamente um campo militar (Camp Wykoff) mais cedo neste século XX; aproximadamente uma milha ao norte da cidade no litoral estava a base naval que se tornou local de extensas operações de submarinos durante a Segunda Guerra Mundial. Todas estas instalações e outras estavam ou estão conectadas por meio de redes de túneis sob a área inteira.

Jornais locais apresentaram vários artigos sobre a situação da Estação da Força Aérea Montauk no ano passado; depois que foi publicado o primeiro artigo do ‘Independent’ de East Hampton no verão passado, eles receberam um telefonema de uma mulher – com medo de se identificar, que disse a eles que estava feliz desta informação ter vindo a tona; disse também que o marido dela estava trabalhando na instalação subterrânea e que ela sabia que existiam nove níveis subterrâneos e que alguns deles eram de vasto tamanho.

Published in: on maio 24, 2008 at 2:46 pm  Comments (4)  
Tags: , , ,

Energia Escalar

Energia Escalar

O que é “eletromagnetismo escalar“?
de Rick Andersen, 03 de junho de 1997

O eletromagnetismo escalar é o filho cerebral do Tenente Coronel [da reserva] Thomas E. Bearden, um analista de sistemas e especialista em jogos de guerra que tem estado advogando uma opinião sobre eletromagnestismo, a qual é baseada na noção de um vasto e invisível background de energias escalares (como opostas as energias de vetor), as quais fundamentam toda a realidade física.

Com o que os engenheiros elétricos trabalham hoje, afirma Bearden, é um subconjunto de uma alta topologia de eletromagnetismo. Bearden afirma que quatro das Equações de Maxwell ensinadas hoje na engenharia elétrica são realmente um subconjunto supersimplificado do trabalho original de Maxwell e o desbaste foi feito por Oliver Heaviside no século XIX; Heaviside pegou as equações originais de Maxwell, escritas na extensões não comutativas de números complexos de Hamilton (relacionado ao que hoje chamamos de “spinors” [certos tipos de objetos matemáticos introduzidos para expandir a noção do vetor espacial]), e os “simplificou” por retirar a parte escalar dos números complexos, deixando intacta a parte fácil de trabalhar do vetor – que os engenheiros de rádio adoram. Afinal, a inteira indústria de eletrônicos como a conhecemos cresceu das tecnologias do telefone e do rádio do início do século de 1900. Quem argumenta que a abordagem do “vetor” é inadequada?

Bem, Bearden diz que quando Heaviside jogou fora a parte escalar da equação do eletromagnetismo, ele desconhecidamente jogou fora a possibilidade da gravitação unificada com o eletromagnetismo – que tem sido o sagrado gral para os cientistas, desde que o próprio Einstein lutou com o problema. Isto é porque a parte escalar, segundo Bearden, foi a parte que capturou ou modelou o “stress do éter” – que leva a curvativa/dobra do espaço-tempo de Einstein. Tom Bearden diz que podemos unificar a gravidade com o eletromagnetismo, e cobrir adiante e para trás entre eles, se enterdermos como os vetores e os escalares se reacionam uns com os outros e que ramificações são.

Os campos do vetor podem evidentemente serem reunidos para apropriadamente inferir os potenciais escalares [previstos em 1903-4 pelo matemático E.T. Whittaker e provavelmente engenheirados pelos soviéticos).

Reciprocamente, os campos escalares podem ser criados por interferir destrutivamente nos campos vetoriais, em um meio não linear. Variando os componentes do vetor ritmicamente, produz o que Bearden chama de “ondas escalares”. Estas ondas no espaço-tempo são acreditadas induzirem um stress similar a onda no “éter”; isto por sua vez leva a engenheirar a estrutura do espaço puro e/ou massa em uma área localizada – em outras palavras, implementar a Relatividade Geral [curvatura espaço-tempo] na mesa de trabalho do laboratório!

Tom Bearden tem estado a registro, em vários livros publicados na década de 1980, para proclamar que a antiga União Soviética tinha criado um arsenal fantástico de armamento curvador da mente baseado em sua tecnologia escalar, que eles chamam de “energética’ e que Bearden afirma ter sido desenvolvida de certas idéias dscartadas de Nikola Tesla. Agora que a Guerra Fria aparentemente acabou, não temos certeza como Bearden vê suas avaliações anteriores, mas avaliamos que ele voltou sua atenção para longe das armas de eneria escalar soviéticas e na direção a “energia livre” do vácuo do espaço, usando os princípios da conjugação da fase ótica, mas de modo mais generalizado.

Aqui está o ponto:

Se Bearden está correto em sua teoria do eletromagnetismo escalar, então podemos construir aparelhos que nos possibilite alterar a gravidade, o tempo, a inércia e a aparente massa de um objeto. Isto de fato tem implicações enormes para aplicações militares, direções de veículos espaciais, viagem no tempo, teleportação, fenômeno paranormal e apenas sobre uma outra área que possamos pensar.

A grande pergunta é, o século XXI verá a aceitação, desenvolvimento e implementação das idéias de Bearden (quanto a opinião pública), ou o eletromagnetismo escalar teria sido um outro triste final?… Certos governos mundiais tem agora estes aparelhos?… Bearden diz que ao menos três outras nações , não hostis aos EUA… agora possuem tecnologia escalar.

12 coisas que você deve saber sobre armas escalares
de Christi Verismo

Ligue-se para a querra de armas escalares que pode ocorrer

  • 1. Um possível cenário de guerra escalar
  • 2. Como as ondas escalares foram descobertas?
  • 3. Uma observação cuidadosa das formas de ondas escalares
  1. 4. Como funcionam as ondas escalares?
  1. 5. O que fazem as armas escalares?
  • 6. Raios escalares contra indivíduos
  • 7. Controle mental escalar
  • 8. A rede de controle mental em massa sem contacto da América
  • 9. Induzindo doenças com ondas escalares
  • 10. A tecnologia de Tesla foi secretamente continuada pelos russos e pelos nazistas
  • 11. Há uma guerra secreta em andamento nos céus?
  • 12. Quem mais está continuando a tecnologia escalar de Tesla?

2. COMO FORAM DESCOBERTAS AS ONDAS ESCALARES?

Comprimentos de ondas escalares são mais finos do que os raios gama ou os raios X e somente um centésimo de milionésimo de um um centímetro quadrado na largura. Elas pertencem ao sutil campo gravitacional e são também conhecidas como ondas gravídicas. Unicamente, elas fluem em múltiplas direções em ângulos retos, fora das ondas eletromagnéticas, como uma fonte de energia inexplorada chamada de “potenciais”. Os potenciais são partículas que estão não organizadas no hiperespaço – pura energia etérica que não se manifesta no mundo físico. Em comparação, as ondas eletromagnéticas [medidas por hertz ou pulsos por segundo, que são familiares às ondas de rádio] existem normalmente no mundo físico, mas somente podem ser medidas por níveis determinados pela sensibilidade do equipamento sendo usado, em quantos ciclos por segundo eles operam.

As ondas escalares foram originalmente detectadas por um gênio escossês matemático chamado James Clerk Maxwell (1831-1879). Ele ligou a eletricidade ao magnetismo e criou a fundação para a física moderna, mas infelizmente as ondas escalares muito finas [que ele incluiu em sua pesquisa] foram deliberadamente retiradas de seu trabalho por três homens, incluindo Heinrich Hertz, que estabeleu as leis ensinadas pelos físicos como disciplina nas universidades. Eles descartaram as ondas ou potenciais escalares de Maxwell como “místicas” porque elas eram fisicamente não manifestas e somente existiam nos “éteres” e assim foram determinadas serem ineficazes demais para estudo posterior. Estas enigmáticas [mas até mesmo mais poderosas do que as microondas quando ancoradas e concentradas em um raio] ondas escalares poderiam ter sido esquecidas exceto que Nicola Tesla acidentalmente as redescobriu. Ele originalmente havia trabalhado com Thomas Edison, que descobriu a corrente direta, mas Tesla descobriu a corrente alternada. Os dois homens discodaram e eventualmente se separaram e Tesla mais tarde experimentou usar a pesquisa do alemão Heinrich Hertz, que estava provando a existência das ondas eletromagnéticas. Tesla descobriu, enquanto experimentava com mudanças violentamente abruptas diretas das correntes elétricas, que uma nova forma de energia [escalar] se originava.

Em 1904, Tesla tinha desenvolvido transmissores para ancorar a energia escalar de um transmissor a outro, indetectavelmente contornando espaço e tempo. Ele podia exatamente materializar isto de um lugar para outro através do hiperespaço, sem usar fios, isto era exatamente sugado do vácuo espaço-tempo para dentro de um transmissor e dentro de um raio que podia alvejar um outro transmissor.Infelizmente ele não obteve apoio financeiro para substituir a eletricidade, que usava fios e portanto ganhava dinheiro, e até hoje, esta é a razão pela qual a energia escalar ainda não é reconhecida pela física principal. Tesla, até mesmo embora descobrisse mais para a humanidade na ciência do que muitos outros, ainda não é creditado pelos livros de ciência por esta descoberta das ondas escalares, uma fonte de “energia livre’ obtida como fonte ilimitada de energia que nada custa. Outros inventores tem esporadicamente redescoberto a “energia livre” mas tem sido feridos ou silenciados pela soma de milhões de dólares, uma soma pequena comparada à venda da eletricidade, petróleo, gasolina e uma miríade de outros produtores de energia que podem então se tornarem inúteis. Os grandes negócios famintos por dinheiro tem brutalmente esmagado qualquer oposição a suas próprias riquezas, geradas por múltiplos combustíveis fosseis obsoletos e poluidores da Terra.

3. UM EXAME CUIDADOSO DAS FORMAS DE ENERGIA ESCALAR

Estas formas mais finas de ondas escalares também tem sido descobertas periodicamente por outros matemáticos, que tem sido capazes de calcularem novas equações, especialmente em harmonica [usada na física hiperdimensional] ligando os comprimentos de onda da matéria, gravidade e luz uma ás outras e como todas elas se fecham e criam a nossa expressão de tempo [como ele se manifesta no espaço] – que agora tem sido descoberta ser energia potencial inexplorada fluindo no hiperespaço.

O tempo flui como uma forma de onda de um rio no hiperespaço no padrão de rede. Isto consiste na interligação de grandes ciclos que circulam os polos e incluem uma rede intracruzada de linhas que estão afastadas por 30 milhas náuticas ou 55.5 km. Quando os raios escalares carregam o hiperespaço estes “rios de tempo’ são bloqueados e redirecionados temporariamente.

Há um plano encoberto debaixo dos pés para mudar o modo no qual o tempo é expressado neste planeta no total usando a física hiperdimensional e a tecnologia de Tesla, ao fatiar a Terra de volta em uma agora difunta linha de tempo atlante, na qual Lúcifer não tinha perdido a graça.

Nossa “realidade” presente é expressada do modo que o tempo corre ao redor dos corredores no hiperespaço pelo padrão que ele toma. Existem outras “linhas de tempo” em um tipo diferente de padrão de grade, criando versões alternativas de nosso ‘presente”. As versões múltiplas da realidade [ou por exemplo 2 de abril de 2004] podem ser manipuladas dado a tecnologia correta e as pessoas podem entrar em universos paralelos para fazerem todos os tipos de coisas e voltar a este universo.

Precisamos do Gerador de Referência de Tempo Zero de Tesla, que pode abrigar uma realidade específica no tempo no centro do universo, no qual isto permanece parado, agindo como uma âncora. Os governos dos EUA e Reino Unido são capazes de manipular e entrar em diferentes realidades.

As várias dimensões, cada uma compreende um padrão complexo de formas de ondas interligadas. A matéria tem sido encontrada ser a única onda de pulso comprendendo um ciclo positivo, enquanto que o ciclo negativo se manifesta como “anti-matéria”. O pulso da matéria traz algo para a visibilidae física, então isto desaparece momentaneamente e retorna. Mas os pulsos são tão rápidos que não vemos algo como não manifesto conquanto temporariamente se desmaterializando. O tempo físico é apenas medido pela visibilidade do processo de envelhecimento de alguém, ou em outras palavras, sua passagem pela jornada começando um ponto de referência de tempo para outro.

As diferentes formas de onda somente nos parecem serem sólidas porque somos compreendidos pela mesma matéria. Se as frequências governando o tempo ente um pulso de matéria e um pulso de anti-materia são encurtadas ou alogadas pela tecnologia,o tempo vai mais rápido ou mais devagar no espaço que o rodeia ou o que ele afeta. Portanto as ondas escalares pertencem ao espaço-tempo no qual a anti-matéria ou hiperespaço existe. O tempo pode se alterado por ondas escalares utilizadas e dirigidas [incluindo imãs que expulsam as ondas escalares que curvam o tempo] porque eles interrompem o pulso da matéria e da anti-matéria e portanto a taxa na qual algo normalmente passa pelo tempo e sua usual suavidade.

Um experimento com ondas escalares nos EUA uma vez fez com que todos os relógios na vizinhança dos testes se tornassem insanos durante quatro dias, até que o fluxo do tempo foi reeestabelecido a seu fluxo normal e retornou ao que era antes. Isto foi notado por Frank Golden.

Os potenciais escalares podem ser criados artificialmente e quando focalizados em uma arma, podem causar maior dano a localização de um objeto no espeço-tempo. Isto é que determina o natural pulso da matéria da objeto e o ciclo anti-matéria que pode se tornar estressado quando alvejado por ondas escalares feitas de potenciais artificiais, porque elas quase sempre são absorvidas pelo núcleo de um átomo, não pelos elétrons em órbita.

O hiperespaço tem se tornado dobrado temporariamente, embora o espaço-tempo naturalmente se curve ao redor de vórtices naturais na Terra onde eles formam ‘chakras’ para absorver e liberar as energias universais. Estes são abertos e fechados em ciclos naturais segundo as posições do Sol e da Lua em relação a Terra. Porque as ondas escalares são mais finas do que as ondas gama, elas podem passar por qualquer substância física sem serem detectadas. Contudo o dano infligido pode ser tão poderoso que elas desalojam o objeto fora do tempo e do espaço e fazem com que ele desapareça temporariamente de seu movimento natural no tempo. Todos objetos se movem no tempo, e eles também se moverão se uma força física externa ative as próprias ondas escalares naturais internas do objeto para apontar na direção que ele é enviado para fazer com que se mova do ponto A ao B, dependendo de quanta força é utilizada. Ou eles são tipicamente imóveis no espaço pela energia escalar interna dentro do rodamoinho interligado a um ponto sem saída (fazendo com que ele pareça imóvel) contudo o objeto ainda se move no tempo. Um raio de energia escalar pode fazer com que a estrutura de tempo onde o objeto reside seja dobrada, fazendo com que ele apareça em uma outra realidade.

4. COMO TRABALHAM AS ARMAS ESCALARES?

Partículas que estão não organizadas no hiperespaço [potenciais] podem ser canalizadas para recriar múltiplas frequências de ondas escalares e estas agora podem ser fabricadas artificialmente e podem incluir frequências entre o infravermelho e o ultravioleta. e um transmissor está em uma referência mais alta de potencial do que a zona de interferênia de dois raios cruzados escalares, a energia emerge da ‘garrafa’ de plasma que materializa fisicamente e esta é chamada de modo “exotérmico”. Isto pode causar explosões e podem ser “como nuclear” se estabelecidas em alta frequência. Até mesmo embora nenhuma energia eletromagnética tenha fluido pelo espaço entre os transmissores e o alvo, e porque isto contornou o espaço físico, a energia pode subitamente aparecer mais rápida do que a velocidade da luz e destruir alguma coisa sem aviso. É somente como um fechamento no potencial artificial que é dirigido “o rio de força” no hiperespaço e isto é inteiramente indetectável pelo equipamento científico convencional, e é onde o perigo reside.

Ninguém pode até mesmo saber o que o inimigo está planejando ou quem são os inimigos e porque isto nunca chega a imprensa e ao pessoal militar normal sem este conhecimento, que nunca saberia o que os havia atingindo, especialmente se isto é um controle mental escalar. Para extrair a energia de volta aos transmissores da ‘garrafa’ de energia de dois raios escalares cruzados, o pontecial deve ser estabelecido no modo inferior e isto é chamado de modo “endotérmico” e como a enegia é extraida fora da área da “garrafa”, um congelamento pode ocorrer, possivelmente causando um som de trovão.

Quando dois transmissores enviam pulsos cronometrados, que se encontram, uma explosão ocorrerá a qual ou produz energia ou a extrai. Se dois raios cruzados estão em modo “contínuo” a energia entre os raios é contínua e os globos e hemisférios de Tesla podem ser feitos atuarem como um escudo contínuo para destruir áreas que se aproximam ou aeronaves. Se múltiplas frequências são transmitidas aos raios, a interseção de um globo tridimensional aparece.

Isto pode ser manipulado para ter uma energia altamente envelopada com qualquer desejada emissão de luz, forma, cor ou intensidade. Isto pode até mesmo fazer com que metal se amoleça ou derreta. Esta “garrafa” de energia pode ser detonada dentro da terra para criar um terremoto ou dentro de uma construção para fazer um efeito como uma explosão nuclear. Esta “garrafa” pode ser movida para qualqer parte do planeta, ou através dele, e feita de qualquer tamanho.

Os russos, em 1985, uma vez ameaçaram a própria Terra de ativar as armas escalares deles com múltiplos transmissores escalares todas de uma só vez, ameaçando a sobrevivência do próprio planeta. Segundo o físico nuclear Bearden, eles realizaram um sistema completo de armas escalares e exércios estratégicos de comunicação. Durante este exércicio súbito, o americano Frank Golden descobriu que os russos ativaram 27 ‘tampas de energia’ gigantescas, estabelecidas por ressoar a Terra eletrogravitacionalmente em 54 poderosas frequências escalares [27 pares onde cada dois são separados dos outros por 12 kHz] tansmitidas para dentro da Terra e eles utilizaram isto para estimular a Terra a uma forçada ressonância eletrogravitacional em todas as 54 frequências. Cada uma das tampas de energia extraiu uma energia enorme do núcleo derretido da própria Terra, e tranformou isto em energia elétrica comum.

Cada tampa gigante é capaz de energizar 4 a 6 dos maiores howitzers [canhões] eletromagnéticos possuidos pela Rússia. Bearden escreve: “Aparentemente mais de 100 gigantescas armas escalares eletromagnéticas foram ativadas e um grande número das transmissões de comando e controle e isto durou vários dias. Ao alterar os potenciais e as cargas de cada um dos pares de transmissores, energia elétrica em quantidades enormes podem ser extraídas da própria terra, alimentadas por um “catodo” gigantesco que está no núcleo derretido da terra. Os sistemas de comando e controle do eletromagnetismo escalar, incluindo as altas taxas de dados de comunicações com submarinos imersos, foram também ativados em uma escala maciça. Este exercício durou vários dias, quando as tampas de energia eram colocadas e retiradas, e os sistemas de comando e controle entravam e saiam. Bearden afirma que nenhum laboratório de inteligência americana, ou cientista detectou isto, já que eles não tinham um detetor para a radiação escalar, e que ninguém acreditava oficialmente que o exercício tinha acontecido”. Contudo, ele foi monitorado em sistema avançado de detecção por Frank Golden por vários dias e por Bearden por várias horas.

Este exercício provou a declaração de 1972 de Brezhnev que em 1985, os soviéticos estariam preparados para fazerem o que quisessem, em qualquer lugar do mundo. Os soviéticos estavam usando atributos desconhecidos da matéria, fenômenos e leis da natureza cobrindo o equivalente aos 7-8 projetos americanos do equivalente da bomba atômica.

Contudo a América e a Rússia estão fazendo pela Terra transmissões de raios escalares e até mesmo então o dínamo interno da Terra tem sido afetado. Ele subitamente vivenciou uma súbita lentificação inesperada na rotação em 1984. Isto tem se tornado como uma máquina de lavar desequilibrada, oscilando na medida em que gira. As ondas escalares passam naturamente entre o centro da Terra e o Sol, e isto se combinou com os múltiplos testes nucleares anuais [que tem sido provado perturbarem a ionosfera e o campo magnético]; o equilíbrio da Terra com a Lua, pode até mesmo fazer com que a Terra gire, se as ondas escalares naturalmente produzidas estão desviadas para um outro curso, que estão mantendo a Terra girando harmoniosamente.

5. O QUE PODEM FAZER AS ARMAS ESCALARES?

Um escudo de Tesla protegendo um alvo militar pode ser feito de três ou mais escudos concêntricos, que produziriam múltiplos pulsos de energia eletromagnética e um severo aquecimento de qualquer coisa que entre dentro dele. Estes escudos concêntricos de Tesla podem também limpar e esterilizar qualquer radiação de raios gamas resultante da explosão de uma ogiva nuclear.

Nicola Tesla até mesmo na década de 1920 podia criar um “escudo” protetor tridimensional ou “domo” formado por dois ou mais transmissores enviando raios escalaras ampliados ligados juntos sobre um alvo da forma de um hemisfério. Ao invés de fazer com que o alvo exploda como os raios cruzados mais intensos o fariam, um raio mais amplo e abrangente pode formar uma enorme concha de plasma fora de algo a ser protegido. Isto agiu como um campo de força eletrificante em forma de domo, que pode fazer com que qualquer coisa que entre nele tenha sua tecnologia inoperante, fazendo com que os pilotos de aeronaves morram por destruir seus sistemas nervosos e/ou fazer um missel que venha, uma aeronave ou tanque exploda.

Camadas múltiplas podem ser aninhadas e feitas de diferentes tipos de plasma que asseguraria que nada penetrasse no espaço de solo ou aéreo protegido. Os russos podem fazer um escudo de Tesla com mais 200 milhas de amplitude. Este grandes escudos de plasma luminoso tem sido testemunhados por marinheiros sobre os oceanos de tempos e tempos, já que várias nações testam suas armas escalares em segredo. Tesla, já na década de 1920, criou globos ou balas de plasma com raios escalares cruzados sugando energia do espaço aéreo em uma “explosão fria” fazendo com que isto congele, ou enviando um extremo calor para que isto queime como um poderoso raio laser.

Estes raios poderosos também podem viajar direto pela Terra e criar um terremoto nos antípodas da Terra e Tesla experimentou fazer isto. O fluxo de energia do hiperespaço [potenciais] flui como ondas em um mar de energia intensa na próxima dimensão desguarnecida, contudo quando a energia é fabricada artificialmente, ela pode ser de modos diferentes [isto é, modo pulso, modo de extração de energia ou modo de explosão]. Se dois pulsos cronometrados de encontram, uma extração de explosão faz um agudo resfriamento e toda energia aquecida é extraida do ar de volta para o transmissor. Isto pode fazer tudo e todo mundo congelar. Isto preserva máquinas e construções, mas não as pessoas. Se uma energia queimando é enviada a um alvo que tem uma detonação tipo nuclear porque a energia emerge do alvo destruindo o núcleo dos átomos. Modos e frequências múltiplas da onda escalar podem também ser misturadas juntos em um raio também,

Os globos de Tesla posem ser manipulados para serem menores ou maiores em múltiplos tipos de frequência de energia e dirigidas para um alvo por dois ou mais transmissores distantes. Muitos globos pequenos de intensa frequência podem ser dirigidos na direção de múltiplos alvos que chegam, como balas de canhão, causando maiores explosões. Alternativamente, um globo maior menos intenso enviado pode causar que as partes elétricas de um avião, helicópteros ou misseis se avariem, causando a má função e a queda ao solo. Esta tecnologia tem sido usada muitas vezes para derrubar aviões ou helicópteros ao usar uma bazuca escalar portátil transportada por um terrorista ou soldado oculto.

Os vietnamitas e os soviéticos usaram esta tecnologia na guerra do Vietnã contra aeronaves americanas. Muitas quedas de avião com causas inexplicáveis podem ser traçadas a isto. Estas bazucas portáteis russas também foram usadas pelos sérvios contra os helicópteros americanos durante a guerra da Bósnia. Os soviéticos usaram armas escalares contra o Afeganistão durante sua guerra. Pode-se imaginar se isto explica as atuais quedas de helicópteros no Afeganistão e no Iraque.

As ondas escalares podem ser utilizadas para comunicação impenetrável dentre de um transportador comum de onda. Os potenciais artificiais podem ser usados em comunicações e duas vias com submarinos, aeronaves e navios. As ondas escalares podem ser usadas para tampar as comunicações normais, até mesmo encriptadas. Elas podem até mesmo destruir o equipamento do inimigo se eles quiserem usar o modo de fechamento para localizar a fonte ou apenas continuar a espionagem. A invisibilidade ao radar pode se feita ao colocar múltiplos transmissores ao redor de algo como um escudo esférico de interferência na largura de banda do radar de busca. Nada no ar está seguro contra as armas escalares ou qualquer coisa no solo, porque qualquer construção pode ser penetrada e os conteúdos internos destruídos por raios estreitos ou amplos cruzados.

Não há lugar para se esconder. Os raios escalares podem ser enviados por aeronaves ou satélites ou até mesmo dos UFOs dos governos da Rússia, Grã Bretanha, Austrália e América. Eles podem ser enviados dos UFOs que os nazistas desenvolveram secretamente na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, e que foram relocados para suas bases subterrâneas na Antártica e por toda América do Sul antes que a guerra terminasse.

6. RAIOS ESCALARES CONTRA INDIVÍDUOS

Para destruir totalmente o sistema nervoso de uma pessoa e mata-la instantaneamente, uma arma escalar pode ser colocada no modo “pulso de alta densidade”. Isto destruirá todas as células vivas, bactérias e todos os germes e assim um corpo cai como um trapo sem até mesmo apodrecer em 30-45 dias. Grupos inteiros de pessoas podem ser mortas deste modo, até mesmo a 50 milhas de raio do pico da energia. Os raios escalares colocados ema energia inferior podem tornar uma pessoa inconsciente para ser reavivada em uma data posterior, para interrogatório.

Raios escalares cruzados podem cobrir um alcance inteiro de alvos de algo diretamente do outro lado da Terra, sob o mar ou solo. Nem mesmo metal será suficiente para proteger, já que o modo de amolecimento do metal pode ser empregado. Os raios escalares podem ser colocados em modo de raio X onde uma tela pode mostrar a parte interna de algo, até mesmo sob o solo e o mar e dentro de construções. Isto é chamado de “radar de visão remota”.

Qualquer coisa no céu pode ser instantaneamente destruída até mesmo de um país para outro. Tudo que um país precisa para destruir algo no céu em um país inimigo é colocar dois ou mais transmissores escalares em forma de grade de interferência de onda escalar segundo o qual um escudo é fechado sobre um país em modo de alta intensidade e fará com que tudo que entre eles seja destruido. Isto também pode destruir qualquer coisa no mar e detonar minas. A explosão que aparece na tela como um florescer de luz que se movimenta no quadrado.

Os russos principalmente usam estas grades de interferência sobre os EUA para controlar o clima movendo o ar quente e o frio onde eles podem se encontrar para criar tempestades, furacões, chuvas torrenciais ou secas como lhes aprouver. Os terremotos podem ser criados junto com as erupções vulcânicas segundo Tom Bearden. A umidade pode ser trazida do oceano e enviada sobre o solo e o ar frio do norte enviado ao sul. Trovões violentos podem ser criados. Ele também afirma que desde 1989 as seitas japonesas como a AUM e a Máfia Japonesa Yazuka alugaram interferômetros escalares dos russos para fazerem uma engenharia climática sobre os EUA.

Contudo a América pode combater de volta com suas próprias armas escalares. Uma pode silenciosamente abater aviões de passageiros se necessário, ao eniar raio escalar de baixa frequência para fazer o motor falhar, ou dos quadrados das redes de interferência ou até mesmo de bazucas portáteis escalares de ombro que podem atingir helicópteros ou qualquer aeronave acima. Vasos navais de superfície podem ser atacados através de seus cascos bem como minas oceânicas podem ser detonadas. Também os tanques podem facilmente serem destruidos.

Tom Bearden afirma que americanos e soviéticos tem silenciosamente abatido aeronaves um dos outros desde a década de 1980.

7. CONTROLE MENTAL ESCALAR

No início da década de 1970, centenas de prioneiros da Instalação Gunniston na Prisão Estadual de Utah foram submetidos ao controle mental por onda escalar. Os prisioneiros tentaram em vão lutar na côrte. A Universidade de Utah pesquisou naquele tempo como as ondas escalares podiam induzir a mente a ouvir vozes, superando e implantando pensamentos na mente, bem como lendo pensamentos. Eles também desenvolveram implantes oculares. EM 1998 as ondas escalares foram usadas para testar vozes subliminares na cabeça de duas prisões em Utah.

Na Prisão Draper, Utah um homem chamado David Fratus em 1988 afirmou vozes em seus ouvidos internos que o induzia tão claramente como se estivesse com fones estéreos de ouvido. As vítimas com implantes de controle mental do governo dos EUA também estão submetidas a vozes artificiais na cabeça que são enviadas em raios escalares por satélites e pelos transmissores de HAARP e retransmitidas por torres GWEN colocadas a cada 200 milhas através dos EUA. Muitas das mensagens transmitidas a estas vítimas americanas de controle mental são ditas virem de extraterrestres, com uma mensagem para a “humanidade”. Estas mensagens alienígenas foram dadas pela primeira vez aos prisioneiros em Utah e eles todos receberam as mesmas mensagens.

Os russos, tendo um início de liderança na decodificação do cérebro, podem enviar mensagens subliminares por satélite a países inteiros em suas próprias línguas em ondas escalares tão sutis, que as vítimas pensam que elas são a ocorrência de seus próprios pensamentos. Elas podem fazer pensar que Deus está falando com elas e podem dar às pessoas pensamentos suicidas. Há um comprimento de onda suicida. Os russos e os israelenses tem sido ditos fazerem isto em websites de dados de controle mental. Também, os americanos tem estado usando estas mensagens subliminares para dar mensagens de “vozes na cabeça” (o que inclui os implantes controlados da CIA e dos militares) que são supostos virem de alienígenas ou “do Espírito Santo” para anunciar que a Segunda Vinda está próxima ou que a Terra precisa ser evacuada e as pessoa tem sido “escolhidas”.

Somente certas pessoas podem captar isto segundo elas tenham ou não implantes [que transmitem as mensagens dentro da cabeça] ou se elas tenham uma telepatia natural. O mineral selênio quando ingerido além dos níveis normais é dito aumentar a capacidade de ouvir vozes na cabeça. Embora certas raças tenham um umbral de audição mais elevado e sejam capazes de captarem a telepatia sintética enviada pela atmosfera que outras.

Os transmissores escalares da Rússia são chamados “PicaPaus” porque é o tipo da batida do picapau que é detectada nas transmissões em banda de rádio. Eles tem a tecnologia de enviar mensagens subliminares diretamente para o subconsciente da pessoa, contornando o cérebro e podem influenciar drasticamente os pensamentos, visão, funcionamento físico, emoções e estados conscientes de uma pessoa ao enviar sinais subliminares até mesmo de uma grande distância. Na década de 1960, os soviéticos quebraram o código genético do cérebro humano. Eles tinham 44 dígitos ou menos e empregavam 22 bandas de frequência através de quase todo espectro eletromagnético. Mas somente 11 das bandas de frequência eram independentes. Os soviéticos descobriram que podiam fazer uma pessoa fazer qualquer coisa, apenas enviando subliminares para o corpo, contornando os ouvidos.

Mas de 16 transmissores escalares picapaus russos tem sido observados caregarem uma fase comum fechada em modulação de 10 Hz. 10 Hz é utilizado para colocar uma pessoa em estado hipnótico. Os russos podem
manipular o humor de qualquer pessoa em um raio de 75 milhas, com uma antena circularmente polarizada, e os corpos das pessoas tem sido mostrado captarem o “novo” modo de expressão. Até mesmo a frequência do sono fará todo mundo cansado e adormecer.

8. A REDE DE CONTROLE MENTAL DE MASSA SEM CONTACTO DA AMÉRICA

Segundo o livro Projeto L.U.C.I.D de Texe Marrs, John St Clair Akwei afirma que a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) tem tido os mais avançados computadores do mundo desde a década de 1960. A missão de sinais de inteligência (SIGINT) do NSA usa ondas escalares para cobertura dos EUA e pode sem fios tampar qualquer computador nos EUA e ler seus conteúdos. Bem como rastrear pessoas pelas correntes elétricas de seus corpos, que emanam uma particular “assinatura de frequência”.

Isto é posível porque tudo no ambiente expulsa ondas escalares em rotações de ângulo reto fora da normal onda eletromagnética. Estas podem ser buscadas e rastreadas e não são subemetidas aos constrangimentos de tempo e de espaço. A frequência de uma pessoa pode ser armazenada em um supercomputador e isto então pode ser rastreado em qualquer lugar. Elas podem ser palavras subliminares enviadas em ondas escalares que são tão sutis que uma pessoa pensará que são seus próprios pensamentos. Também o NSA usa um programa secreto (desenvolvido desde o programa de controle mental MKULTRA da década de 1950) que é chamada de “Radiação de Inteligência”. A pesquisa científica disto é subtraida do público e há acordos internacionais para manter esta tecnologia secreta. Usando esta tecnologia o NSA registra e decofica mapas cerebrais individuais de centenas de milhares de pessoas para propósitos de segurança nacional.

Isto também é usado secretamente pelos militares por um link computador-cérebro. A atividade do centro da fala pode ser traduzida em pensamentos verbais do sujeito e pode também mostrar a atividade de seu cortex cerebral em um monitor de video. Os agentes operacionais da NSA podem ver o que o sujeito está vendo. A memória visual pode também ser vista e o NSA pode colocar imagens diretamente no cortex visual, contornando os olhos e os nervos óticos.

Quando um alvo dorme, secretamente imagens podem ser instaladas em seu cérebro durante o sono REM para propósitos de programação cerebral. Fala, som em 3D e audio subliminar podem também serem enviados ao cortex auditivo do cérebro, contornando os ouvidos. Este “Monitoramento Neural Remoto” (RNM) pode alterar completamente as percepções dos sujeitos, humor e controle motor. Diferentes frequências de ondas cerebrais são conetadas a várias partes do corpo e quando a frequência correta para ativar uma parte do corpo é enviada, a pessoa fica indefesa para parar isto. A dor pode ser induzida nas vítimas de controle mental desta forma, ao alvejar uma parte do corpo. Isto tem sido narrado por muitas vítimas de controle mental, acompanhado de “vozes na cabeça” pelos operadores cruelmente perguntando se isto fere e tudo é feito remotamente sem qualquer contacto físico com a vítima. Tem havido uma rede de monitoramento de onda escalar cerebral sem fio SIGINT nos EUA desde a década de 1940, segundo John St Clair Akwei.

Ele nos conta como isto é feito ao digitalmente decodificar os evocados potenciais em 30-50Hz, as emissões eletromagnéticas do cérebro de 5 milliwatt. Nestas emissões picos e padrões mostram como potenciais evocados. “Cada pensamento, reação, comando motor, evento auditivo e imagem visual no cérebro tem um correspondente potencial evocado ou conjunto de potenciais evocados. Estes podem ser decodificados em pensamentos atuais, imagens e sons acontecendo no cérebro do alvo. Quando sinais complexamente codificados são enviados ás vítimas, contornando olhos, nervos óticos e ouvidos, as imagens esmaecidas parecem flutuar em telas 2D no cérebro. Alucinações auditivas podem ser induzidas, criando esquizofrenia paranóide.

A frequência em que as áreas do cérebro respondem estão entre 3 Hz a 50 Hz. Para cada área do cérebro estes são usados:
Área Cerebral: Frequência de Ressonância Biolétrica: Infomação Induzida Pela Modulação.
Controle Motor do Cortex: 10 Hz:
Coordenação do Impulso Motor do Cortex Auditivo: 15 Hz: Som que Contorna os Ouvidos
Cortex Visual: 25 Hz: Imagens no cérebro contornando os olhos
Somasensório: 9 Hz: Sentido de Toque Fantasma
Centro do Pensamento: 20Hz: Pensamentos Subconscientes Impostos
Somente a NSA modula este tipo de sinal em potenciais evocados ou transportadores escalares. Há aproximadamente 100 pessoas trabalhando 24 horas por dia para a NSA em Ft Meade neste “Monitoramento Neural Remoto” (RNM). John St Clair Akwei, depois de ter sido perseguido por esta tecnologia da NSA, processou a NSA.

Durante o processo ele foi perseguido por sons em 3D e seus associados também foram perseguidos para menterem-no isolado. Nenhuma ação foi tomada contra a NSA neste processo de 1991. Em 1967, um “cientista de renome internacional” e Christopher Hills, um especialista em pêndulo, se “comunicarm” com alguns “alienígenas”. (não é sabido quem é o cientista, mas uma vez Hills e Puharich estiveram trabalhando om a médium Eileen Garrett e Puharich estava se comunicando com “alienígenas’ chamados “Os Nove”. Os mesmos alienígenas que o grupo Bilderberger (líderes mundiais mais a realeza européia que controlam os assuntos do planeta ). Isto é o que os “alienígenas” dissseram a Christopher Hills via pêndulo:

“Em resumo, os alienígenas se comunicaram conosco via ondas de rádio moduladas, entre 10.000 e 20.000 ciclos abaixo do conhecido espectro eletromagnético. No transportador da onda pela modulação da amplitude, misturada com a frequência. A energia de uma única banda, e a energia de transmissão a menos de 25 watts. Uma onda naturalmente presente na Terra o cérebro modulado – uma onda que ressoa entre a Terra e a inosfera. Todos humanos influenciam a ionosfera desta maneira. Uma técnica refletora envolvida. A modulação cerebral consiste em pulsos, similares aos conhecidos dos neuro pulsos”.

“Dois humanos podem usar isto. Relacionado a algo similar a um radar de baixa frequência e a técnicas ultrassônicas mas qualificadas. Uma mistura de função de onda eletro acústica. A onda eletromagnética induziu uma transdução ultrassônica no tecido humano. A radiação cerebral tem um componente sônico e é dependente do meio pelo qual viaja. O cientista diminuiu meses de trabalho. Agora HAARP está fatiando a ionosfera, o cérebro mundial, como uma faca de microondas, produzindo incisões de longos rasgos, destruindo a membrana que mantém o reservatório de dados acumulados por toda a história da Terra. HAARP já furou buracos de 360 x 30 milhas na ionosfera.”

9. INDUZINDO DOENÇAS COM ONDAS ESCALARES

Tom Bearden também escreve que a forma mais avançada de arma escalar é conhecida como arma de “potencial quantum” e tem sido desenvolvida pelos EUA, Rússia, China, Israel e possivelmente Brasil. Estas armas mimetizam a assinatura da frequência de uma doença ao recriá-la nos transportadores escalares. Também qualquer doença pode ser impressa em nosso sistema celular usando frequências que variam do ultraviolta ao infravermelho.

Populações inteiras podem ter novas doenças e morte induzidas, bem como doenças latentes sendo ativadas com as doenças de potencial quantum nas áreas alvo. Sintomas fabricados de envenenamento por radiação, envenenamento químico, infecção bacteriana e até mesmo os efeitos de muitas drogas alucinógenas podem ser induzidos com estas ondas escalares muito sutis que fluem no hiperespaço e no mar de éter. Elas se tornam embebidas direto no sistema imunológico ou na contraparte etérica do corpo físico.

No site de http://www.freedomdomain.com um homem chamado Kaznacheyev descobriu que a indução de doenças podem ser afetadas pelos transmissores escalares “picapau” quase ao nível do ultravioleta. Experimentos da Universidade de Marburg na Alemanha Ocidental duplicaram estas doenças induzindo experimentos de onda escalar em infravermelho. O Dr Popp da Alemanha Ocidental, depois de analisar o sistema mater de controle do fóton virtual das células descobriu que o fluxo de partículas virtuais escalares que determina a impressão do padrão genético das células pode ser facilmente penetrado por técnicas escalares para induzirem doenças e desordem celular à vontade.

10 . A TECNOLOGIA DA ONDA ESCALAR DE TESLA FOI SECRETAMENTE CONTINUADA PELA RÚSSIA E PELOS NAZISTAS

Enquanto o governo americano rejeitava a energia sem fios de Tesla e o deixava sem sequer um centavo, a Russia e a Alemanha pediram a Tesla para trabalhar para eles. Ele se negou, mas segundo Preston Nichols, ele fingiu sua morte em 1943 e foi para o Reino Unido . Então havia uma batalha frenética entre os alemães e os soviéticos para desenvolver energia escalar. A Rússia teve um início de liderança em aprender como as ondas escalares podem ser dirigidas do hiperespaço ao enviar um agente a Utah que construiu uma máquina para fazer isto. Um agente soviético destruiu o aparelho depois de aprender como a máquina funcionava.

O homem, T H Moray aprendeu sobre o “mar de éter” de Tesla e tinha feito um interferômetro escalar. A Alemanha tinha desenvolvido a tecnologia anti-gravidade em 1939 ao reengenheirar um UFO caído. Pela Segunda Guerra Mundial,eles lideravam o mundo no radar e na ciência infravermelha bem como no radar para absorver materiais e seção cruzada de radar. Alguns principais cientistas ocidentais pensam que eles desenvolveram o radar de seção cruzada além nos níveis ocidentais de hoje, mas há evidência de uma “aliança alienígena” durante a guerra para que eles fossem tão influentes. Os alemães estavam usando ondas reversivas do tempo, que faziam com que uma onda escalar seguisse de volta e respondesse a uma fonte de uma onda recebida comum eletromagnética.

Durante a Segunda Guerra Mundial muitos dos melhores cientistas nazistas escaparam da base que eles tinham desenvolvido secretamente na Antártica, obtendo suprimento dos países da África do Sul bem como das comunidades alemãs na Argentina, Chile, Paraguai, Peru, Uruguai e outros países da América do Sul. Depois da guerra os americanos moveram os remanescentes melhores cientistas nazistas para os EUA, com os soviéticos, Franceses e Britânicos levando os remanescentes. Contudo, os soviéticos ficaram zangados pela primeira escolha dos americanos dos cérebros cientificos nazistas, e então em 1946 eles apenas limparam a maioria dos técnicos e cientistas de volta para a União Soviética, aproximadamente 275.000 homens mais as famílias deles da Alemanha Oriental ocupada pelos soviéticos.

Pela década de 1950 os soviético haviam desenvolvido as ondas reversoras de tempo. Eles também forçaram os alemães capturados para construirem para eles uma frota de discos anti-gravidade completa, com raios de partícula e armas de raios escalares. Na Antártica, os nazistas tinham o “Raio da Morte”, capaz de enviar um raio letal até mesmo para a Lua para criar um ponto incandescente quando dirigido a isto. Tesla devastou com seu “Raio da Morte” – como nos dias atuais as armas de raio de partículas.

Segundo Al Bielek os russos tem armas de raio de partícula que podem atirar a 1.000 milhas no espaço e eles as utilizam para abater qualquer UFO dentro de um raio de 200 milhas dos céus deles. Os americanos também tem armas de raios de partículas e eles também abatem UFOs. Aparentemente há uma guerra acontecendo no espaço, e russos e americanos tem secretamente estado juntos para combate-la. É desconhecido quem seja os ocupantes do UFO, mas os nazistas da Antártica são ditos serem invencíveis em suas super armas.

11. HÁ UMA GUERRA SECRETA ACONTECENDO NOS CÉUS ?

O Japão agora tem armas escalares e tem estado com a Rúsia para desenvolve-las. Em 1991, segundo Harry Mason, o Presidente russo Gorbechev ofereceu arrendar as japoneses as armas escalares intercontinentais super secretas por 900 milhões de dólares, que eles tem usado na União Soviética desde 1960. Tom Bearden também afirma qu eles as arrendaram em 1989. Uma universidade conjunta russo-japonesa foi criada para desenvolver novas armas com microchips japoneses para superar os EUA e juntamente governarem o mundo. Depois que Tesla “morreu” em 1943, seus trabalhos foram enviados para o Museu Tesla na Iuguslávia, onde os japoneses obtiveram o conhecimento da Tecnologia Tesla. As armas escalares foram desenvolvidas por um cientista japonês de QI mais alto que Einstein.

Eles também, como os americanos, testaram suas armas escalares no “outback” [interior] da Austrália Ocidental, possivelmente usando uma base na Antártica a qual envia ondas escalares ao transmissor australiano para produzir terremotos e globos de Tesla. Os cientistas escalares japoneses são ligados a vários cultos e sentem que o imperador japonês deve reger o planeta, bem com a política de vingar exatamente seus antigos inimigos culminando em uma “Guerra Final” contra o ocidente cristão e o mundo islâmico.

É a seita japonesa Aum e a Máfia Yakuza que ainda estão arrendando os transmissores escalares russos e tem prontamente os utilizado para engenharia chimática sobre a América desde a década de 1990 para práticas de alvo. Bearden afirma que os japoneses podem obter permissão dos russos para abaterem aviões de agora em diante. Os membros dos cultos no governo japonês também são ligados aos membros de culto na Coréia do Norte. Os russos tem feito engenharia climática sobre a América desde a década de 1960, usando sua grade de interferência para alvejar áreas específicas.

12. QUEM MAIS ESTÁ CONTINUANDO A TECNOLOGIA ESCALAR DE TESLA?

Diferentemente das universidades ocidentais, a Europa Oriental e a Rússia sempre tem incluído a pesquisa das ondas escalares de Tesla abertamente no currículo deles e assim eles tem uma pronta liderança com múltiplas instalações construidas por toda União Soviética para construir transmissores de armas escalares desde a década de 1950. Isto foi posteriormente acelerado ao capturar cientistas da Alemanha Oriental para trabalharem para os soviéticos liderando o país diretamente para a idade espacial, dando a eles os UFOs equipados com armas de raios de partículas.

Os UFOs até mesmo tinham tecnologia de ocultação. A América, mesmo embora tendo cientistas nazistas trabalhando para ela depois da guerra, na Área 51 em tecnologia anti-gravidade, não entendia quão avançado os soiéticos se tornaram na tecnologia escalar até que eles descobriam que haviam sido secretamente atacados durante a década de 1950 de forma indetectável. Em 1960 o Premier Soviético Kruschev anunciou ao mundo, que eles tinham “super armas”. Em 1963, eles deliberadamente destruiram um submarino atômico americano submerso em Porto Rico com armas escalares. No dia segunte, acima do Canal de Porto Rico os soviéticos usaram armas escalares de modo a produzir uma gigantesca explosão submarina. Os EUA estavam indefesos contra este tipo desconhecido de arma. Em 1965, o Deserto de Great Sandy na Austrália Ocidental foi mapeado e escohido pelo governo americano para começar a testagem das armas escalares.

Até mesmo embora os trabalhos de Tesla “oficialmente” foram mantidos pelo FBI depois que ele morreu e rotulados ‘top secret’, para impedir que isto fosse parar nas mãos de um inimigo, Tesla havia passado todo seu conhecimento a um jovem físico americano duas semanas antes de morrer em 1943. Os militares americanos na Austrália Ocidental testaram raios escalares cruzados a partir do sol para criar terremotos e um alvo do mapa em quadrados e também criou os globos de Tesla de raios escalares cruzados no céu. Pine Gap, a secreta base subterrânea militar americana, tem dois transmissores escalares e eles tem ao menos um outro em Exmouth, no noroeste da Austrália. Outros transmissores escalares americanos além de vários nos EUA, estão no Alasca, Porto Rico, Groenlândia, Noruega e Antártica.

Embora agora muitos paises tenham armas escalares, outros podem ser facilmente alvejados por estas armas escalares e nem saber o que causa suas explosões, controle mental ou engenharia climática. Assim, de fato mais e mais países estão obtendo tecnologia de energia escalar necessária para se defenderem e isto se mantém sendo transmitida especialmente pelos russos. A outra coisa que alguém pode conhecer é que um ataque escalar pode não dar idéia de quem o fez. Os países que são conhecidos terem armas escalares são: América, Rússia, França, Austrália, Alemanha, Japão, China, Taiwan, África do Sul, Israel, Brasil, Reino Unido e Argentina bem como várias populações de nazistas ainda operando na Antártica e por toda América do Sul. É desconhecido como os brasileiros obtiveram armas escalares e armas de potencial quantum, mas os brasileiros tem tido tecnologia “alienígena’ por algum tempo e também o Vaticano tem uma tecnolgia encoberta e tem sido dito ter uma base para isto na América do Sul para seu secreto programa espacial.

Há uma extensa cobertura do programa espacial brasileiro em meu artigo de 40 páginas “Scalar Weapons: Read it and Weep”. Isto cobre as armas da China e do Japão bem como uma extensa cobertura do ataque russo á América, especialmente ônibus espaciais e a tecnologia dos nazistas na Antártica. Outros podem ter, como a Ucrânia e a Coréia do Norte mas ainda não há provas de que elas existam nestes países. Até mesmo a imprensa alternativa não tem dito o suficiente sobre as armas escalares na extensão em que os escritores e os jornalistas investigativos estão familiarizados com os perigos que devem haver por causa de até mesmo online eles dificilmente obtém uma menção nos sites sobre conspirações. Ainda que elas provavelmente sejam as mais ameaçadoras da vida no planeta, o que é conhecido.

HAARP

HAARP

Officialmente, HAARP é uma estação de pesquisa dirigida pelo Diretorado de Veículos Espaciais do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea dos EUA em Gokona, Alasca, que abriu em 1992 para reunir dados sobre a atmosfera e “condições de propagação de rádio”. Seu website (www.haarp.alaska.edu) afirma que eles estão monitorando e arquivando as variações naturais ocorrentes nas atividades do sol tais como, manchas solares e chamas solares.

HAARP consiste em um poderoso sistema de antenas capazes de criar ” “modificações locais controladas na ionosfera”. Contudo, parece haver muita coisa mais acontecendo por trás da face pública de HAARP.

A IDÉIA PARA HAARP É BASEADA NA TECNOLOGIA DE TESLA

HAARP é baseada na patente americana de 1987 do físico Bernard J. Eastlund intitulada “Método e Aparelhagem para alterar a atmosfera, ionosfera e/ou magnetosfera em uma região da Terra’ (US #4.686.605). A patente de Eastlund é baseada, em parte, nos trabalhos de Nikola Tesla, que foi o primeiro a sugerir que a RF[rádio frequência] poderia transmitir aproximadamente um watt por centímetro cúbico a qualquer ponto do planeta sem usar fios. Portanto, o poder [energia] pode ser gerado no solo e então enviado pelo ar às camadas superiores da atmosfera, milhas acima da superfície do planeta.

Eastlund explicou a aplicação de sua patente que por influenciar a ionosfera, os métodos de comunicação são interrompidos,e assim o escudo de mísseis e a modificação do clima são possíveis. Sua segunda patente descreveu a reflexão de um segundo sinal, usando em bojo ionosférico previamente “aquecido”, para locais distantes na superfície da Terra.

Eastlund tem estado trabalhando com a companhia Atlantic Richfield, possuidora de uma reserva massiva de gás natural na inclinação norte do Alasca. ARCO comprou as duas primeiras patentes de Eastlund com o entendimento de que esta nova tecnologia tornaria possível para suas reservas naturais de gás, caras demais para serem conduzidas do Alasca, que elas fossem convertidas em energia elétrica na inclinação norte, e então atirada para a ionosfera aquecida para os consumidores em locais remotos no globo.

Porque os “aquecedores” de Eastlund podem elevar a ionosfera da Terra, sua descoberta forneceu a habilidade de controlar o clima pela alteração dos padrões dos ventos da atmosfera superior. Isto é feito ao concentrar radio transmissões de alta frequência na ionosfera, a elevando e aquecendo nas áreas localizadas, que então alteram os padrões do vento e por último, as condições climáticas.

Infelizmente, os militares compraram as duas patentes de Eastlund da ARCO e as entregou a Raytheon, um contratado militar. Assim não haverá uso civil para esta nova tecnologia.

Para que HAARP pode ser usada?

Hoje, HAARP tem 48 antenas que podem transmitir mais de 960 kW de energia, e planeja expandir para 180 antenas e 3.6 megawatts de energia em 2006. Até mesmo se isto é pouco para os milhares de antenas e centenas de megawatts de energia que Eastlund entende seriam necessários para controlar o clima ou agir como um ativo escudo contra míssel. Contudo, até mesmo com 3.6 megawatts, significativos experimentos de controle climático podem ser realizados.

De fato, os radio operadores que rotineiramente monitoram as transmissões de HAARP tem notado um aumento no output da rádio frequência da estação exatamente antes que os furacões Katrina e Rita se desenvolvessem em perigosas tempestades. Embora não haja prova de que a ferocidade destes furacões recentes sejam o resultado de manuseio climático pela administração de HAARP, Phillips Geophysics Lab, que é um sócio do projeto de HAARP, contempla o gatilho de tempestades e furacões para uso militar em um curso para pessoal militar na Base da Força Aérea de Hanscon em Maryland, sobre técnicas de modificação climática.

Até mesmo se o programa HAARP está experimentando com o controle do clima, o controle do clima baseado no solo logo pode ser ultrapassado pelos teóricos sistemas de satélites movidos a energia solar com um possível output de energia de mil megawatts. NASA, e a Agência Espacial Européia tem estado pesquisando a possibilidade de tais satélites serem usados como fontes de energia, transmitindo energia para a Terra com concentrados raios de microondas. Com uma frota destes poderosos satélites usando os mesmos princípios de RF de HAARP, é concebível que o clima sobre qualquer locação geográfica possa ser modificado á vontade.

O Raio da Morte do Alasca

Tem sido alegado que a instalação de HAARP, localizada perto de Gokona, Alasca, não é o “real” projeto HAARP, e que o real projeto HAARP está realizando experimentos que parecem estar além do reino das possibilidades. O escritor Dan Eden, do website Viewzone, recentemente revelou que em 1998 ele viu uma instalação secreta de HARP perto de Fairbanks, Alasca.

Eden foi convidado a ir ao Alasca por dois homens, Dave e Jonas, que recentemente tinham sido despensados da Marinha. Eden foi levado por seus hospedeiros a uma pequena cidade alasqueana chamada Fox. De lá eles tomaram trenós elétricos ao longo do Rio Chatinaka onde eles encontraram sinais militares de “área restrita”. Como eles tinham a vantagem de estarem acima da área, Eden viu uma enorme área abaixo deles que estava coberta com filas e mais filas de postes de metal – antenas e pequenos galpões retangulares prateados onde os cabos negros se originavam. A área inteira era ao menos uma milha quadrada e o número de antenas deve ser de milhares.

Disseram a Eden que isto era um conjunto em fases, e que isto era o tipo de antena onde o sinal sendo emitido poderia ser focalizado em um raio muito estreito – como um laser – e que isto era capaz de emitir um sinal que tinha bilhões de watts em energia.

Em um momento, Eden questionou porque um sistema de antenas estaria enterrado entre altas inclinações. “Isto não interferiria com o sinal?”

“Não se você enviar diretamente para cima”, foi a resposta. Eles explicaram que esta energia era usada para aquecer uma camada da ionosfera, para fazer com que ela se curve e fique mais fina, e então ficaria pronta para o “raio mortal”.

A descoberta de Eastlund tinha sido adquirida pelos mlitares durante a era da Guerra Fria porque ela permitia que sinais de microondas fossem enviados e recebidos além do horizonte. Este fato sozinho permitiu que os militares evitassem seu desenvolvimento para aplicação humana ou comercial porque desta forma a tecnologia também estaria disponível às nações inimigas. Mais uma vez que o aquecedor tenha criado um tipo de lente na ionosfera, você não tem que limitar seu sinal de radar ou microondas. Eastlund tinha desenvolvido a habilidade de enviar queimas maciças de energia – com o alcance de bilhões de watts – e estas podem agora serem enviadas para qualquer ponto na Terra.

“HAARP em Gakona, aproximadamente 300 milhas ao sul daqui, é uma imitação falsa para o público. Todo mundo sabe sobre isto”, disse Dave a Eden. “Eles até mesmo tem um website com uma destas coisas de câmera instantânea e umas poucas dúzias de antenas. Isto é apenas uma coisa para mostrar e poder dizer que tudo isto é inócuo e aberto”. Os dois homens esplicaram que eles trabalharam na parte secreta de
HAARP, Dave esteve no ‘com’- o centro de comando do aquecedor. Ele trabalhou com o transmissor primário ou gerador. Jonas disse que ele trabalhou principalmente nas linhas de alimentação na “fazenda” de antenas. Os dois estavam lá quando “deixaram a energia subir ao máximo e a deixaram explodir”, de milhares de watts a bilhões.

“Anteriormente eles nunca usaram muita energia e assim eles apenas fizeram isto para ver o que aconteceria”, disse Jonas. “E quando eles fizeram este tipo de energia multiplicada um grande pedaço da atmosfera da Terra explodiu no espaço. .

Jonas tirou um outro gráfico da caixa.

“Aqui. Olhe o ultravioleta e a radiação que vieram diretamente depois que eles fizeram isso. Eles explodiram o escudo e toda a radiação veio diretamente abaixo e atingiu a Terra. E veja. Isto durou por um longo tempo!”

Eden perguntou se alguém havia se ferido durante estes testes. A resposta lhe resfriou os ossos.

“Sim. Aqui no Alasca estavam esquimós que foram todos fritos e rebanhos de antílopes. Mas os buracos também se moveram a oeste e causaram dano real à Sibéria. Mas isto não matou apenas pessoas. Isto deixou doentes animais e pessoas pela radiação que veio do Sol – a matéria que geralmente é bloqueada pela atmosfera – e assim ainda haverão nascimentos e cânceres e mutações. Eles estão tentando manter tudo isto em sigilo enquanto se apressam. Isto é insano. E a parte pior é que vão utilizar isto novamente!”

CLIMA ESTRANHO

Vários anos mais tarde, em 1999, Dan Eden recebeu e-mails de um leitor na Sérvia, onde as forças da ONU tinham ameaçado Melosovich, principalmente com as forças armadas e equipamentos dos EUA. Os emails mencionaram um fenômeno estranho que acompanhou os ataques pelo U.S. A-10, caça a jato “warthog”.
Ele relatou que, justamente antes do ataque aéreo, o céu frequentemente se encheu de enormes nuvens negras que se materilizariam fora dali e ficariam até o fim da campanha – que geralmente durava um par de semanas. Contudo, ao invés da chuva, o que caiu em Belgrado, foram pedras de granizo do tamanho de ovos.

“Você ainda pode ver as marcas que isto deixou nas casas.” Durante aquele tempo testemunhas descreveram relâmpagos estranhos no céu que duraram por horas e que não se pareciam com nada que já tivera sido visto anteriormente. O “trovão” que acompanhou o estranho “relâmpago” foi igualmente estranho. Isto foi centenas de vezes mais forte do que qualquer trovão anteriormente conhecido. Foi tão alto que foi até mesmo mais alto que o som das explosões das bombas.

Bem como, cientistas na Sérvia divulgaram um relatório que afirmava que o campo eletromagnético sobre a Sérva foi perfurado. O “FURO” era quase do tamanho da própria Sérvia e começou na fronteira, entre o Kosovo e Albania no sul, e terminou perto da fronteira iugoslava-húngara ao norte.

Há também relatos de climas bizarros sobre o Iraque durante a invasão americana em 2004. Párece óbvio que HAARP esteja sendo usado para manipular o clima por todo o planeta. O Washington Post relatou que um número crescente de físicos e outros na comunidade científica estão ficando crescentemente preocupados.

Um “pequeno grupo de cientistas americanos, alguns dos quais tem divulgado queixas em revistas científicas, temem que HAARP possa não ser simplesmente o simples experimento de pesquisa que os advogados descrevem, mas possivelmente seja a fase um de um secreto programa militar dos EUA que pode estar procurando meios de explodir naves espaciais de outros países fora do céu ou interromper as comunicações sobre grandes porções do planeta.”

Richard Williams, um físico e consultor do laboratório David Sarnoff em Princeton alega que HAARP constitui “um ato irresponsavél de vandalismo global.” Ele e outros temem um segundo estágio secreto onde HAARP “iradiaria muito mais energia na ionosfera. Isto pode produzir um rompimento severo da atmosfera superior em um local que pode produzir efeitos que de espalhem rapidamente pela Terra por anos”.

Documentos adquiridos do Escritório de Pesquisa Naval pr meio do Ato de Liberdade de Informação revelam mais do que um propósito ominoso de HAARP. Segundo estes documentos, os militares dos EUA acreditam que a ex União Soviética tem alcançado altos níveis de reação ionosférica do que o possível no “Ocidente”.

Embora menor em tamanho do que o projeto secreto de HAARP, há muitos outros aquecedores baseados no solo pelo mundo; Tromso, Norway e Arecibo, Puerto Rico entre eles.

Michel Chossudovsky, professor de economia da Universidade de Ottawa e Diretor do Centro de Pesquisa Sobre Globalização, diz que: “Há declarações muito claras pela Força Aérea dos EUA para afetar a tecnologia de modificação climática que realmente está disponível, HAARP está completamente operacinal e pode ser usada em situações militares. É claro que a guerra climática constitui um instrumento da Força Aérea, eles até mesmo identificam cenários de seu uso.”

Estes aquecedores já podem estar mudando o clima, e eles tem contibuído de certa forma para as recentes catástrofes climáticas nos EUA? Quantos humanos tem contraído câncer e outras doenças que poderiam ter permanecido latentes se não desencadeados por estas tansmissões?

É crítico que esta tecnologia seja estreitamente monitorada por associações científicas independentes [que atualmente não é] e, se usada, precisa ser usada de tal modo que seja benéfico. Pode ser usada para aumentar o suprimento de alimentos, reparar a camada de ozônio ou reduzir o dano às populações civis frequentemente afetadas por condições climáticas adversas. Tristemente, as atuais agendas militares parecem não dar muito peso a estes possíveis usos benéficos da tecnologia. Isto é um instrumento pago pelos contribuintes e atualmente não está nas mãos das pessoas que tem conquistado ou merecem a nossa confiança e fé.

http://uforeview.tripod.com/haarp.html

Published in: on abril 9, 2008 at 8:07 pm  Deixe um comentário  
Tags: , ,